SEGREDOS,MISTÉRIOS E MARAVILHAS DO EGITO ANTIGO

Segredos,Mistérios e Maravilhas do Egito Antigo
O Egito antigo, terra das maiores maravilhas do mundo ainda reserva muitas surpresas aos pesquisadores, sob a areia escaldante do deserto, tesouros ocultos ainda esperam por serem revelados aos olhos dos homens e conhecimentos secretos apenas aguardam para serem redescobertos.
Os egípcios falam em suas lendas sobre filhos das estrelas, ou “aqueles que vieram do seio dos deuses para auxiliar o faraó”, pois para eles o faraó era o supremo representante dos Deuses na terra e possivelmente estes filhos das estrelas poderiam ser seres extraterrestres recentes descobertas de pinturas em tumbas demonstram a presença de pequenas criaturas parecidas com extraterrestres, mas este será assunto para uma próxima matéria.
Dentro das modernas descobertas, destacamos o texto de Abul Hassan Ali Al-Masudi, um autor árabe que viveu no Séc X, este autor também conhecido pela alcunha de “Herodes dos Árabes”, um dos textos de Abul trata sobre a forma de construção das pirâmides. De acordo com os achados, Abul teria chegado ao Egito após percorrer diversas partes do mundo, pesquisando e registrando a história da época, o que acabou gerando cerca de 30 volumes com as suas descobertas e registros. Extremamente científico e curioso questionou aos egípcios como foram construídos tais monumentos (pirâmides), segundo os egípcios, uma folha de pergaminho (papiro) mágico era depositada abaixo do objeto a ser movido, que poderia ser uma pedra ou qualquer outro tipo de material que fosse necessário transportar.
Assim que o papiro era colocado sob o objeto desejado, vinha um membro que trazia consigo uma vara longa de metal, este membro acertava o papiro com a vara de metal que gerava a levitação do objeto em questão. De acordo com o descrito por ele, o objeto que levitava era conduzido a uma espécie de “estrada” de pedras flanqueadas e possuindo em ambos os lados postes de aparência metálica. Por este caminho enquanto flutuava o objeto seguia um trecho de 50 metros antes de ser novamente depositado no solo, segundo o autor, este processo poderia se repetir indefinidamente até que a pedra fosse colocada exatamente onde os construtores haviam planejado depositar aquela pedra.
O que mais intriga os pesquisadores modernos é de que forma eles teriam transportado as imensas pedras que compõe as pirâmides, infelizmente nem os pesquisadores ainda possuem esta resposta, enquanto não tivermos dados concretos a respeito da forma do transporte destas pedras, não poderemos saber se o relatado por Abul é real e abrirá procedentes para novas e futuras tecnologias ou se é fruto de uma imaginação fértil em demasia.
Fonte:http://www.portalburn.com.br/segredos-misterios-e-maravilhas-do-egito-antigo/
15 mistérios sobre o Egito Antigo que a ciência não conseguiu explicar
Nenhum lugar na Terra possui mais “milagres” do que o Egito, um país cheio de maravilhas escondidas.
A história do Egito Antigo é uma atração permanente para nós. Cativa com o encanto dos mistérios e enigmas que aguardam serem elucidados, mas também através dos aspectos incomuns. Seja sobre as práticas rudimentares da medicina antiga ou da origem da maquiagem, a história egípcia antiga continua a ser uma fonte inesgotável de informações surpreendentes.
Quando se trata do Egito Antigo, “incomum” é a descrição mais apropriada.
Múmias, escaravelhos, o Livro dos Mortos e uma curiosa obsessão por gatos são apenas algumas das coisas que continuam a intrigar-nos.
Além disso, o mistério ainda envolve muitas coisas sobre o Egito e sua história. Para cada coisa que os egiptólogos finalmente conseguem explicar, há outras que esperam suas explicações.
15. Controle de Natalidade
Você ficaria chocado ao descobrir que os antigos egípcios eram especialistas em todos os métodos anticoncepcionais.
Em primeiro lugar, eles usaram preservativos. Como assim? Por volta de 1350 A.C? Sim, é isso mesmo. Os preservativos eram compostos de linho colorido imerso em azeite. Outros preservativos foram feitos de membranas intestinais de animais – ovelhas especialmente – para prevenir doenças infecciosas.
Uma pílula anticoncepcional – geralmente feita à mão – foi usada para prevenir a gravidez. À medida que a romã contém estrogênio natural, prepararam seus grãos para obter um pouco de pó e fazer cones contraceptivos pequenos com a ajuda de cera.
O mel ou outras substâncias misturadas com excrementos de elefante ou crocodilo foram utilizados nos cremes e pomadas que se comparam aos espermicidas modernos.
Portanto, as pirâmides não são os traços únicos da modernidade dos antigos egípcios. E o que estamos fazendo hoje? Nada mais do que melhorar as técnicas existentes. Nós realmente não inventamos nada novo, certo?
14. Higiene Pessoal
Independentemente de seu status social e sexo, os egípcios usavam cosméticos. O óleo, espremendo de frutas ou nozes, era a base da maioria deles. Eles foram usados ​​para proteger a pele e os cabelos do clima quente do deserto.
Para o sabão, eles usaram natron, uma pasta que contém argila ou cinzas. Às vezes, eles costumavam misturar óleos vegetais e animais com sais alcalinos.
Quanto aos cabelos, era simplesmente considerado o habitat natural dos piolhos, portanto eles escolheram o caminho fácil: colocar óleo sobre a cabeça ou raspar o cabelo – o que a maioria deles fez. Mesmo assim, os egípcios não tinham nada contra as perucas que usavam como chapéus para protegê-los do sol.
Tenha em mente o fato de que a maioria deles estava morta antes dos quarenta anos – por isso eles estavam preocupados com a preservação da aparência juvenil. O óleo extraído de sementes foi utilizado principalmente para melhorar a condição da pele.
As coisas mudaram muito desde então? Na verdade, como até hoje nos preocupamos muito com a nossa aparência física e fazemos o nosso melhor parecer o mais jovem possível. Está disponível para homens e mulheres!
13. Maquiagem
O que? Isso também? Incrível!
Ambos homens e mulheres egípcios usavam uma maquiagem elaborada. O antigo Egito é considerado o berço da maquiagem, que remonta ao terceiro milênio A.C. A maquiagem dos olhos era geralmente verde (feita de cobre) ou preta (feita de chumbo).
Os egípcios acreditavam que a maquiagem tinha poderes de cura. Antimônio, ou Khol (o lápis preto), como o chamamos hoje, com o qual os egípcios moldaram seus olhos, foi capaz de proteger os olhos das pessoas da areia do deserto. Além disso, tinha uma função simbólica, lembrando o olho de Horus. Horus era o falcão sagrado cuja acuidade visual simboliza a luta da luz contra as sombras.
12. Medicina e Curas
Hoje em dia, todos tentamos viver e comer de forma mais natural possível. Portanto, rejeitamos pílulas e curas comuns e tentamos nos curar com medicamentos feitos a base de plantas. Acredita-se que seja muito melhor! Pode ser, e pode haver alguma verdade na afirmação de Homero: “A terra natal do Egito é a mais rica em cura”.
Os antigos egípcios usavam óleos, massas, tâmaras, cebolas, alho, linhaça, aneto, mirra, ópio, além de vários minerais como sais de chumbo, antimônio e cobre. Eles também usaram carne animal, cérebro e sangue. Todas estas “drogas” foram administradas no leite, vinho ou cerveja, ou cozidas antes da administração.
Por exemplo, as infecções eram tratadas com pão mofado. As doenças pulmonares eran tratadas com creme, mel misturado com cominho e leite com gafanhotos. Eles fizeram inalações, com uma bengala, absorvendo o vapor de uma fervura em que misturaram resina e mirra, enquanto a semente de mamona, bem mastigada, depois adicionada em cerveja, era um laxante.
11. Cálculos Matemáticos
A matemática ainda dá dores de cabeça, mesmo hoje, quando vivemos na era dos computadores e os cálculos devem ser muito fáceis para todos. Bem… eles não são, especialmente quando se trata de operações matemáticas mais complicadas. Mas todos sabemos que houve e ainda há pessoas que sabem tudo sobre cálculos.
Os egípcios foram, sem dúvida, os campeões mundiais dos cálculos matemáticos e suas aplicações na vida cotidiana.
O exemplo mais convincente foi encontrado no santuário no templo de Abu Simbel.
Lá, duas vezes por ano, todos os anos, os rostos do faraó Ramsés II e dos deuses Amun e Ra são iluminados pelos raios do sol, enquanto o rosto de Ptah, sentado ao lado dos outros, está sempre no escuro. Além disso, os dois dias deste fenômeno são o aniversário do faraó e o dia em que foi coroado (22 de outubro e 22 de fevereiro).
10. Calendário
Ano 5, 3º mês de Inverno, dia 13. Você sabe do que estou falando? Você pode até não saber, como você não sabe nada sobre o calendário dos antigos egípcios, não é?
Os egípcios elaboraram um calendário que, de acordo com os melhores estudiosos do assunto, é, sem dúvida, o único calendário inteligente que já existiu na história humana.
Os antigos egípcios mediram o tempo como fazemos hoje: em anos, meses, dias, horas. Os anos foram numerados em anos de reinado em relação à entronização do faraó, e não como fazemos hoje, a partir de um ponto zero.
O ano egípcio foi dividido em 12 meses, cada um de 30 dias. Cada mês foi dividido em 3 décadas (10 dias). Os textos astronômicos subdividem o céu noturno em 30 decanos, seguindo o surgimento de constelações em determinadas horas da noite. Cada decano representava uma década no calendário. Os meses foram agrupados em três temporadas: AKHET (a inundação), de meados de julho a meados de novembro; PERET (refluxo ou inverno), cerca de meados de novembro até meados de março; E CHEMOU (a colheita ou, literalmente, a baixa água), de meados de março a meados de julho, quando o milho estava sendo colhido.
Mas como nada é perfeito, nem o calendário deles é. A única ótima reprovação que pode ser feita neste sistema de calendário é a ausência de anos bissextos, que só aparecerá na era romana. Esta falta os fez perder um dia a cada quatro anos. Assim, o calendário mudou gradualmente em relação ao ano natural.
9. Ar Condicionado
Lembro-me de que na minha infância, quando não havia ar condicionado, as pessoas usavam resfriamento evaporativo simplesmente pendurando panos e cortinas molhadas nas portas e janelas. Devido ao vento que soprava os produtos molhados, o ar na casa ficava mais frio. Eu pensava que isso era incrível. E realmente ajudava. Considero essa ideia muito engenhosa. Mas parece que não era nossa. Pelo contrário! Os antigos egípcios são creditados como sendo os primeiros a fazer isso!
Há mais. Outro mistério é a temperatura dentro das Grandes Pirâmides de Gizé, que é constante, 20 graus Celsius, apesar do fato de que a temperatura ao seu redor atingir 50 graus.
O mistério não termina aqui. A temperatura na pirâmide é igual à temperatura interna da Terra.
Isso é uma coincidência, ou os egípcios realmente têm o conhecimento e a possibilidade técnica de criar e manter essa temperatura em uma estrutura artificial?
8. Polaridade
Você já pode ter vivido um momento de sua vida onde odiava alguém e onde começou a amá-lo com a mesma intensidade, ou vice-versa; Era uma aplicação desse princípio que os antigos egípcios conheciam!
Tudo tem dois pólos, tudo tem dois extremos. Os dois pólos, embora sejam extremamente diferentes, são exatamente os mesmos porque estão na mesma escala, mas em diferentes níveis. É por isso que frio e calor, embora pareçam muito diferentes, basta indicar a temperatura. Eles são a mesma coisa. A diferença é apenas o nível de vibração. Não podemos dizer onde a escuridão termina e a luz começa. Estes são sempre diferentes níveis de presença de ambos.
7. Moralidade
Por mais inacreditável que pareça, os egípcios também tinham um senso muito forte de justiça e moralidade. Eles sabiam que o bem deveria prosperar e o culpado deveria ser punido. Eles também entenderam que é impossível ser perfeito, portanto, eles tentaram se equilibrar.
Uma das divindades mais temidas do antigo Egito era Ammit – cujo corpo consistia nos três animais comendo um homem: leão, hipopótamo e crocodilo, uma combinação de criaturas ferozes e aterrorizantes.
Embora ela nunca tenha sido considerada uma deusa, ela era a habitante que esperava nas escalas do julgamento para comer os corações dos egípcios que faziam o mal ao longo de suas vidas.
Não é de admirar que os egípcios estejam dispostos a seguir os princípios de Ma’at, a deusa da harmonia, da justiça e da verdade! Quem não faria o mesmo?
6. Respeito por pessoas com deficiências
Apesar do controle de natalidade e das pílulas usadas para curar diferentes doenças, havia algo que não podia ser controlado: o nascimento de uma pessoa com deficiência.
No antigo Egito, as pessoas que nasceram com deficiências tiveram um emprego seguro. Para os trabalhos que exigem um alto nível de segurança, como o processamento ou manuseio de ouro, anões, gigantes ou pessoas com fraquezas visíveis eram preferidos.
Os anões, especialmente, não eram vistos como pessoas com deficiência física, pelo contrário, os egípcios adoravam deuses anões. Portanto, muitos anões tinham cargos de autoridade nas famílias.
5. A esfinge
Na mitologia egípcia, a palavra esfinge refere-se a um ser híbrido, simbolizando a união do deus solar Ra (corpo de leão) e o faraó (cabeça humana, às vezes cabeça de falcão). Hoje é um grande enigma que os arqueólogos precisam resolver.
4500 anos atrás, sob o império egípcio, um faraó imaginou uma escultura monumental que ele construiu em Gizé, perto da cidade do Cairo.
A Esfinge tem 20 metros de altura e 73,50 metros de comprimento, é esculpida em uma imensa pedra calcária, sua face tem 5.20 metros de altura, 4.20 metros de largura e o estiramento do nariz mede 2 metros. É a estátua esculpida mais maciça de um único bloco.
Mas, quando foi realmente construída?
De acordo com as indicações mais óbvias, a Esginge data de 2500 A.C. No entanto, deve notar-se que a civilização egípcia nasceu em 2925 A.C. Os cientistas afirmam que o rosto da Esfinge representa o rei Khephren. Além disso, o templo de Khephren está localizado a 15 metros ao sul da Esfinge. Um pilar foi construído entre as pernas da Esfinge em 1400 antes da nossa era pelo Faraó Thutmosis IV da dinastia XVIII. Ele teve ergueu este pilar após a descoberta do corpo da Esfinge, pois até essa data a Esfinge estava coberta com areia até o pescoço!
4. Faraós
O faraó era o governante absoluto do antigo Egito, cujo território era então dividido em duas entidades distintas, o Alto Egito e o Baixo Egito. Para as pessoas comuns, o faraó era uma pessoa intangível, o filho terrenal de Rá e a autoridade suprema no estado. Após a morte, o corpo do faraó era mumificado em uma cerimônia complicada e depois enterrado em um rico sarcófago ornamentado.
O faraó Pepi II governou 94 anos, o monarca reinante mais longo da história humana, o que implica que ele teve uma vida muito longa.
Uma das maneiras pelas quais ele conseguiu viver tanto foi o fato de que ele sempre se proteger contra moscas e outros insetos, que, como fazem hoje, transmitiram germes de muitas doenças.
Como naquela época não havia nem janelas nem redes de inseticidas, a solução era extremamente engenhosa: os escravos eram encharcados com mel e colocados nas proximidades, então as moscas eram atraídas para eles e permaneceram efetivamente coladas a eles.
3. Os mistérios da Grande Pirâmide de Gizé
Nenhuma estrutura no mundo é mais misteriosa do que a Grande Pirâmide de Gizé.
É difícil imaginar que o monumento em homenagem a Quéops foi construído a partir de 2,3 milhões de blocos de pedra, em média, cada um pesando mais de duas toneladas e que foram esculpidas com ferramentas de cobre simples.
Não é menos impressionante perceber que seus lados estão precisamente alinhados com os pontos cardeais e que nenhum excede o outro por mais de cinco centímetros. Sem mencionar que, com seus 146,58 metros originais, a Grande Pirâmide permaneceu a maior construção humana do mundo por quase 4.000 anos – até que a torre central da Catedral da Virgem Maria de Lincoln estivesse completa em 1310.
Mas todos esses superlativos não nos ajudam a elucidar os mistérios ocultos.
2. Alinhamento Perfeito
Parece que os mistérios não encontram um fim no antigo Egito. Embora pareça acidentalmente colocado no deserto, os especialistas determinaram que a Grande Pirâmide está localizada exatamente no centro geográfico da superfície continental da Terra.
Isso pode ser determinado com relativa facilidade por qualquer pessoa que tenha uma projeção Mercador do globo terrestre.
Hoje, é óbvio que os egípcios não tinham esse mapa e é ainda mais difícil determinar o quanto eles sabiam sobre o mundo.
É por isso que a escolha do local onde a Grande Pirâmide foi construída ainda continua sendo um mistério não resolvido!
1. Gatos
Os egípcios são famosos por seu amor em relação aos animais, mas os gatos eram sagrados, e em um ponto também tinham seu próprio culto religioso.
Quando um gato morria, todos os membros da família aflita raspavam suas sobrancelhas como sinal de luto. Se um gato era morto, mesmo que por engano, o autor era submetido a atrocidades públicas e condenado à morte por um método horrível: mordida de cobras venenosa.
Quando um gato morria, sua adoração envolvia sua mumificação e enterro em um cemitério dedicado. Ao lado da múmia do gato, uma múmia de um rato e uma tigela de leite eram inseridas no túmulo.
A evidência de que esse hábito não era temporário depende de uma descoberta em 1888, quando um fazendeiro descobriu mais de 80 mil múmias de gato de um único cemitério.
Os amantes de gato de hoje poderiam fazer o mesmo?
Fonte:https://misteriosdomundo.org/15-misterios-sobre-o-egito-antigo-que-a-ciencia-nao-conseguiu-explicar/

5 mistérios do Antigo Egito que você não conhecia


Parece que já se sabia tudo sobre as pirâmides e os túmulos egípcios. Mas a ciência nunca se detém e, graças à tecnologia moderna, novas descobertas surpreendentes foram feitas, as quais, por sua vez, geraram novas perguntas. No Incrível.club decidimos ir mais fundo nos grandes mistérios do Antigo Egito.

1. Câmaras secretas da Pirâmide de Gizé

Em 1993, com a ajuda de robô ’Upuaut II’ no canal de ventilação sul da Pirâmide de Gizé (também conhecida como a Grande Pirâmide) foi encontrada uma porta. Investigações posteriores mostraram a presença de uma pequena câmara que acabava em uma outra porta.
Em 2010 um robô chamado ’Djedi’ conseguiu entrar pela primeira porta e descobriu maçanetas de cobre, que tinham forma de laços. Também descobriu alguns hieróglifos na cor ocre desenhados no chão.
Além disso, embora afirmem que, segundo dados oficiais, nos últimos 9 anos ninguém tenha entrado neste canal, apareceram ali alguns novos arranhões nas paredes e um corte profundo no teto.

2. Qual é a verdadeira idade da pirâmide?

Costumava-se acreditar que a pirâmide foi concluída em 2.540 a.C. No entanto, alguns cientistas põem em dúvida essa teoria, por causa pistas encontradas em Gizé. O texto escrito sobre ela diz que não foram dadas ordens para construí-la, mas para restaurar sua Esfinge. Além disso, a pesquisa moderna mostra que os sulcos em seu corpo são traços de chuvas e a última vez que as águas atingiram esse nível foi há 8.000 anos.
Então, quantos anos terá realmente a Grande Pirâmide, se acreditam que a Esfinge foi construída depois dela?

3. Mistério térmico da Pirâmide de Gizé

Em 2016 foram realizadas várias investigações sobre a Pirâmide de Gizé, usando o método de termografia infravermelha. Com a técnica, descobriu-se que na base da Grande Pirâmide existiam algumas lacunas inexplicáveis.
Supõe-se que ali pudesse haver um espaço vazio ou um túnel subterrâneo. As zonas com diferentes temperaturas também foram descobertas na parte superior da pirâmide.
Ministério Egípcio das Antiguidades (Egyptian Ministry of Antiquities) ainda não apresentou dados sobre esse tema.

4. A tecnologia de construção das pirâmides

O francês Joseph Davidovits, um dos maiores especialistas em Egito antigo do mundo, afirma que os blocos das pirâmides foram produzidos diretamente no local de construção. Isso explica por que na base existem blocos pesando até 70 toneladas e por que não há espaço entre eles (o bloco superior foi produzido em cima do inferior).
No entanto, os geólogos e os paleontólogos que estudaram a estrutura dos blocos das pirâmides afirmam que se tratam de enormes peças de sedimentos naturais, tratados por seres humanos, o que é algo contrário à teoria de Davidovits.
No momento não há uma hipótese única sobre como e com que tipo de material as pirâmides foram construídas.

5. A maldição da sepultura de Tutancâmon

O túmulo foi descoberto em 6 de novembro de 1922 por Howard Carter e lorde George Carnarvon.
Durante as investigações sobre o túmulo, Carter encontrou uma tábua que tinha o seguinte aviso: "a quem se atrever a perturbar a paz do faraó, a morte estenderá as suas asas", mas Howard não prestou atenção nela.
Começaram a falar sobre a maldição, quando surgiu a notícia da morte de 22 pessoas: 13 participantes da descoberta do túmulo e 9 pessoas de sua família. Em 1930, somente oito anos depois, apenas Howard Carter continuava vivo.
Os cientistas procuram explicar a maldição do faraó com um veneno que os sacerdotes passaram nas paredes e no próprio sarcófago, mas ainda não há base científica que confirme essa teoria.
Mas são histórias como essa que motivaram filmes como os da série Indiana Jones.
Foto de abertura National Geographic
Fonte:https://incrivel.club/admiracao-lugares/5-misterios-do-antigo-egito-que-voce-nao-conhecia-256860/