O CAIBALION E SUA HISTÓRIA

Resultado de imagem para caibalion


O Caibalion e sua história


por 

Imagem relacionada
O Caibalion é um livro publicado em 1908 que contém os Preceitos Herméticos, atribuídos ao imortal e lendário Hermes Trimegistus, o “Três vezes grande”.
Em suas páginas existem mensagens enriquecedoras que nos levam a pensar e a refletir, independentemente de nossas crenças religiosas ou filosóficas.
O Caibalion é provavelmente um dos livros mais populares entre os esotéricos e ocultistas por conter os Sete Princípios Herméticos, ou seja. princípios atribuídos à figura mítica de Hermes Trimegisto, frequentemente identificado com o Deus grego Hermes e Deus egípcio Thoth. Ele foi publicado pela primeira vez em 1908 na língua inglesa, pela Yogi Sociedade, Templo Maçônico. Chicago, Illinois.
A obra é anônima, assinada simplesmente pelo codinome “Três Iniciados”.
Entretanto, existem indícios de que o livro esteja ligado ao Movimento Novo Pensamento, que surgiu nos Estados Unidos no final do século 19.
Esse movimento era formado por religiosos, filosóficos, autores e pessoas que compartilhavam crenças e estudos metafísicos associados a temas diversos como, por exemplo, pensamento positivo, poder pessoal ou força vital.
Autoria
Das diversas teorias ligadas à autoria de O Caibalion mais aceita é a de que o livro foi escrito por William Walker Atksinson, conhecido como Yogui Ramacharaka e também popular por usar pseudônimos em suas obras, em parceria com outros estudiosos como o maçom Paul Foster Case ou a teosofia Mabel Collins.
O Caibalion também é associado a textos tradicionais como A Tábua de Esmeralda, atribuído a Hermes Trismegisto, assim como a obras de autores do século I9, como Anna Kingsford, uma inglesa fundadora de uma organização chamada Sociedade Hermética.
Em um dos seus livros (A Virgem do Mundo de Hermes Trismegisto), a autora apresenta uma adaptação dos textos herméticos com grandes semelhanças com as idéias expostas em O Caibalion.
Independente, da origem da obra, não há dúvida de que o seu conteúdo é rico e profundo. No Brasil. O Caibalion é uma publicação da editora Pensamento. Suas 126 páginas transmitem mensagens enriquecedoras que nos levam a pensar e a refletir, independente, de qualquer tipo de iniciação, crença religiosa ou filosófica pessoal. Trata-se de uma obra capaz de iluminar a vida de quem a lê com atenção.
São raras as pessoas que procuram por um conhecimento mais profundo sobre os mistérios da vida que não conheçam O Caibalion e não o tenham em sua mesinha de cabeceira, porque ele não é o tipo de livro que você lê e coloca na prateleira. Ele deve ser lido sempre, em pequenas doses, pois sempre é possível aprender alguma coisa a mais em seus textos de linguagem acessível.
HERMES TRIMEGISTUS
O título O Caibalion geralmente e associado ao termo “Cabala”, uma tradição mística judaica, embora não exista nenhuma referência específica na obra a esta tradição. Em sua introdução, os autores afirmam que a obra trata de uma tradição mística da Antiguidade a qual foi passada ao longo do tempo de forma oral de mestre para discípulo.
A obra e apresentada como a essência dos ensinamentos de Hermes Trimegistus, essência esta transmitida pelos autores do livro, conhecidos como Os Três Iniciados. Dizem que “entre os Grandes Mestres do Antigo Egito existiu um que eles proclamavam como o Mestre dos Mestres. Este homem, se é que foi verdadeiramente um homem, viveu no Egito na mais remota Antiguidade. Ele foi o pai da Ciência Oculta, da Astrologia, o descobridor da Alquimia. Os detalhes de sua vida se perderam devido ao imenso espaço de tempo, que é de milhares de anos, e apesar de muitos países antigos disputarem entre si a honra de ter sido sua pátria. (…) Depois de terem passado muitos anos da sua partida deste plano de existência (a tradição diz que viveu trezentos anos), os egípcios deificaram Hermes e fizeram dele um de seus deuses sob o nome de Thoth. Anos depois, os povos da Antiga Grécia também o deificaram com o nome de Hermes, o Deus da Sabedoria.”
Os dois deuses representavam a escrita e a magia em suas respectivas culturas. Acredita-se que seus ensinamentos influenciaram antigas doutrinas hindus, os ensinamentos esotéricos de diversos povos, assim como muitas religiões e crenças da Antiguidade e da atualidade.
Muitas lendas envolvem a figura de Hermes. Algumas afirmam que ele teria sido um faraó egípcio iniciado nos mistérios do sacerdócio; outros afirmam que ele teria escrito seus ensinamentos em hebraico por ser de origem judia.
A filosofia e o pensamento de Hermes foram propagados no Ocidente a partir da Renascença. Entretanto, durante o século 4, os padres católicos e filósofos Lactâncio e Santo Agostinho já aceitavam a existência de Hermes como um sábio real e não como um personagem mítico. Para Lactâncio, ele era um profeta que previra o advento do cristianismo por ter usado expressões como “filho de Deus” e “Palavra” em seus ensinamentos. Agostinho, contemporâneo de Lactâncio, por outro lado, condenou a obra de Hermes, considerando-a demoníaca, pois em Asclépio, Hermes descrevia como os egípcios fabricavam seus ídolos, como animavam as estátuas de seus deuses, através de magia, atraindo espíritos para dentro delas.
A Renascença aceitou Hermes como uma pessoa real, que pertencia à Antiguidade e como autor dos estudos herméticos. Foi em 1460 que o italiano e mecenas Cósimo Medici recebeu das mãos de um monge vindo da Macedônia uma cópia do Corpus Hermeticum que continha 14 dos 15 tratados da coleção original. Fascinado com a idéia de que o manuscrito pertencia ao grande sábio da Antiguidade, ordenou imediatamente que ela fosse traduzida. Coube ao médico e filósofo Marsílio Ficino, o maior representante do Humanismo florentino, a tradução da obra a que deu o nome de Pimandro. O seu trabalho foi impresso em 1471 e teve 16 edições até o final do século 16. Acredita–se que a tradução de Ficino, além de propagar as idéias de Hermes, incentivou o interesse no Ocidente pelo ocultismo e pela magia.
Segundo os Três Iniciados, “ainda em nossos dias empregamos o termo hermético no sentido de secreto, fechado de tal maneira que nada escapa, etc, pela razão que os discípulos de Hermes sempre observaram o princípio do segredo nos seus preceitos. (…) Nos primeiros tempos existiu uma compilação de certas Doutrinas básicas do Hermetismo, transmitida de mestre a discípulo, a qual era conhecida sob o nome de Caibalion, cuja significação exata se perdeu durante séculos. Este ensinamento é, contudo, conhecido por vários homens a quem foi transmitido dos lábios aos ouvidos, desde muitos séculos. Estes preceitos nunca foram escritos ou impressos até chegarem ao nosso conhecimento. Eram simplesmente uma coleção de máximas, preceitos e axiomas, não inteligíveis aos profanos, mas que eram prontamente entendidos pelos estudantes; e além disso, eram depois explicados e ampliados pelos Iniciados hermetistas aos seus neófitos.
OS PRINCÍPIOS HERMÉTICOS
1- PRINCÍPIO DE MENTALISMO: “O TODO É MENTE; O UNIVERSO É MENTAL.”
Tudo é Mente. O Todo é indefinível, é espírito, é incognoscível. Entretanto, pode ser considerado como uma mente vivente infinita e universal. Todo o Universo é uma criação mental do Todo, em cuja mente vivemos, nos movemos e temos a nossa existência. Este princípio esclarece a verdadeira natureza da força, da energia e da matéria além de mostrar como e por que estas estão subordinadas ao domínio da mente. De forma simplificada ele nos diz que o que pensamento determina nossa realidade, ou seja, somos exatamente o que pensamos.
2- PRINCÍPIO DE CORRESPONDÊNCIA: “O QUE ESTÁ EM CIMA É COMO O QUE ESTÁ EMBAIXO, E O QUE ESTÁ EMBAIXO É COMO QUE ESTÁ EM CIMA.”
O microcosmo tem correspondência com o macrocosmo. O que somos refletimos no Universo ao mesmo tempo em que o Universo se reflete em nós. O princípio contém a verdade de que há sempre uma correspondência entre as leis e os fenômenos de vários estados do ser e da vida. Ao compreender esse princípio, o homem consegue desvendar o que é obscuro e secreto no reino da natureza.
3- PRINCÍPIO DE VIBRAÇÃO: “NADA ESTÁ PARADO; TUDO SE MOVE, TUDO VIBRA.”
O princípio contém a verdade fundamental da vida na afirmação de que tudo no Universo está em constante movimento, possui vibração. Nada está parado. Ele explica que as vibrações fazem parte da matéria, da mente e do espírito e que se apresentam de formas diferentes. Quanto maior a vibração, maior sua posição na escala. A vibração do espírito, por exemplo, é tão intensa que não parece existir. Por outro lado, quanto mais grosseira for a matéria, menor será sua vibração.
4- O PRINCÍPIO DE POLARIDADE: “TUDO É DUPLO; TUDO TEM DOIS PÓLOS, TUDO TEM O SEU OPOSTO; O IGUAL E O DESIGUAL SÃO A MESMA COISA.”
O Princípio de Polaridade explica que tudo tem dois pólos, dois aspectos opostos, e que “opostos” realmente são os dois extremos ligados por gradações da mesma coisa. Há sempre os dois lados em tudo. Assim, frio e calor são a mesma coisa, a diferença que existe entre eles é a temperatura, assim como tese e antítese são, por natureza, idênticos, mas diferentes em grau.
5- PRINCÍPIO DE RITMO: “TUDO TEM FLUXO E REFLUXO; TUDO TEM SUAS MARÉS, TUDO SOBE E DESCE.”
Em tudo se manifesta o movimento de ir para frente e para trás, fluxo e refluxo. Tudo flui para fora e para dentro, tudo tem suas marés, todas as coisas sobem e descem. Sempre que houver uma ação, haverá uma reação. Esta lei se aplica a tudo (sóis, mundos, animais, mente, energia, matéria). Ela se manifesta na criação e na destruição dos mundos, na vida e nos estados mentais do homem.
6- PRINCÍPIO DE CAUSA E EFEITO: “TODA CAUSA TEM SEU EFEITO, TODO EFEITO TEM SUA CAUSA.”
O princípio explica que tudo acontece por um motivo e nada acontece sem razão, não há coisa que seja meramente casual. Ele encerra a seguinte verdade: todo efeito tem sua causa e toda causa o seu efeito. Ele diz que nada acontece por acaso ou sem razão e que tudo acontece de acordo com a Lei.
7- PRINCÍPIO DE GÊNERO: “O GÊNERO ESTÁ EM TUDO; TUDO TEM SEU PRINCÍPIO MASCULINO E SEU PRINCÍPIO FEMININO.”
No Plano Físico, este princípio se manifesta no sexo; nos Planos Superiores, toma outras formas, mas sempre baseado no feminino e no masculino. Este princípio atua sempre na Geração, Regeneração e Criação. Cada coisa e cada indivíduo contém dois elementos, o masculino e o feminino.
Axiomas Herméticos
“A posse do Conhecimento sem ser acompanhada de uma manifestação ou expressão, em Ação é como o amontamento de metais preciosos, uma coisa vã e tola. 0 Conhecimento é como a riqueza, destinado ao Uso. A Lei do Uso é Universal e aquele que viola essa lei sofre por causa do seu conflito com as forças naturais.”
“Para mudar a vossa disposição ou vosso estado mental, mudai vossa vibração.”
“A Mente (tão bem como os metais e elementos) pode ser transmutada de estado em estado, de grau em grau, de condição em condição, de polo em polo, de vibração em vibração.”
“Os Sábios servem no plano superior, mas governam no inferior. Obedecem às leis que vêm de cima deles, mas no seu próprio plano e nos inferiores a eles governam e dão ordens. E assim fazendo, formam uma parte do Princípio, sem se oporem a este. 0 sábio concorda com a Lei e compreendendo o seu movimento, ele o opera em vez de ser cego escravo.”
Texto publicado na Revista Sexto Sentido nº 124

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA