terça-feira, 15 de novembro de 2016

AS 12 VULNERABILIDADES HUMANAS

Resultado de imagem para raiva

AS 12 VULNERABILIDADES HUMANAS


Com vulnerabilidades aqui, estamos falando das principais dificuldades internas, mentais, vivenciadas ao longo da existência. Algumas delas existem desde o nascimento, outras, a maioria, são dificuldades emocionais que surgem durante a vida e se desenvolvem conforme você vai aprendendo crenças irracionais, ou vai tendo exemplos ruins e desilusões.
Não importa se essas vulnerabilidades são genéticas ou adquiridas, sempre é possível aliviar, diminuir as diferenças internas e criar uma boa resistência para esse stress emocional. Para isso, o primeiro passo é conhecê-las e identificá-las. Confira 12 delas:

1ª Frustração  

Frustração é basicamente aquilo que você sente quando as coisas não saem do jeito que você tinha planejado. As pessoas costumam se frustrar quando tem na cabeça tudo determinado. No budismo, se diz que o caminho para a iluminação é eliminar o desejo. Talvez faça sentido, afinal, quanto mais desejos tiver e mais inflexível você for, mais você vai se frustrar. Quanto mais você dizer “Se não for desse jeito, eu não quero nada” mais irá sofrer.

2ª Pressa 

Você é um apressado?! Vive dizendo: “Não me faça perder tempo”?! Pois é, a pressa é uma grande inimiga. Ela te impede de viver as coisas de forma intensa e profunda. Sabe aquela pessoa que vive dando pulinho no lugar? Se não tiver nada para fazer ela não aproveita o tempo, não curte seu dia, o sol gostoso ou a lua bonita, ela inventa mais alguma coisa para fazer porque tem pressa e não pode “perder tempo”. `Procure não ser essa pessoa.

3ª Solidão

A solidão é um assunto corriqueiro e um sofrimento para muitos. Algumas pessoas simplesmente não conseguem ficar sozinhas. Vale lembrar que a solidão não tem uma definição fechada, estar só é o que sua cabeça determina que seja, se você determinar que pode ser uma ótima companhia para você mesmo, parabéns! Você superou a solidão e poderá ser muito feliz, afinal quando sentir vontade de encontrar pessoas, não será por uma absoluta necessidade. Mas, se você sofre por ficar sozinho, então há dois caminhos visíveis para você, ou treinamos habilidades sociais, e a psicologia comportamental faz isso muito bem, ou você procura aprender a não se avaliar tão negativamente assim por estar sozinho. Tente perguntar para você mesmo: “O que significa estar só?” Se você responder que significa ser rejeitado, temos que fazer um trabalho cognitivo, ou seja, mudar essa percepção. Aí a terapia cognitiva faz um trabalho muito legal.

4ª O tédio

“Coisas monótonas repetitivas me deixam chateado”, “Todo relacionamento fica chato depois de um tempo”. Se você já virou o autor dessas frases, então você provavelmente sofre muito com o tédio. E aí, o que fazer? Se meter em esportes radicais, cada vez mais arriscados, cada vez mais caros? Ou aprender que adrenalina também é vicio? Adrenalina é uma droga endógena, ou seja, seu próprio corpo produz, mas mesmo assim é uma droga que vicia. E como tudo o que é demais faz mal, temos é que pensar no equilíbrio da pessoa como um todo. É muito melhor viver sem ter que pular de uma ponte por dia para sentir alguma emoção, assim é a realidade nossa do dia a dia.

5ª Sobrecarga de Trabalho

as 12 vulnerabilidades4
Às vezes assumimos muitas tarefas, nos sobrecarregamos e mal conseguimos identificar o motivo. Pode ser baixa assertividade, pode ser que você não consiga falar o famoso “não” na hora certa, podem ser expectativas irreais, você pode achar que a única forma de ser reconhecido é trabalhando feito uma “mula de carga”. Ou você confundiu as coisas e acha que qualidade de vida é conseguir comprar um monte de coisas que você não vai ter tempo para desfrutar, seja qual for a real razão, é preciso uma reflexão.
Porque você está sobrecarregado de tanto trabalho? E não me venha dizer que é impossível mudar. Acredite, sua vida é o que você faz dela, se a forma como sua vida está, não está legal é porque você precisa perceber que depende de você, e só de você mudar isso. Se não conseguir sozinho.

6ª Ansiedade 

Às vezes, no primeiro momento parece que não é nada, mas só de transtornos de ansiedade o código internacional de doenças tem uma lista enorme. Desde o transtorno do stress pós traumático, ansiedade generalizada à síndrome do pânico. Em suma, ansiedade é toda vez que você sente angustia quando antecipa que vai acontecer alguma coisa importante, mesmo que saiba o que fazer. Exemplo: Você sente angustia antes de fazer uma prova, mesmo tendo estudado? Você pode ser um ansioso. Sente angustia em receber pessoas na sua casa, mesmo tendo tudo preparado para isso, é ansiedade. Sente angustia quando vai falar com alguém que você considera importante, mesmo que você saiba como se comportar nesse tipo de situação, isso é ansiedade. Ansiedade não tratada faz com que sua vida renda menos. Você fica paralisado pela ansiedade.
É importante lembrar que em algumas situações a ansiedade é normal, mas o que dirá se ela passará a ser um problema é a sua intensidade.

7ª Depressão

A depressão é um dos grandes problemas do século. Como está o seu ânimo para as coisas? Você sente que não tem energia?! Você pode desconfiar que esteja deprimido quando acha que não vale a pena se esforçar, afinal tudo perdeu a graça. Depressão é um dos mais graves sintomas clínicos em psicologia. Depressão mata. Se não com suicídio, com ausência de vida produtiva de muita gente que poderia estar desfrutando a vida. Mas este é quadro que menos aparece nas clínicas. Porque os depressivos não se tratam. Eles não têm esperança. Eles acham que não vale à pena.
O trabalho com o paciente depressivo deve incluir a família. Alguém em casa tem que ser o apoio. É difícil porque a família o vê como um “chato”. Infelizmente essa impressão faz com que a família vire as costas e diga “se vire”. Mas a gente sabe e precisa saber que ninguém “se vira” sozinho, sem tratamento.

8ª Raiva

Este é um outro tema que merece um livro só para ele, afina quem tem dificuldade em lidar com a raiva fica a mercê dos outros. Isso mesmo, você fica sob o controle dos outros, os outros te irritam e você perde o controle. Quando percebem que você é assim, parece que você deu um “controle remoto” da sua mente para o outro. O outro te controla, ele sabe te tirar do sério. Lembra que falamos que faz parte do equilíbrio humano sentir que você tem o controle sobre você mesmo? Pois é, quem é vulnerável à raiva não tem esse controle, e além disso, é o tipo de pessoa que foge de gente, contato com pessoas irritam, a pessoa se isola, e ganha a depressão de brinde.
Não ter raiva nenhuma, por incrível que pareça, também é ruim. Você tem que ter reação quando te ofendem. Para ter auto defesa, até auto-estima, que é saudável, você tem que ter um limite mínimo de raiva, é ela que te faz reagir, mas você precisa da dose certa de raiva.

9ª Preconceitos

Qualquer conclusão que você tirar a partir de um aspecto que não está claramente relacionado é preconceito. Ex: Concluir que quem nasceu neste ou naquele lugar é menos inteligente. Isso é preconceito. Afinal de contas, não há relação lógica de inteligência com local do nascimento.
“Quem teve uma infância ruim nunca será feliz” – é um outro preconceito, porque consideramos a influência do ambiente, mas também sabemos que é possível fazer uma reestruturação cognitiva e ser feliz, mesmo após ter sofrido muitos problemas na infância. A psicoterapia te ensina a fazer essa reestruturação cognitiva. Preconceito está intimamente ligada às crenças irracionais que se coleciona ao longo da vida.

10ª Perfeccionismo 

Muita gente sente orgulho por ser perfeccionista. Não há como saber o motivo desse orgulho, afinal o perfeccionista sofre, e muito por ser assim. Ele revisa tudo o que faz, não se perdoa se sair um errinho. Nem viu o trabalho do outro, mas diz que não está bom. É aquele que acha que só ele sabe fazer as coisas direito. É aquele que não tira férias porque não confia em ninguém para deixar no trabalho. Você acha que isso é bom?

11ª Aprovação 

Quanto sofrimento há, por conta das pessoas que buscam aprovação: “Tenho que fazer tudo certinho, senão o que vão pensar de mim”. Quanto sapo engolido por medo de abrir a boca e falar coisas que os outros possam não gostar? Por quanto sofrimento você teve que passar por ter aprendido que “menina bonita não faz assim” “menino bonito não reclama”?!

12ª Negativismo

Sabe aquela pessoa que não acredita que as coisas possam dar certo?! Pois é, “Para que sair para procurar emprego se não vou conseguir mesmo”. “Pra que ir para festa se não vou conversar com ninguém interessante mesmo”. Triste, não? Pois essa pessoa aniquilou qualquer possibilidade, a partir do momento em que começou pensar assim.
Essas são as vulnerabilidades que produzem stress emocional. Se permitir que alguma dessas vulnerabilidades invadam sua vida estará abrindo as portas para o sofrimento psicológico.
___
Originalmente publicado: Marisa Psicóloga