COMO DESPERTAR A ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL - COM BASE EM DR.DAVID R.HAWKINS

Imagem relacionada

Como despertar a Iluminação Espiritual – com Base em Dr. David R. Hawkins

Iluminação Espiritual é observação, aceitação e amor incondicional constantes no momento Presente, sem cair nas seduções das consciências negativas.

Iluminação Espiritual não é algo a ser alcançado, um estado que se chega, uma recompensa. É simplesmente Tornar-se a cada instante pura observação e testemunha. É o filtro constante daquilo que não é de Deus, que é do ego. O estado de Iluminação é deixar de lado a cada instante as recompensas de prazeres sensoriais de curto prazo danosas e egoístas para atender o que se pede pela Vontade Divina.
Isso não significa que o Ser Iluminado não realize mais ações do cotidiano, como assistir um filme ou um vídeo, navegar na internet ou acessar as redes sociais. A utopia de seres iluminados precisarem se retirar do convívio social para viver em mosteiros ou monastérios e usar vestes específicas já foi algo desmistificado por Buda há 2.500 anos atrás, mas mesmo assim adoramos nos envolver em histórias de ficção espiritual e acreditar que a Iluminação Espiritual está longe, que temos que nos esforçar para a alcançar em algum lugar no futuro.
Iluminação Espiritual é justamente o contrário disso. É a constante troca de esforço por entrega. Entrega e rendição contínua ao Divino, a algo maior, ao estado Búdico ou à consciência Crística, tanto faz, pois todos são um e a mesma coisa. Iluminação Espiritual é Presença. Presença não é ausência de pensamento, mas o desapego dos fenômenos mentais como sensações, pensamentos, ideias, opiniões, julgamentalismos, emoções, e todas as outras distrações advindas da mente e do ego. Iluminação é o estado de não-mente. Desconstruir a crença de que somos a nossa mente ou nosso corpo físico. A crença de que somos o que pensamos e de que nossos pontos de vistas e posicionamentos quanto ao mundo devem ser defendidos.
Iluminação Espiritual é humildade de não-saber. Aquele que acredita-que-sabe cai em presunção, ceticismo, soberba, orgulho ou arrogância. E este nível de consciência negativo nos leva à raiva, indignação, cinismo, inveja, ciúme, irritação, entre outros tantos sentimentos destrutivos. Aquele que presume não pode ser humilde. O Ser humilde sabe experiencialmente, mas está aberto a desapegar de uma crença menor por uma Verdade maior, sabendo que a consciência está em eterna busca por evolução. Se não há a abertura em abrir mão de um saber menor por um maior, não há evolução. Há estagnação ou involução. Sofrimento.
Iluminação Espiritual é aceitar o que É a cada momento. Observar sem julgar. Discernir se deve ou não intervir. É agraciar tanto a ação quanto a inação. É cortar a cada momento que nasce um pensamento, o seu envolvimento e apego a ele. Observá-lo. Deixar de acreditar que está certo e que o outro está errado sempre agora, e agora, e agora de novo e agora de novo, e mais uma vez, e de novo, e de novo. Um trabalho constante. Abaixo uma tabela descritiva que diferencia julgamento de observação:
Iluminação Espiritual não é complexidade. É simplicidade. Muita simplicidade. É inocência pura. É um estado de ser criança e idoso. A ingenuidade infantil com o discernimento maduro. Ambos juntos. O discernimento é o saber experiencial de que não sabemos de nada. Pois se acharmos que sabemos, estamos fechados a aprender o novo. E sem aprendizado não há evolução. A ingenuidade, por sua vez, é o estado de confiar plenamente em que o que está acontecendo agora é o melhor para a evolução do Ser e aprender com cada momento. Tanto discernimento quanto ingenuidade são imprescindíveis para o aprendizado. Por isso, ambos, por mais que pareçam distintos e juntos pareçam paradoxais, são uma e a mesma coisa.
Iluminação Espiritual é o constante desapego do menor pelo Maior. É o alinhamento pleno e contínuo com a vontade Divina. Mesmo que a Vontade Divina daquele momento seja não fazer nada, ou assistir Netflix, ou conversar com um familiar distante. Tudo é como É se não seria diferente. Para ser iluminado, primeiro deve-se quebrar a crença de que devemos ser diferentes do que somos, pois quem quer ser diferente, por comparação, é o ego. O ego que busca algo fora e no futuro. Iluminação é o estado de autoaceitação e aceitação plenas com ausência de querer, de desejar, de julgar. É a troca da condenação pela compreensão que se torna compaixão. Por si mesmo, pelos outros, por todos os seres encarnados e desencarnados que possuem uma vida física ou não-física.
Compreendendo os níveis de consciência
Dr. David R. Hawkins dedicou a sua vida a curar pessoas física, mental e espiritualmente e realizar trabalhos altruístas por todo o mundo, atendendo clinicamente, palestrando e escrevendo livros os quais inspiram as pessoas no caminho da autocura e da Iluminação Espiritual. Seu primeiro livro, Power vs Force (Poder contra Força), best-seller encontrado em inglês e espanhol, foi embasado em sua tese de pós-doutorado, ao qual revolucionou a compreensão da ciência através da comprovação dos níveis de consciência e da identificação da interconexão de tudo o que existe, existiu e virá a existir.
Paz interior David R. Hawkins
Dr. David R. Hawkins; MD; PhD
Dr. David R. Hawkins foi médico e PhD em psiquiatria além de professor espiritual e possui vasta experiência as quais poderemos visitar algumas abaixo:
– Psiquiatra clínico por mais de 50 anos;
– Escreveu livro vanguardista sobre Psiquiatria Molecular com o químico ganhador do Prêmio Nobel Linus Pauling;
– Entrou para o hall da fama da medicina ortomolecular;
– Criador do Mapa de Consciência;
– Palestrou em Oxford, Harvard, Westminster Abbey, Universidade de Notre Dame, Michigan, Universidade da Califórnia entre muitas outras;
– Consultor diplomático entre países com conflito político;
– Foi consultor em monastérios católicos, protestantes e budistas atestando a veracidade de estados avançados de consciência (estágios de Iluminação Espiritual) em monges e retirantes;
– Recebeu o título na Korea de “Rae Ryeong Seon Kak Tosa” – “antes de tudo, professor no caminho da iluminação”;
– Cavaleiro da Ordem Soberana dos Hospitaleiros de São João de Jerusalém, fundada em 1077;
– Dezenas de outros prêmio e honras podem ser vistos na lista completa em: www.veritaspub.com/about_us.php
A sequência de artigos que vimos até aqui, aprofunda cada nível de consciência descrito pelo Dr.  David R. Hawkins através de sua tabela que explica os níveis de consciência:
Tablea dos Níveis de Consciênica
Cada nível de consciência em ordem crescente tem poder de influência e propensão a mudança absurdamente maior do que o nível anterior, já que esta categorização de 0 a 1.000 representa analogamente uma escala logarítmica com base 10. Ou seja, o nível de consciência 3 não é a soma de 2+1, mas sim o nível 2 elevado a décima potência, por exemplo. Para quem tiver interesse em se aprofundar no entendimento sobre a checagem dos níveis de consciência, indico a leitura do livro Power vs Force que pode ser encontrado no Google Play, iTunes ou Amazon em formato e-book.
Os estágios de Salvação, Iluminação Espiritual e Nirvana
De acordo com Dr. David R. Hawkins, existem diversos estágios de iluminação, já que a consciência é constantemente evolucionária. Os primeiros estágios em correlação às descrições de Buda, acontecem ainda nos níveis de consciências de Amor e Amor Incondicional.
O estágio de Sotapanna, no nível calibrável de gratidão em 510, é considerado aquele que entra no fluxo. Esse ser se livrou de três amarras que o mantém nas ilusões do mundo, do ego e da mente (Maya): crença em si-mesmo separado do Todo, o apego a rituais e o ceticismo sobre o Dharma Puro, da Salvação ou Deus. Este Ser vai renascer no máximo mais sete vezes para aprender o suficiente sobre a Iluminação Espiritual e abandonar o ciclo de Samsara de nascimento e mortes físicas.
Dentro do conceito cristão, a Salvação através de Jesus Cristo é equivalente ao nível de consciência de  540, ou Amor Incondicional. Assim quando desencarnarmos do corpo físico, a própria consciência Crística se “encarrega” de nos levar à iluminação ou unificação em Deus, nos reinos celestes, sem a necessidade de reencarnar se assim o quisermos e se for de Vontade Divina.
O segundo estágio de iluminação budista, chamado Sakadagami, equivalente a 570 nos níveis de consciência, é considerado aquele que retorna apenas mais uma vez. Esse ser além das três amarras que já cortou enfraquece o laço com mais duas: desejos sensoriais e má-intenção. Renascerá apenas mais uma vez para dissolver seus resquícios cármicos sutis.
O terceiro estado de iluminação, ou Anagami, é equivalente ao nível calibrável de 600, ou chamado estado de Paz, descrito no artigo anterior desta série. No ioga, este estado é denominado o primeiro estágio de Samadhi, ainda com resquícios de ego, denominado Savikalpa Samadhi, a compreensão da Existência e a comunhão com o Universo. Este Ser é considerado aquele que não retorna, a não ser que seja de Vontade Divina para orientar a humanidade. Este ser cortou os cinco primeiros laços mencionados de maneira permanente. Não renasce mais no domínio dos sentidos, renasce em um paraíso sem forma e se ilumina por lá. Neste estágio, o Ser se torna o observador e a testemunha que intervém no mundo quando é Convocado. Já não há mais a necessidade de fazer algo para alimentar seus prazeres pessoais, por mais que as preferências características daquela vida humana permanecem, pois não há necessidade de serem alteradas ou deixadas de lado se forem de pura intenção, já que o estado é de plena aceitação. Este nível é o nível de consciência de grandes mestres espirituais e santos como Lao-Tsé, São Francisco de Assis, S. N. Goenka, Chico Xavier no final de sua vida quando já não lecionava mais, entre outros.
Profeta Maomé Iluminação EspiritualAinda neste terceiro estágio, o Dr. David R. Hawkins explica que há uma evolução com características diferenciadas para o nível de consciência de Autorrealização em 700. A partir deste nível e adiante, encontramos os grandes profetas espirituais que dedicaram sua vida para salvar a humanidade e nos ensinar a base de todas as religiões clássicas as quais temos conhecimento como o cristianismo, o islamismo, o judaísmo, budismo, hinduísmo, entre outras. A Graça do Ser é descrita como inefável (indescritível, inominável, indivisível). Neste nível de consciência, encontramos sábios como Maomé, Mahatma Gandhi, Madre Teresa de Calcutá, Teresa de Ávila, São Paulo de Tarso, Patanjali, Sri Nisargadatta Maharaj, Sri Ramana Maharshi, Mestre Dogen, Adi Shankaracharya e Mestre Eckhart (não confundir com Eckhart Tolle). Hoje, temos um ser presente na Terra neste nível de consciência conhecido como Palden Dorje (quem se interessar pode verificar brevemente sua história no Wikipedia e assistir a este vídeo no YouTube).
Após este estágio de grande plenitude, encontramos o tão comentado e requisitado por monges budistas estágio de Arhat, que significa o merecedor. Calibrável ao nível 800, este ser cortou tanto as cinco amarras inferiores dos primeiros três primeiros estágios quanto as cinco amarras superiores sutis: desejo por existência com forma sutil (paraísos celestiais), desejo por existência nos reinos sem forma, conceitos, inquietação e ignorância. Nunca mais renasce. Atingiu e se mantém nos primeiros estágios de Nirvana ou Iluminação Plena. No ioga, este é o estágio de Nirvikalpa Samadhi, sem resquícios do ego.
Além deste nível de plenitude, existe ainda mais dois estágios possíveis de se alcançar na fisicalidade, mesmo que raros. Este é o nível denominado Vazio e considerado por muitos último estado de Iluminação ou Búdico, porém, de acordo com Dr. David R. Hawkins, ainda não é a Totalidade de Buda, ou da Consciência Crística. Este estado é de tamanha Graça, que nada parece haver além dele, porém, de acordo com Hawkins, a interpretação do Vazio como estado Último é um erro de conceito sobre interpretações equivocadas das palavras de Buda.
Os números de sábios nestes níveis são raros (50% do tempo sem um desses seres nos últimos 1.000 anos). Seus ensinamentos são essencialmente os mesmos, embora surgidos em locais, tempos e culturas diferentes, alguns deles: Vedas, Upanishads, Baghavad Gita, Canone Pali, Novo Testamento, Zohar, etc. Os grandes mestres deste nível, e acima, e seus ensinamentos emanam campos extremamente poderosos de energia de alta frequência na consciência coletiva da humanidade, sem a qual provavelmente teria se exterminado por si mesma. A este nível de consciência encontramos profetas e sábios como Abraão, Moisés, João Batista, Huang Po e os 12 apóstolos de Jesus. Atualmente, temos conhecimento de apenas um Ser encarnado atualmente com este nível de consciência denominado Venerável Pa-Auk Tawya Sayadaw (para mais informações pode-se visitar o site de seu monastério, localizado em Myanmar, ou assistir uma parte de seu vídeo legendado pelo Quero Evoluir).
Profeta Moisés Iluminação Espiritual
De acordo com o livro Transcending the Levels of Consciousness, do Dr. David R. Hawkins, o saber necessário para superar este nível é que o Amor Divino também é não-linear e sem sujeito, objeto, forma ou condicionalidade. O erro do Vazio é negar até mesmo o Amor Divino por confundir com o amor do estado humano egoico de consciência.
Como último estado de consciência possível de ser despertado no mundo físico, está o nível da Totalidade. O último vestígio do ego coletivo desaparece no silêncio da Presença. Este é o nível dos enviados Divinos, ou filhos de Deus, ou Avatares, onde encontramos Jesus Cristo, Buda, Krishna e Zoroastro. A perfeição impressionante e beleza da Totalidade da Criação como Divindade irradia. Gloria in Excelsis Deo é o próprio Estado.
Todos estes níveis de consciência estão disponíveis para todos os seres humanos que buscam a Verdade e estabelecem um verdadeiro compromisso com o alinhamento de suas intenções com a Vontade Divina.
“O caminho é reto e os portões são estreitos. Não perca tempo”. 
Dr. David R. Hawkins; MD; PhD.
Gloria in Excelsis Deo!
Fonte:http://www.queroevoluir.com.br/como-despertar-iluminacao-espiritual/