sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O CAMINHO PARA A LUZ : OS SANTOS PROFESSORES ORTODOXOS CRISTÃOS E OS PROFESSORES DE OUTRAS RELIGIÕES


O Caminho para a Luz: Os Santos professores ortodoxos e os professores de outras religiões.

    

Em uma aldeia de Messaras vive uma senhora idosa que aqui vamos chamar de "G", que  aqueles que a conhecem sabem bem que Deus concedeu a ela  carismas excepcionais.

Uma vez, por exemplo, o Arcanjo Miguel apareceu a uma determinada pessoa doente em Atenas ,que não a conhecia , e anunciou-lhe: "Eu vim para te curar, porque G *** me enviou a você em sua oração."

    A anciã  me disse certa vez :. "Eu não sou nenhuma santo, apenas uma velha senhora que suplica a Deus por sua salvação. Se você quiser um santo, você deve ir para (disse uma localidade) pois la vive um asceta , ou ir a (disse outra localidade) pois vive um outro, etc.".

 Ela me deu o nome de muitos ascetas contemporâneos - a maioria desconhecidos - que vivem em várias regiões da ilha de Creta.
    
    Essas coisas em si mesmas não significam nada. Elas podem ser facilmente imitadas por um vigarista - embora, pessoas como esta anciã não sejam (ela nunca lucrou nada com esses carismas; na verdade, tudo o que a preocupava era o medo de que poderia perder sua relação mística com Cristo em seu coração.).

Nos certamente podemos encontrar essas habilidades em professores de outras religiões , em budistas, hinduístas: e até curandeiros ou xamãs. 

No entanto, é preciso mencionar que, na nossa tradição espiritual há um grande número de pessoas que atingiram  o "nível" desta anciã. 

Por exemplo, os inconcebíveis carismas milagrosos de santos ortodoxos contemporâneos, tais como os Anciãos - professores espirituais- Porfírio, Paisios, Jacó e outros, que não só tinham o dom de discernimento e de cura, mas também tiveram experiências de "deformação" de espaço e tempo, a multiplicação da matéria, tele-transporte, a comunicação com os animais e muitos outros sinais. 

O que é ainda mais estranho no entanto, é que os fenômenos similares, bem como aparições de tais anciãos  continuam mesmo após a sua morte - ou, para usar o termo ortodoxo - depois de terem adormecido no Senhor. 

Mesmo em Creta, existem tais pessoas anciãos, como, por exemplo, o Ancião Evmenios o Mosteiro Roustikoi de Rethymnon e outros ...

    Estes santos milagrosos são descendentes de uma geração anterior da qual pertenciam as pessoas, como São Jorge Karslidis († 1948), a cega São Matrona de Moscou († 1952), São João Maximovitch († Seattle EUA, 1966 ) e muitos outros no mundo, que por sua vez eram descendentes de outra geração, que incluiu São João de Kronstandt († 1908), São Nectarios de Optina (Rússia † 1937), São Matrona de Anemniasevo († 1932), São Arsenios o Capadócio († 1924) e muitos outros. 

Procedendo desta maneira para trás na história, podemos ver santos  que vivem em cada geração cristã, à direita para os discípulos de Cristo, cujos milagres foram descritos no Novo Testamento (no livro de "Atos dos Apóstolos" )

  
                                                       ***
    Estes professores santos e carismáticos do cristianismo diferem imensamente dos respectivos Lamas, Swamis, Shamans, e etc.
No entanto, eu gostaria de mencionar três pontos,  que talvez revelem esses elementos que desejo recordar-lhes.

    Em primeiro lugar, não existe um "método" na vida desses cristãos, que eles seguem, a fim de atingir tais características, nem foram iniciados em qualquer tipo de ensinamento místico.

 A única coisa que eles fizeram foi  abrir o seu coração a Cristo, como Deus, e ao seu semelhante. 

Seu modo de vida não inclui a prática de um determinado método (por exemplo Yoga, meditação ou artes marciais), mas sim,  podemos dizer, que o seu é um caminho que inclui uma descida em dois reinos inteligíveis, que o santo contemporâneo, Ancião Sofrônio Sakharov, caracteriza como "os 2 Hades": o "Hades do arrependimento" e do "Hades do amor".

 O primeiro "Hades" é a rejeição completa do meu velho eu e dos seus actos e desejos (que se caracterizam pela amargura) e o segundo "Hades", que contém um amor incondicional, até o ponto do auto-sacrifício, para cada humano , mesmo os seus inimigos (os perdoar  completamente). 

Este amor culmina (ou começa a partir ) em amor por Cristo, com quem a comunicação adequada é mantida através da oração, bem como a participação na Divina Liturgia e no sacramento da Santa Comunhão.

Uma comunicação que pode até mesmo chegar a um avistamento da Luz divina, não só durante a oração, mas também durante a vida de todos os dias.

 Este avistamento às vezes pode durar dias inteiros, e pode-se continuar com suas atividades diárias e ao mesmo tempo encontrar-se dentro da Luz divina - que se revela como uma entidade pessoal, como Cristo.

    Dado que não existe um método, pelo qual se pode esforçar-se para alcançar um determinado resultado, essas grandes experiências espirituais pode ser experimentadas não só por monges ou sacerdotes, mas também por pessoas comuns, homens de família, ou até mesmo crianças (que  podem mesmo não estar cientes do que  tenham experimentado).

 As experiências espirituais cristãs - isto é, milagres, ou visões de Cristo, da Santa Mãe de Deus ou de certos santos - podem ser experimentadas por não-cristãos, que podem ainda assim permanecer fieis a suas religiões, mas alguns vão encontram a coragem para se converter à ortodoxia, colocando-se em um  ponto de partida para um novo campo. 

O que todos eles têm em comum no entanto, é o "Hades" do arrependimento que dá à luz um coração humilde, e o"Hades" do amor, cujo pré-requisito é um coração humilde.

    Uma segunda característica dos santos milagrosos ortodoxos é que eles não tem o mínimo desejo de alcançar qualquer carismas excepcionais, ou ter quaisquer experiências espirituais especiais. 

Eles não desejam qualquer aumento do conhecimento, ou a aquisição de "sabedoria" ou uma "consciência mais elevada" ou tornar-se "um com o universo", para se tornarem  "sintonizados" com ele ou algo semelhante ... 

Eles desejam somente Cristo. 

Seu desejo os direciona para  fora do seu próprio eu, na busca por uma outra pessoa - que eles amam e que eles estão dispostos a estarem unidos, seguindo o Seu caminho, o caminho do amor humilde e altruísta para com Deus (o Santo, Deus Uno e Trino, e não alguma noção subjetiva "de Deus", ou uma fantasia de que "Deus" é um símbolo de beleza ou de amor, ou uma faísca que existe dentro de nós ou dentro de cada ser etc ... etc ..) e para com o nosso semelhante. 

Esta é a razão para que eles não mergulhem dentro deles mesmos - como os iogues fazem - mas em vez disso, eles olham para Cristo, como Deus, e pedem Sua misericórdia e Sua preciosa ajuda na limpeza das paixões do seu coração , para se tornarem transformados em o tipo de ser que Ele quer que eles sejam.

    Além disso, eles não se esforçam para esculpir "seu próprio caminho rumo à perfeição", mas sim, dedicam-se ao caminho que Cristo ensinou e buscam ser incorporados no corpo que Ele fundou: a Igreja. 

Os cristãos nunca exercem qualquer esforço pessoal (individualista)para a perfeição; eles se dedicam e sua luta espiritual e moral no seio da Igreja: eles se reúnem com seus irmãos e eles participam do Corpo e do Sangue de Cristo, a partir do mesmo cálice sagrado. 

Cristo é também um membro desta comunidade - Sua cabeça, para ser mais preciso - e é dentro dessa comunidade que eu posso encontrar-se com Ele. 

Mesmo um eremita é sempre um membro da comunidade; ele também se juntou a ela, através de sua oração a Cristo (uma oração para todos os povos, e na verdade para todos os seres), e ele também participa da Sagrada Comunhão, o que a torna possível.
    
    Dado que Cristo é o único que eu amo, porque Ele é o único que eu desejo estar unido, e porque eu sei que essa união é viável (como é conhecido pela vida de todos os santos da Ortodoxia, que já tiveram a experiência desta vida, na qual foi esta união  que os tornaram capazes de realizar os carismas que o Deus Uno e Trino concedeu a eles, e não  seus próprios métodos), esta é a razão pela qual eu não estou interessado na possível existência de "outros caminhos "para a aquisição de sabedoria, conhecimento, ou poderes sobrenaturais. 

Mesmo se alguém desejar me ensinar como despertar ou manipular esses poderes, eu não buscarei isso.

 Eu desejo somente Cristo.
    
Se eu desejo ter tais poderes,  é justamente por isso que eu não estarei no estado de ver a Cristo; e se eu  ver algo, provavelmente vai não ser Ele, mas algum "outro" que vai querer me prender. 

Os santos, que atingiram a perfeição, realmente livraram o seu eu interior do egoísmo e não desejaram qualquer poder, só Cristo.


    Um exemplo favorito na Ortodoxia que revela a maneira de se aproximar de Cristo é a parábola do Filho Pródigo, que, depois de se permitir ficar totalmente esmagado, caiu aos pés de seu pai e pediu-lhe para contá-lo entre os criados. 

Isso é apenas como um cristão humilde sente, quando perceber o abismo que o separa do pureza absoluta de Cristo, ou seja, ele está plenamente consciente de que ele não está sem pecado; mas vemos que o pai do filho pródigo (que representa  Cristo) restaurou um pródigo à condição de filho e honrou-o com um anel e resplandecentes peças de vestuário, descartando não só o pedido do filho para se tornar um servo, mas também sua vida anterior de deboche onde ele havia desperdiçado a herança que ele tinha exigido (e recebido) a partir de seu Pai sem ter que  trabalhar para ele.

    Dois exemplos de diferentes caminhos para se aproximar de Deus estão na vida dos  Santos Anciãos Porfírio e Sofrônio. 

O primeiro visitou a Montanha Santa desde seus primeiros anos de adolescência e nunca se distanciou de Cristo, portanto provavelmente não teve que enfrentar a angústia do arrependimento em um grande grau. 

Ja o segundo, tinha negado Cristo, tornou-se um ateu, um praticante da meditação transcendental, e tinha mesmo entretidos pensamentos quase mórbidos que ele mesmo era um deus (pensamentos que foram influenciados pela filosofia oriental)...

Assim, quando ele experimentou o avistamento da Luz Divina,o  amor absolutamente humilde de Deus o fez se sentir como um traidor indigno, sem nunca teria imaginado que Deus poderia ser tão humilde e condescendente. 

Assim, o Ancião Sofrônio experimentou o "Hades do arrependimento" com extrema angústia, que no entanto, "regenera, e não causa desespero nem extermina homem".

    A maioria de nós são mais parecidos com o Ancião Sofrônio - relativamente falando - ao invés do Ancião  Porfírio. 

E é  por isso que é de valor incalculável  criar nossos filhos da maneira cristã: para que eles possam encontrar Cristo da maneira mais fácil, e não do modo mais doloroso , ou pior, correr o risco de chegar ao final de sua vida não tê-lO encontrado .

    A terceira característica dos santos, que eu gostaria de mencionar, é o conhecimento (através da experiência) de todas as situações espirituais, o que lhes permite discernir entre o positivo e os negativo, mesmo que externamente possam apresentar as mesmas características. 

Esta ciência espiritual é chamada de "discernimento de espíritos" e permite que os santos distingam entre uma experiência real ou carisma que se origina de Deus, e uma "réplica exata" que se origina do diabo e é dado a pessoas como isca, com o intenção de lisonjear seu ego e lança-los  ainda mais longe de sua finalidade - que é sua união "em Cristo" com Deus.

    O discernimento de espíritos é especialmente evidente em santos que também tiveram experiências exo-cristã , depois de terem sido iniciados em outras tradições espirituais antes de descobrir a Ortodoxia. 

Um desses é o Ancião Sofrônio que mencionamos anteriormente, mas, existem outros casos semelhantes que são registradas ao longo da história da Ortodoxia - mesmo com ascetas que nunca tinham deixado de serem fiéis a Cristo, mas tinham sido capturados em um momento de fraqueza egoísta e tinha adquirido "carismas" que os levaram a numerosos tormentos.

    O discernimento de espíritos é uma marca cristã que é necessária para uma avaliação real - de experiências espirituais, bem como de "poderes", e "carismas", e "contatos com outros seres", de "revelações", de "sabedoria" e todos os outros elementos que as diversas tradições espirituais transmitem como se fossem tesouros inestimáveis. 

Se me for permitido fazer uma observação aqui, dado que este carisma está totalmente ausente, mesmo nas versões não-ortodoxas do cristianismo ( é por isso que observamos "experiências espirituais" e "exibições carismáticas" em várias heresias como o papismo e protestantismo - fenômenos que de acordo com critérios ortodoxos são vistos como suspeitos, e mesmo puramente demoníacos), Santos ortodoxos experimentaram situações similares como aqueles experimentados pelos professores e os sábios de várias religiões. 

Inversamente, no entanto, os professores de outras religiões que podem acreditar terem "ampliado sua consciência" ou terem "comunicado com entidades" etc., não  saborearam a experiência de uma união com Cristo. 

    As religiões do Extremo Oriente - como o hinduísmo ou budismo - creem como o estado perfeito e redenção a eliminação da personalidade humana e sua aniquilação ou a sua assimilação na "psique universal", porque eles consideram o mundo atual como um auto-engano. 

O cristianismo, por outro lado sabe, a partir da experiência pessoal dos santos, que a personalidade de um indivíduo nunca se perde; que permanece viva após a morte do corpo e também que o corpo do mesmo modo antecipa a sua ressurreição, como pré-anunciado por Cristo em muitas partes do Novo Testamento.
    
    Então, de onde vem essa "eliminação" de que as religiões orientais se esforçam em ensinar ? 

Ou tambem, o que são  exatamente  os espíritos e as entidades que entram em contato com as pessoas, seja como "deuses" ou como "antepassados" ou como seres "de outros mundos" (por exemplo, elfos e fadas), ou até mesmo no moderno Ocidente (que se encontra atualmente em uma confusão espiritual), como "sábios" extraterrestres com qualidades divinas?

    O acima são apenas um pequeno capítulo no grande tema das diferenças entre as religiões.

Isso se da em razão das religiões não serem caminhos que " levam ao mesmo ponto de chegada"; não, elas não dizem "as mesmas coisas com outras palavras", nem podem todas  conduzir o homem à Verdade e à perfeição. 
Nós, cristãos, estão plenamente conscientes disso, porque a experiência tem nos reafirmado que a Verdade é Cristo, e que a perfeição é a própria união com Ele - que envolve a participação em Cristo do homem imperfeito na perfeição e pureza de Deus. 

Sem Cristo, não existe perfeição e não existe Verdade; extinção final (como no budismo), ou caminhos que levam ao "desconhecido".
    
    Um "desconhecido" ... que é muito bem conhecido - graças à experiência e sabedoria dos verdadeiros guerreiros e mestres da humanidade, que atingiram o ponto mais alto de progresso espiritual que é possível para as pessoas humanas mansas: os santos.

                                       Considerações finais

       Todos os itens acima, meu irmão, você não precisa aceitar cegamente como dogmas. Os examine em profundidade, e você vai descobrir por si mesmo o que é a verdade. 

Tenha cuidado no entanto, no caso de você enganar a si mesmo, entendendo que a "verdade" é aquilo o que se acomoda no seu ego (por lhe dizer que você vai encontrar Deus "dentro de você", ou que você e Deus "somos um", ou que você vai se tornar virtuoso, luminoso , presciente e onipotente, por meio de exercícios rigorosos)...

Neste engano, o arrependimento e a humildade vão parecer para você como um caminho desagradavel, pois assim é para o  homem decaido, que odeia a busca do arrependimento e da humildade. 

Theodore Riginiotes

Fonte:http://cetroreal.blogspot.com.br/2015/07/o-caminho-para-luz-os-santos.html