AYURVEDA: CORPO, MENTE E ESPÍRITO EM HARMONIA

AYURVEDA: CORPO, MENTE E ESPÍRITO EM HARMONIA

O Ayurveda é um conhecimento passado de geração em geração pelo povo Hindu. É a expressão milenar de uma cultura firmada em conhecimentos científicos, crenças religiosas e preceitos filosóficos, com grande benefício para o desenvolvimento humano.
Faz parte da sabedoria transmitida pelos Vedas. Mas o que são os Vedas?
Reconhecidos como a espinha dorsal da cultura hindu, os Vedas compõem-se da coleção de escritos sânscritos que, dentre outras coisas, propagam ensinamentos voltados à promoção de uma vida saudável e com mais equilíbrio.
Apesar de não haver determinação exata sobre o período em que os Vedas foram escritos, uma vez que alguns autores afirmam ser 1.500 a.C. e outros 2.000 a.C., sabe-se que os conhecimentos aí sistematizados já eram transmitidos pela tradição oral do povo hindu desde a antiguidade longínqua, sendo reconhecida sua existência há mais de 7.000 anos.
A própria palavra Veda, de origem sânscrita, significa conhecimento e está presente nas palavras que compõe as escrituras sagradas, que são à base do extenso sistema de conhecimento hindu.
  • Rig-veda = conhecimento dos hinos de louvor
  • Sama-veda = conhecimento das melodias
  • Yaur-veda= conhecimento dos sacrifícios
  • Atharva-veda = conhecimento da magia
ayurveda e os vedas

Os conhecimentos relacionados à Ayurveda são apresentados como uma parte do Atharva-veda e relaciona-se ao conhecimento da vida ou ainda, aos conhecimentos necessários para hábitos saudáveis e longevidade.
A própria palavra Ayurveda, de origem sânscrita, é composta por dois termos que expressam claramente seu sentido. Ayur (vida) e veda (conhecimento).
A busca de conhecimentos sobre a Ayurveda coloca em cheque nossas certezas e exige à disposição para o novo, pois para nós que somos culturalmente definidos como herdeiros das tradições ocidentais, há muito que aprender com o conhecimento milenar que vem do oriente e, dos povos que desenvolveram esse milenar conhecimento.

Por que o conhecimento Ayurveda é tão importante na atualidade?

viver_bem_ayurveda
Primeiramente esse é um conhecimento importante não somente hoje, mas ao longo da história, pois se relaciona à preservação da saúde e à valorização da vida. Mas cada vez mais as dificuldades com as quais nos deparamos no dia a dia mostram que a fragmentação moderna não possibilita compreender e, muito menos enfrentar esses desafios. Torna-se necessário um olhar que dê conta da complexidade e das múltiplas relações que interferem na preservação de saúde mental e corporal. Por isso a Ayurveda vem sendo estudada e, cada vez mais cresce o esforço acadêmico para melhor compreende-la. Sendo inclusive objetivo de pesquisa em universidades de diferentes partes do mundo.
Assim como a medicina ocidental fragmenta o ser humano, nos mesmos o fazemos. Não somente enquanto indivíduos, mas também enquanto coletividade. Somos cada vez menos nós mesmos e mais a projeção de um sistema.
Nossa face interna e externa se desfaz, não reconhecemos a nós mesmos. Olhar no espelho significa muitas vezes se deparar com alguém a quem não mais reconhecemos. Um estranho.
O ‘eu‘ se perde e não mais compreendemos o mundo a nossa volta. Corpo, mente e espirito não se encontram em harmonia.
Isso causa forte impacto em nossa percepção, prejudica o bem-estar e limita o pleno desenvolvimento pessoal.
Se por um lado existe a falta de conhecimento sobre como se relacionar consigo mesmo, com as pessoas no entorno e, de uma maneira mais ampla, com o mundo ao redor, por outro é possível ter apoio em conhecimentos ancestrais que valorizam a saúde física e mental, considerando o ser humano em sua totalidade, sem, no entanto desconsiderar a individualidade de cada ser vivo.
Ayurveda caminha nesta direção. Parte do milenar conhecimento holístico, herdado das tradições da Índia Védica, está presente nas práticas medicinais globalistas e valoriza a promoção do equilíbrio desde o interior da totalidade física e mental do ser humano, em suas relações com a realidade externa.

Contribuições da Ayurveda para o pleno desenvolvimento humano

desenvolvimento_humano_sustentavel_ayurveda
Mais do que conhecimentos relacionados à saúde, presente nas práticas de terapeutas, médicos, enfermeiros, ortopedistas, psiquiatras e demais profissionais da área da saúde e bem estar, consiste em uma filosofia de vida, a qual pode contribuir em muito para longevidade e pleno desenvolvimento humano.
Por perceber a importância do ser humano na plenitude de suas relações considera como pedra angular do bem-estar três pontos fundamentais:
  • Constituição individual do sujeito.
  • Interdependência entre órgãos e sistemas do corpo humano
  • Relações com o meio ambiente natural e social em que vivemos
Em diferentes culturas é reconhecido que em seu processo de desenvolvimento o ser humano precisa conhecer a si mesmo. A inscrição no templo de Apolo, deus grego, traz em sua fronte a inscrição “Conhece-te a ti mesmo e conheceras os deuses e o universo”. Clara alusão a importância dada pelos antigos ao autoconhecimento.
Por que em nossa cultura tornou-se tão difícil conhecer a si mesmo. Dentre as muitas coisas que ensinamos às crianças, pouco se refere à importância de conhecer e valorizar a si mesmo. Essa falta de conhecimento pode trazer prejuízo ao longo da vida.
O conhecimento de si próprio é um elemento importante para a Ayurveda, pois potencializa o respeito à individualidade, uma vez que assume como linha mestra a necessidade de considerar a especificidade de cada indivíduo.
Inversamente às proposições fragmentárias da moderna medicina ocidental, nas quais o individuo deve se adaptar ao recomendado por especialistas, na Ayurveda, o tratamento deve ser adaptar ao indivíduo. Para tanto, se faz necessário o paciente, conhecer a si, para possibilitar ao profissional de saúde e bem estar, também o conhecer. E aí que se encontra o mistério profundo do contentamento.

Terapias na medicina Ayurveda

terapias_ayurveda
Nesse sentido se destaca como ponto estruturante do conhecimento medicinal  firmado na Ayurveda a observação da natureza humana e de tudo que a cerca, sendo considerados os conhecimentos cognitivos, mas também o saber pessoal ou intuitivo.
Desse modo, considerando o ser humano como um todo a Ayurveda contribuiu não somente para a sanação corporal do indivíduo, mas para o seu pleno desenvolvimento, sem o qual não há possibilidade de estabelecer a harmonianecessária para a preservação da saúde.
Nesse sentido a Ayurveda vai além das tradicionais práticas medicinais, pois abrange aspectos físicos, emocionais e psicológicos, tratando o ser humano em sua completude multidimensional, ou seja, corpo, mente, meio social e ambiente.
O cerne da sanação na Ayurveda é a compreensão de que o todo não se resume as partes. Somos todos partes integrantes de um mesmo Universo.
Por isso o seu estudo e prática exige conhecimentos multidisciplinares, os quais têm centralidade nos princípios metabólicos básicos, definidos desde os elementos constitutivos do universo.
  • Éter
  • Água
  • Ar
  • Fogo
  • Terra
Elementos que, aliás, constituem todo o existente, uma vez que tanto nós quanto o Universo somos constituídos das mesmas substâncias. Por isso a preservação da saúde só é possível ser compreendida, na perspectiva da Ayurveda, desde o equilíbrio do ‘eu’ internamente e, em suas relações com a natureza. Trata-se do equilíbrio do microcosmo com o macrocosmo.

A energia do Dosha

doshas_ayurveda
Os cinco elementos estão presentes em tudo o que consiste parte do Universo, possibilitam o conhecimento das qualidades da matéria e expressam tudo o que pode se tocar, ver e sentir. Nós mesmos somos constituídos por esses elementos, estando estes presentes até na menor parte do corpo: as células e seus componentes.
Na medicina Ayurveda uma forma de conhecer o indivíduo é a compreensão da interação dos cinco elementos na estrutura física e psíquica. Este conhecimento é imprescindível para compreender a instabilidade e, portanto as doenças, compreendidas enquanto manifestações de sintomas físicos, mentais e emocionais de desequilíbrio energético.
A forma de conhecer a interação dos cinco elementos é a compreensão dos Doshas, forças energéticas fundamentais cujo equilíbrio representa o estado saudável.
Cada ser humano possui uma proporção única dos cinco elementos primordiais, chamada de prakriti, também conhecida como natureza da matéria cósmica que compõe o indivíduo e define suas características. Somos parte indivisível do Universo.
Cada ser humano é único, portanto apresenta quantidades de combinações diferentes de éter, água, ar, fogo e terra. Para conhecer uma pessoa é preciso identificar o elemento predominante em seu corpo.
A ser realizada esta identificação se define o Dosha da pessoa. Na medicina Ayurveda existem três Doshas “principais”: Vata, Pitta e Kappa, dos quais derivam os Doshas secundários, que se manifestam em proporção inferior e são classificados em:
  • Vata
  • Pitta
  • Kapha
  • Pitta vata
  • Kapha vata
  • Pitta kappa
  • Vata pitta kapha
Descobrir a composição dos Doshas de cada indivíduo é de central relevância para o diagnóstico ayurvédico, pois será a partir dessa definição que será desenvolvido o tratamento que, muitas vezes impactará na mudança de vida do paciente.
Conhecer o seu Dosha será muito importante para ter um melhor entendimento de sua natureza física e psíquica, significa conhecer o seu próprio corpo e os elementos que o compõe. Ajudará a entender suas perdas e conquistas, bem como os hábitos necessários para a preservação do equilíbrio, portanto da saúde.
Gostou de conhecer um pouco mais sobre a Ayurveda? Então compartilhe esse artigo e ajude outras pessoas a conhecer a ciência da vida.

AYURVEDA – A CIÊNCIA DA VIDA

Este Texto será bem longo, mas quero conversar com as pessoas que estudam e praticam o Ayurveda – A Ciência da Vida!  Vou compartilhar minhas pesquisas, estudos, livros tratados que vão além do Caraka, Susruta e Ashtanga.
Eu acredito que este texto poderá ajudar os estudantes e amantes do ayurveda.
Quando se trata de dar um dedo de prosa sobre o ayurveda, por mais que tentamos enxugar, o assunto se estende, pois esta ciência vai além, muito além do que conhecemos no ocidente e até mesmo quando somente fazemos uma bate e volta a outros países a procura de conhecimento.
Um milésimos do que chega até nosso conhecimento nos faz parecer que possuímos um conhecimento profundo. Desta forma nos agarramos aos livros e nos limitamos achando que é a verdade absoluta, mas se tratando da ciência mais antiga do mundo, uma das mais extensas,  o céu é o limite. Se tiverem paciência, vão descobrir um mundo vasto.
A Ayurveda foi apresentada para mim através de um professor de Física Quântica.  A primeira parte apresentada foi um verso  no tratado chamado Vaishesiksa que aborda a e a Teoria do Átomo. Ele faz parte do Ayurveda e da sua literatura. Se tratando de uma teoria do átomo há mais de alguns bons 1000 anos atrás, já nos dá um sinal de quão é extensa, ou não?
Bom como trabalhei na área científica da física quântica, me senti interessada a pesquisar sobre esta ciência.  Há aproximados 18, 20 anos me dedico ao estudo e pesquisas sobre os tratados desta ciência.
Chegando ao nascimento da medicina, ela vem com mais irmãs e claro vem na mestria nos ensinar que Medicina, a Gramática e a Yoga andam de mãos dadas, a primeira deidade a abordar que todas as ciências andam juntas foi Patanjali.
A ciência da vida vem muito antes do que sonhamos e com ela vem a forma de cura não só do corpo físico,  mas vem mencionados os outros koshas (corpo físico, mental, espiritual, intelectual e o de consciência, mas não para por ai, para entender esta ciência tão grandiosa, temos que buscar vedas, yoga, tantra , etc..
ayurveda-ciencia-da-vida
Como diz o Yoga, tudo é a união.
Este meu professor me apresentou (de maneira pessoal) as maiores referências acadêmicas do Ayurveda e dentre elas escolhi com meu coração seguir o Vasant Lad e o Avinash Lele.  Foi aqui no Brasil que meu despertar começou e aqui fiz todo os meus estudos, porque encontrei tudo que precisava para esta ciência ser adaptável a nossa realidade.
Iniciei meus estudos e pesquisas. Percebi que o Ayurveda era muito mais que só a Filosofia Samkhya.
Um dia Vasant Lad falou que o Ayurveda, o Yoga e o Tantra se complementavam. Na evolução do homem o Ayurveda  e a base, o Yoga é  o corpo e o Tantra é a cabeça. Isso me intrigou.
Fui buscar conhecimento e percebi que para entender um indivíduo e poder trata-lo eu teria que ir afundo em outras ciências que se completam.
O Yoga que me refiro aqui não é somente a Hatha (asanas,) mas também.
Inicia-se aqui minha trajetória no Ayurveda.
Junto com o três clássicos do Ayurveds o Charaka o Sushruta e o Ashtanga comecei estudar os vedas. Ao pé da letra e que infelizmente muitas pessoas aplicam. O Ayurveda é a manutenção  da saúde, prevenção da doença e ter longevidade. Mas segundo Dr. Ranade entender os princípios por de trás das doenças são também um dos maiores objetivos do Ayurveda. Vocês podem achar um grande tratado falando que o aspecto do Ayurveda é muito mais que traçar tratamento para doenças ou desarmonias. Vai muito além, mas muito além do que uma dieta e fitoterapicos. Os cinco corpos precisam ser restruturados, curados e realinhados. Há um tratado dentro do Ayurveda que esclarecesse muito bem chamado de (Bhaishajya Ratnavali). Mas abordando a realidade, ele sai do mundo dos corpos e vai ao Universo como um todo.
Então estudar os vedas já nos abre a porta para entender a humanidade e o universo. Ela aborda estudos espirituais que aplicamos no Ayurveda para cura do corpo espiritual. Ele fala também sobre agricultura  e agronomia, Yoga, Ayurveda, música, gramática. Faz parte dos estudos do Ayurveda,  o Rig Veda, Yajur Veda, Sama Veda e Atharva Veda. (super indico o Jonas Mazet em seus vídeos para explicar estes textos).
O ayur me permite a trabalhar o corpo espiritual  do paciente pelo Mantra,  me faz ver os Nádis,  Ida e Pingala através do Tantra (não me refiro ao sexos tântrico) me refiro ao estudo da ligação com Deus e tudo que permeia energia. Quando vou tratar a parte psíquica do paciente com olhar da psicologia Ayurveda eu uso Yantra que são uso das várias formas de se tratar a energia do paciente.
Se eu me limitar a só cuidar das rotinas diárias do Ayurveda estou construindo um muro ao meu redor e limitando o paciente da verdade oculta por trás da sua doença.
Quando fui estudar diagnósticos com o Vasant eu entendi o porquê de ter estudado física quântica. A primeira coisa que ele falou foi o Universo está em seu pulso, com ele você acessa o que quiser.
Um congresso mais tarde percebi quando ele chamou uma pessoa e leu no pulso dela a doença que a mãe teve e que estava sendo instalada em sue pulso.  Neste momento o pulso pra mim Cristiane  Deixou de ser Doshas  e subdosha em prakrit ou vikrit.
Então comecei a pesquisar e traçar um plano de estudo.Além de estudar o Samkhya, a filosofia mais usada aqui, pesquisei as outras cinco que que formam a base e alicerce (Adisthana Tattva) do Ayur.
YogaNyaya a lógica Vaishekshika  a teoria do átomo (aliás linda)
Vedanta Mimada a responsabilidade  e a recompensa.
Além destes caminhos filosóficos eu trouxe junto o Veda que anteriormente já tinha separado para estudar.
Percebi que além do corpo físico os outros tinham que ser tratados, mas antes lidos e diagnosticados.
Para tratar os demais corpos tive que sair do padrão do ashtanga hidraya  (ramo que trata as medicinas do corpo fico).  E daí que entra o Mantra  que é uma linguagem que entramos no corpo espiritual. O Tântra  com a associação ao trabalho de todos canais de energia que permeia nossos corpo com o objetivo de adoração a Deus e o Yantra que adoração tua na energia psíquica.
Comecei entender que macro como e o micro são exatamente complexos e lindos.
Hoje conhecemos os três livros mais usados aqui. Mas confesse que ao longo destes 18 anos pude descobrir outros bons tantos.
Os primeiros que li: Caraka e Sushruta Samhita. Depois descobri que o Ashtanga e um livro de um tratado chamado Ashtanga SANGRAHA. São seis livros com 16 capítulos. Eis que surge o Langhu Trayi.
Madhsva Nidana  SARANGADHARA  SAMHITA (Todo tratado de pulso)
Bhava Prakasa.
Ao ler o Sarangadhara, fui pedir ajuda ao meu professor ele me indicou um material usado na faculdade de Medicina Tibetana  Chakpori – Ilhasa Tibet que aborda com mais profundidade os diagnósticos e remédios.
Fui estudaram a medicina tibetana e resgatar o Ayurveda manifestado em outro país.  Isso não significa que a partir de outras buscas o Ayurveda deixa de ser puro. Isso é um muro que é construído por pessoas limitantes, mais uma vez. Com isso perdemos nossos potenciais e julgamos errado ou impuro.
Como a Índia foi invadida inúmeras vezes muitos dos seus materiais foram queimados e outros levados para outros países, mas a essência e todo conhecimento jamais foi extinto, pois estava dentro dos vaydias.  Um dos textos foi para o  Tibet  que o adaptou para sua realidade. Não é isso que o Ayurveda presa? Individualidade e aplicar a ciência de acordo com necessidade do lugar das pessoas da meio, da situação e etc.
Quem puder e quiser leia os tratados de medicamentos e de diagnósticos das duas medicinas e cheguem à conclusão que eu cheguei. Todos bebem da mesma fonte.
Falando em medicamento os tratados específicos de herbologia e medicamentos gerais, ensinam não só aplicar fitoterapia, mas metais, cristais, e produtos animais.
Você sabia que o princípio do floral e da homeopatia estão lá?  Inteirinho. Solarizar ervas e dinamizar produtos da natureza para tratar doenças em níveis energéticos. O Dr. Lad  assim como Dr. Ranade mencionam em seus livros a homeopatia. E isso me trouxe uma paz de espírito, pois usar florais e homeopatia na recomendação do paciente são ajuda-lo, ao contrário de acharmos que não estamos usando o Ayurveda tradicional e puro.
Sabiam que o pai da homeopatia  estudou tratados da Índia? Não há Ayurveda puro nem na Índia, mas o conceito dele é intocável. As escolas de Ayurveda são muitas, são muitas as possibilidades, são muitos mestres, são muitas e infinitas particularidades.
Pra quem ama está ciência não se limite a estudar somente o que nos apresentam ou somente o que vivenciamos e principalmente julgar a atuação de um terapeuta faz da ciência qualquer coisa menos respeitá-la. Isso é pequena e não damos oportunidade de matar o ego.
Dê oportunidade a você e mais que isso a humildade de aceitar as diferenças desta ciência. Passe por várias escolas de Ayurveda garanto que quem ganha com tudo isso é o Ayurveda e você.
Passei por todas escolas de Ayurveda aqui no Brasil. Cada professor me ensinou o melhor de si.
O único partido em mim é ayurveda. Aceito todas as escolas, reverencio a diversidades entre elas e principalmente a humildade e a quebra do meu ego ao achar que a ayurveda do Sul da Índia e melhor do que aquele do norte, do leste ou oeste.
Isso serve aos estudantes de Yoga. Todas são Yoga vem de Patanjali e se eu  analisar  como a única tradicional fosse a Hatha,  o que seria dos estudantes e praticantes de Iyengar, ashtanga, etc. Falar que uma linha não é tradicional é ferir os sutras de Patanjali e acabar com o empenho e dedicação de quem os compilou.
Bom agora vou postar aqui tratados usados no Ayurveda.
Há um site que baixei tratados em sânscrito  e hindi e com ajuda do meu professor estou traduzindo de vagar e assuntos que me interessam como diagnóstico é Claro. (Algumas coisas tem em Inglês)
Referências dos meus estudos.
1 Kashyapa Samhita
Kashyap saṁhitā (Devanagari कश्यप संहिता, também Kashyapa, Kasyap, Kasyapa ), também conhecido como Vriddha Jivakiya Tantra é um tratado sobre Ayurveda atribuída ao sábio Kashyap .
O texto é muitas vezes apontado como um dos primeiros tratados sobre medicina indiana, juntamente com o Sushruta Samhita , Charaka Samhita , Bheda Samhita , Harita Samhita (e outros). [1]
Na prática contemporânea de Ayurveda, que é consultado, especialmente nas áreas de pediatria Ayuvedic, ginecologia e obstetrícia. [2] Ele também faz parte do programa de ensino Ayurveda especialmente em Kaumarabhritya
2 Ayurveda   e suas literaturas.
1500 aC-védica religião: Rig, Yajur, Sama, e Artha Vedas: 125 medicamentos mencionados no Artha Veda
600 BCE: aumento da tradição heterodoxa do jainísmo e budismo. Também a ascensão do que é agora chamado hinduísmo.
150BCE-100 CE: Caraka Samhita: o mais antigo tratado ayurvédica completa; As ervas são agora classificados por ação e morfologia. Novamente reformatada por Drdhabala cerca 400ce
C.100-500: Susruta Samhita: Detalhado texto cirúrgica Bhela Samhita.
500: Dhanvantari Nighantu: uma compilação precoce de ervas em certos grupos funcionais com base na propriedade de as ervas.
C.600: Astangardhaya Samhita por Vagbhata: uma obra de síntese sobre as essências de Ayurveda
C.650-950: Madhava Nidana (aka Rogaviniscaya): o primeiro texto cometidos somente a patologia.
C 875: Siddayoga por Vrnda; No início Ayur texto védico do mesmo tipo que Chakradatta
900-1400: Goraksha Samhita; texto Hathayoga início onde muitos conceitos ayurvédicos são fundidos com a prática de yoga tântrico.
1075: Chikitsasamgraha / Chakradatta por Chakrapani: manual ayurvédica profissional da era medieval.
1100: Dravyagunasamgraha; O primeiro Nighantu escrito por Chakrapani
C1300: Anandakanda: um tratado alquímico cedo.
1374: Madhanaphala Nighantu; outra compilação de ervas e minerais
1300-1400: Sangandhara Samhita; trabalhos coletados em fórmulas e preparações ayurvédicos. Primeiro registro de pulso, tendo como método de diagnóstico; uma obra fundamental ligando pensamento ayurvédica com novas técnicas de alquimia tântrica.
1449-1450: Laksmanotsava: a tomada do pulso texto descrevendo
1474-1538: Javaratimirabhaskara de Camunda; A primeira menção de atsathanapariksha, os oito métodos de diagnóstico (pulso, língua, urina, olhos, rosto, fezes, de voz e de pele)
1596: Bhavaprakasha Niganthu por Bhava Misra; o mais importante tratado matéria médica ayurvédica.
c.1600: Ayurvedasutra; um texto mistura pensamento ayurvédica, yoga e tântrico. Rasaratnsamuccya: um texto alquímico fundamental compilação de pensamento e teoria muito mais cedo.
1676: Yogaratnakara; uma obra fundamental refletindo a característica de assimilação do Unani e influências europeias em Ayurveda.
1760: Rajavallabha Niganthu; medica meteria progressiva
1815: Samgraha Niganthu
1893: Bhaisajya Ratnavali: Govindadasas trabalho listando várias preparações médicas e da introdução de diferentes doenças européias.
c.1900: Nadi Praksana: Sankara Sen 1924: Nihantu Ratnakara
Alguns livros vocês acham nesta página ou citações  deles. http://bit.ly/2bqcYlj
Obrigada a todos que chegaram aqui. Desculpem erros mas escrevi sem perder o raciocínio e no celular que de vez enquanto corrige errado.
Saúde e não se limite em aplicar várias técnicas que no ocidente não aplica. Tudo isso é Ayurveda sim! É a ciência da vida. A vida não se limita em escolas e linhas ayurvédicas. Ela é um todo. Ela é como a Física quântica.
Fiz um Bate-papo com a Rocio Mouzo falando sobre muitos destes princípios que você pode acessar clicando aqui
Beijos e saúde plena
Cristiane Ayres
Fonte:https://www.escolhassaudaveis.com/ayurveda-ciencia-da-vida/