O QUE É A SÍNDROME OU O SENTIMENTO DO ESTRANGEIRO

Resultado de imagem para sindrome do estrangeiro
O QUE É A SÍNDROME OU O SENTIMENTO DO ESTRANGEIRO      
       Resultado de imagem para sindrome do estrangeiro        
Sentimento de Estrangeiro, Síndrome do Estrangeiro, Síndrome do Patinho Feio, Síndrome do Estranho no Ninho ou Síndrome do Sentimento de Estrangeiro é um sintoma puramente espiritual ou consciencial.
Consiste em uma inadaptação à vida física (encarnação) devido à mistura de imaturidade consciencial com alguns talentos (também conscienciais) ainda em desenvolvimento e o conflito diante da necessidade evolutiva de reencarnar e “encarar de frente” a vida na dimensão física, ou seja, consiste numa contradição, num conflito entre alguns talentos e virtudes frente a algumas imaturidades e inseguranças.
Embora toda a humanidade seja contraditória, imatura, insegura e com baixa autoestima, este comportamento generalizado das massas não é o caso do Sentimento de Estrangeiro, ou seja, é muito fácil a maioria dos inadaptados da sociedade sentirem afinidade com a síndrome do estrangeiro, embora não se enquadrem. Há uma tendência natural a estes se forçarem a se enquadrar no sentimento de estrangeiro por questões de carência emotiva.
O “estrangeiro” aqui em referência teve um bom curso intermissivo (curso inter vidas no astral em colônia espiritual), sente bem as energias, tem fortes intuições, costuma ter projeções astrais conscientes, contém surtos de maturidade e surtos contraditórios da imaturidade.
O que temos que chamar a atenção é que com a praga da “New Age” na internet, a massificação das mistificações que a maioria das pessoas gostam, não tem nada a ver com o sentimento de estrangeiro. O “estrangeiro” é mais lúcido e embora possa “comer bola” temporária dessa mistificação New Age irracional, ele discerne e questiona as coisas num grau mais profundo.
Eu, Dalton, passei por este processo, identifiquei-o e o superei com bastante dificuldade.
Não é vantagem nenhuma o fato de ter vivenciado este processo. Muito pelo contrário.  O ser experimenta sofrimentos terríveis, se sente discriminado, diferente, doente ou até mesmo louco, passando por terríveis crises existenciais, com fartas possibilidades de usar drogas, entrar numa rotina de crimes ou até mesmo tentar ou conseguir suicídio.
A medicina ocidental convencional (ortodoxa, tridimensional, adstrita ao paradigma newtoniano-cartesiano) não está apta a detectar tal sofrimento. Daí diagnósticos psiquiátricos, esquizofrênicos, psicológicos entre outras distorções por não admitir que possam haver sintomas, males e diagnósticos que não pode desvendar ainda.
Já que este é um mal desconhecido ainda, o que acontece é que as vítimas deste, provavelmente serão também vítimas de tranquilizantes (os prozacs e os tarja preta da vida) o que ainda piora os fatos.
Por outro lado, não adianta levar para o já tão conhecido lado espiritual que diz que tudo ou quase tudo é conseqüência de obsessão ou influências de espíritos negativos, o que não é verdade, pois existe o lado psicológico e psiquiátrico também, dificultando a identificação e o tratamento desta síndrome.
Para quem conhece a síndrome e tem competência mediúnica e/ou parapsíquica é relativamente mais fácil detectar, mas eu pergunto: quem conjuga essas duas virtudes conscienciais, a fim de ajudar a milhares de jovens e adolescentes espalhados pelo mundo? Estes são as vítimas potenciais, já que médicos, psiquiatras, psicólogos e mesmo espiritualistas desconhecem essa síndrome.
Infelizmente, passei por tudo isso. Não foi fácil. As famílias e pais não têm a menor condição de ajudar. Meu pai é médico, parapsicólogo, hipnólogo, possuía boas condições financeiras, mas não conseguiu me ajudar. Passei e superei tudo isso e hoje estou aqui para tentar ajudar os demais, dentro de minhas modestas possibilidades.
Este texto fica sugerido como hipótese aos terapeutas maduros para o discernirem como possibilidade. Muito dos nossos textos, livros e CDs são criados para ajudar pessoas no autoconhecimento, desenvolvimento pessoal, mediúnico, parapsíquico, projetivo e aprenderem a amar, perdoar, sentir gratidão e também terem prosperidade.
Não sou um grande médium, não sou médico, nem psicólogo ou terapeuta, mas sei o que é esse sofrimento e sei que neste exato momento, enquanto você lê estas linhas, alguém pode estar vivendo desesperado, sem esperanças ou se suicidando. No decorrer desses últimos 13 anos (hoje 2015) temos atendido por e-mail relatos e pedidos de ajuda de pessoas desesperadas, tanto que criamos a página auxilio espiritual: http://consciencial.org/para-quem-precisa-de-ajuda/
Exatamente pela falta de profissionais conhecedores do assunto, que nós mesmos, modestamente, nos dispomos a ajudar – o que não impede que se busque auxílio de profissionais de saúde psíquica e emocional e também a ajuda espiritual com que se afiniza. Estamos apenas dando nosso depoimento e externando as conclusões que julgamos úteis a quem passa pelo mesmo processo que Dalton vivenciou.
Os leitores deste texto devem tomar bastante cuidado e não se apressarem em diagnósticos precoces, pois não existe regra. Estes sintomas são muito comuns em outras circunstâncias. Há muitos casos de vício, alcoolismo, depressão, solidão, inadaptação, mas nem por isso significa serem portadores do Sentimento de Estrangeiro.
Há também casos de saídas espontâneas do corpo (viagens astrais) que assustam as pessoas que pensam muitas coisas mirabolantes em desespero por não conhecerem este fenômeno tão natural e que não oferece perigo nenhum.
Vamos tomar como ponto de partida uma análise mais segura: talvez o seu seja um caso de Sentimento de Estrangeiro, se você se enquadrar na maioria esmagadora destes itens abaixo citados. Cuidado! Não dispense os tratamentos convencionais. Mais abaixo sugeriremos opções sadias para superar este processo.

O porquê do Sentimento de Estrangeiro
Todo esse processo está totalmente baseado na reencarnação, vidas passadas, no carma e nas vivências no plano espiritual ou extrafísico. Se você não acredita ou não admite o contexto espiritual, o melhor é não ler este artigo. O tratamento já é difícil para quem conhece temáticas espirituais, o que dirá para quem não acredita na extrafisicalidade (plano extrafísico).
Respeito todas as religiões e tento auxiliar aos que possuem dúvidas, mas mais cedo ou mais tarde quem desejar entender os fenômenos do Sentimento de Estrangeiro e/ou os das Experiências Fora do Corpo, terá de assumir uma postura antidogmática frente a qualquer religião ortodoxa que porventura frequente.
Sabemos (nós que temos experiências conscientes fora do corpo físico, que vemos ou ouvimos os espíritos) que habitamos um corpo de carne temporariamente e depois de falecermos, voltaremos ao plano espiritual ou plano extrafísico para continuar nossas vivências pessoais e evolução consciencial.
Dependendo do grau de lucidez, dos respectivos arrependimentos diante dos erros passados, da intenção de se melhorar como consciência, poderemos habitar uma melhor ou pior dimensão espiritual. Quanto mais elevados e sutis forem seus sentimentos, mais alto será o plano que habitará após a “morte” (em verdade, mera desativação do corpo físico).
Dessa forma, muitos vão habitar maravilhosas colônias espirituais, onde grandes e abnegados instrutores amigos irão ministrar aulas sobre a vida, o trabalho, o amor e a espiritualidade, almejando construirmos um mundo melhor e aos poucos estes alunos, empenhados em se tornarem criaturas mais amorosas e fraternas, irão reencarnar, com vista a se doarem um pouquinho para a humanidade.
Lá em “cima” (no astral sutil) o cotidiano é muito bonito. Clima amigo, hospitaleiro, cheio de energias sadias e maravilhosas, planos, projetos e sonhos para realizar reencarnações voltadas a realizar um trabalho assistencial abnegado e dignificante.
Mas quando chegamos aqui embaixo, a situação muda, passo a passo. Na infância, talvez nem tanto, mas quando entra a adolescência a vida parece que desaba. Não estou falando da crise adolescente normal, da qual cem por cento das pessoas passam. Se para uma pessoa normal a adolescência é quase um drama, imagine para quem é portador do Sentimento de Estrangeiro!
Depressão, melancolia, solidão, complexo de inferioridade, desvalia, alienação, falta de concentração, devaneios, transtorno nos estudos, medo, insegurança, desvio de atenção, rejeição e por aí vai uma lista de sentimentos destrutivos que passamos a sentir. Mas sabemos que muitas pessoas passam por isso sem serem estrangeiros, pois as carências e males psicológicos são generalizados em nossa sociedade imatura e aqui mora o perigo de forçar a se encaixar no diagnóstico de Sentimento de Estrangeiro por carência apenas.
Uma das diferenças desta para a adolescência normal é que ela não passa quando termina a adolescência e continua a perseguir o indivíduo pela vida afora e ainda vai piorando com o tempo, se o reencarnado não mudar, de forma decisiva e construtiva, o rumo de sua existência carnal.

Alguns Sintomas e Características da Síndrome do Sentimento de Estrangeiro
Sintomas:
1.               Saudade melancólica de um lugar desconhecido (plano espiritual);
2.               Gosta de astronomia, astrofísica e temáticas espaciais em geral;
3.               Tem afinidades com ciência e tecnologia;
4.               Prefere os filmes de ficção científica;
5.               Adora efeitos e fenômenos paranormais, UFOs, pirâmides e temáticas similares;
6.               Tem sonhos que está voando, (na verdade são experiências fora do corpo). Experimenta desconforto nas catalepsias projetivas, às vezes, com medo de morrer em verdadeiro terror;
7.               Alterna rapidamente de estados de mal-estar / mal humor para os de bem-estar / bom humor, mas tem saúde boa. Vivencia acoplamentos energéticos com outras pessoas e espíritos, depois desacopla-se;
8.               Tem processo mediúnico e parapsíquico acima da média das pessoas;
9.               Não gosta de grandes aglomerações e multidões;
10.         Tem muita dificuldade de relacionamento, fazer amizades e conseguir parceiros afetivo-sexuais;
11.         Normalmente sente fortes intuições;
12.         Gosta de ficar só;
13.         Sente profunda melancolia, solidão e muitas vezes vontade de morrer;
14.         Sente profundo senso de justiça social e odeia as injustiças humanas;
15.         Tem elevado senso de honestidade, muito acima da média das pessoas;
16.         Tem grandes possibilidades de ser o mais maduro espiritual da célula nuclear familiar e imaturo social pela inadaptação;
17.         Sente processos bioenergéticos, como calores, frios, arrepios e tremeliques repentinos entre diversas sinaléticas parapsíquicas;
18.         Em muitos casos deseja a separação dos pais, conforme a hostilidade do ambiente;
19.         Em grande parte da vida é mais emocional e pouco racional. É racional para dar conselhos aos outros, mas não aplica a si, possui certo grau de incoerência;
20.         Ao mesmo tempo em que ama a vida e admira a natureza, muitas vezes deseja morrer para voltar ao plano espiritual, local de que sente muita falta.
21.         Embora possa iniciar a busca pelo conhecimento espiritualista através da New Age irracional, aos poucos vai discernindo, questionando e percebendo que tudo é apenas uma mistificação por questões de vaidade, poder e comércio.

Características:
1.               O portador desse mal teve um bom curso intermissivo (curso preparatório pré-reencarnatório, que se pratica no plano espiritual a fim de realizar algo positivo na vida física, mais adiante, após reencarnar) – leia outros de nossos artigos para entender melhor isto;
2.               É imaturo e tem dificuldades de aceitar as dificuldades que sabe que vai ter de passar aqui na terra, nesta encarnação, obstáculos muitas vezes que ele próprio programou para vivenciar e superar –  dificuldade de enfrentar o próprio carma negativo inexorável;
3.               Foi treinado para ter algum processo parapsíquico-mediúnico, a fim de desenvolver algum trabalho espiritual aqui na terra, mas não se lembra. É justo neste ponto que pode iniciar pelas bobagens da New Age e depois ir discernindo com clareza efetuando seu trabalho para auxiliar as pessoas e a ampliação do nível de consciência planetária;
4.               Não sabe utilizar as bioenergias que desenvolveu e programou ter para esta vida e se embola todo com elas muitas vezes virando “petisco” dos assediadores espirituais.

Como Superar esse Processo?
Não há fórmula pronta e acabada para nada, nem receita, mapa ou caminho das pedras. O que é bom para um, pode não o ser para outro. O que dá resultado para um, pode não dar para outro. Desejo ser o mais justo, imparcial e sadio possível, para, dentro de minhas modestas possibilidades, aconselhar humildemente às pessoas.
Um fato é sem dúvida inegável: passei por isso e o venci com muita força de vontade. Só deve dar opiniões, conselhos e dicas quem conhece bem o processo e para tanto sou apto, honestamente falando. Deixo como exemplo os frutos e não teoria, e tais frutos você observa no trabalho de muitos anos do Consciencial.org em livros, CDs, vídeos e cursos, sempre visando auxiliar a humanidade.
Não me preocupo se minhas dicas tiverem serventia para pessoas não portadoras do Sentimento de Estrangeiro. Nas minhas sugestões não há contraindicação. Em verdade, o receituário se aplica a qualquer um que tiver o propósito de dignificar a vida e trilhar um caminho de espiritualização sadia e, por conseqüência, sensata.

Dicas
Estudar muito todo o processo espiritual e consciencial. Se você, ao navegar por um site espiritualista, não sente curiosidade de ler os textos lá disponíveis, desconfio que não é portador do Sentimento de Estrangeiro. O portador do mesmo tem curiosidade e um forte sentimento de pesquisa espiritual-consciencial, pois foi com isso mesmo que ele trabalhou no plano espiritual antes de reencarnar.
Também não possui tendências mistificadoras do tipo New Age com essa coisa de idolatrar crianças índigo, cristal, “exageros quânticos” e similares, anjos, viajar na crença de Portais Místicos, horóscopo de revista e jornais ou acreditar na maioria de lixo que rola na internet.
Nossos artigos (disponíveis em: http://www.consciencial.org) são um excelente ponto de partida aos mais curiosos e estudiosos do assunto, mas temos também dicas de livros e filmes espirituais excelentes a todos, sem falar nos links de nossos parceiros. Citamos links de muitas linhas espirituais diferentes, mesmo as contrárias à nossa, para que o portador ou não da síndrome ou não tenha o livre-arbítrio de escolher e sopesar os prós e contras.
O portador da síndrome é um espiritualista nato! Ele gosta, ama e adora estes assuntos, compra livros, sente curiosidade sobre os mistérios das pirâmides, OVNI, histórias paranormais e temas congêneres. Nossa página (http://www.consciencial.org) tem muitas dicas. Corra atrás!
É fundamental iniciar um trabalho voluntário, filantrópico a pessoas e/ou instituições. Procure uma escola ou creche ou ONG ou instituto ou asilo ou algum lugar onde possa ser voluntário semanalmente. Ajude com seu trabalho, que será melhor que com seu dinheiro, principalmente para a sua autoestima e o seu auto-perdão.
Faça vários cursos em instituições diversas e questione todas. Não “caia na conversa” de ninguém, pois cada um deles dirá que é o melhor. Conheça várias linhas distintas e escolha ou priorize a que tiver mais empatia, mas cuidado com a carência afetiva que distorce o discernimento!
Seja absoluta e radicalmente honesto em todos os sentidos, inclusive na avaliação de seus pensamentos e sentimentos.
Acredite em você e no amor que tem “escondido” dentro de seu coração, independente do que as pessoas falarem ou lhe criticarem. Procure cuidar, cultivar e fazer esse amor infinito florescer. Confie em si.
Jamais corra das responsabilidades da vida, da terra, do lado social, natural e humano. Não se faça de vítima ou de “coitadinho”. Assuma o trabalho: é ele que irá aperfeiçoar a faceta servidora de nosso ego.
É importante investir na carreira profissional e procurar independência financeira e poder ter autonomia na vida a não depender de parentes e ter que ficar dando satisfações. Portanto, trabalhar, estudar, cumprir os compromissos sociais e mantê-los em dia é questão de ordem fundamental.
Perdoe a todos incondicionalmente. Comece perdoando a si próprio pelos erros passados (de outras vidas).
Assim, os sentimentos de culpa negativos e destrutivos guardados em sua holomemória (memória integral pessoal, memória de todas as encarnações) se dissolverão aos poucos. Inicie o perdão dentro de casa e depois o amplie para o ambiente de trabalho, escolar, etc. Seja gentil com os neuróticos e os psicopatas do trânsito e da internet, tenha pena deles e de outras mentes e corações atormentados com quem esbarrar no dia-a-dia.
Elimine (ou atenue ao máximo) as más companhias. Ouça boa música (nada de músicas com emoções ou evocações densas e pesadas – não é questão de gosto, mas de qualidade da evocação pelas letras ou pela melodia negativa, fúnebre, pesada, etc). OBS.: qualquer pessoa que gosta de músicas densas, as acharás maravilhosas! Mas vale o fundo de verdade da piada: “gosto ruim não se discute”!
Para começar, escolha uma religião ou prática espiritualista sadia. Seja firme nesta trilha, enquanto ela o realizar intimamente.
Evite bebidas fortes, cigarro, drogas em geral, multidões, tatuagens, piercings e excesso de carne vermelha, que prejudicam suas bioenergias.
Seja fiel a orações ou mentalizações positivas diárias.
Enfim, “vire a mesa” de sua vida. Não estou dizendo que quem possui tais hábitos ou vícios seja mau. Estou propondo, isto sim, medidas de precaução radical.
O maior esforço é íntimo e a transformação para melhor depende de si próprio. Força, vontade, otimismo, confiança e coragem são indispensáveis à vitória do portador do Sentimento de Estrangeiro. O que não pode é se acovardar das justas lutas do dia-a-dia e de exercer seu papel de ser humano digno, sadio, portador de um corpo de carne. Cada um tem de vivenciar o seu carma, pessoal e intransferível.
Não espere pena, consolo ou compreensão de ninguém, no máximo procure por afinidade positiva. Mesmo as terapias psíquicas convencionais poderão ajudar, então priorize.
Se seu terapeuta for aberto as questões da reencarnação, energias e projeção astral, imprima este texto e leve ao debate com ele.
Sabemos que você sofre, mas queremos saber o que faz de efetivo para parar de sofrer.
Abraços na alma!
Dalton e Andréa
Se acredita que este texto pode ajudar alguém, divulga e compartilhe, já salvamos algumas vidas.
Gostou desse artigo?  Então compartilhe, alguém pode estar precisando desse esclarecimento.
Ah, deixe seu comentário, isso pode me ajudar a criar outros conteúdos.
Fonte: http://consciencial.org/karma-dharma/o-que-e-sentimento-de-estrangeiro/
A Síndrome do Estrangeiro

Os adultos índigo conhecem bem a Síndrome do Estrangeiro, cujas crises existenciais são marcadas pela divisão interna entre: um eu que deseja ir embora, que deseja abandonar esse corpo e esse planeta urgentemente, pois não suporta mais conviver com a falta de amor, com a ignorância, com a falsidade, com a insensibilidade e com a falta de cultivo da espiritualidade; e outro eu que mantém a consciência de que precisa ficar, pois tem uma missão a realizar aqui. A Síndrome do Estrangeiro é caracterizada por essa divisão e por uma sensação mais ou menos permanente de que não somos daqui, de que somos estranhos e distintos dos seres desse planeta. Além disso, há um sentimento muito forte de saudade de nosso planeta de origem, de nossas raízes, de nosso lar, dos valores e da paz que lá imperavam.
Fobias e ataques de pânico são comuns nos adultos atendidos por Maria Monachesi (p.99), pesquisadora argentina, fato que também posso confirmar com meus estudos, pesquisas, casos atendidos, bem como depoimentos recebidos. O psicólogo Fernando Donadio diz que em todos esses transtornos há uma má canalização da energia. A depressão, outro estado bastante habitual nesta geração índigo, implica a existência de um déficit de energia (é como se o campo energético estivesse cheio de pequenos agulheiros ou frestas), e, desse modo, é também um problema de má canalização da energia.
Há também casos de saídas espontâneas do corpo (viagens astrais) que assustam as pessoas que pensam muitas coisas mirabolantes em desespero por não conhecerem este fenômeno tão natural e que não oferece perigo nenhum.
A isso se soma, em meu entender, as perdas energéticas que ocorrem por essas aberturas no campo energético. Com a bioeletrografia (antiga foto kirlian), nós podemos observar esses agulheiros ou aberturas e sabemos que, por seu intermédio, os índigos ficam mais vulneráveis ao “vampirismo”, ou seja, ao roubo de energia vital feito por parte de outros seres humanos (físicos) ou por parte de seres extrafísicos.
Sempre que aparecerem esses transtornos é recomendável consultar um profissional para que seja realizado o diagnóstico apropriado, uma vez que há diferentes tipos e graus, mais ou menos graves, de manifestação de tais condições.

Alguns Sintomas e Características da Síndrome do Sentimento de Estrangeiro
Sintomas:
(1) Saudade de um lugar desconhecido (plano espiritual);
(2) Gosta de astronomia, astrofísica e temáticas espaciais em geral;
(3) Tem af (4) Prefere os filmes de ficção científica;
(5) Adora efeitos e fenômenos paranormais, pirâmides e temáticas similares;
(6) Tem sonhos que está voando, (na verdade são experiências fora do corpo). Experimenta desconforto nas catalepsias projetivas, às vezes, com medo de morrer em verdadeiro terror;
(7) Alterna rapidamente de estados de mal-estar para os de bem-estar, mas tem saúde boa. Vivencia acoplamentos energéticos com outras pessoas e depois desacopla-se;
(8) Tem processo mediúnico e parapsíquico acima da média das pessoas;
(9) Não gosta de grandes aglomerações e multidões;
(10) Tem muita dificuldade de relacionamento, fazer amizades e conseguir parceiros afetivo-sexuais;
(11) Normalmente sente fortes intuições;
(12) Gosta de ficar só;
(13) Sente profunda melancolia, solidão e muitas vezes vontade de morrer;
(14) Sente profundo senso de justiça social e odeia as injustiças humanas;
(15) Tem elevado senso de honestidade, muito acima da média das pessoas;
(16) Tem grandes possibilidades de ser o mais maduro espiritual da célula nuclear familiar e imaturo social pela inadaptação;
(17) Sente processos bioenergéticos, como calores, frios, arrepios e tremeliques repentinos entre diversas sinaléticas parapsíquicas;
(18) Em muitos casos deseja a separação dos pais, conforme a hostilidade do ambiente;
(19) Em grande parte da vida é mais emocional e pouco racional. É racional para dar conselhos aos outros, mas não aplica a si, possui certo grau de incoerência;
(20) Ao mesmo tempo em que ama a vida e admira a natureza, muitas vezes deseja morrer para voltar ao plano espiritual, local de que sente muita falta.
(21)Fortes dores de cabeça — dores severas que não são aliviadas com analgésicos.
(22) Coriza ocasional — corizas que duram 24 horas, mas que não sejam ligadas a resfriados ou a alergias.
(23)  Necessidade de dormir – mais frequentemente do que o normal.
Algumas dicas de tratamentos naturais: Cristais, Psicoterapia Transpessoal, Reiki, Florais, Alimentação controlada, Yoga e Meditação.
Lembre-se: Nós somos seres biopsicossocioespirituais, e quando meditamos estamos investindo no desenvolvimento de todo o nosso ser e cuidando com amor de nossa essência que é espiritual.
inidades com ciência e tecnologia;
Fonte: http://verdademundial.com.br/2015/01/a-sindrome-do-estrangeiro/

SÍNDROME DO ESTRANGEIRO-livro


Ano: 2006
Tamanho: 21 x14 cm
314 páginas
3ª Edição
Português e Espanhol
REF: ISBN: 85-98966-11-8 Categoria 

Descrição do produto

Autora: Málu Balona
Segundo a autora, a Síndrome do Estrangeiro é um mal estar existencial, sentimento de não pertencimento e de deslocamento do indivíduo nos diferentes ambientes em que se relaciona, seja na família, escola, trabalho e diante de si mesmo; a pessoa se sente um estranho no ninho.
Com uma visão ampla e interdisciplinar, a autora relaciona a síndrome com algumas vertentes da Psicologia, da Psiquiatria e do paradigma materialista no confronto com as ideias da Conscienciologia.
A obra é útil para todas as pessoas que passaram por experiências singulares na infância e na adolescência, com traços conflitivos de superdotação intelectual, paranormal ou parapsíquica acima da média da sociedade.
Resultado de imagem para sindrome do estrangeiro