terça-feira, 15 de novembro de 2016

COMO EXERCITAR E DESBLOQUEAR A MENTE



  COMO EXERCITAR E DESBLOQUEAR A MENTE

Alguns pensam que a mente é o cérebro ou qualquer outra parte ou função do corpo, mas não é verdade. O cérebro é um objeto físico que pode ser visto, fotografado ou submetido a uma cirurgia. A mente, por outro lado, não é algo material. Ela não pode ser vista com os olhos nem fotografada ou operada. Portanto, o cérebro não é a mente, mas apenas uma parte do corpo. Não há nada dentro do corpo que possa ser identificado como sendo nossa mente, porque nosso corpo e mente são entidades diferentes. Por exemplo, às vezes nosso corpo está descontraído e imóvel, e a mente em plena atividade, movendo-se rápidamente de um objeto para outro. Isso indica que nosso corpo e mente não são a mesma entidade.
Nas escrituras budistas, nosso corpo é comparado a uma hospedaria, e a mente, ao hóspede que ali reside. Quando morremos, a mente deixa o corpo e vai para uma próxima vida, como um hóspede que sai de uma hospedaria e vai para outro lugar. No Espiritismo, temos o espírito e a mente(consciência) junto com a personalidade (o Eu inferior), recheada com o que aprendemos e com o que não aprendemos, afim de fazermos uma reciclagem após a vida física. O fato é que permanecemos vivos , mas não tem nada a ver com o cérebro, que perece como matéria orgânica.
Se a mente não é o cérebro nem outra parte qualquer do corpo, o que ela é? A mente é um continuum sem forma, que tem como função perceber e entender os objetos. Sendo, por natureza, algo sem forma, ou não corpóreo, ela não pode ser obstruída por objetos físicos.
É muito importante conseguir distinguir estados mentais agitados de estados mentais pacíficos; os estados mentais que perturbam nossa paz interior, como raiva, inveja e apego desejoso, são denominados ‘delusões’ e são as principais causas de todo o nosso sofrimento.
Talvez pensemos que nosso sofrimento seja provocado por outras pessoas, pela falta de condições materiais ou pela sociedade, mas, na realidade, ele vem dos nossos próprios estados mentais deludidos. A essência da prática espiritual consiste em reduzir e, por fim, erradicar totalmente nossas delusões, substituindo-as por paz interior permanente.
O ponto essencial que aprendemos ao entender a mente, é que a libertação do sofrimento não pode ser encontrada fora da mente em primeiro lugar. A libertação permanente só pode ser alcançada primeiro pela purificação da mente. Sendo assim, se quisermos nos livrar dos problemas e alcançar paz duradoura e felicidade, precisamos aumentar nosso conhecimento e compreensão da mente.
A mente antecede ao espírito/alma,portanto, qualquer evolução passa primeiro por ela e depois, através dela. Quando estamos mais conscientes e evoluídos e nosso físico saudável e purificado pela alimentação e bons hábitos de vida em geral,usamos os três em conjunto :corpo,mente e espírito.
Esse é o homem da Nova Terra.
A MENTE E SEU ESTUDO AO LONGO DO TEMPO
As concepções sobre o que é a mente foram mudando ao longo do tempo. Durante muito tempo associou-se o conceito de mente à dimensão cognitiva do ser humano, ou seja, ao pensamento, ao raciocínio, isto é, correspondia à atividade consciente, aparecendo como uma produção independente dos sentimentos, emoções e desejos. No entanto, a verdade é que nem todos os processos mentais são necessáriamente conscientes. A mente humana engloba também a emoção e os sentimentos. A mente é o lugar da atividade psíquica, considerada na sua totalidade e engloba operações conscientes e não conscientes.
Não é, portanto, algo material – uma coisa – mas sim algo imaterial, que não se vê nem se pode tocar.
Hoje o conceito de mente é o objeto nuclear da psicologia tendo passado a ser encarado não como um somatório de componentes ou de estados independentes, mas como uma manifestação total de processos dinâmicos que interagem constantemente de forma complexa.
Cada processo tem uma importância vital na operacionalidade de outros processos, afetando-os e sendo afetado por eles. Dado este seu carácter complexo e dinâmico, nenhum aspecto da mente é fácil de investigar. Porém, estudá-la permite maravilharmo-nos com a sua extraordinária complexidade e segredos que esconde por trás das nossas vivências e atos tão especificamente humanos.
A mente humana é um dos maiores desafios para as ciências e para o pensamento filosófico da nossa época. Já deveríamos saber tudo o que há para saber sobre esse assunto pela simples razão de que “somos em parte esse assunto”. Porém, parece que nunca sabemos o suficiente sobre o que nos faz sentir e pensar.
Como todos os grandes desafios do conhecimento, convém considerar o fato de que grandes nomes do passado já terem se ocupado deste tema. No que diz respeito à compreensão do papel da mente humana no universo, somos todos aprendizes. É necessário, pois, olhar com otimismo para esta área do mundo e da vida.
ENFRENTANDO OS DESAFIOS DA VIDA; EDUCANDO A MENTE EM PRIMEIRO LUGAR
Por vezes, não sabemos a diferença entre problemas e desafios. Tem pessoas que enfrentam os problemas como se fossem desafios e vice-versa. Isso gera muita dor, estresse, insegurança, raiva e todos os predicados que os equívocos costumam provocar. É preciso compreender e conceituar cada um desses episódios para ter clareza de ação.
O desafio é todo evento que demanda soluções e depende de nosso arbítrio. Ou seja, tudo aquilo que está sob nossa responsabilidade decidir e resolver. Já o problema é todo evento em que a solução não está sob nossa tutela e afeta de forma profunda nossa vida. Treinando nossa mente para identificar as diferenças, podemos trabalhar melhor os dois setores de nossa vida; os dos problemas e os dos desafios, que acontecem para todos,em todos os momentos, fases e idades cronológicas.
São identificados como problemas: perdas de pessoas amadas, doenças graves, acidentes e catástrofes. Nenhum desses episódios podem ser resolvidos apenas com o poder de nossa ação e vontade;temos que usar a nossa mente racional. Não temos como escolher não viver isso ou modificar a forma como isso ocorreu, não há como prevenir o destino, nos cabe apenas escolher a forma sobre como iremos vivê-lo. O problema é uma questão de ACEITAÇÃO NA MENTE. É absolutamente inútil ficar remoendo o: “Se…”; “Se tivesse feito isso, pensado aquilo, prevenido aquilo outro”; “Se isso não tivesse acontecido comigo ou com o outro”. Enfim, conjecturas que não levam a lugar nenhum. Há um senso de impotência frente a um problema e isso é absolutamente correto, pois não temos mesmo poder sobre o evento, só temos poder sobre nossa forma de lidar com ele (treinamento mental), ou fluímos na aceitação ou nos desesperamos na recriminação, raiva, angústia ou medo.
São identificados como desafios: São todos os eventos em que temos não só o poder, mas a responsabilidade de decidir e aqui podemos colocar na lista todos os episódios que demandam ações e que não estão na lista dos ítens que são problemas.Para os desafios não somos impotentes, ao contrário, se estamos vivendo uma situação desafiadora é por que já temos o poder de lidar com ela( a mente está treinada e consciente do desafio). O desafio vai mexer mesmo é com nossas capacidades e competências. Para superar determinada demanda que o desafio nos coloca, teremos que apresentar, aprimorar e manifestar nossos talentos e dons(que estão na mente em primeiro lugar).
A confusão se instala quando vemos os desafios como problemas ou os problemas como desafios. Se vivemos um desafio como problema sentimos que não podemos fazer nada, que não está sob nossa alçada a decisão, julgamos que alguém tem que fazer algo ou há um outro responsável pela situação, buscamos culpados e recriminamos as pessoas nos angustiando com os eventos, quando o desafio só poderá ser superado no instante em que compreendemos que somos nós os responsáveis para sua solução.
Na medida que assumimos a tarefa do desafio todos os talentos e dons começam a se manifestar e é aí que realmente iniciamos o processo de solução. Todo desafio demanda consciência e é solucionado a partir dela.Já um problema não está sob nossa responsabilidade e lidar com um problema como se fosse um desafio só vai gerar frustração, levando a conflitos, angústia e desespero. Quando identificamos um problema que está naquela lista restrita: morte, doenças graves, acidentes e catástrofes, só podemos lidar com isso de uma única forma, aceitação. Daí haverá desafios, coisas para fazer e consequências com as quais lidar, mas com o problema em si nos cabe a tarefa emocional de aceitar e superar.
Enquanto um desafio exige da consciência individual o desenvolvimento de dons e talentos(que estão na mente treinada em primeiro lugar), os problemas exigem compreensão profunda dos eventos da vida e aceitação incondicional para seguirmos com saúde emocional suficiente que nos fará mais aptos para lidar com os desafios que virão(aqui já estamos no terreno do espiritual aliado á uma mente aberta e treinada).
Se não nos damos conta da diferença entre essas duas situações viveremos maior estresse, angústia, ansiedade e apresentaremos mais raiva e medo frente aos eventos da vida. Já com a clareza desses conceitos poderemos acelerar nosso processo de solução e viver de forma mais harmoniosa e equilibrada.A grande sabedoria, naturalmente, é saber fazer a distinção correta entre problemas e desafios na mente treinada. O primeiro aceitamos, pois não podemos modificá-lo; o segundo trabalhamos para superar. Assim, a síntese da sabedoria na gestão da vida é saber distinguir problemas de desafios e lidar com cada um de acordo com sua natureza, e para isso , o treinamento da mente que avalia,desbloqueada das crenças limitantes, ranços religiosos, laços familliares manipuladores, sociedade retrógrada em pensamento e ação. Esse é o cenário da consciência que nos permite fluir sem estresse, ansiedade, medo ou raiva e compreender que para cada coisa há uma fórmula básica a ser adotada para a alquimia perfeita da vida.
DESBLOQUEANDO COM UMA MENTE TREINADA
Com a imaginação e livre-arbítrio temos o poder de escolher a resposta para qualquer situação;pare um momento para considerar o que isto significa.Podemos ser a força criativa de nossas próprias vidas.È isso o que é SER PROATIVO - escolher nossas ações e assumir responsabilidades por elas.Muitas coisas na vida escapam ao nosso controle,como Tempo, por exemplo,ou o que os outros fazem e dizem.
O que quer que esteja no centro da nossa vida será a fonte de nossa segurança, orientação, sabedoria e poder. Esses quatro fatores são interdependentes. A segurança e uma orientação clara, geram a verdadeira sabedoria, e a sabedoria torna-se faísca ou o catalizador que libera e dirige poder. Quando esses quatro fatores estão presentes em conjunto,harmonizados e alimentados uns pelos outros, criam a força imensa de uma personalidade nobre, de um caráter equilibrado, de uma pessoa maravilhosamente integrada.
Voce tem uma visão de onde quer que a sua vida vá e o poder proativo de fazer as escolhas que o levarão aos seus objetivos.Agora, voce está se preparando para assumir o controle da sua vida.Sua mente questiona, elimina e rejeita todos os condicionamentos limitantes, fazendo uma limpeza nos conceitos e dogmas impostos.Se voce identificou seus valores mais profundos-aqueles que dão significado e riqueza á sua vida-a resposta virá naturalmente.Primeiro, o mais importante;isso significa simplesmente priorizar as suas tarefas de acordo com o que realmente é importante e é uma boa maneira de afirmar os valores–e as pessoas–que mais importam em sua vida.Se mantiver a sua visão e seus valores firmes em sua mente,o desafio parecerá mais simples.
MENTAL: Educar-se contínuamente sobre o domínio de seu tempo e sobre o estresse.Ao mesmo tempo,dedicar-se com um ou mais objetivos de comportamento de auto-controle.Atingir os objetivos aumentará a sua confiança e auto-estima.
SOCIAL: Saber conviver na sociedade mas sem se deixar contaminar por ela,o mesmo com a família e amigos, preservando seus valores conquistados com os outros passos, mas , com a mente treinada para a aceitação dos limites das outras pessoas.
ESPIRITUAL: Reservar um tempo para as coisas que lhe tragam paz e significado,como meditação,oração, leituras elevadas,música,programas que ajudem no despertar etc.A renovação espiritual o manterá centrado em seus valores mais profundos e o ajudará a superar seu estresse.
EQUILIBRAR TODAS AS PARTES DE SUA NATUREZA É ESSENCIAL PARA SUA EFICÁCIA COMO UM AUTOCONTROLADOR DE SUA PRÓPRIA VIDA

CONCLUSÃO

Quando você alcança essa visão acima, é como se seu corpo, seus pensamentos e sentimentos encontrassem o ponto para começar a desembaraçar os nós emocionais criados ao longo da vida; ­ medos, inseguranças, autocríticas, ansiedades, dificuldades nos relacionamentos, rigidez. Você começa a fazer uma limpeza profunda que, primeiro, traz transparência para si mesmo e depois promove sua liderança interna.
E só existe um caminho para que isso aconteça: AUTOCONHECIMENTO.
Nesse caminho você começa a encontrar as respostas sobre sua verdade e a aprender como se posicionar no mundo com mais segurança e centramento, desenvolver relações saudáveis e, principalmente, amor ­próprio para ser quem você é com o seu melhor.
Nos dias de hoje, autoconhecimento, autoconsciência e liderança interna são temas que estão cada vez mais presentes em nossas vidas, seja no universo profissional, seja na vida pessoal. Em diversas partes do mundo, especialistas discutem a importância desses atributos e exploram novas possibilidades emocionais e comportamentais como bases fundamentais para um futuro sustentável.
Isso significa que o sucesso está e estará nas mãos de pessoas que aceitaram e venceram o desafio de conhecer a si mesmas. Ao identificar as próprias habilidades e dificuldades, esses indivíduos conquistaram a possibilidade de modificar e gerir emoções e comportamentos, o que os torna amplamente capacitados.
Ora, se há tanto reconhecimento positivo nesta conquista por que há pessoas que resistem ou demonstram baixo interesse em investir nessa competência? A trajetória que leva ao autoconhecimento é longa e ininterrupta, o que pode servir de desculpa para quem tem receio de desvendar-­se, por qualquer motivo que seja.
E para começar a trilhar esse caminho, a primeira pergunta é: “Qual é a minha verdade?”.

A mente é um fogo a ser aceso, não um vaso a preencher.
Plutarco
Bibliografia para consulta
1-A Mente Humana Ashok Gollerkeri
2-O Grande e Pequeno e a Mente Humana Roger Penrose
3-Como a Mente Humana produz J.Vasconcelos
4-Mente-Gestão e Resultados Luiz Fernando Garcia
5-O Poder da Mente Roger S.Baum
6-O Cérebro Humano Isaac Asimov
7-A Mente Desconhecida John Horgan
8-A Mente Yogi Bhajan
9-A Mente Holística Gustavo Luiz Gava
10-Transforme sua Vida Geshe Kelsang Gyatso
11-Conexão Mente, Corpo e Espírito Candace Pert

Divulgação: A Luz é Invencível