QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO ? - AS CINCO CORES SIMBOLIZAM AS 5 SABEDORIAS DO BUDISMO

Imagem relacionada
QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO?
"Qual o significado das bandeiras coloridas? É alguma festa?" Esta é uma pergunta frequente feita por quem, pela primeira vez, chega a um centro ou mosteiro budista tibetano. A questão é legítima, uma vez que semelhante costume nunca existiu no nosso país.
O costume vem do Tibete e remonta ao século XI. Foi o grande mestre indiano Atisha (982-1054) que ensinou aos seus discípulos como imprimir orações e mantras sobre pedaços de tecido, a partir de blocos de madeira gravados.
Estas bandeiras, fixadas a um mastro ou a um bambu, ou cosidas a cordas esticadas entre dois pontos, ondulavam livremente ao vento. Esta tradição acabou por ser muito difundida no seio do Budismo tibetano. À volta dos mosteiros, nos sítios sagrados, presas aos ramos da árvore de Bodhi, em redor do grande Stupa em Boudhnath e mesmo junto a habitações, vemos por toda a parte. Desfraldadas ao vento, a sua presença sonora acompanha a cadência das orações.
Stupa de Boudhnath
Stupa de Boudhnath e bandeiras de oração
Esta prática não é uma superstição; as bandeiras não são talismãs. O Budismo, que Sua Santidade o Dalai Lama diz ser uma «ciência da mente», debruça-se há muito sobre a natureza e o funcionamento dos fenômenos. Com base na lei do karma, os fenômenos manifestam-se de um modo totalmente interdependente.
Nenhuma das nossas ações é estéril. Sejam elas de corpo, palavra ou mente, todas produzem efeitos conforme à natureza da motivação que as suscita. Seguindo esta lógica elementar, imprimir textos sagrados com uma intenção pura é uma fonte de energia positiva, que produz naturalmente efeitos benéficos. Além disso, o vento que entra em contato com as bandeiras sobre as quais estão impressos caracteres e símbolos sagrados, entra também em contato com tudo. É o ar que respiramos, o oxigênio que se dissolve no nosso sangue, o dióxido de carbono que os vegetais utilizam.Tal como um pequeno aparelho pode fabricar íons negativos e fazer com que a atmosfera seja mais sã, o vento, a partir de uma técnica simples e sem perigo para o meio ambiente, em contacto com os símbolos sagrados, espalha por toda a parte os nossos votos para o bem e para a felicidade temporal e última de todos os seres, criando assim um vasto campo positivo.
Cada cor simboliza um elemento, uma energia. O azul simboliza o éter. O branco simboliza o ar. O vermelho simboliza o fogo. O verde simboliza a água. O amarelo simboliza a terra.
Nossas ações de mente, fala e corpo - pensamento, palavra e forma como agimos são como o vento batendo nas bandeiras de oração, repercutem. Melhor que nossas ações sejam positivas.

As 5 cores também simbolizam as 5 sabedorias do budismo. 

5 sabedorias do budismo para utilizarmos a cada momento, nas relações e nas atividades diárias. As 5 sabedorias do budismo estão relacionadas aos 5 budas de meditação, também conhecidos como os 5 dhyani budas, representados por 5 cores.
Chagdud Rinpoche diz no livro Portões da Prática Budista, ed Makara – “Cada uma das emoções negativas ou venenos mentais possui uma pureza intrínseca que não reconhecemos por estarmos tão acostumados à sua aparência de emoção. A verdadeira natureza dos cinco venenos – ignorância, apego, aversão, inveja e orgulho – são as cinco sabedorias. Da mesma forma que um veneno pode ser ingerido como remédio para se obter cura, cada veneno da mente, se trabalhado adequadamente, pode ser remetido à sua natureza de sabedoria e, assim, incrementar nossa prática espiritual.
Ao trabalhar com as emoções, podemos empregar diferentes métodos. Quando nossa mente está mergulhada na dualidade, na percepção sujeito-objeto, podemos cortar o ferro com o ferro: aplicamos um pensamento positivo como antídoto de um negativo, o apego à felicidade dos outros como antídoto do apego à nossa própria felicidade. Se formos capazes de relaxar o hábito da mente à dualidade, poderemos experimentar a verdadeira essência ou “base” de uma emoção, e assim “liberá-la em sua própria base”. Assim, seu princípio de sabedoria é revelado: o orgulho como a sabedoria da equanimidade; a inveja como a sabedoria que tudo realiza; o apego e o desejo como a sabedoria discriminativa; a raiva e aversão como a sabedoria semelhante ao espelho; e a ignorância como a sabedoria do darmadatu(ou darmata), a sabedoria da verdadeira natureza da realidade.” Chagdud Rinpoche
As 5 Sabedorias Búdicas
por Lama Padma Samten
O Lama Padma Samten é um lama brasileiro, fundou o Centro de Estudos Budistas Bodisatva, com centros de práticas em várias cidades do Brasil. Foi ordenado lama por S.Ema. chagdud Rinpoche em 1996.
Sabedoria do Espelho – Buda Akshobia – Cor Azul – Acolhimento

Esta sabedoria está ligada a capacidade de entender os outros no mundo deles e não a partir do nosso. Nós deveríamos pensar que o outro geralmente está certo dentro do mundo dele. Se nós tivermos a capacidade de falar dentro do mundo das pessoas, nós podemos ajudá-las a caminhar melhor. Quando nossa linguagem não funciona, é porque nós não conseguimos falar dentro do mundo dos outros. Purifica raiva e a aversão.
Sabedoria da Igualdade – Buda Ratnasambhava – Cor Amarela – Generosidade

Quando fazemos algo de bom para os outros, não só eles, mas nós também nos alegramos. Um professor se alegra quando ensina um aluno, um trabalhador fica feliz por produzir algo útil para outras pessoas. Ficamos felizes quando ajudamos alguém. O que eu faço para o outro é igual para mim. É inseparável. Se ele está feliz eu estarei feliz. Purifica o orgulho.

Sabedoria Discriminativa – Buda Amitabha – Cor Vermelha – Investigação

Não há nada que hoje nos traz felicidade, que amanhã não poderá trazer sofrimento. O que ganhamos hoje, podemos eventualmente perder amanhã. É também a compreensão da impermanência, tudo tem um ciclo de início e fim, tudo é mutável e nada permanece como está. Purifica desejo e apego.

Sabedoria da Causalidade – Buda Amogasiddhi – Cor Verde – Causa e Efeito

Para cada ação, existe uma reação. Se agirmos de modo positivo, de modo geral, receberemos coisas boas de volta. Se agirmos de modo negativo, de modo geral, receberemos coisas negativas. Ao agirmos de maneira negativa, podemos criar problemas para nós de três maneiras com o corpo, fala e mente. Esta também pode ser entendida como a sabedoria da transmutação. O que vier de negativo para nós, podemos transformar e devolver a ação de modo positivo. Purifica a inveja. 4 formas de ação: Ação de poder – Não se abalar, não se perturbar, energia constante. Ação pacificadora – Entender a bolha de realidade do outro, apoiar, pacificar a si mesmo entendendo melhor o outro. Ação incrementadora – Mostrar as qualidades do outro e sempre há. Ação irada – A partir da confiança gerada, cortar as negatividades do outro. ser enérgico, mas sem raiva ou algo contra o outro. A motivação deve ser sempre compassiva, de ajudar, de “tirar o espinho do outro”.
Sabedoria de de Darmata – Buda Vairocana – Cor Branca – Transformação
5diani-budas - Edited (2)
Esta sabedoria significa a nossa capacidade de compreensão da natureza livre da mente. Estamos além de vida e morte. Não somos as identidades que criamos todos os dias, mas sim a liberdade que gera essas identidades. Purifica a ignorância, base de todos engano, emoções perturbadoras e sofrimentos.
 Fonte:https://budismopetropolis.wordpress.com/
Resultado de imagem para QUAL O SIGNIFICADO DAS BANDEIRAS DE ORAÇÃO NO BUDISMO TIBETANO