CRIADA TECNOLOGIA CAPAZ DE LER A MENTE - TOUCA PERMITIRÁ QUE A TELEPATIA AUMENTADA FUNCIONE DENTRO DE UMA DÉCADA

Resultado de imagem para Touca Permitirá que a "Telepatia" Aumentada Funcione Dentro de uma Década


Criada Tecnologia Capaz de Ler a Mente






















Cientistas japoneses criam uma tecnologia capaz de identificar as distintas ondas cerebrais e descifrar as palavras que as pessoas pensam.

Segundo os cientistas, a tecnologia pode descifrar palavras com até 90% de precisão e poderia permitir que as pessoas se comuniquem no futuro sem ter que utilizar dispositivos.

Ela também permitirá que as pessoas possam dar instruções a robôs com o pensamento.

Os pesquisadores descobriram que a atividade elétrica presente no cérebro é a mesma quando palavras são ditas e quando somente pensam sem verbaliza-las, algo que se pode detectar utilizando um eletroencefalograma ou EEG.

Especula-se que tal tecnologia possa substituir os joysticks e os exoesqueletos nas guerras no futuro, onde poderíamos ver exércitos controlados pela mente de um único comandante.


A China tem treinado os estudantes de uma academia militar para utilizar estes dispositivos.

Em uma demonstração em  Zhengzhou, os estudantes utilizaram o dispositivo para mover robôs móveis em diferentes direções e foram capazes de controlar a cabeça dos robôs e fazê-los reconhecer objetos.


A tecnologia também poderá ser utilizada para ajudar os astronautas ou os submarinistas para comunicar-se no espaço ou no oceano.



Falar com si mesmo sempre foi um passatempo estritamente privado, mas no futuro isso poderá mudar. Um grupo de pesquisadores conseguiram ouvir o nossos monólogos interiores pela primeira vez. Auxílio aos que não podem falar ou big-brother em seu estágio máximo?

A conquista é um passo importante para ajudar as pessoas que não podem falar fisicamente, conseguirem comunicar-se com o mundo exterior.

"Quando você está lendo um texto em um jornal ou em um livro, você ouve uma voz dentro de sua cabeça", disse Brian Pasley da Universidade da Califórnia, Berkeley. "Estamos tentando decodificar a atividade cerebral relacionada com essa voz para criar um dispositivo médico que permita que alguém que esteja paralisado ou fisicamente incapacitado, possa falar".

Brian Pasley

Quando você ouve alguém falar, as ondas sonoras ativam os neurônios sensoriais no ouvido interno. Estes neurônios transmitem a informação para as áreas do cérebro, onde os sons são extraídos e interpretados como palavras.

Em um estudo anterior, Pasley e seus colegas registraram a atividade cerebral em pessoas que já possuíam eletrodos implantados em seus cérebros para tratar a epilepsia, enquanto ouviam um discurso.

A equipe descobriu que certos neurônio no lóbulo temporal do cérebro só eram ativados em resposta a certos aspectos de sons, tais como uma frequência específica. Um conjunto de neurônios só podiam reagir a ondas que possuíam uma frequência de 1000 Hz, enquanto que outro grupo se preocupava apenas com as frequências de 2000 Hz.

Munida com este conhecimento, a equipe desenvolveu um algoritmo que pode decodificar as palavras ouvidas, apenas baseando-se na atividade neuronal.

A equipe traçou as hipóteses de que escutar um discurso e falar consigo mesmo, poderia provocar os mesmos efeitos neuronais no cérebro. Com isso, eles supuseram que um algorítimo criado para identificar um discurso ouvido em voz alta, também poderia ser capaz de identificar as palavras pensadas.

Leitura da Mente


Para provar as suas hipóteses, eles registraram a atividade cerebral em sete pessoas submetidas a cirurgia de epilepsia, enquanto observavam uma tela que mostrava diferentes textos de origens diversas.

Foi pedido a cada participante que lê-se o texto em voz alta, e depois que lê-se em silêncio pra si mesmo, logo, não dissesse nada.

Enquanto liam o texto em voz alta, a equipe estudou os diferentes grupos de neurônios que reagiam a diferentes aspectos da fala e os geraram em um decodificador personalizado para interpretar esta informação.

O decodificador foi utilizado para criar um espectrograma, uma representação visual das diferentes frequências de ondas sonoras que são ouvidas no momento.

Dado que cada frequência se correlaciona com os sons específicos de cada palavra falada, o espectrograma pode ser utilizado para recriar o que foi dito.

Em seguida, aplicaram o mesmo decodificador à atividade cerebral produzida, enquanto os participantes liam as passagens em silêncio par si mesmos.

Apesar da atividade neuronal do discurso imaginado e do discurso real serem ligeiramente diferentes, o decodificador foi capaz de reconstruir o que os voluntários estavam pensando, utilizando somente a sua atividade neuronal.

"O algorítimo não é perfeito", disse Stephanie Martin, que trabalhou no estudo com Pasley. "Nós obtivemos resultados significativos, mas não é suficientemente bom, no entanto, para construir um dispositivo".

A equipe agora está refinando os seus algorítimos, observando a atividade neuronal associada com as diferentes pronúncias e velocidades ao pronunciar uma mesma palavra. "Nós dispomos de dados preliminares e todavia estamos trabalhando no aperfeiçoamento."

A equipe também tem trabalhado para prever quais músicas uma pessoa está ouvindo, fazendo os voluntários ouvirem músicas do Pink Floyd, em seguida estudando quais neurônio respondem aos diferentes aspectos da música. "O som é o som", disse Pasley. "Isso nos ajuda a compreender melhor os diferentes aspectos de como o cérebro o processa".

Outros pesquisadores também estão pesquisando métodos para ler a mente humana. Alguns podem dizer quais fotos uma pessoa está olhando; outros tem estudado qual atividade neuronal representa certos conceitos no cérebro e uma equipe tem reproduzido videoclipes grosseiros que alguém esteja vendo, apenas mediante a análise de sua atividade cerebral.

Isto nos leva a perguntar, É possível colocar todos os estudos em conjunto com a finalidade de criar um dispositivo que leia a mente?

Na teoria, sim, disse Martin, mas seria extraordinariamente complicado. É necessário processar uma grande quantidade de dados para cada coisa predita.

"Seria muito interessante estudá-lo. Nos permitiria prever os que as pessoas estão pensando", disse ela. "Mas necessitamos de decodificadores individuais que funcionem muito bem antes de fazer a combinação para os diferentes sentidos".

Nota do site El Robot Pescador: como sempre, nos vendem tais estudos com o pretexto de ajudar as pessoas mais necessitadas. Nesse aspecto, estas pesquisas são absolutamente maravilhosas.

Mas o que acontecerá quado as utilizarem para o mal ou pra controlar os pensamento da população? A esta altura, haverá alguém tão inocente para pensar que estas técnicas de leitura mental não serão utilizadas com finalidades más?

Perguntamos: De onde vem tanto dinheiro gasto para pesquisar estas tecnologias? Das ONGs que ajudam aos descapacitados? Quem possui o dinheiro e para o que o usa?

Que cada um pense como quiser, nós apenas os convidamos a fazer perguntas: as respostas são suas...


Fonte: http://www.anovaordemmundial.com/2016/01/big-brother-criada-tecnologia-capaz-de-ler-a-mente.html#ixzz4nrW6nvjd


Resultado de imagem para Criado um Dispositivo que Possibilita Sentir-se no Corpo de Outra Pessoa

Criado um Dispositivo que Possibilita Sentir-se no Corpo de Outra Pessoa


Um grupo de inventores espanhóis criaram um dispositivo que permite ver e sentir-se em um corpo de outra pessoa, para entender como é ser fisicamente do sexo oposto, de outra raça ou as experiências de como vive um deficiente. Seria o nascimento da tecnologia, semelhante aos filmes Avatar ou ainda o "Substitutos", com Bruce Willis, que fará o transhumanismo chegar às massas?

Usando as tecnologias da realidade virtual, um equipamento de cientistas da Universidade Pompeu Fabra de Barcelona (Espanha), em colaboração com o laboratório MediaLab Hangar, tem desenvolvido um espetacular projeto chamado de The Machine To Be Another (A maquina para ser outro), informa o jornal "La Provincia".
A ferramenta principal desse projeto é um  conjunto simples de óculos equipados com três câmeras web, microfones e fones de ouvido, fazem com que o usuário veja a partir da perspectiva de outra pessoa e assim sinta a sensação de estar dentro de seu corpo. Isto poderia servir, por exemplo, para trocar as sensações de um homem e uma mulher.

"É interessante e também confuso, porque isso acontece de maneira instantânea: teu cérebro reconhece que é um corpo de outro sexo, mas se assimila como ele mesmo", comenta um dos responsáveis do projeto, Christian Cherene, que participou no experimento de mudança virtual e gênero.

O aspecto chave do experimento, segundo os criadores do dispositivo, é que os participantes coordenem seus movimentos e se copiem um ao outro com a máxima precisão, por exemplo reconhecendo simultaneamente com as mãos seus respectivos corpos. "Se um vai fizer um movimento e outro não, se rompe a ilusão", explica Cherene.

Alguns participantes do experimento expressam sua experiência de sentir-se em um corpo alheio como "interessante e também confusa", outros como "surrealista e também familiar".

A ilusão que vive no cérebro humano e se coloca no lugar de outra pessoa, está muito detalhada e estudada pela neurociência. Assim os cientistas do Laboratório de Ambientes Virtuales da Universidade de Barcelona (Event Lab) estão investigando anos últimos anos como se adapta o cérebro à realidade virtual quando o assunto é imerso virtualmente em diferentes situações.

Fonte: http://www.anovaordemmundial.com/2014/02/criado-um-dispositivo-que-possibilita-sentir-se-no-corpo-de-outra-pessoa.html#ixzz4nrXevgoB


Resultado de imagem para Touca Permitirá que a "Telepatia" Aumentada Funcione Dentro de uma Década

Touca Permitirá que a "Telepatia" Aumentada Funcione Dentro de uma Década

A empresa de tecnologia Openwater está atualmente desenvolvendo uma touca de tecnologia aumentada que ajudará os especialistas a verem o corpo em grande detalhe. De acordo com a empresa, a tecnologia funcionará através de uma peça de roupa como uma touca de esqui alinhada com LCDs. A touca será iluminada com luz infravermelha, que permitirá a detecção de vários problemas de saúde, como tumores e hemorragias ou artérias obstruídas.

No entanto, embora a tecnologia possa ter implicações significativas no diagnóstico, o objetivo final da empresa é potencializar a telepatia nos próximos anos


De acordo com a fundadora da Openwater, Mary Lou Jepsen, ela encontrou uma maneira de replicar a funcionalidade da imagem de ressonância magnética em um item vestível e sob a forma de uma touca. Jepsen observou que, ao encolher a tecnologia de ressonância magnética, a touca pode um dia tornar-se literalmente uma "touca do pensamento". No entanto, a fundadora da empresa de tecnologia observou que o principal obstáculo continua a ser a comunicação com o pensamento.

Como a "touca do pensamento" da Openwater funcionaria

Comparada com a ressonância magnética (RM) que usa campos magnéticos e ondas de rádio para tirar imagens de órgãos, a tecnologia da Openwater usa luz infravermelha para escanear o cérebro e diferentes partes do corpo. A tecnologia usa detectores de temperatura corporal e LCDs com pixels pequenos o suficiente para gerar imagens holográficas reconstrutivas para permitir a varredura na resolução da RM.

Os LCDs, desenvolvidos pela empresa, estão programados para realizar exames cerebrais e de corpo sistemáticos ou seletivos. Além disso, os LCDs também podem ser usados ​​em sentido inverso para focar a luz em uma área específica no corpo. Além disso, a tecnologia também pode permitir o upload, download e aumento não-invasivo de memórias, pensamentos e emoções.

A empresa anunciou que um número limitado do protótipos das toucas serão lançados no próximo ano. Jensen observou que a tecnologia irá facilitar a inovação e a aplicação em vários campos. De acordo com Jensen, os cineastas poderiam potencialmente baixar seus sonhos, enquanto os designers de produtos podiam baixar seus conceitos e enviá-los para uma impressora 3D.

Ao discutir o conceito de telepatia, Jensen ressaltou que tal fenômeno pode exigir implicações éticas.

"Elon Musk está falando sobre nanopartículas de silício pulsando através de nossas veias para nos tornar uma espécie de computadores semi-ciborgues. Eu tenho trabalhado e tentando pensar e inventar uma maneira de fazer isso por vários anos e, finalmente, aconteceu e deixei o Facebook fazê-lo. A polícia pode fazer você usar essa touca? Os militares podem fazer você usar essa touca? Os seus pais podem fazer você usar essa touca? Nós devemos responder a essas perguntas, então estamos tentando fazer a touca funcionar apenas se o indivíduo quiser que ela funcione e, em seguida, filtrar partes que a pessoa que a usa não sente que são apropriadas compartilhar", disse Jepsen ao site CNBC.

O conceito de "touca do pensamento" da Openwater não é o primeiro a olhar para a probabilidade de comunicação telepática. A empresa com sede na Califórnia, a Neuralink de Elon Musk, atualmente está trabalhando em uma tecnologia projetada para ligar o cérebro humano com uma interface de máquina
 por meio de dispositivos de tamanho micrométrico. tecnologia está programada para trabalhar implantando pequenos eletrodos no cérebro que podem carregar e baixar pensamentos no futuro.


Fonte: http://www.anovaordemmundial.com/2017/07/transhumanismo-touca-permitira-que-a-telepatia-aumentada-funcione-dentro-de-uma-decada.html#ixzz4nrYRhEUH


Fontes:
- Natural News: Inventor claims device will enable tech-augmented “telepathy” to function within a decade
Daily Mail: High-tech beanie could allow humans to achieve telepathy within a DECADE, expert claims