A ENERGIA DE CURA DOS ANIMAIS-ANIMAIS DE PODER,TOTENS(XAMANISMO)

Animais de poder – As ‘Criaturas’ ou ‘Criaturas Animais’ – Totens (Xamanismo)

A Energia de Cura dos Animais – As ‘Criatura’s – Animais de Poder, Totens

A SABEDORIA DO MUNDO ANIMAL
Uma Antiga Tradição Celta
por Philip & Stephanie Carr-Gomm
Fonte: http://www.obod.com.pt/
Os nossos Professores Animais
Os nossos antepassados reverenciavam cada aspecto do mundo natural e consideravam cada parte deste mundo capaz de ser um aliado, um guia e um professor. O Druida de hoje é capaz de obter inspiração, direcção e assistência de cada reino do mundo natural, mas nos tempos antigos talvez isso fosse mais simples e menos incomum – havia menos “coisas” entre nós e o mundo da Natureza e a mundovisão predominante considerava
que cada parte dela estava imbuída de vida espiritual e significado. Os animais, em particular, eram reverenciados pelas suas qualidades e eram vistos como sagrados à Deusa ou aos deuses.
Diz-se que um certo número de tribos ou clãs descenderam de animais, tais como o “povo dos gatos” na Escócia e as “tribos do lobo”, assim como os “cabeças de cão”, na Irlanda. Também se diz que algumas famílias tinham antepassados animais. A foca, por exemplo, era o antepassado original de pelo menos seis famílias na Escócia e na Irlanda. A maior parte das tribos tinha os seus animais totémicos, claramente demonstrados nos seus nomes, como os Caerini e os Lugi em Sutherland (“Povo das Ovelhas” e “Povo dos Corvos”), os Epidii de Kintyre (“Povo dos Cavalos”), os Tochrad (“Povo dos Javalis”), os Taurisci (“Povo dos Touros”) e os Brannovices (“Povo dos Corvos”).
As famílias também tinham animais totémicos, visíveis nos seus nomes, nos seus brasões ou nas suas tradições familiares. Todos conhecemos sobrenomes ingleses que são claramente nomes de animais, tal como Fox (“Raposa”), e a maior parte de nós conhece o animal que está relacionado com os nomes de origem clássica, tal
como Philip, oriundo do grego e que significa “amante de cavalos”. Porém, muitos nomes em gaélico vêm directamente do reino animal e tentámos mencionar tantos quanto possível no Capítulo Dois d’O Oráculo Animal dos Druidas. Aprender que nomes como “Filho de Raposa” ou “Pequeno Lobo” eram comuns na tradição nativa britânica faz-nos sentir mais próximos dos nossos irmãos e irmãs da tradição nativa americana.
Os nossos antepassados adoravam e respeitavam os animais de tal forma que escolhiam ser enterrados com eles, para os ter como guias e companheiros no Outro Mundo. Usavam os seus ossos e os seus dentes como amuletos. Usavam as suas peles para se vestirem e fazerem os seus leitos, para fazerem os seus escudos, tambores e gaitas-de-foles. Aceitavam as suas peles, os chifres, os cascos e a carne como dádivas e faziam uso de todas as partes dos animais – até mesmo os excrementos eram por vezes utilizados para efeitos de cura. Quando caçavam, pediam permissão à Deusa, antes de se aventurarem a tirar a vida de qualquer criatura. A caça em si era considerada sagrada e tinha uma série de tabus para proteger tanto o caçador como a caça.
O elo existente entre os nossos antepassados e os animais era tão extraordinariamente rico que estes se relacionavam não só com os animais selvagens, mas também com os guardiães, guias neste mundo e no próximo, curandeiros, amigos e professores. Não é de espantar que eles os considerassem sagrados e companheiros dos deuses. Apenas nós, uma humanidade recente e bidimensional, é que vemos os animais como sendo meramente criaturas “menores”, de inteligência inferior e de pouco valor, para além do facto de servirem de alimento.
Enraizado no Tempo
A reverência pelos animais e a consciência de que eles são professores e guias é tão antiga como a própria humanidade. As grutas de Drachenloch, na Suíça, exibem altares com cerca de 70.000 anos dedicados ao Urso. Nas grutas de Lascaux, em França, as extraordinárias pinturas de animais e a estátua cerimonial do corpo de um urso têm mais de 19.000 anos. Os animais eram claramente o centro de uma prática religiosa desde os primórdios do tempo. Na Grã-Bretanha, num povoado mesolítico em Yorkshire, encontraram-se hastes de veado com cerca de 10.000 anos que foram adaptadas para ser ritualisticamente usadas na cabeça.
Usar peles de animais, cabeças e penas era uma forma de identificação com os mesmos, de ser esses animais por algum tempo, de partilhar dos seus poderes e de receber a inspiração divina. Na Grã-Bretanha, os nativos ainda faziam isto no séc. VII d.C. – sendo que Santo Agostinho condenou este “hábito extremamente obsceno de se vestirem como veados”. Na Irlanda, o Bardo usava o tugen – uma capa de penas feita com “peles de pássaros, brancas e multicoloridas… da cintura para baixo e com pescoços de patos bravos e cristas da cintura até ao pescoço”.
Para além de se vestirem como animais, os nossos antepassados sacrificavam-nos e enterravam-nos ritualisticamente. Qualquer relutância que se possa ter inicialmente face a este comportamento deve ser temperada com a consciência de que hoje em dia milhões de animais criados industrialmente são sacrificados diariamente sem qualquer acompanhamento ou contexto espiritual – ao passo que os sacrifícios e rituais dos nossos antepassados envolviam um pequeno número de criaturas e uma consciência profunda da dádiva que o animal estava a conceder ao ser sacrificado. Parece que os animais eram enterrados cerimonialmente como uma acção de graças nos silos de cereais subterrâneos quando estes deixavam de ser úteis e eram selados. É possível que se tenham feito rituais semelhantes com os animais que acompanhavam os mortos ou que eram enterrados em altares ou santuários.
A importância dos animais na vida religiosa dos nossos antepassados também pode ser vista no facto de quatro dos oito festivais druídicos do ano, conhecidos como Festivais de Fogo, estarem particularmente ligados à vida campestre da pastorícia e e da agricultura, e sabe-se que têm sido celebrados durante pelo menos os últimos 7.000 anos. O Imbolc, no dia 1 de Fevereiro, é o tempo do nascimento dos cordeiros, dos vitelos e das primeiras sementeiras. O Beltane, no dia 1 de Maio, assinala o início do Verão, quando os rebanhos são levados para as pastagens altas. O Lughnasadh, no dia 1 de Agosto, marca o início das colheitas e o Samhuinn, no dia 1 de Novembro, assinala o princípio do Inverno, quando os animais são trazidos até aos vales e se fazem as matanças para a carne que deve ser conservada.

Xamanismo e Animais de Poder
Trabalhar com animais de poder é uma característica central do Xamanismo e podemos encontrar inúmeros elementos xamânicos intricados na filosofia e na prática do Druidismo.
Michael Harner, uma autoridade mundial em Xamanismo, fala do caminho xamânico como algo que se poderia definir como um método para abrir uma porta e entrar numa realidade diferente. Uma parte significativa da cerimónia e da meditação Druídicas tem como objectivo viajar até outras realidades, bem como a palavra “Druida” se relaciona com palavras que significam “carvalho” e “porta” – sendo que o símbolo da porta ou portal é central nos ensinamentos Druídicos.
Joseph Campbell, o grande mitógrafo, mostrou-nos que existe um conjunto de características que distingue a arte de um xamã. Estas incluem: a dança ritual, a posse de uma vara ou bordão, a dança extática, o uso de uma vestimenta animal, a identificação com um pássaro, veado ou touro, tornar-se senhor dos animais de caça e das iniciações e o controlo de um animal mágico ou “familiar”. Na literatura druídica, existem vestígios de possíveis danças rituais nas antigas danças folclóricas e existem numerosas referências às varas e bordões druídicos e a estados alterados de consciência ou de êxtase. Todas as restantes características mencionadas por Campbell relacionam-se com animais e todas estão presentes na tradição druídica. Já abordámos o uso de trajes animais, tais como o veado ou o pássaro. Os druidas eram muitas vezes identificados com animais: eram apelidados de víboras ou leitões, dizia-se que tinham o “conhecimento do grou, do corvo ou do pássaro” ou recebiam nomes como Mathgen, que significa Nascido-de-Urso. Os veados e os touros são particularmente importantes no Druidismo – o veado é um mensageiro do Outro Mundo, montado pelo sábio Merlin, e o touro é sagrado ao deus Taranis, o beneficente deus do céu, do trovão, do relâmpago e do carvalho. O touro tem uma presença proeminente na música sagrada do Druidismo – eram ritualisticamente usados chocalhos de bronze com forma de testículos de touro, assim como cornos de bronze, que foram encontrados um pouco por toda a Grã-Bretanha e Irlanda, que muitas vezes se assemelham a cornos de touro. Estes últimos, quando tocados com o método de respiração circular usado pelos tocadores de didgeridoo, soam como o bramir dos touros. Encontramos a imagem do “senhor dos animais de caça” na iconografia e na literatura celtas. Podem ser vistas imagens de Cernunnos ou do Senhor da Caça tanto na Grã-Bretanha como em França e a imagem avassaladora do senhor de todos os animais aparece no Mabinogion galês. Por fim, o controlo de um animal mágico ou familiar relaciona-se habitualmente com um atributo da bruxa no folclore britânico, sendo a lebre, a rã e o gato citados como os familiares mais comuns. Existem muitas ligações históricas entre o Druidismo e a Bruxaria.
O Outro Mundo Celta
Um ponto central na mundivisão druídica é a crença de que o mundo material em que vivemos corresponde apenas a um nível ou plano de existência. Por detrás e para além deste mundo fica o Outro Mundo, o mundo dos poderes e das potências, dos espíritos e das forças que nos podem guiar e ajudar, se simplesmente conseguirmos reconhecer a sua existência e aceitar a sua realidade.
Os animais, em particular, são reverenciados pela sua capacidade de estabelecer uma ponte entre estes dois mundos. Eles podem trazer-nos mensagens do Outro Mundo e agir como nossos guias nesse reino, quando nos despojamos dos nossos corpos na morte. Porque eles têm simultaneamente uma forma espiritual e uma forma física, podem ser os nossos guardiães e protectores, mesmo quando não estão fisicamente presentes. Embora cada animal tenha o seu próprio caminho para o Outro Mundo, um estudo dos animais aqui descritos neste Oráculo irá demonstrar que eles formam determinados grupos que se adequam particularmente a certas funções: alguns são mais adequados como guardiães e protectores, outros como curandeiros, guias, professores, transmutadores de forma ou familiares. Pode encontrar um guia relativo a estas diferentes categorias na página 163 d’O Oráculo Animal dos Druidas. É interessante reparar que a grande maioria destes animais são considerados sagrados à Deusa.
Animais Interiores, Animais de Poder, Guias Totémicos
Trabalhar com o Oráculo Animal pode colocar-nos em contacto com quatro tipos diferentes de animais. Primeiramente, pode despertar-nos para a beleza do animal no mundo físico, levando-nos a descobrir mais acerca da sua vida e dos seus hábitos. Em segundo lugar, pode pôr-nos em contacto com os nossos “animais interiores”. De alguma forma, os animais agem como símbolos ideais ou imagens dos nossos medos e ânsias mais profundas ou de partes da nossa psique que foram negadas, reprimidas ou simplesmente negligenciadas. Ao acolher e nutrir os animais que entram na nossa consciência através do Oráculo, em sonhos, meditações ou divagações, enriquecemos o nosso mundo interior e descobrimos um caminho de crescimento pessoal que está em perfeita sintonia com o mundo natural.
Em terceiro lugar, existem animais de poder. A tradição druídica, tal como outras vias indígenas, acredita que os animais também existem sob forma espiritual no Outro Mundo e que, por vezes, esses animais podem visitar-nos – para nos dar energia ou cura, inspiração ou conselhos. Porque cada um deles tem um poder específico, dom ou “remédio”, eles são geralmente chamados de “animais de poder”.
O quarto tipo de animais é conhecido como “totem”. Se optarmos por trabalhar com animais de poder, podemos acabar por desenvolver uma relação especial com um deles ou mais. Iremos sentir muitas vezes a sua presença na nossa consciência – guiando-nos, ensinando-nos e ajudando-nos. Podemos então dizer que estes animais de poder se tornaram os nossos “totens” ou “familiares”.
Excerto do livro “O Oráculo Animal dos Druidas” da autoria de Philip & Stephanie Carr-Gomm, ilustração de Bill Worthington (© Zéfiro, 2010. Todos os direitos reservados

Olhe longe para o nordeste 
No oceano tão esplêndido 
Repleto de vida 
Início dos selos 
Brilhante e brincalhão na maré cheia
Irlandês do século IX
Imagine que você está em uma clareira na floresta, uma clareira iluminada por raios de sol que filtram para baixo através do dossel de folhas altas acima.Por um momento, parece que você está sozinho nessa clareira, mas depois que você ouvir o som de cascos brigando, e de repente você vê uma jovem corça branca se aproximando de você – seu corpo gracioso preso nos raios de sol. Ela pára, e por um momento a dois de você simplesmente olhar para o outro – cada surpresa, cada um extasiado por um momento. Em seguida, ela se afasta de você, lenta e deliberadamente, e caminha – não vai – voltar para a floresta de onde ela veio. Ela se move tão lentamente que ela parece querer você para segui-la. Você quase pode ouvir ela dizendo: “Venha comigo. Siga-me mais fundo na floresta. ”
Assim como cada planta e árvore é considerada sagrada no Druidismo, por isso todos os animais, peixes e aves é considerada sagrada também. Mas da mesma forma que algumas árvores e plantas, como o carvalho eo visco, receber veneração especial, assim também fazer certas criaturas receber uma atenção especial dentro druidismo. A traseira, que é um veado fêmea, é um tal animal, e é considerado especialmente sagrado pelos druidas. Na Escócia, eles são chamados de “gado de fadas” e os velhos contam histórias de ver estes animais serem ordenhadas no topo das montanhas de fadas. Alguns dizem que as cervas são de fato fadas próprias mulheres que têm para essas criaturas graciosas deslocou-forma. Para se ter uma gazela aparecem em nossas vidas – seja no mundo exterior ou no mundo interior em meditação ou sonhos – normalmente significa que em breve experimentar grande felicidade – que nossas vidas estão prestes a mudar de maneira positiva.

Conhecimento interior, vitalidade e Cura

Cada criatura é visto em druidismo como oferecer dons de conhecimento interior, vitalidade e cura.Sabemos que os animais podem nos fornecer alimentos e roupas, mas aqui a ideia é que eles podem nos oferecer muito mais – eles simplesmente não são “animais irracionais”, que só possam servir para nossas mesas ou sapatos. Qualquer pessoa que tenha mantido, e realmente amava, gatos, cães ou cavalos, por exemplo, vai saber das ligações extraordinárias que podem formar entre nós, como seres humanos e os animais que amamos. Conexões telepática com animais de estimação são frequentemente relatados, e tornaram-se a base de experimentos científicos, e agora foi provado que a posse do animal de estimação na vida prolonga idosos e promove a boa saúde. Tudo isso mostra que os animais, de fato, oferecer-nos os dons da vitalidade e da cura, e claramente que por sua vez pode ajudá-los com o nosso cuidado e carinho. No Druidismo vamos um passo à frente e sugerir que cada animal carrega um tipo diferente e muito especial de “energia” ou de cura potencial – “medicina” no vocabulário nativo americano. Esta energia está disponível para nós, não só através da conexão física com um animal. Às vezes, simplesmente não é prático para acariciar uma cobra ou leão por exemplo, mas druidas acreditam que ainda podem receber esta energia e interagir com o animal no Outro Mundo. Este reino misterioso é às vezes chamado de Spiritworld. Alguns podem pensar que imaginário, outros podem vê-lo como um outro termo para o Inconsciente Coletivo, mas druidas acreditam que é um mundo em que, por vezes, viajar no sono ou meditação, e que entramos na morte de nosso corpo físico. Há, neste universo paralelo do Outro Mundo, são árvores e plantas, animais e pássaros, seres humanos e espíritos da natureza. Assim como nosso mundo exterior contém uma série de diferentes ambientes e os seres que os habitam, assim também com o Outro, e uma parte da formação do druidismo reside em desenvolver a capacidade de conscientemente viagem neste mundo – de modo que, em sonhos e meditação, e sobre a morte, podemos navegar por ele. Muitos dos antigos contos folclóricos celtas que derivam da tradição Druid falar deste reino e das façanhas dos mortais que entram nele. Na história do Bem de Segais da Irlanda, por exemplo, ficamos sabendo do Rei Cormac, que perde sua esposa e filhos para um misterioso guerreiro que espíritos-los para o Outro. Cormac dá início à perseguição com um exército, mas uma névoa desce, ele é separado de suas tropas, e ele se vê sozinho por um poço. Em torno dele crescer nove aveleiras, e nadar em suas águas profundas são cinco grandes salmões que se alimentam das avelãs. Cinco correntes que representam os cinco sentidos de fluxo do poço, o que também é descrito como uma fonte ou piscina. O misterioso guerreiro reaparece e revela-se como o deus do mar, Manannan, que reúne Cormac com sua esposa e filhos. Ele então explica que a bebida sábio de cada um dos cinco córregos e da piscina central – o que sugere uma abordagem para a sabedoria que representa a própria essência do druidismo como uma espiritualidade sensual que procura a sabedoria e nutrição do centro ainda do Espírito profundamente dentro e através de cada dos nossos cinco sentidos.

The Salmon

O salmão é a criatura que nada nos córregos e na piscina, e que representa o objetivo de cada Druid – o salmão da sabedoria. O salmão é, talvez, a mais sagrada de todas as criaturas na tradição druida, e é conhecido como o animal mais velho. O peixe como símbolo central dentro de uma tradição espiritual é antigo e onipresente – não só aparecem na lenda irlandesa e galesa, nos Vedas, no hinduísmo e no budismo, mas também na Babilônia e mitologia suméria. Orfeu foi descrito como um peixe, e mais tarde Cristo ea Pedra dos Alquimistas Filosofal. Simbolismo cristão dos peixes, incluindo o costume de comer peixe na sexta-feira, acredita-se que decorrem directamente da tradição judaica, que por sua vez, provavelmente desenhou este elemento da crença sírio. O peixe eo pescador foram ambos intimamente relacionados simbolicamente desde os primeiros dias – o primeiro Avatar de Vishnu o Criador era um peixe, tanto o Buda e Jesus são chamados de pescadores, os babilônios tinham um pescador-deus eo Fisher King é o figura central na lenda do Graal.
Quando o Druid hoje procura o salmão da sabedoria que está a ligar não só a uma tradição dos antigos druidas, mas também para a compreensão de que é profundamente enraizada na consciência coletiva de toda a humanidade.

Formas de trabalhar com animais

Desde o druidismo é uma espiritualidade sensual da terra que busca um envolvimento com a vida, em vez de um destacamento a partir dele, uma forma essencial de trabalhar com animais de uma perspectiva Druid é simplesmente para incluir os animais em nossas vidas – passar tempo com eles, cuidando de eles, envolvendo-se em projetos de conservação. Consumismo ocidental tende a nos cortar de grande parte da vida, colocando-nos em caixas de metal como nós de transporte de nossas caixas de tijolos para nossas caixas de trabalho concreto e vidro. Para muitos de nós trabalhamos olhando para a tela de uma pequena caixa de todo o dia, voltar para casa para uma noite passada olhando para outra caixa antes de adormecer. Espiritualidades Terra como druidismo oferecer uma saída para essas caixas construídas em torno de nós por nosso estilo de vida moderno. Eles nos encorajam a entrar no mundo natural, com um coração aberto e espírito de comunhão com as árvores e as pedras, os animais, a terra eo céu. Mas, além de simplesmente estar com e cuidar de animais mais, Druidismo também nos diz que podemos desenvolver relações com os animais que vão além do comum, e que os animais no mundo espiritual o, bem como o mundo físico pode orientar e aconselhar, curar e nos proteger. Eles podem vir a nós em nossos sonhos, podemos vê-los em nossas meditações, ou podemos encontrá-los no mundo exterior em formas mágicas e sincronicidade. Às vezes, os animais que se tornam significativos para nós são, de fato, symbolisations de partes de nós mesmos – o touro ou cavalo pode expressar aspectos da nossa sexualidade, o falcão ou águia nosso intelecto, por exemplo. Uma grande parte do trabalho pioneiro foi feito neste campo pelo psicólogo Stephen Gallegos que demonstra o valor psicoterapêutico de trabalhar com nossos medos escondidos, pede e deseja que pode ser evocado como animais que habitam o nosso mundo interior. Mas muitas vezes os animais que vemos em sonhos ou meditações ou viagens xamânicas não são apenas representações simbólicas, mas são animais que existem realidades objetivas no Outro, assim como no mundo físico. Eles ainda podem evocar ou ressoam com os nossos medos ou insta escondidos, mas eles existem independentemente de nós – e não são apenas criações de nosso subconsciente ou a nossa imaginação. É esses animais mágicos que nos oferecem qualidades especiais, dos medicamentos «especiais.

Os presentes dos animais

Nós descobrir as qualidades e dons especiais que estes animais oferecem através da experiência – através de explorar o mundo dos animais e que lhes dizem respeito para a natureza, e através da interação com eles no Outro Mundo também. O trabalho Ovate em particular, está focado em aprender como fazer isso. Mas, além de experiência pessoal, também podemos aprender a partir da experiência acumulada dos nossos antepassados, estudando lore animais tradicional, e assim como certas árvores são associadas na tradição Druid com qualidades particulares, de modo que certos animais foram encontrados para mediar atributos particulares também . Por exemplo: o urso, javali, gato, cachorro, ganso, lontra e corvo são todos associados com a qualidade de proteção; a víbora, javali, cachorro, sapo, carneiro e corvo estão conectados com a cura; a coruja eo corvo com a iniciação, e assim por diante. Quando precisamos de qualidades ou capacidades que estes animais representam, podemos chamá-los para nos ajudar – ver e se relacionar com eles em nosso mundo interior, dançando ou cantando com eles, e se conectar com eles no mundo exterior também.

Conhecimento Corvo

Nos velhos histórias druidas foram por vezes referido como ‘Adders’ – aqueles com ‘Conhecimento Serpente “- e, por vezes, eles foram descritos como aqueles com’ corvo Conhecimento”. À medida que as organizações citadas acima mostra, o corvo possui muitos atributos – de cura mediação, conhecimento profético, proteção e poder iniciático. O corvo é visto como um mensageiro entre os dois mundos – Neste e no próximo – e por isso encontramos corvos enterradas no fundo de poços de rituais antigos, como a Danebury em Hampshire. Estes poços ou poços simbolizava a ligação entre este mundo eo outro mundo, eo corvo era visto como um mensageiro entre os dois. O início Irish Druids adivinhava acordo com o vôo e os gritos das aves, e em particular o corvo, e vendo o corvo como um pássaro de adivinhação e profecia foi apresentado com tanta firmeza na imaginação popular que tão tarde quanto 1694 em Hertfordshire um corvo foi relatado ter proferido uma profecia três vezes. Ainda hoje a associação do corvo com a profecia e proteção é abertamente colocado no coração de Londres, na Torre. No conto de Bran, o Abençoado, o profético Bran deus-rei (que significa “corvo”) pede que sua cabeça ser cortada e enterrada no Monte Branco, em Londres, de frente para a direção da França. Enquanto sua cabeça permaneceu enterrada lá seria proteger o reino. A Torre de Londres foi construído mais tarde no site do Monte Branco, eo poder mágico de proteção da cabeça enterrada foi simbolizada pela presença de corvos, que são mantidos na Torre até aos nossos dias para cumprir a profecia de Bran e garantir a segurança do reino.

Oráculos Animal, Aliados e Familiares

Hoje podemos trabalhar com os animais sagrados da tradição de ganhar orientação e discernimento em nossas vidas, e uma série de oráculos animais foram desenvolvidos para nos ajudar a fazer isso – incluindo os animais do Albion e The Druid animal Oracle.
Às vezes, parece que temos uma ligação especial com um ou mais animais – nós sentimos uma afinidade com eles, eles vêm até nós em nossos sonhos, nos voltamos para eles em nossas mentes e corações quando precisamos de força ou segurança. Ao trabalhar com técnicas específicas para fortalecer nossos laços com eles, estes animais podem se tornar nossos companheiros espirituais, e como o nosso relacionamento com eles se aprofunda, podemos sentir que eles se tornaram nossos “familiares” – nossos animais totem – que ficam perto de nós e tornam-se nossos aliados mágicos, parceiros na nossa jornada pela vida.
Os próprios animais, em seguida, ensinar-nos, e nós podemos desenhar bem no fundo de lore animais incorporada na tradição – nas antigas histórias e dizeres que simplesmente precisam de algum pensamento e tempo para desbloquear seus segredos, como podemos ver o velho ditado Inglês : Pergunte a abelha selvagem que os druidas sabiam.
Adaptado de Druid Mistérios por Philip Carr-Gomm


Animais de Poder
– Fonte: http://caminhonativoancestral.blogspot.com.br/
“Para se compreender o conceito de cura segundo as concepções dos índios norte-americanos, é preciso repensarmos o que entendemos por cura. O que nós índios chamamos de cura é tudoaquilo que propicia uma conexão maior de cada um de nós com o Grande Mistério e com todas as formas de vida. Isto inclui a transformação do corpo, da mente e do espírito. Mas cura, para nós índios, também é tudo aquilo que nos propicia aumento de poder pessoal, daforça e da capacidade de entendimento. É igualmente o viver a vida de forma a contribuir para a saúde da Mãe Terra e de todos os nossos parceiros, familiares e amigos e nossos companheiros do mundo animal. A medicina dos índios norte-americanos é mais do que umsistema de cura, é um estilo de vida abrangente que pressupõe continuar a viver na Mãe Terra estando em perfeita harmonia com todo o Universo.
Nossos companheiros animais exibem padrões de comportamento capazes de transmitir mensagens ocultas a qualquer pessoa atenta o bastante para captar suas lições de vida. Os valiosos ensinamentos dos animais constituem um presente que a natureza nos dá, e cada lição está baseada num conceito ou numa idéia mais abrangente. Cada animal na criação possui centenas de lições para compartilhar conosco e todas estas lições possuem poderes que também podem ser invocados e utilizados.Quando você invoca o poder de um determinado animal, está pedindo para ser colocado em perfeita sintonia com a força representada pela essência desta criatura. O processo de adquirir conhecimento e compreensão destes nossos irmãos e irmãs do mundo animal é delicado, e deve ser cercado de muita intuição e humildade. Suas lições nos ensinam a tornarmo-nos mais humanos, vulneráveis e sensíveis, buscando a unificação com tudo o que existe. Elas constituem parte da senda do poder. O poder reside na sabedoria e na verdadeira compreensão do papel de cada um no Grande Mistério, assim como honrar cada ser vivo como um mestre para nós. Isto porque as lições por eles ensinadas são eternamente válidas e estão sempre acessíveis. Quando cessa o aprendizado também cessa a magia , e a própria vida se extingue.É possível encontrar animais que se comunicam com você de modo mais particular – através do poder. Estes animais podem lhe ensinar segredos de cura especiais e podem chamá-lo para que você os acompanhe na Dimensão dos Sonhos, onde pode analisá-los mais pormenorizadamente. Seus aliados de poder são aqueles tipos de animais com os quais você descobriu uma forte identificação. Eles serão os mestres, que irão ajudá-lo a aprender e a crescer. Observar estes animais em seu hábitat natural, liga você com a Terra, com o reino animal e com o Grande Mistério.O espírito aliado do poder pode decidir penetrar na consciência daquele que percorrer o Caminho Mágico por muitos anos, para ajudá-lo a realizar suas curas. Isto é parte do processo Iniciático da Magia Animal e traz enorme poder para o curador.Para aprender a despertar os poderes sutis de qualquer pessoa, animal ou força natural, é preciso manter uma atitude sempre reverente e estar disposto a aceitar ajuda. Por exemplo, os filhos pequenos dos índios norte-americanos, quando estão perdidos, sabem que podem invocar a energia de seus pais. Isto traz para eles a força dos pais, apesar de estes não estarem fisicamente presentes. Os pais, por sua vez, sentirão o apelo da criança e, frequentemente, serão capazes de enxergar através dos olhos de seus filhos, conseguindo visualizar desta forma, o local onde estes se encontram. Este é o tipo de poder que decorre da idéia de unificação, segundo a qual cada ser tem em si parte de todos os outros seres. É a Lei da Unidade.Também é possível apelar para a força ou o poder energético de um determinado animal quando alguém necessita de um talento específico. Como todas as coisas neste universo possuem a mesma unidade constitutiva – o átomo -, não seria exagero supor que todos nós nos comunicamos por meio do denominador comum de cada átomo: a força criadora do Grande Espírito que reside na essência do Grande Mistério. Foi o ensinamento destas verdades que conduziu os índios à Sabedoria, e estas mesmas verdades podem abrir as portas da Sabedoria Para você.”Canção da Meia-Noite (Jamie Sams) professora na Tenda Escolar do Clã do Lobo da Nação Sêneca – Estados Unidos
Animais de poder – força e magia
Fonte: http://magiaemsuavida.blogspot.com.br/ e http://vozdoselementos.com.br/
Os animais de poder são manisfestações místicas dos espíritos na natureza.Ele é um guia pessoal e geralmente temos 3 ou mais animais. Corra da idéia desse povo que diz que você consegue conhece-lo em um mês. As vezes demora anos até encontrarmos todos eles. Temos o animal de tristeza, alegria e raiva, cada um dele será importante na sua caminhada pelo caminho espiritual. eles nos auxiliam a entrar em contato conosco mesmas (os) enterder alguns sentimentos, algumas atitudes e também nos mostrando o poder que temos. Ele geralmente traz características nossas do dia-a-dia. Por exemplo, eu sou uma pessoa extremamente friorenta, jamais vou ter um urso polar! Não faz parte da minha essência!!!
O Animal de Poder é um arquétipo, ou manifestação simbólica, manifestação de Forças Interiores que atua como Guia ou Mentor, uma energia, uma forma que representa nossa personalidade ou comportamento (Espírito Animal / Totem). Eles aparecem para chancelar o que você está vivendo no momento, ou para alertar sobre a mudança necessária que devemos realizar em nossas vidas. Amplie as formas de se comunicar com a Essência da Criação, através de vivências específicas ao som do tambor o processo é facilitado. Conecte-se Agora! Sinta!
Existem alguns exercícios de animal de poder, posto isso em outra ocasião.
Relaciono abaixo alguns dos animais (incluindo os místicos) com seus significado:
Águia – Espírito – Iluminação, a visão interior, invocada para poderes xamânicos, coragem, elevação do espírito a grandes alturas; A clareza mental, a iluminação, a visão ampla, invocada para poderes xamânicos, coragem, elevação do espírito a grandes alturas. A águia nos ajuda a ver a vida num contexto mais amplo, permitindo-nos tomar decisões e definir metas com clareza e objetividade. Um dos símbolos mais bonitos dessa poderosa ave é fornecido pelos índios pueblos. Eles acreditam que a águia veio dos céus, com habilidade para passar por uma espiral através de um buraco no firmamento, ela veio de seu lar, o Sol. Ela nos mostra que devemos estar acima dos acontecimentos mundanos, vendo tudo de cima, de forma ampla, isso nos auxilia a abandonar os aspectos superficiais e ver realmente o tamanho que as coisas possuem. Para os xamãs, a águia é sempre um aviso de iniciação, limpeza mental, a luz que vem com o nascer do Sol. As penas da águia são consideradas o mais sagrado instrumento de cura e é sempre respeitada nas cerimônias, elas têm sido usadas durante séculos por xamãs para purificar as auras das pessoas que vem a eles buscando uma forma de Cura.
Aranha – Tecer- Criatividade, a teia da vida, manifestação da magia de tecer nossos sonhos; A presença da Aranha em suas visões traz a mensagem de que você é um ser infinito que continuará a tecer os caminhos da sua vida, de acordo com seu livre arbítrio e vivendo inteiramente o tempo. Foi o primeiro ser vivo que desenhou a Mandala. É o símbolo da criatividade e das artes em geral. Traz prosperidade em tudo o que faz, a teia da vida é a manifestação da magia de tecer nossos sonhos. Pense na sua vida, pense nos seus sonhos. Esta é a Avô Aranha.
Abelha – Comunicação, trabalho árduo com harmonia, néctar da vida, organização. É preciso procurar mais as coisas do espírito, deixando um pouco a sua maneira obsessiva de organização. Equilíbrio.
Alce – Energia – Resistência, auto-confiança, competição, abundância, responsabilidade. O alce americano, ou caribú para os xamãs, manda fazer cursos, estudar mais e reavaliar com antecedência o seu futuro, premeditar. Usar mais a auto-estima, defendendo-se das invejas e ofensas com sabedoria. Resistência, auto-confiança, competição, abundância, responsabilidade. Alce americano: Auto estima
Antílope – Ação – Cautela, silêncio, consciência mística através da meditação, calma, ação. A medicina do antílope é o conhecimento do círculo da vida. Conhecendo a morte, o antílope pode realmente viver. Ação é a chave e essência do viver. Se você se sente bloqueado, chame a medicina do antílope. O antílope fala faça agora, não espere mais. Tome coragem e pule, seu senso de ritmo está perfeito. O antílope significa ação inteligente.
Asno – Agradeça à Deus por tudo, não reclame da vida e dos fardos que carrega. Afinal você os escolheu… Aprenda sozinho a se livrar deles. Saiba que a porta da entrada é a mesma da saída. Cuide mais do seu comportamento, ande no seu caminho e vá à luta. Não estacione e pare de transferir carmas para si mesmo.
Baleia – Registros da Mãe Terra, Recordação – sons que equilibram o corpo emocional, origens; As baleias carregam todos os registros da Mãe Terra e da Mãe Água. Pede para se preocupar mais com o interno do que com o externo. Ela emite sons que equilibram o corpo emocional; simboliza as origens.
Beija-flor - Alegria – Mensageiro da cura, amor romântico, claridade, graça, sorte, suavidade; Os beija-flores parecem ter a vibração mais alta e suave da Natureza. São as únicas aves que voam em qualquer direção, para cima, para baixo, para trás e para os lados. O beija-flor nos estimula a encontrar a doçura e a alegria de cada situação. Se o beija-flor tem voado nas suas visões, prepare-se para rir musicalmente e apreciar muitos presentes do Criador.Mensageiro da cura, amor romântico, claridade, graça, sorte, suavidade, alegria e entusiasmo. Para alguns Nativos Brasileiros ele representa a Presença de Deus, do Criador.
Borboleta – Auto-transformação, clareza mental, novas etapas, liberdade; A borboleta nos ensina a perceber todas as etapas necessárias a uma verdadeira transformação, interna ou externa. Ela passa por vários estágios, de ovo para larva, desta para casulo… E finalmente nasce. Com isso, ela nos ensina que os estágios, as etapas são importantes, indispensáveis, para que não se pule de fase sem a devida atenção ao que está sendo feito, ou seja viver cada momento. Devemos ter sempre clara a ideia do eterno ciclo de autotransformação.
Boi - Lute honestamente pelo que é seu e saiba que na vida nada se compra, as coisas devem ser conquistadas. O boi alerta que deve parar com teimosias, precisa movimentar seu corpo, não esperando que os outros façam tudo por você. Durma menos, movimente-se e medite.
Búfalo – Oração e Abundância – Sabedoria ancestral, esperança, espiritualidade, preces, paz, tolerância; Os xamãs e índios norte-americanos chamam-no de Totanka. Considerado como guardião dos segredos, sabedoria ancestral, tolerante, procura a paz e defende sua prole. Muitos animais são sagrados, mas para a maioria das tribos indígenas norte americanas, o búfalo é o mais sagrado entre eles. Sempre foi reverenciado como símbolo da abundância plena, o que nos lembra das preces de agradecimento ao Pai Céu (Grande Mistério) por tudo o que temos nesta vida. O sinal que o búfalo nos dá é de que nada se consegue aqui sem a conexão com o Criador de todas as coisas (O Grande Espírito). Sabedoria ancestral, espiritualidade,preces, paz.
Cabra/cabrito – Determinação para ir ao topo, nutrição, brincadeiras.  Nutrição do corpo e da alma, sabedoria para achar seu alimento corporal e espiritual. Pare de ficar dando cabeçadas nas pedras ou paredes, pois são duras. A cabra ensina que você pode despertar sua mente com exercícios de respiração e meditação. Determinação para atingir o topo da montanha, brincadeiras.
Cachorro – Lealdade – A primeira coisa que nos vem à mente ao ver um cachorro é o que ele melhor simboliza: a lealdade. E isso nos faz pensar em como estamos fluindo na vida nesse aspecto. Estamos sendo leais a nós mesmos, a nossos ideais e valores? Estamos trabalhando em equipe, com lealdade a seus propósitos?  Lealdade, habilidade para amar incondicionalmente, estar a serviço do TODO.
Camelo – Conservação, resistência, tolerância. Quebre um pouquinho sua auto-resistência e se sentirá mais vivo e feliz. O camelo é tolerante, calmo, trabalhador incansável e grande amigo da rotina. Conservação, resistência, tolerância.
Canguru – Proteção maternal, coragem para seguir em frente nas fraquezas. Você terá uma satisfação enorme, sentirá sua utilidade e entenderá sua missão. Dedique-se a serviços voluntários, principalmente no trabalho com criança. Tem muita coragem para seguirem frente nos momentos de fraqueza. Proteção maternal.
Capivara – O mesmo que o javali, porém com manias de perseguição. Trabalhe o medo, parando de levar sustos por quaisquer coisinhas ou barulhinhos no seu ambiente.
Carneiro – Pare de confiar nos outros e fique mais atento, olhe para os lados e tente diagnosticar os perigos, antes que caia nas armadilhas dos lobos. Pureza, inocência, mansidão, o carneiro ajuda a levar ao encontro dos sonhos.
Castor – Construtor – Novos canais de pensamentos, construção, segurança, conforto, paciência. O castor é o trabalhador, realizador, construtor do reino animal. Ele nos dá a grande lição do fazer, assim como nos ajuda a incorporar um forte senso de família e de lar. Com o castor, aprendemos como construir nossa vida com segurança, alegria, estratégia e equilíbrio. Na construção do seu lar, o castor sempre deixa para si muitas rotas alternativas de fuga. Na prática é uma lição a todos nós, para não ficarmos num beco sem saída, sempre existe uma saída na vida. Utilize novos canais de pensamento.
Cavalo – Os índios americanos diziam: Roubar cavalos é roubar poder! Esse sempre foi o símbolo maior com que se representou o cavalo nas culturas antigas, o poder pessoal. O verdadeiro poder é a sabedoria encontrada dentro do seu SER, adquirido em sua jornada. Uma outra mensagem que traz o cavalo, é de você prestar atenção, com sabedoria, se está em demasiada dependência de outra pessoa para viver, fique atento. Poder interior, liberdade de espírito, viagem xamânica e o dom da clarividência.
Cisne – Graça-  fidelidade, ritmo do Universos, ver o futuro, poderes intuitivos, fé. A medicina do cisne nos ensina a ser uno com os planos da consciência cósmica e confiar na proteção do Grande Mistério. Se o cisne apareceu em suas visões, ele lhe conduz para o desenvolvimento das suas capacidades intuitivas. Graça, leveza, ver o futuro, fidelidade, vida, paz, poderes intuitivos e felicidade.
Coala, preguiça - Dedique-se mais aos estudos, você tem uma grande bagagem a ser despertada. Então a use para seu próprio benefício, aperte o passo.
Coiote – Ardiloso – Malicia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor. O coiote sempre chama quando as coisas ficam sérias demais, sem alegria. Na tradição indígena, simboliza a capacidade de ver a si mesmo com distanciamento irônico. Ele nos anima a renovar a inocência, mesmo em meio ao caos da vida cotidiana. Ao acordar a sábia criança interior e responder ao mundo como ela o faria. Você também pode ter certeza de que o coiote ensinará uma boa lição a você sobre você mesmo. Malícia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.
Coelho – Medo, temor – Fertilidade, medo, abundância, crescimento, agilidade, prosperidade. Considerado pelos povos indígenas o símbolo do sustento para o reino animal, o coelho também representa a inocência, fertilidade, medo, abundância, crescimento e agilidade.
Condor - Idem a águia, é um dos filhos do Sol no Peru, representa o Mundo Superior.A mesma força da águia, é um dos filhos do sol no Peru, representa o Mundo Superior. Mude, voe para mais longe, saia da rotina, não tenha medo das mudanças, de um passo a mais. Enquanto as águias voam mais alto e circulam na terra, procriando sua espécie em vários lugares, o condor não sai do seu habitat, que é a Cordilheira dos Andes.
Coruja – Desilisão – Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga. A energia da coruja é simbolicamente associada com clarividência, projeção astral e magia. Ela pode ver o que não vemos, e isso é a essência da verdadeira sabedoria. A coruja é chamada de águia noturna em muitas rodas medicinais nativas. Tradicionalmente, a coruja senta no leste, o lugar da iluminação. A coruja pode trazer mensagens para você à noite, através dos sonhos ou meditação. Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga.
Corvo – Lei – Guardião da magia, mistério, predições, mensageiro, dualidade, assistência. A energia da coruja é simbolicamente associada com clarividência,projeção astral e magia. Ela pode ver o que não vemos, e isso é a essência da verdadeira sabedoria. A coruja é chamada de águia noturna em muitas rodas medicinais nativas. Tradicionalmente, a coruja senta no leste, o lugar da iluminação. A coruja pode trazer mensagens para você à noite, através dos sonhos ou meditação. Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga.
Cavalo – Poder interior – liberdade de espírito, viagem xamânica, força ,clarividência;
Cachorro – Lealdade, habilidade para amar incondicionalmente, estar a serviço;
Cobra – Transmutação-, cura, regeneração, sabedoria, psiquismo, sensualidade; A cobra sabe que terá de trocar de pele e se deixar transmutar,aceitando com sabedoria o que lhe acontece de novo. Simplesmente vamos mudando, assimilando ideias e inspirações, quando notamos, não somos mais os mesmos. A serpente traz a força para nos adaptarmos a novas mudanças de vida. A força da medicina da cobra e a força da criação englobam a sexualidade, a energia psíquica, a alquimia, a reprodução e a imortalidade, a regeneração.
Coiote – Malícia, artifício, criança interior, adaptabilidade, confiança, humor.;
Coruja – Desilusão – Habilidades ocultas, ver na escuridão, a vigília, a sombra, sabedoria antiga;
Doninha – Dissimulação – Poderes ocultos, vivencia, poder de esconder, observações, segredos.
Elefante - Longevidade, inteligência, memória ancestral, ancestrais enterrados. Precisa mudar a rotina e parar de ficar andando sempre no mesmo caminho, acumule no seu trabalho outros conhecimentos, invista em você. O elefante vai na frente, derrubando todos os obstáculos, para você passar sem medo. Simboliza a longevidade, inteligência, memória ancestral.
Elefante branco – Associe ao xamanismo e ao trabalho de cura búdico, como Reiki, Acupuntura, Medicina e todos os conhecimentos dos mestres do Oriente. Força, bondade, escolha de caminhos, simboliza ligações extraterrestres, mistério.
Esquilo - Armazenamento – Divertimento, planos futuros, reunião, observar o óbvio. O esquilo ensina você a planejar o futuro, para o inverno quando as árvores estão despidas e as nozes há tempo desapareceram. A principal lição que o esquilo nos dá é guardar e preservar nossa energia para o tempo em que dela precisarmos, sempre com equilíbrio. Divertimento,planos futuros, reunião, observar o óbvio.
Esturjão – Determinação, sexualidade, consistência, profundidade, ensinamento. (peixe) Procure ser mais determinado nos seus objetivos. Perca o medo do rio, aprenda a nadar contra as correntezas, não ande nos cantos dos rios, pois poderá acabar virando presa de águias e ursos. Determinação, sexualidade, consistência, profundidade, ensinamento.
Falcão – Precisão, mensageiro, olhar a volta, abertura a distância, oportunidades. É o grande mensageiro da vida e dos sonhos. Ao vermos um falcão voando em círculos, é aviso que estamos prontos para trilhar as jornadas xamânicas. É o grande espírito mandando mensagens para serem decodificadas. Precisão, preces ao Universo, mensageiro, olhar em sua volta, abertura, observar à distância, oportunidades, atenção.
Formiga – paciência- Comunidade perfeita,  trabalho duro, força, resistência, agressividade. A medicina da formiga é a estratégia da paciência. A formiga é construtora como o castor, agressiva como o texugo, tem resistência como o alce, e se sacrifica como o peru. Têm consciência de que sozinhas não são nada, mas, embora muito pequenas, junto com sua comunidade podem exercer força poderosíssima. É o sucesso por meio do esforço. Comunidade perfeita, paciência, trabalho duro, força, resistência, agressividade, exame cuidadoso, organização e destruição.
Gaivota – Voar através da vida com calma e esforço para alcançar objetivos. Busque resultados e caminhos fáceis, mudando as limitações criadas por você mesmo. Você precisa de mais liberdade para se sentir livre, sentir a vida. Pare de ficar se cobrando, acabe com o excesso de responsabilidades, premedite mais o seu futuro, faça análise e solte-se. Você nasceu para voar, ser livre e não ficar aprisionada num só território. Liberdade.
Gambá – reputação – Divergência – Campo de proteção,  repelir quem não o respeita, respeito. A maior forma de proteção do gambá é de brincar de morto. Fazendo isto o gambá confunde muitos predadores que acabam achando que o jogo terminou. Muitas vezes, o rival confundido vai embora ou olha para uma outra direção por um instante, aí o gambá corre para um lugar seguro. O odor da morte é expelido a seu desejo, acrescentando a jogada de mestre, que manda os inimigos por atalhos confusos. A medicina do gambá usa muita estratégia.
Gato – mistérios, poderes mágicos, sensualidade, independência, visões místicas, limpeza. A energia do gato traz grande entendimento e segredos dos mistérios. Tem a terceira visão aberta e grande capacidade para ver tudo o que as outras pessoas não veem. É dotado de grandes poderes mágicos,densos e sutis. Entendimento sobre mistérios, poderes ocultos, sensualidade, independência, visões místicas, limpeza.
Galo – Espiral sagrada – Sexualidade, fertilidade, oferendas, cerimônias, altivez. Não compre brigas à toa. Viva a vida e deixe que os outros também vivam, seja leve. O galo simboliza a sexualidade, cerimônias, altivez.
Ganso - Paternal e maternal, trabalhe seus medos, suas raivas e combata o lado histérico. Jogue fora suas preocupações ou bobagens. Aquilo que não lhe pertence, devolva aos canais de origem.
Gavião – Mensageiro – Os povos antigos reconheceram este pássaro magnífico de rapina como mensageiro trazendo notícias para suas andanças terrestres, o Bom Caminho Vermelho, do mundo dos avós, dos ancestrais que viveram antes dele. A medicina do gavião ensina você a ser observador, a olhar seus arredores. Observe o óbvio em tudo que você faz. A vida está mandando sinais para você. A vida é a iniciação. O que está sendo solicitado é uma habilidade intuitiva para perceber a mensagem transportada dentro do grito do gavião. A força do chamado do gavião penetra o estado de inconsciência e pede para você voar e buscar a verdade dentro de sí.
Girafa – Calma, inspiração para se atingir grandes alturas, suavidade, doçura. A medicina da girafa ensina que você precisa esquecer um pouquinho da terra e ver mais as visões do céu. Ensinando que você deve ser uma pessoa mais intuitiva, calma e para receber as inspirações elevadas. A girafa traz a calma, inspiração para se atingir grandes alturas em sua vida, suavidade, doçura.
Golfinho – O Maná – Pureza, iluminação do ser, sabedoria, paz, amor, harmonia, comunicação. O golfinho é o guardião da respiração sagrada da vida e nos ensina como soltar as emoções através da respiração. Ouvir nossos sons internos e entendê-los é parte do que o golfinho pode nos ensinar. Imite o golfinho e ande nas ondas do riso, espalhando alegria no mundo. Pureza,iluminação do ser, telepatia, alegria, sabedoria, amor, harmonia, comunicação.
Gorila – Sabedoria, inteligência, adaptabilidade, guardião da terra, habilidade. Para um xamã, o gorila é o guardião da terra, portanto sua medicina ensina a usar mais sua sabedoria interior e praticar sua inteligência. Ande mais longe, movimento, saia da lentidão. Sabedoria, inteligência, adaptabilidade, guardião da terra.
Gralha azul – Magia – Cuidado com a sua magia mental, saiba usar a força de sua mente, pois no final tudo volta para si mesmo. Seja mais atento e mais organizado, assim saberá onde escondeu suas sementes.
Guaxinim – Bom humor, limpeza, sobrevivência, tenacidade, inteligência, folia. Os guaxinins são fascinados por água e gostam de lavar todo alimento antes de ingeri-lo. Com essa limpeza, aumentam sua sensibilidade à comida. Isso nos lembra que devemos limpar e filtrar o que engolimos, sem aceitar tudo como nos vem e sem nos intoxicarmos com o que nos dizem. Bom humor, limpeza, sobrevivência, tenacidade, inteligência, folia.
Hipopótamo – Desenvolvimento psíquico, intuição, ligação água-terra, aterramento. Você precisa celebrar mais com a água, pois ela refrigera alma e seus nervos. Ver este animal é também um aviso de que estão começando a serem trabalhados os seus sentidos. Portanto não tenha medo. Solte-se e esteja pronto para essas aventuras. Desenvolvimento psíquico, intuição, ligação água-terra, aterramento.
Jacaré – Instinto de sobrevivência, o inconsciente profundo, o caos que precede a criação. Associamos o Jacaré ou Crocodilo, por eles terem os olhos no alto da cabeça, ao simbolismo de uma visão superior e de enxergar outros planos. Instinto de sobrevivência, o inconsciente profundo.
Jaguar – A busca em águas da consciência, mensageiro, interação mente e alma. O jaguar é o mensageiro entre a alma e as águas da consciência. A busca em profundas águas da consciência, mensageiro, interação entre mente e alma.
Javali – Comunicação entre pares, expressividade, inteligência. A medicina do javali ensina a trabalhar o chacra laríngeo. Comunicação entre pares, expressividade, inteligência.
Lagarto – Sonhador – Otimismo, adaptabilidade, regeneração, sonhos, renovação, transformação. O lagarto é a medicina dos sonhadores. O lagarto pode estar dizendo para prestar atenção nos seus sonhos e símbolos. Faça um diário de sonhos e escreva todos que você lembra. A medicina do lagarto é o lado sombrio da realidade onde seus sonhos são revistados antes de você decidir manifestá-los fisicamente. Otimismo, adaptabilidade, regeneração, sonhos, renovação, transformação.
Leão – Poder, força, majestade, prosperidade, nobreza, coragem, saúde, liderança, segurança, auto-confiança. O grande Rei dos animais traz o espírito de luta e de marcar presença. Garra, poder, força, majestade, prosperidade, nobreza, coragem, saúde, liderança, segurança, autoconfiança.
Leopardo – Conhecimento do subconsciente, compreender aspectos sombrios, rapidez. Segundo a lenda dos xamãs, o leopardo, as onças e jaguatiricas ficam rondando-os nas curas, para não deixar os espíritos intrusos, retirados pelos mesmos, voltarem para o corpo da pessoa que está sendo curada. Quando eles o visitam em suas visões é sinal de que está recebendo muitaproteção espiritual para não se perder ou desistir do caminho, portanto continue nas suas buscas com firmeza. Conhecimento do subconsciente, compreender aspectos sombrios, rapidez nas ações.
Lince – Segredos –  conhecimento oculto, tradição, ouvir para o crescimento. Dizem que quando você quer descobrir um segredo, deve perguntar à medicina do lince. Infelizmente é difícil fazer com que o lince calado fale. Para ser enfrentado pela força medicinal do lince significa que você não sabe algo sobre si ou sobre os outros. O lince é o preservador de segredos de sistemas mágicos perdidos e conhecimento oculto. Ele tem a habilidade de se mover através do tempo e do espaço e aprofundar-se no Grande Silêncio para desemaranhar qualquer mistério. O lince não é guardião dos segredos, mas o conhecedor destes. Segredos, tradição, conhecimento oculto, ouvir para o crescimento.
Libélula – Ilusão –  ventos da mudança, comunicação com o mundo elemental. A libélula traz grande poder de comunicação com o mundo elementar. Quer tudo muito rápido, começa projetos e não os termina. Seja mais perseverante em seus objetivos, mantenha o foco. Você é filho dos ventos, então esteja preparado para as mudanças que virão. A libélula simboliza ailusão, esteja alerta.
Lobo – Professor – Amor, relacionamentos saldáveis, fidelidade, generosidade, ensinamento. Para os povos Nativos, o lobo é o mais fiel dos guias animais, o símbolo do professor da tribo, encorajando-nos a enfrentar novas idéias e projetos. O lobo é um explorador de rotas, precursor de novas idéias que volta para tribo para ensinar e compartilhar a medicina. O senso do lobo é muito aguçado e a Lua é sua aliada de força. A medicina do lobo permite o professor dentro de nós todos aparecer e ajudar os filhos da Terra a compreender o Grande Mistério da vida. Relacionamentos saudáveis, fidelidade, generosidade, união, a criança interior.
Lontra - Curadora
Macaco – Inteligência, bom humor, alegria, agilidade, perícia, irreverência, amizade. Cuidado com os pulos mal premeditados ou errados, observe suas ações. Inteligência, bom humor, alegria, agilidade, generosidade, ensinamento.
Minhoca – Regeneração, resistência, auto-cura, transformação.
Morcego – Renascimento, iniciação, reencarnação, habilidades mágicas. Tem o poder de ver a coisas ocultas, mesmo na escuridão ou com os olhos fechados. A posição do morcego de Cabeça para Baixo é relacionada com a que os bebês assumem quando vêm ao mundo através do ventre da mulher. Pode significar largar velhos hábitos e assumir uma posição na vida que prepara seu renascimento ou em alguns casos, uma iniciação. Em todos os casos, o morcego sinaliza um processo de renascimento em alguma área de você mesmo ou a morte de velhos padrões. Renascimento, iniciação, reencarnação, habilidades mágicas.
Onça – Espreita, proteção de espaço, silencio, observação. Precisão. A onça é um animal que pode ao mesmo tempo nos assustar e evocar imenso respeito. É inteligente, ágil, esperta, e tem a mesma função do leopardo: ajuda energéticamente os xamãs nas curas. Espreita, proteção de espaço, silêncio, precisão.
Pantera – Mistério, sensualidade, sexualidade, beleza, sedução, força, flexibilidade. A pantera negra fica rondando em círculos o curador xamã para devorar o espírito causador da dor. Logo que o xamã o expurga o assediador, ele não consegue ultrapassar o círculo da pantera, que o devora energéticamente como seu alimento. Mistério, sensualidade, beleza, sedução, força, flexibilidade, cura.
Pantera Branca – O mesmo conceito que o da Pantera Negra, só que representa o símbolo da coragem e intuição xamânica. É muito ágil e traz vitórias em qualquer situação. Porém, ela avisa: tudo tem começo, meio e fim. Não se alimenta do espírito intruso, mas circula o xamã guardando sua presa para quando chegar a pantera negra, não deixando o espírito escapar do círculo. A pantera branca trabalha com as doenças do intelecto. Sua missão é trabalhar o medo das pessoas, ensinando o indivíduo a desligar-se do externo e voltar para si mesmo.
Papaguaio – A primeira coisa que nos ocorre quando pensamos nos papagaios é sua capacidade de imitação. Eles refletem tudo o que existe à volta deles, tons de voz, ruídos, gargalhadas. A energia do papagaio é como um grande espelho universal, e este não mente, apenas reflete o que existe fora dele.
Pavão - Proteção psíquica, coragem, boa sorte, serenidade, chuva, beleza, graça.Pare de se sacrificar por quem não te merece, ou não merece o seu sacrifício.
Pavão Branco  – O despertar da sensibilidade. Momentos de paz e tranqüilidade. Porém, pare de ficar se cobrando, saia da acomodação e vá procurar auto-ajuda ou um analista. Isto irá lhe fazer bem, pois você precisa valorizar-se.
Pato – Desenvolvimento de energia maternal, fidelidade, nutrição energética.
Peru – Doação – Dar e receber, transcendência, dádivas, celebração. A medicina do peru ensina a ser voluntário, a fazer caridade. Jogar fora o orgulho que não serve para nada a não ser para atrapalhar sua vida material. Procure ser mais realista, puro e verdadeiro com você mesmo. Jogue fora as fantasias tolas, e não se irrite com os sons, pois às vezes nos servem de alerta, ensinando-nos a despertar para a vida. Dar e receber, transcendência, dádivas, celebração.Puma – Força, mistério, silêncio, sobrevivência, velocidade, graça, liderança, coragem. A medicina do puma envolve lições sobre o uso da força na liderança. É a habilidade de liderar sem insistir que os outros o sigam. A responsabilidade não é nada mais que a habilidade para responder a qualquer situação. O pânico não faz parte desta medicina. Força, iniciativa, mistério, silêncio, sobrevivência, velocidade, graça, liderança, coragem.
Pica-Pau – Regeneração, limpeza, comunicação, proteção, unido aos Espíritos do trovão. Este animal está ligado ao grande espírito do trovão, controla as pragas e principalmente as formigas e os cupins da alma. Invocado para chuva, regeneração, limpeza, comunicação, proteção. Seu som ao picar a árvore é ligado com os espíritos do trovão, é considerado filho do trovão.
Pingüim – Viver em comunidade, fidelidade, lealdade nos romances. Está mais relacionado com os xamãs do Pólo Sul. Viver em comunidade, fidelidade, lealdade nos romances.
Pombo – No cristianismo simboliza o Espírito Santo, paz, comunicação, mensagem. Pomba branca – No cristianismo simboliza o Espírito Santo, paz, comunicação, integração, mensagem. Você atingirá todas as suas metas espirituais; sorte e felicidade chegando. Paz, luz, pureza, sacrifício, notícias felizes, puras, restabelecimento da saúde. Marrons: Precisa trabalhar o perdão. Cinzas: Precisa trabalhar a mente doentia. Negras: Notícias mórbidas.
Porco – Você precisa escapar mais das quatro paredes, levantar a antena, olhar para as pessoas e perceber suas intenções. Abandona essas paredes limitadoras, ou acabará conversando com elas. Cuide bem da sua saúde e do seu coração. Viva na completude da VIDA.
Porco-Espinho – Fé, confiança, inocência, inspiração para realizações, dentro da essência.- Nas lendas, o porco-espinho exibe muitas qualidades das quais a principal é o poder da fé e da crença, ou seja, a capacidade de mover montanhas, de acreditar numa força maior, que nos faz fluir com os movimentos de nossa vida, e confiar que só o que for melhor para nosso crescimento virá ao nosso encontro. Fé, confiança, inspiração para realizações, dentro da essência.
Porco espinho: Inocência
Puma - Liderança
Raposa – Camuflagem – Habilidade, esperteza, camuflagem, observação, integração, astúcia. Ela é rastreadora dos caminhos da cura física externa. Tem a sensibilidade aguçada e mente bastante intuitiva. A medicina da raposa envolve adaptabilidade, astúcia, observação, inteligência e rapidez nos pensamentos e ações. Estes traços podem incluir também o poder de decidir rapidamente e de ter o pé no chão. Habilidade, esperteza, camuflagem, observação, integração, astúcia.
Rato - Minúcia – versatilidade, alerta, introspecção, percepção, satisfação, aceitação. O rato é uma medicina muito poderosa para se ter nos dias modernos. Coisas que podem parecer insignificantes para uns, toma importância enorme para o rato. Eles são fixados em metodologia. Alerta,introspecção, percepção, satisfação, aceitação.
Salmão – Força, perseverança, nadar contra a maré, determinação, coragem. Força, perseverança, nadar contra a maré, determinação, coragem. Para os Celtas é também o símbolo da Sabedoria.
Sapo - Purificação – Evolução, limpeza, transformação, mistérios, humor, ligado a chuva. O sapo representa a luz da noite, é o limpador dos rios, come as larvas e os mosquitos. Evolução, limpeza, transformação, mistério, humor, ligado à chuva.
Tartaruga – Mãe-Terra – Estabilidade, organização, longevidade, paciência, resistência, proteção, experiência, sabedoria, . Nos ensinamentos nativos americanos, a tartaruga é o símbolo mais velho do planeta Terra. A tartaruga é considerada para o xamã como sendo o símbolo da Mãe Terra. Como ela, devemos nos conectar firmemente com o Planeta, nutrindo-nos para estarmos centrados com firmeza em nosso ritmo e metas desejadas. Ela usa a água e a terra, suas duas moradas, para nos ensinar a fluir com harmonia nas situações que se apresentam. Dar chão, estabilidade, longevidade, honra, paciência, resistência, proteção,experiência, sabedoria.
Tatu – Limitação – limites doas dá a armadura, limites emocionais, protege a saúde. O tatu já vem vestido com uma armadura nas costas. Os limites de segurança fazem parte de seu ser. Ele também pode rolar como uma bola e nunca se deixar penetrar pelo inimigo. Ele representa a couraça da Mãe Terra, o guardião dos segredos dela. Representa também o escudo de defesa que colocamos à nossa frente, contra tudo e todos. Nos dá a armadura, limites emocionais, protege a saúde.
Texugo – Agressividade –  coragem, formar, alianças, persistência, agir em crise. Agressividade, coragem, formar alianças, persistência, agir em crise.
Tigre – Aproximação lenta, preparação cuidadosa, aproveitar oportunidades. O Tigre evoca, de forma geral, as idéias de poder e ferocidade. É um animal caçador, e nisso, um símbolo da casta guerreira. O tigre devora as influencias maléficas. Símbolo de aproximação paciente, preparação cuidadosa, aproveitar oportunidades.
Touro – fertilidade, sexualidade, poder, liderança, proteção, potencia. Fertilidade, sexualidade, poder, liderança, proteção, força da terra,potência.
Urso – Introspecção –  intuição, cura, consciência, ensinamentos, curiosidade. O urso entra numa caverna e hiberna, digerindo as experiências que vivenciou. Ele se reconecta com a Mãe Terra, numa introspecção intensa, para depois ressurgir na primavera da alma, num renascimento, quando tudo está brotando novamente. Nesse período nada do que está lá fora importa, apenas o refazimento, o ato de pensar sobre as atitudes tomadas, acreditando que as respostas estão dentro de nós mesmos.Introspecção, intuição, cura física, consciência, ensinamentos, curiosidade.
Urso Branco - Símbolo da força de todos os animais de poder. Significa abertura e chegada de felicidade no corpo e na alma. Tem visão profunda, enxerga a grandes distâncias no gelo.
Urso Panda – A medicina do urso panda ensina a ficar mais atento aos perigos, a não se influenciar por aqueles que dizem ser nossos grandes amigos, pois sempre há uma intenção e o tempo mostrará isso. Ensina a cuidar bem dos segredos.
Urso Pardo - O urso pardo é o rastreador dos remédios e raízes da floresta. Ele ajuda o xamã a encontrar o remédio certo para a cura.
Urubu - A mensagem do Urubu é de purificação, limpeza profunda. Está ligado ao fogo ou Sol em várias culturas, assim como os xamãs ele usa as energias da terra ao seu favor. Simboliza a vida e a morte, dons proféticos e mistérios.
Vaga-Lume – Iluminação, entendimento, força de vida, luz e escuridão, maravilhas. A medicina do vaga-lume avisa que nem tudo está perdido. Há uma luz te esperando no fim do túnel e você não está sozinho. Procure acender seu interior e tudo será luz. Iluminação, entendimento, força de vida, luz e escuridão, maravilhas.
Veado – Gentileza – Delicadeza, sensitividade, graça, alerta, adaptabilidade, coração/espírito, gentileza. O veado pede para não sermos amargos na vida. Aprenda e assimile os ensinamentos com os sábios xamãs. Aprenda a viver mais solto e a celebrar a vida com a natureza. Delicadeza, sensitividade, graça, alerta, adaptabilidade, conexão coração e espírito, gentileza.
Animais Místicos
Cavalo Alado – Elevação,
transmutação, beleza, viagem astral,aventuras, mistério, fascínio.
Centauro - Instinto animal, ligação homem-animal, anarquia, sexualidade, fertilidade, cura.
Dragão – Potência e força viril, proteção Kundalini, calor, mensageiro da felicidade, senhor da chuva, fecundação, força vital.
Elefante Branco – Força, bondade, escolha de caminhos, ligações extraterrestres, mistério.
Fênix – Renascimento, fascínio, animal do Sol, imortalidade da alma, elevação, purificação.
Sátiro – Libertinagem, divertimento, impulso sexual, instintos, fantasias sexuais.
Unicórnio – Rapidez,
mansidão, pureza, salvação, espiritualidade, inofensivo.
Animais e os Elementos Sutis:
Criaturas aquáticas, anfíbios = elemento água
Répteis = elemento terra
Pássaros = elemento ar
Mamíferos = elemento fogo
……..
Animais de poder, totens e aliados
Marcus Fraga – terramistica.com.br
Conforme vai crescendo a popularidade do xamanismo, notamos que um tipo de prática parece aguçar mais a curiosidade das pessoas, que é o contato com Espíritos Animais.
Existe hoje um número grande de publicações, livros, cartas e oráculos baseado nesse aspecto do xamanismo, o que pode gerar um pouco de confusão quanto o que são Espiritos Animais.
Primeiramente Espíritos Animais não são uma tradição exclusiva de tribos Norte Americanas. Existem um sem número de tradições xamanicas (andina, siberiana, chinesa, africana…) que trabalham com alguma forma de relacionamento com Espíritos Animais e, nem sempre, o conceito ou o significado espiritual de cada animal é compartilhado entre elas.
Esses animais são espíritos e não símbolos de prosperidade, amor, dinheiro ou coisa que o valha. No decorrer da história, alguns animais acabaram associados a uma idéia em particular, mas isso são costumes culturais e não um arquétipo universal.
Portanto, todo material que tiver sobre animais ou Espíritos Animais, pode ser útil pra entender alguns aspectos de sua natureza, mas somente através de contatos diretos é que podemos entender realmente a mensagem.
Segundo a tradição que conheço existem alguns tipos diferentes de Espíritos Animais, são eles Animais de Poder, Totens e Aliados.
Totem
O termo Totem não se refere particularmente a um Espírito Animal, mas antes a um Espírito Ancestral associado a uma linhagem familiar, tribo, grupo, empresa, etc. Eles não estão presos a formas e podem aparecer como uma pedra ou uma planta, ou como uma força, como vento ou trovão, mas são as formas animais as mais comuns. Essa forma de manisfestação é tão antiga que podemos observar até hoje o quão forte é essa influência. Apesar de não ter o mesmo significado ou intento, indústrias, times de futebol, equipes, festas, carros, empresas, continuam a usar Totens como símbolos, como escudos, assim como os povos antigos, pintando em suas roupas, recriando suas imagens, usando suas peles ou mimetizando seus passos em danças e uma série de outras formas.
Animal de Poder
De acordo com varias tradições xamânicas, cada pessoa tem pelo menos um Animal de Poder. Esse espírito é individual, de cada um, e está ligado ao íntimo de seu próprio espírito. São chamados de animais de poder porque o poder ou força de vida primal chegam a nós através deles.
Em algumas tradições são chamados de “Alma Animal” porque seria uma das almas necessárias pra se formar um indivíduo.
Esses espíritos tedem a tomar forma ou moldar sua força de vida de acordo com sua natureza. É comum assumirmos certas posturas, ou mesmos que nossos traços fisicos passem a se mostrar cada vez mais próximos aos do animal que tomamos contato. Por conta disso, existe a tentação de tentarmos escolher um determinado animal de poder, por ele ter características que gostaríamos que os outros vissem em nós. Mas isso é uma tentativa totalmente sem fundamento, pois nós não escolhemos um Animal de Poder, eles que se apresentam a nós por vontade própria.
Como espiritos, eles escolhem nossa companhia por encontrarem alguma coisa em nosso íntimo que reflete sua natureza. Eles nos trazem a percepção de nossos dons que talvez por medo ou negligência, não damos atenção ou utilizamos de forma errada.
Eles ficam conosco por toda a vida, outros espíritos podem vir e ir, porém nosso Animal de Poder não nos deixa, a não ser em casos extremos, como traumas ou profundas mudanças na vida. Nesses casos, o espírito deve ser recuperado ou um novo espírito pode ser invocado.
Segundo a tradição, nosso Animal de Poder pode se mostrar em sonho, visões, meditações, ou por meio de um xamâ experiente.
Aliados
Espíritos Aliados aparecem em momentos de nossas vidas, ou porque chamamos por ajuda, em reposta a nossas preces, ou simplesmente por estarem curiosos com o que temos feito. Eles podem ser chamados pra resolver alguma questão ou para invocarmos sua medicina. É esse tipo de Espírito Animal que se mostra através de oráculos, como esses decks de cartas de animais, ou aparecendo em meditação com alguma mensagem, ou se mostrando em nossa vida cotidiana. Agem como guias e professores, podem nos levar a jornadas por outros mundos, ajudam a curar, alguns criam um laço de amizade longo e duradouro, outros usam uma forma de troca ou barganha, nesse caso é bom ter cautela, não é uma regra, mas répteis, insetos, animais mitológicos, animais feridos ou que mostrem seus dentes ou garras nem sempre são amistosos, confie em seus intintos, e não tema virar as costas e ir embora. Se o espírito realmente é um enviado do Grande Espírito, ele entenderá sua atitude e aguardará seu retorno, porventura se mostrando de uma outra forma.
Os animais de poder na cultura nativa brasileira
Fonte: terramística.com.br – Tatiana Menkaiká -
Os animais de poder na cultura nativa brasileira
Tatiana Menkaiká – 25/08/2005
A sacralização dos animais vem de época muito remota, onde a relação ser humano e animal se dava pela convivência próxima e a necessidade de sobrevivência. Essa proximidade instigou no ser humano a observação dos animais e a descoberta de similaridades no comportamento instintivo de ambos, estando, então, não somente ligados pelo fator sobrevivência, mas também a poderes mágicos e divinos.Assim, ser humano e animal, ocupando o mesmo espaço, estabeleceram vários tipos de relações, como a de caça e caçador, domesticação, guardiões e representantes das forças divinas e naturais.Na mitologia nativa, bem como na arte, encontramos o desenrolar místico da relação ser humano-animal. As tradições ameríndias estão impregnadas de uma essência mítica trazendo até nós feitos de guerreiros, caçadores, tribos, curandeiros e suas relações com seres encantados, deuses, espíritos ancestrais e animais de poder.
Através das lendas podemos garimpar esses significados, trazendo à tona as jornadas criativas dos habitantes nativos do norte ao sul do Brasil. Essas jornadas trazem em seu cerne elementos que podem auxiliar-nos hoje na busca da compreensão do ser humano na sua totalidade, no nosso autoconhecimento, através da sua relação com os animais de poder e sua visão mágica de mundo.
Associando aos animais de poder certas manifestações divinas, encontramos na tradição oral Guarani, o Grande Espírito, Ñamandu, manifestando-se na forma de um colibri, capaz de ver a totalidade a partir do sutil mundo do espírito. A coruja também foi outra forma de sua manifestação. Como Coruja, o Pai-Mãe Criador na Noite Cósmica criou a Sabedoria.
Ainda, dentro do mito da criação Guarani, há uma nítida relação entre a serpente, eixo que rege a vida, e a coluna vertebral humana, sustento do corpo material e espiritual, a que os hindus chamam kundalini.
Os antepassados da tribo dos Panará, chamados de “os de antes” (suankyara), são uma combinação de ser humano e animal. São eles os responsáveis por darem nomes às coisas e aos homens.
Para os Yanomami da Amazônia e Venezuela, todo homem tem como seu duplo anímico um animal de poder, chamado de “duplo animal”. Os animais também podem ser espíritos de ancestrais, que vivem nas florestas e que assumiram essa forma por terem comportamentos descontrolados ou fora de alguma regra social.
O folclore brasileiro ainda traz inúmeras descrições de animais com poderes peculiares, humanos com poder de assumir formas animais, amuletos, danças que imitam seus movimentos e sons. Temos o boto, o uirapuru, a sereia, o muiraquitã, a cobra grande, o boitatá, enfim, um grande universo místico e mágico a ser explorado além das fronteiras históricas e antropológicas.
Conectar com um animal de poder através de sua sabedoria de sobrevivência, comportamento e maestria é conectar com nossa própria essência e com as qualidades instintivas que tem o ser humano como parte da Natureza. Compreender a essência dessas criaturas é ativar nossa própria cura e conectarmos com o espiritual através de suas manifestações. A associação do ser humano com o poder totêmico de um animal o faz conhecer seu lado inconsciente.
Para complementar essa breve abordagem, dispusemos aqui alguns animais de poder e suas características segundo algumas culturas nativas brasileiras:
UIRAPURU – Pássaro raro, não se permite ver facilmente. Quando se mostra, sempre está disfarçado para que não o notem. Seu canto é inédito, mas é considerado de beleza rara e única. Traz paz e ao cantar todas as outras criaturas da floresta calam-se para ouvi-lo.
COLIBRI – Em geral, os seres alados são mensageiros entre os homens e os deuses por sua capacidade de voar em direção aos céus. O colibri é mensageiro do Grande Espírito, Pai-Mãe Criador. É sinal de proteção, expressão do sagrado e indício de caminho correto. Ágil, o colibri se manifesta trazendo sempre alguma orientação espiritual importante.
SERPENTE – A serpente é aquela que ergue a vida e cria a realidade, é o poder criativo, transmutador e nos faz conhecer valores profundos do ser. Para os Guarani, é o eixo por onde se ergue o ser humano, a coluna vertebral. Na sua base está o poder gerador de vida da Grande Mãe.
CORUJA – É a sabedoria. Tem a capacidade de ver o oculto e inconsciente. Conhecedora dos mistérios, ela permite-nos vencer o temor e aprender a qualidade da consciência do existir em todos os níveis e do fluir. Por ver na escuridão, sua qualidade também está no ultrapassar as limitações do perceptível, mostrando-nos a totalidade e as várias realidades, da qual o mundo material é apenas uma parte.
RÃ – É símbolo da fertilidade, abundância, união, tanto que foi representada por tribos do norte do Brasil em amuletos chamados “muiraquitãs”.
ESCORPIÃO – Animal de poder muito importante encontrado na cerâmica de civilizações amazônicas, representa a proteção e a preservação da natureza humana ou animal. Está associado à capacidade de atacar quando ameaçado, sendo capaz de qualquer coisa para manter a sua integridade.
JABUTI – É um animal de grande longevidade. Suas qualidades estão associadas à esperteza, inteligência, paciência, tranqüilidade, atenção, fé, força e coragem.
PAPAGAIO – Assim como a arara, o papagaio é multicolor, transmite alegria e a força do arco-íris. Desperta a retórica, o saber falar e o quê falar. Pelo seu poder de comunicação, aproxima-se facilmente do homem. Pode ser considerado uma ponte entre o mundo dos pássaros e dos humanos.
ONÇA – A onça é deliberadamente solitária. É astuciosa, observa os movimentos da presa antes de atacá-la. Como qualidades desse animal, desperta o aprender a conviver consigo mesmo e a não depender dos outros para atingirmos objetivos. Ensina a conquista do nosso espaço, a cautela, o saber agir, a habilidade e a agilidade.
Fonte:http://www.espiritualidadefeminina.com.br/animais-de-poder-as-criaturas-ou-criaturas-animais-totens-xamanismo/

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA