sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O CETRO REAL DE JESUS E SEU SIGNIFICADO SIMBÓLICO


O Cetro Real

 
Este video registra imagens da celebração da Festa da Exaltação da Santa e Vivificante Cruz do Senhor, realizada no Seminário e Academia Teológica Ortodoxo de São Petesburgo (Patriarcado de Moscou).

Toda a beleza e piedade que a Santa Igreja de Cristo oferta ao mundo, advém do seu incansável amor a Deus e aos homens.

A Deus ela oferta os seus humildes esforços, em uma constante confissão, uma constante espera, com temor e alegria.

Aos homens, ela chama, a cada um de nós, para se juntar neste esforço, para que a nossa vida seja tomada por esta beleza, por este jubilo, por este amor.

Na Igreja, como que por uma fresta, vislumbramos a realidade, um pouco sobre o mundo futuro, aquele que será totalmente transfigurado pelo Senhor, Rei de todos.

Que Deus nos permita, enquanto ainda podemos, olhar com veneração para a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, nos unirmos a ela, para que com ela possamos viver em oração, para que o Sagrado Reino ja possa viver em nós neste mundo.

"Salve, vivificante Cruz,/ troféu invencível da piedade, porta do Paraíso,/ conforto dos fiéis, fortaleza da Igreja;/ por ti foi anulada a corrupção,/ aniquilado e abolido o poder da morte;/ e por ti fomos elevados da terra para o céu./ Arma invencível, adversária dos demônios,/ glória dos Mártires, verdadeiro ornamento dos Justos e dos Santos,/ porta de salvação,// por ti veio ao mundogrande misericórdia."

terça-feira, 1 de julho de 2014

Simbolismo Cristão : O ícone do Salvador do Abençoado Silêncio


O ícone do Salvador do Abençoado Silêncio (ou Santíssimo Silêncio), é um  um tipo iconográfico no qual o Cristo é representado na forma de um anjo.

O outro exemplo mais notável é Cristo como "Sophia, a Sabedoria de Deus".


Ao vermos exemplos diferenciados dos ícones do Salvador do Abençoado Silêncio, encontra-se variações na representação. Em alguns ícones Cristo tem  a cabeça descoberta; em outros, Ele usa a mitra de um bispo, para mostrar que ele é, ao mesmo tempo, o Grande Sumo Sacerdote e Rei dos reis.

A chave para entender esse ícone é o livro está na observância de um fragmento liturgico, o quinto Irmos da Liturgia  da Santa Natividade que diz "Tu és o Deus da Paz, Pai das misericórdias, o Anjo do Grande Conselho":


            "O Deus da paz e Pai das misericórdias
            Tu nos enviou o Anjo do grande conselho que nos dá a paz.
            Então, somos guiados para a luz do conhecimento de Deus."

Esta imagem está  associada com a Natividade em razão da interpretação dada a profecia de Isaías (9:6), um registro ja no Antigo Testamento sobre o Nascimento de Jesus :

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz."

Esta é a tradução encontrada na Bíblia versão King James, que reflete o texto hebraico, como era conhecido no Século XVII. Contudo, tal versão não reflete como as Profecias de Isaías eram conhecidas pelos primeiros cristãos, que sabiam que os textos bíblicos de uso da Igreja não advinham do hebraico, mas sim do grego, na versão agora chamada de Septuaginta.

Na versão do grego, temos um texto um pouco diferente :

"Pois uma criança nasceu para nós, e um filho nos foi dado, cujo governo está sobre seu ombro.E seu nome é chamado o Mensageiro do Grande Conselho: pois eu trarei paz aos príncipes, e saúde a ele. Seu governo será grande, e sua paz não terá fim:”:


Podemos ver que os dois textos têm substanciais diferenças de  leitura. E isso não é incomum. Há todo o tipo de variações, de manuscrito a manuscrito da Bíblia, e na Septuaginta muitas vezes temos leituras que não são encontradas em traduções feitas a partir do texto hebraico (Massorético).

Mas o que realmente queremos destacar são as seguintes palavras:


"... E seu nome é chamado o Mensageiro do Grande Conselho ".

Como sabemos, os  ícones de João, o Precursor (João Batista)  muitas vezes o  representa com as asas de um anjo, e a razão para isso é que a palavra grega para Mensageiro - utilizada para descrever João no Evangelho de São Marcos - também pode significar ". anjo".
Nós temos duas palavras distintas em português : mensageiro e anjo. Mas, em grego,  há uma só palavra com os dois significados: αγγελος- angelos

Sabendo disso, podemos compreender que na tradução da Septuaginta , o nome do "Mensageiro do grande conselho" (Mεγαλης βουλης αγγελος) também pode ser entendido como o "Anjo do grande conselho." 



Isso explica a razão para termos no Irmos da Natividade  falando de Jesus como o "Anjo do Grande Conselho ", e claro,  também nos diz por que Jesus é retratado neste ícone como um anjo.

Essa é a essência da questão sobre este ícone, mas há outros aspectos simbólicos.

Observe, por exemplo, que Jesus aqui descrito como Anjo,não tem o halo de costume, com uma cruz , que  encontramos na maioria dos seus outros ícones. Desta vez seu halo é uma "estrela de oito pontas", a "glória" de oito pontas que significa os sete dias da Criação, e o oitavo dia em que Deus descansou.

Este oitavo dia significa também o Dia da Eternidade, que precedeu a criação e que a segue.

Então Cristo como Anjo também é entendido como uma figura eterna, o Logos (Palavra / Razão) de Deus, que de acordo com o antigo credo, foi "gerado pelo Pai antes de todos os Séculos", isto é, o Pai deu à luz o filho na eternidade, e que o filho é Cristo, o Anjo do Grande Conselho.

Então, quando pensamos no ícone Santíssimo Silêncio como uma imagem da Natividade, devemos pensar tanto do nascimento do Logos de Deus na eternidade e do nascimento do Menino Jesus no tempo.


O ícone do Santíssimo Silencio não é apenas um ícone relacionado com o Natividade, é também uma imagem relacionada com a Paixão. Ele tem isso em comum com outro  ícone de um Cristo alado como o "Serafim Crucificado."

 Em Isaías 53, encontramos as passagens "Servo Sofredor" que os cristãos associam com a crucificação de Jesus. Particularmente aplicável aqui é Isaías 53:7:


"Ele foi oprimido e ele foi afligido, mas não abriu a boca: ele é levado como um cordeiro ao matadouro, e como uma ovelha que diante de seus tosquiadores fica mudo, assim ele não abriu a sua boca."

Assim, Cristo estava em silêncio. E Cristo, o Anjo do grande conselho é o Filho unigênito no Silêncio da Eternidade.

Essa associação "silêncio" é aquele que faz com que este tipo de ícone seja especial para os hesicastas. Hesychia (ἡσυχία) é a palavra grega para "silêncio, quietude."


Outro texto de Isaías aplicado a este tipo de Abençoado Silencio :

"Não clamará, não se exaltará, nem fará ouvir a sua voz na praça."(42:2)

Mas há um nível ainda mais profundo para contemplar este ícone. Para os  cristãos ortodoxos, Jesus é  encontrado no Antigo Testamento, mas com nomes diferentes. 

 Jesus  como Verbo, o Logos em grego - é aquele que criou o mundo - ou para ser mais específico,  aquele pelo qual Deus Pai criou o mundo,  por meio dele. 

Então Cristo como Logos é pré-existente, o que significa que Ele sempre existiu, antes da criação do mundo , e o mundo foi criado por meio dEle. É por isso que, em muitos antigos ícones da Criação, vemos Jesus no ato de criar, em vez do Deus Pai.


Fragmento e adaptação de artigo postado no blog :russianicons.wordpress.com
Fonte:http://cetroreal.blogspot.com.br/2014/07/simbolismo-cristao-o-icone-do-salvador.html
O Cetro Real