TUBÉRCULOS SÃO OS NOVOS QUERIDINHOS DAS DIETAS


Tubérculos como batata-doce, mandioca e tigernut são as novas queridinhas das dietas (Foto: Xico Buny)
Tubérculos como batata-doce, mandioca e tigernut são as novas queridinhas das dietas (Foto: Xico Buny)
Tubérculos são os novos queridinhos das dietas
Batata-doce, mandioca e tigernut invadem os cardápios das malhadoras por fornecer energia, melhorar o funcionamento do intestino e até emagrecer

20/08/2016 - 07h40 - Atualizado 07h40 por ANDRÉIA MENEGUETE


epois da onda dos sucos detox, omeletes e crepiocas, entram em cena no cardápio das dietas mandioca, batata-doce e cará. Esses e outros tubérculos são a nova aposta para secar e definir músculos, graças às suas altas doses de vitaminas e fibras. 

A recém-conquistada popularidade desses alimentos tornou-os estrelas nas timelines do Instagram e nos feeds do Snapchat de nutricionistas e celebridades que não saem da linha. É o caso de Ivete Sangalo, que não abre mão de uma boa porção de inhame antes de treinos e shows; e de Shantal Abreu e Gabriela Pugliesi, musas fitness que vivem postando pratos de mandioca logo pela manhã.

As raízes não são exatamente novidade na mesa das malhadoras, mas a forma e a frequência com que foram recentemente incluídas na alimentação, sim. Nos últimos meses, esses ingredientes ganharam passe livre no dia a dia de boa parte delas.

“Carboidratos sempre foram encarados como alimentos engordativos. Mas hoje entende-se que os tubérculos são uma ótima alternativa para quem busca uma maneira saudável e eficiente de ganhar energia”, explica a nutricionista funcional Marília Cremonezi, de São Paulo.

“Embora sejam carboidratos, a maioria desses alimentos tem índice glicêmico (IG) médio e libera açúcar de forma gradual no sangue, evitando picos de insulina no organismo, que são os responsáveis pelo acúmulo de gordura localizada”, completa. Detalhe: nesta conta, entra apenas a batata-doce, que tem IG 46 contra os 121 da batata comum. Vale lembrar que a melhor forma de consumir o alimento é cozido - e nunca frito, claro! -, processo que mantém seu IG baixo. 

Os benefícios dos tubérculos (reconhecidos pela alta quantidade de fibras e antioxidantes) vão além do combustível para uma atividade física intensa. O resultado de seu consumo frequente pode ser visto na pele, nos cabelos e até na balança após algumas semanas de consumo. “O intestino começa a funcionar de forma mais ativa, ajudando a eliminar as toxinas do corpo, que são responsáveis por inchaço, impedem a perda de peso e causam espinhas”, explica a nutricionista funcional e esportiva Mariana Poletto, de São Paulo.

Para reforçar o menu de raiz, o novo superfood do pedaço atende pelo nome de tigernuts (também chamado de chufa). O alimento milenar, originário do leste da África e tradicionalmente cultivado na Espanha, mais parece uma pequena noz e é visto com bons olhos pelos especialistas, por ser uma raiz que carrega entre suas propriedades um tipo de gordura saudável, além de maior quantidade de fibras.

Sem glúten e com sabor levemente adocicado, que lembra o do coco, vai bem como snack entre as refeições, e sua farinha rende boas receitas de panquecas e shakes. “As tigernuts têm gordura ‘do bem’ e fibras prebióticas, que são ótimas aliadas do coração e do intestino. Em relação a outros tubérculos, é um alimento com maior densidade nutricional, ou seja uma mesma quantidade de gramas tem muito mais nutrientes (fibras, gorduras mono, minerais, vitaminas)”, explica a nutricionista Fernanda Reis de Azevedo, responsável pelo levantamento nutricional do alimento encomendado pela B.eat, empresa que trouxe o superfood para o Brasil.

Os produtos à base do pequeno tubérculo já são encontrados em lojas de artigos naturais e podem também ser consumidos com iogurtes, sucos, sopas ou saladas.

No entanto, é preciso estar ciente do efeito rebote, caso haja alta ingestão de qualquer tipo de raiz sem gasto calórico compensatório: ao invés de perda, haverá ganho de peso. Para quem deseja emagrecer, recomenda-se o consumo moderado de tubérculos - 30 g de tigernuts ou duas rodelas de batata-doce - no pré-treino. Após atividades físicas intensas, a ingestão de uma porção auxilia na recuperação muscular. Bon appétit!

Fonte:https://vogue.globo.com/beleza/fitness-e-dieta/noticia/2016/08/tuberculos-sao-os-novos-queridinhos-das-dietas.html




Félix Zucco / Agencia RBS

Raízes e tubérculos são ricos em nutrientes e podem fazer parte de uma dieta saudável

Conheça as principais diferenças entre os alimentos desses grupos


Ricos em nutrientes e ótimas opções de acompanhamento ou mesmo de prato principal de uma refeição. Os tubérculos fornecem energia e ainda ajudam na liberação de transmissores cerebrais responsáveis pela sensação de bem-estar, como a serotonina, além de serem fontes de vitaminas C, A e do complexo B.
A batata inglesa, o rabanete e a batata baroa - também conhecida como mandioquinha - são alguns exemplos de tubérculos. Já a batata doce, a cenoura, a beterraba, o aipim e o inhame, apesar de semelhantes aos tubérculos, pertencem ao grupo das raízes.

Segundo a nutróloga Jaqueline Costa Coelho, esses alimentos são indicados para todas as pessoas como fonte de energia, mas devem ser ingeridos com moderação.
- Não se deve misturar todos os tubérculos na mesma refeição, pois eles têm propriedades semelhantes por serem da mesma família. Todos pertencem ao grande grupo dos carboidratos - explica Jaqueline.
Para ajudar na escolha, a nutricionista funcional Alice Müller dá algumas sugestões.
Batata inglesa
É um dos alimentos mais consumidos do mundo. Menos calórica que a batata doce (uma batata inglesa de 150g tem cerca de 78 calorias, contra 115 calorias da versão doce), contém carboidratos de alto índice glicêmico - ou seja, é rapidamente absorvida pelo organismo, o que pode aumentar a glicemia, que, em excesso, incentiva o organismo a armazenar gordura principalmente na região abdominal. Fornece potássio e vitaminas do complexo B. Prefira consumir a batata cozida ou assada e agregue mais nutrientes preparando um purê com legumes como cenoura ou brócolis. Outra dica é deixar a casca, que fornece um pouco mais de fibras.
Batata doce
É muito nutritiva. Tem baixo teor de proteínas e gorduras e é rica em carboidratos de baixo índice glicêmico, que auxiliam na redução do risco de diabetes, obesidade e, ainda, controlam o apetite. Essa raiz fornece quantidade significativa de vitaminas B1, B3 e B6, cálcio, ferro, fósforo, água e vitamina A, sendo uma excelente fonte de betacaroteno, que tem ação antioxidante e ajuda na prevenção de certos tipos de câncer. Cozida ou assada, é uma ótima opção não só para o almoço ou para o jantar, mas também para o lanche, inclusive no pré-treino, desempenhando papel de combustível para o corpo e para o bom desempenho durante o exercício.
Inhame
Além de ser composto por carboidrato de baixo índice glicêmico, proteína, ter alto teor de fibras e micronutrientes (potássio, cálcio, magnésio), tem um fito-hormônio chamado diosgenina, que ajuda a equilibrar a progesterona, auxiliando no controle dos sintomas da TPM, da menopausa e no funcionamento do sistema reprodutor. Um inhame de 150g tem, em média, 150kcal. Combina com sopas e refogados. A nutricionista Alice Müller sugere também cozinhá-lo, cortá-lo em fatias e consumi-lo com um pouco de mel, podendo ser uma opção de lanche antes da atividade física
Batata baroa (mandioquinha)
É uma opção leve, de fácil digestibilidade e, por isso, recomendada para crianças, idosos e pessoas em recuperação de alguma doença ou cirurgia. Por ser fonte de fibras, que provocam mais saciedade, também pode fazer parte do cardápio de quem quer emagrecer, assim como de quem pratica atividades físicas. É rica em carboidratos e vitaminas B1 e B3, que otimizam seu potencial energético. Fonte também de potássio, magnésio, zinco e vitamina A, que ajuda na proteção contra o envelhecimento precoce da pele. Uma unidade de 150g tem aproximadamente 120 calorias. Uma opção é prepará-la em forma de purê, amassando-a, com azeite de oliva ou óleo de coco.
Aipim
Também é rico em fibras, tendo papel muito importante na prevenção de câncer de intestino. É uma ótima opção como fonte de carboidrato e energia, indicada tanto para quem pratica atividade física quanto para quem quer emagrecer. É um alimento saudável e deixa a pessoa saciada por mais tempo. Mas é preciso ficar atento à quantidade consumida: 150g de aipim têm cerca de 180 calorias. Fornece ainda minerais como cálcio, magnésio, fósforo e potássio. A indicação é comer cozido, em forma de purê e em receitas de pães e bolos.

Fonte:https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2015/12/raizes-e-tuberculos-sao-ricos-em-nutrientes-e-podem-fazer-parte-de-uma-dieta-saudavel-4923173.html

Tubérculos: os queridinhos das dietas!

TUBÉRCULOS: OS QUERIDINHOS DAS DIETAS!

Batata-doce, mandioca, batata-baroa invadem o cardápio da moda por fornecer energia, melhorar o funcionamento do intestino e até mesmo emagrecer.
São tantas modinhas de dietas que vemos por aí que chega a ficar difícil de entender qual se deve seguir, não é verdade? Depois da enxurrada nas redes sociais de celebridades apostando nos sucos detox, tapiocas e omeletes, os queridinhos do momento são os tubérculos. Para não ficarmos seguindo dietas sem o apoio de um verdadeiro profissional no assunto, a Drª Isabelle Caiado, nutricionista do Instituto PERFACE, traz uma série de informações importantes para apostarmos nesses alimentos sem a culpa da desinformação.
Por mais que vejamos na nossa timeline no Instagram e nos feeds do Snapchat nutricionistas e celebridades levantando a bandeira para a adoção dos tubérculos na dieta, essas raízes não são nenhuma novidade na mesa de ninguém, porém a frequência e forma com que foram recentemente incluídas na alimentação, é sim um destaque. Isso se deve ao fato de que carboidratos por várias vezes foram encarados como alimentos engordativos, mas, atualmente, sabe-se que o consumo moderado dos tubérculos são uma ótima opção para quem busca uma forma saudável e eficiente de proporcionar energia para o organismo.
Por mais que sejam carboidratos, a maioria desses alimentos tem índice glicêmico médio, isto é, liberam açúcar gradualmente na corrente sanguínea, evitando picos de insulina no corpo. E lembre-se: não são todos os tubérculos que tem índice glicêmico médio e de nada adianta se você optar por fritá-los ao invés de preferi-los cozidos, ok?
Vale lembrar que esses tubérculos, são mais saudáveis se forem consumidos na opção orgânica. Além do índice glicêmico ser um benefício da maioria dos tubérculos, a quantidade de fibras fazem com que o intestino funcione de forma mais regulada, auxiliando em uma maior saciedade.
Quer uma receita incrível, light e fácil de preparar com um dos meus tubérculos preferidos? Anota aí:

CHIPS DE BATATA-BAROA

INGREDIENTES:

  • Batata-baroa, mas pode ser batata-doce se você preferir 😉
  • Ervas de provence
  • Pimenta do reino
  • Azeite
  • Sal do Himalaia ou sal rosa

MODO DE PREPARO:

Higienize os tubérculos de preferência com hipoclorito de sódio, descasque e corte-os em rodelas, sem ser muito tão finas para que não grudem na assadeira e nem tão grossas para que elas fiquem crocantes. Arrume as batatas numa assadeira grande coberta com papel manteiga e tenha o cuidado para não colocá-las uma em cima da outra. Em seguida, tempere com um pouco de sal, pimenta do reino, ervas de provence e despeje uns fios de azeite sobre as batatas, sem encharca-las. Leve a assadeira ao forno preaquecido a 180° por cerca de 30 minutos, e não se esqueça de virá-las na metade do tempo.
Calibre o seu cardápio com diferentes opções como inhame, cenoura, batata-baroa, mandioca, batata-doce, cará, beterraba, entre outros, mas lembre-se de que a alta ingestão de qualquer tipo de tubérculos pode não proporcionar perda de peso, mas exatamente o contrário, principalmente se adotadas as opções de tubérculos com alto índice glicêmico como a batata inglesa. O ideal para quem deseja emagrecer é o consumo moderado – por volta de 30g de batata-doce por dia – e respeitando as individualidades bioquímicas de cada um. Não adianta copiar o cardápio da celebridade da rede social sem respeitar as suas necessidades e rotina de exercícios que são totalmente diferentes, combinado? Procure o aconselhamento de seu nutricionista ou um médico e lembre-se que adotar uma alimentação saudável e equilibrada é o melhor caminho para se obter resultados satisfatórios e qualidade de vida.
Interessou-se por esse artigo e quer tirar dúvidas com um de nossos nutricionistas? Agende um contato conosco e revele a sua atitude!
Fonte:http://institutoperface.com/noticias/tuberculos-os-queridinhos-das-dietas/

Benefícios das Raízes e Tubérculos Para a Nossa Alimentação

Quem pensa que somente a batata doce faz bem para a saúde e ajuda a ganhar massa muscular, está muito enganado. De acordo com nutricionistas, diversas raízes podem oferecer a energia e disposição necessária para potencializar os treinos, bem como desenvolver um maior ganho de músculos.
Foi pensando justamente nisso que nós do Ponto Diário, resolvemos compartilhar com vocês uma lista de alimentos saudáveis, que você pode inserir sem culpa na sua alimentação e que poderá te dar aquele upgrade no corpo, aumentando a sua massa muscular, bem como auxiliando no derretimento faz gorduras localizadas e ainda de quebra: promovendo a beleza da pele e dos cabelos. Descubra tudo sobre intoxicação alimentar aqui.
Não está acreditando? Não tem problema… Leia todo o texto com atenção e veja os benefícios de cada alimento e comece ainda hoje a sua mudança na alimentação. Vale lembrar que este texto não substitui uma consulta com o seu nutricionista de confiança, portanto, tem caráter somente informativo oriundo de pesquisas feitas a partir de entrevistas com especialistas. Boa leitura.

Afinal de contas, quais são as raízes que ajudam nos hábitos saudáveis?


Inhame:
Se você resolve comer um inhame puro, vai se decepcionar. Afinal de contas, ele não tem muito gosto. Mas, quando você resolve inserir em outras receitas para dar liga ou até mesmo acompanhamentos, ele vai fazer de você uma pessoa mais feliz. Justamente por não conter um sabor muito intenso, o inhame vai bem com doces e salgados.
Sem contar que o inhame possui carboidratos complexos que vão dar aquela energia e disposição para você treinar com bastante potência e fazer com que você tenha bons resultados no seu corpo.
Beterraba:
Quem nunca comeu uma salada de beterraba acompanhada com cenoura, não é mesmo? Como este alimento é rico em fibras, a beterraba tem alta capacidade de regular o intestino, promover uma maior sensação de saciedade e como possui antioxidantes potentes, quem quer eliminar os radicais livres e prevenir uma série de doenças está bem comendo beterraba.
Estudos comprovam que quem come beterraba tem bons resultados no rejuvenescimento, uma vez que seus antioxidantes retardam o envelhecimento precoce da pele. Será que fazer o dia do lixo é bom?
Batata Baroa:
Muito famosa por dar um purê muito gostoso e é receita de cardápios de restaurantes renomados, a batata baroa é um ótimo acompanhado, mas também pode ser considerada uma raiz de muitos benefícios. Suas fibras são capazes de cuidar de todo o aparelho digestivo e também tem o poder de aumentar a massa muscular magra.
Portanto, se você está pensando em ficar musculoso e comer um alimento saudável na sua dieta, invista da batata baroa.
Gengibre:
Este é um alimento muito versátil, pois o gengibre vai bem com quase tudo. Nos pratos salgados como as sopas, o gengibre serve para dar aquela esquentada quando o tempo está mais frio. Nas sobremesas, o gengibre cai muito bem quando o paladar é mais apurado e nos chás, por exemplo, o gengibre age como um emagrecedor super potente.
Tudo isso porque seus componentes são capazes de acelerar o metabolismo, fazendo com que uma pessoa tenha mais recursos para emagrecer rapidamente. Não é à toa que muitos suplementos para perder peso são feitos a base de gengibre em pó, pois ele é mundialmente conhecido como um termogênico de alta qualidade.
Aipim:
Este alimento está no dia a dia do brasileiro, não é mesmo? Inclusive em versões que nem sempre nos damos conta como a tapioca, por exemplo.
Você sabia que o aipim é uma ótima opção de lanche pré-treino para quem malha na academia? Justamente porque ele dá muita energia e uma alta capacidade de treinar mais pesado. Se você pratica um exercício aeróbico, poderá encontrar no aipim a disposição necessária para ter gás durante toda a atividade.
Depois do treino o aipim também proporciona benefícios já que ele ajuda a regenerar os tecidos musculares, sendo uma boa opção também de pós treino.

Cuidados necessários quanto à ingestão de raízes:

Se por um lado, de acordo com nutricionistas, as raízes são uma ótima maneira de desenvolver músculos e perder calorias relacionadas as gorduras localizadas, por outro lado é preciso ter bastante atenção quanto aos horários de ingestão deste tipo de alimento,  bem como a quantidade de que se está comendo durante o dia.
Afinal de contas estamos falando de carboidratos e um exagero quanto ao seu consumo pode causar justamente o efeito reverso e fazer com que uma pessoa engorde em gorduras e não em massa magra. Por isso fique sempre atento e consulte um nutricionista, pois ele é a pessoa mais indicada para te ajudar a introduzir estes alimentos da forma correta.
Fonte:https://www.pontodiario.com/raizes-e-tuberculos/

Tubérculos e os seus nutrientes

Formados por raízes de determinadas plantas, os tubérculos concentram grandes quantidades de nutrientes energéticos e benéficos ao organismo humano. Com uma grande variedade de tipos, diversos deles são usados na culinária. Por isso  trazemos para você mais informações sobre esses alimentos. São considerados tubérculos alimentos como mandioca, batata, batata salsa, inhame, rabanete, cenoura, beterraba e nabo. Cada um deles tem quantidades variadas de vitaminas, carboidratos e sais minerais. Mas os que contêm mais quantidade de nutrientes são a mandioca e a batata.
Agora veja os principais nutrientes que alguns tubérculos podem oferecer para você e sua família. Mandioca: Considerado um integrante da base alimentar indígena, esse tubérculo é rico em carboidratos e fibras. Ainda oferece altas doses de fósforo, vitamina C e cálcio. Batata: Também é considerada uma fonte de carboidratos. Sua casca é rica em fibras e recomendada para consumo. Além disso, contém grandes quantidades de vitamina B6 e C, além de minerais como zinco, magnésio e potássio. Beterraba: É considerada um alimento de pouco valor calórico, mas possui um alto índice de folato, vitamina A, B e C. Além da raiz, as folhas também podem ser consumidas, pois são ricas em cálcio, ferro e o precursor da vitamina A, o beta-caroteno. Cenoura: É considerada o alimento com maior quantidade de betacaroteno. Além disso, tem seu consumo recomendado por ser uma grande fonte de fibras e potássio. Uma cenoura ao dia supre a necessidade diária do organismo desses nutrientes. Há ainda muitos outros tubérculos que você pode usar na sua alimentação. Use sua criatividade e coloque mais saúde na sua mesa.Fonte:http://vapza.com.br/alimentacao-saudavel/tuberculos-e-os-seus-nutrientes/

Qual a diferença entre batata-inglesa, batata-baroa (mandioquinha) e batata-doce?


É difícil encontrar alguém que realmente não goste de batata, um ingrediente que de um jeito ou de outro acaba aparecendo na mesa dos brasileiros. Esse alimento popular é um dos mais versáteis que temos à nossa disposição, mas poucas pessoas conhecem a verdadeira diferença entre batata-inglesa, baroa e doce.
Cada tipo de tem suas características próprias, se adapta melhor a pratos específicos e traz benefícios variados. Por isso, precisamos entender mais sobre as particularidades de cada uma dessas raízes tuberosas e escolher a batata que mais se adapta às nossas necessidades.

Batata-inglesa

A batata-inglesa é a mais encontrada em feiras, supermercados e também no prato dos brasileiros, sendo fonte de vitaminas do complexo B e C, além de fornecer um bom nível de fósforo, um dos nutrientes mais essenciais para o organismo humano e presente em quase todos os elementos de nossa estrutura.
Outra particularidade desta batata fica por conta do seu número de calorias, que é mais baixo do que nos outros tipos: são 52 calorias em uma porção de 100 gramas quando cozida. 
Apesar disso, essa variedade tem um índice glicêmico mais elevado, o que significa que seus açúcares são absorvidos mais rapidamente pelo organismo, levando a picos de insulina – que, por sua vez, favorecem o acúmulo de gordura abdominal e diminuem a sensação de saciedade. Por causa desse alto índice glicêmico, a batata-inglesa não é indicada para pessoas que estão fazendo dietas para emagrecimento e pacientes com diabetes.
Esta variedade é mais utilizada para fazer as famosas fritas (267 calorias/100 g), servidas como porção ou acompanhamento de outros pratos. Ela também pode ser consumida cozida, assada, em forma de purê ou como chips, que consistem em fatias finas colocadas ao forno para que ganhem crocância e aspecto mais sequinho. A Vapza vende batata-inglesa em cubos ou inteiras para você dar o seu toque final!

Batata-baroa

Também conhecida como mandioquinha ou batata-salsa, a batata-baroa contém vitamina A, C e do complexo B, importantes para o bom funcionamento do organismo como um todo. Por conter uma boa quantidade de fibras, a batata-baroa é também um ótimo alimento para equilibrar níveis de colesterol e açúcares, o que prolonga a sensação de saciedade, favorece o metabolismo e previne uma série de doenças, incluindo a obesidade. 
Além disso, o amido que constitui essa raiz é facilmente digerido, de forma que ela é recomendada para a alimentação de crianças, idosos e pessoas que estão se recuperando de alguma doença ou cirurgia.
Essa variedade de batata pode ser servida cozida, assada, em forma de purês ou sopas, além de ser um excelente ingrediente para nhoques e escondidinhos. Uma porção de 100 gramas de batata-baroa cozida tem 80 calorias, enquanto uma colher de sopa de purê tem 50 kcal e um prato de 200 ml tem 180 kcal.  

Batata-doce

Uma porção de 100 gramas de batata-doce cozida tem 77 calorias, ou seja, ela é mais calórica do que a batata-inglesa. Mas não se deixe enganar apenas por esse fato: diferente da variedade mais comum, a batata-doce tem um baixo índice glicêmico, pois seus carboidratos demoram mais tempo para serem absorvidos e o organismo não sofre o pico de insulina. 
Dessa forma, essa raiz é uma boa opção para pessoas com diabetes e que estejam seguindo dietas para emagrecer. Esse também é o motivo pelo qual a batata-doce se tornou febre entre as pessoas que treinam pesado na academia, pois ela é uma excelente fonte de energia para os músculos durante a prática de atividades físicas.
Além disso, este tipo de batata concentra ainda mais nutrientes e apresenta bons níveis das vitaminas A, B, C, e K, minerais como zinco, potássio, magnésio e fósforo e ômega-3, além de ser fonte de betacaroteno, um antioxidante natural que atua como precursor da vitamina A.
Outra vantagem dessa batata é que ela é bem cultivada durante todo o ano, mantendo sua presença constante nas gôndolas e seus preços com poucas variações sazonais. Assim, você pode consumi-la cozida, assada ou frita em qualquer estação – lembre-se apenas de restringir o consumo da fritura, pois a porção de 100 gramas tem 383 calorias.
Conhecer os tipos de batata, seus benefícios e suas indicações vai te ajudar a fazer escolhas melhores na hora de montar seu prato ou preparar as refeições da semana. Agora que você está por dentro da diferença entre batata-inglesabaroa ou doce, suas receitas vão ficar ainda mais saudáveis e ricas em nutrientes. Bom apetite!

Fonte:http://vapza.com.br/curiosidades/qual-a-diferenca-entre-batata-inglesa-batata-baroa-mandioquinha-e-batata-doce/