AS LEIS SUPERIORES – CARMA, GRAÇA E LIVRE-ARBÍTRIO



AS LEIS SUPERIORES – CARMA, GRAÇA E LIVRE-ARBÍTRIO


Tradução: A. Duarte

John

A lei do Carma consta simplesmente da lei do retorno. Aquilo que adiantais (no sentido de projectar, emitir, agir) voltará a vós. Isso deveria provar ser uma influência libertadora, porquanto cada pensamento que emitis, pelo próprio acto de o pensardes, é, por sua vez julgado, e regressa a vós como Carma somente para obterdes compreensão, e não como uma punição.

Todas as acções têm origem no Carma, mas todas são passíveis de ser alteradas por meio da consciência. O Carma pode ser o factor iniciador de um acontecimento, mas é a consciência que o conduz à sua conclusão. Desse modo, à medida que mais e mais se forem tornando conscientes de vós próprios como um ser harmonioso, ou como uno com Deus, o resultado de acções iniciadas com base no Carma poderá ser completamente diferente do que se vos aceitardes como vítimas do Carma.

O Carma consta simplesmente de acções levadas a cabo em vidas passadas. Quando a alma originalmente encarnou no plano terrestre, foi a partir da ignorância, por terdes esquecido que sois parte do divino. Ao vos preparardes no sentido de vos tornar entidades conscientes, e atravessardes muitas encarnações, as vossas acções foram-se tornando progressivamente mais sofisticadas, progressivamente conscientes.

De acordo com o grau em que vos recordais ser Deus, o temor de Deus constitui o começo da sabedoria. A sabedoria consta unicamente do conhecimento aplicado. Jamais confundam o conhecimento com a verdade. A verdade é simplesmente a de que Deus é amor. Eventualmente, todo o conhecimento que tendes, toda a sabedoria que tendes, todas as acções que praticais, sejam positivas ou negativas, deverão render-se à verdade, de modo a abrangerdes de facto todas as coisas com uma natureza sábia. Porquanto existem muitos caminhos que vos conduzem à verdade, mas jamais confundam o caminho com a própria verdade, por ser a verdade que vos libertará.

Não tenteis tanto erradicar o Carma da vossa existência mas em vez disso tentai transcende-lo e desse modo alterar as circunstâncias da vossa vida pessoal. Muito embora muitas vezes tenham um sentido de predestinação, essa predestinação assenta simplesmente no facto de que todos retornarão à verdade. E quanto mais animarem a verdade na vossa vida, mais vos vereis livres da predestinação do Carma mundano. De modo que o livre-arbítrio se aplica aqui. Não existem acidentes, apenas existe o Carma. Mas o Carma e a compreensão são sinónimos, e se usarem de compreensão, transcenderão o Carma.

É possível ter cidadania noutras esferas da existência. Há quem viaje por entre as esferas – chamais a tais indivíduos “seres espaciais.” Existem inúmeras almas companheiras que outras, que percorrem a jornada física, e que são igualmente vossos irmãos. Por vezes a vossa alma manteve companheirismo nos seus planos, mas na omnipotente sabedoria ou objectividade da alma, sempre regressareis para satisfazer o vosso Carma no ponto em que terá tido origem.

A lei da Graça constitui porventura a mais delicada das leis e é simples na sua prática. A lei da Graça é aquilo que dissolve a lei do Carma. Transcende a lei do Carma. A lei da Graça resume-se ao: “Perdoai as nossas dívidas como nós perdoamos a quem nos deve.” Ou seja – o semelhante atrai o semelhante. Ao perdoardes, o que traduz a lei da Graça também por vossa vez sois vós perdoados, suplantando desse modo a lei do Carma. Porquanto se perdoardes uma acção praticada contra vós, também por sua vez a acção que tiverem praticado contra os outros será perdoada. Aqueles que possuem Graça movem-se suavemente através do plano terreno.

É a alma que cria o corpo físico, e não vice-versa. Porque a alma sempre foi una com o universo e jamais esteve separada dele. Quando a alma opta por projectar a sua consciência no plano terreno, criou-vos como um ser submetido à lei. Mas vós não fostes feitos para vos submeterdes à lei, por terdes vindo cumprir a lei – e essa lei é a lei da Graça, (NT: Também conhecida por Dharma) a lei do Carma.

Por vezes sentis ter um Carma positivo ou negativo. O Carma positivo ou bom concede-vos uma enorme liberdade em que não precisais lutar com as questões do ego. O Carma negativo prende-vos junto aos problemas do ego, por vos levar a examinar-vos e a ter uma fraca auto-estima. É o vínculo que tendes com o ego que cria a circunstância do Carma positivo ou negativo. Assim, pois, eliminai o ego e ver-vos-eis, pois, livres para servir, livres para vos amardes uns aos outros. Por isso constituir verdadeiramente o amor incondicional que brota eternamente e que molda as fundações do vosso próprio ser. E então, de facto tornais-vos um com Deus e encontrar-vos-eis no mundo mas não lhe pertencereis.

O livre-arbítrio constitui a individualidade que vos caracteriza no espírito, de modo que, a unidade do espírito sempre existiu convosco, mesmo enquanto alma individual. Porquanto a alma não passa da individualidade que vos caracteriza no espírito, e o livre-arbítrio representar a capacidade de serem livres nesse espírito. Em última análise o livre-arbítrio significa ter liberdade em conformidade com a vontade do Pai, (…) por obterem a vossa máxima liberdade no contexto de tal vontade. Isso não representa tanto a capacidade de escolher entre várias direcções diferentes, mas mais liberdade no sentido da vontade de Deus, o qual é completa harmonia com todas as coisas. 

A vontade divina é a revelação que deveis aplicar a vós próprios no sentido do uno e da unidade com o todo. A vontade limitada, ou a vontade da mente, constitui porventura apenas a direcção do curso que definis para a expressão da vossa vida, tal como ocupação e dieta rumo ao que aplicais a vossa vontade. Esses são simplesmente os instrumentos, ao passo que o mestre que utiliza os instrumentos é a vontade divina.

Tom MacPherson


O Carma consta unicamente de acções que exercestes em vidas passadas. Tal como os acontecimentos da vossa infância moldam a vossa vida adulta, as actividades que pusestes em acção em vidas passadas moldam os acontecimentos mais abrangentes ou circunstâncias desta vida. Por conseguinte, elas têm sentido. Mas vós não vos encontrais aqui para trabalhar o Carma que tendes. Se alguma coisa, podeis transcender o vosso Carma tornando-vos numa pessoa amável. É isso o que significa “perdoa-nos as nossas faltas assim como perdoamos a quem nos ofendeu.” Não vos encontrais aqui para esgotar o vosso Carma, estais aqui para ser seres amáveis, e, se alguma coisa, para transcender o Carma que tiverdes.


A roda do Carma consta da ideia de precisardes percorrer os ciclos da reincarnação devido às acções que tiverdes tido em vidas passadas. A maneira por que rompereis a roda do Carma é fazendo rolar a roda do Dharma. A roda do Dharma é a roda que gira 360 graus sem realmente virar. É o símbolo da derradeira libertação, por poderdes operar em todas as direcções por meio do serviço. Podeis romper a roda do Carma, ou os ciclos da encarnação, refinando o serviço espiritual que ofereceis e fazendo-o bem. Mas o serviço espiritual não quer dizer que vos torneis obrigatoriamente padres ou freiras. (Caso quisesse dizer, não creio que alguma vez o tivesse conseguido.) Significa espiritualizar os vossos objectivos. Significa isolar os talentos que possuís e praticá-los bem, e ser basicamente uma pessoa amável.


No espírito nós possuímos uma perspectiva mais alargada, mas na realidade, aprendemos por intermédio de vós. Não existe realmente nenhuma forma de vos livrardes do Carma contraído no plano terreno, entendem, a menos que possuam um corpo físico. O Carma contraído no plano terreno geralmente pode ser livrado unicamente no plano terreno. Assim, pela observação das vossas acções enquanto pessoas fisicamente encarnadas, também podeis queimar Carma.


Criminosos e assassinos por vezes regressam para serem eles próprios assassinados, ou porventura para se tornarem santos. Por exemplo, Moisés foi um homicida. Creio que ele tenha morto num acto de autodefesa, mas ainda assim foi um homicida. Ele espancou até à morte o companheiro com base na fúria, o que não representou exactamente a mais ética as decisões. Mas prosseguiu até se tornar num grande intelecto, num grande legislador, e é considerado um santo por muita gente. De modo que, basicamente, tendes muitas hipóteses. O vosso Carma representa o vosso sistema de juízo. Mas existe justiça.


Existe uma enorme escassez por entre aqueles (fariseus) que andam de nariz erguido e dizem, em relação àqueles que morrem de fome na Etiópia: “É o Carma deles,” por a deles ser uma fome de espírito, a qual representa uma fome ainda mais profunda.

Encontrais-vos aqui para transcender o vosso Carma tornando-vos divinos. E Deus é amor.

Fonte:http://textosdemetafisica.blogspot.com.br/2013/11/as-leis-superiores-carma-graca-e-livre.html