sexta-feira, 18 de novembro de 2016

10 DICAS PRÁTICAS PARA REDUZIR O DESPERDÍCIO ALIMENTAR E POUPAR DINHEIRO





Mais de um terço de toda comida produzida no mundo é desperdiçada, todos os anos, ao mesmo tempo que quase mil milhões de pessoas passam fome, avisa a FAO. Deitar fora comida não é só um desperdício da mesma; também o é do trabalho, da água, da energia, da terra e dos outros recursos utilizados na sua produção.

Se, por um lado, o abastecimento de comida é demasiado abundante, cerca do dobro da quantidade necessária para cada pessoa, por outro, os alimentos que não correspondem aos nossos parâmetros de beleza – porque não têm a forma ou a cor certa – são desperdiçados, explica Jonathan Bloom, escritor e criador da plataforma Wasted Food.

A chave para este problema, na opinião do ativista, é aproximar as pessoas dos alimentos que consomem. Em conversa com o Mashable, Jonathan Bloom apontou algumas dicas simples e práticas que qualquer pessoa pode seguir para ajudar na luta contra o desperdício alimentar.

1. Pense melhor nas compras que faz




Este é um dos principais passos. Quando for às compras, não compre comida a mais. Isto pode querer dizer idas mais frequentes às compras com menos quantidade de alimentos adquiridos de cada vez. Para quem vive longe da loja ou mercado ou não goste de ir às compras, vale a pena planear o que vai comprar com antecedência. 
“Planeie as suas refeições e faça uma lista de compras detalhada com os ingredientes de que vai precisar e, uma vez dentro da loja, mantenha-se fiel a essa lista, aconselha Jonathan, admitindo que nem sempre é fácil, mas que não há nada como perseverar. Dê também preferência aos legumes, frutas e outros alimentos de produção local e visite os mercados de agricultores. 

2. Quando cozinhar, não sirva comida a mais




Segundo o escritor, esta é uma prática dos restaurantes que já chegou às nossa casas. No entanto, devemos evitá-la. Quando cozinhar uma refeição, não sirva comida em excesso à sua família e amigos. Utilizar pratos mais pequenos pode ajudar. 

3. Repense as datas de validade




Sabia que existem dois tipos de prazo de validade? Um, o “consumir até”, é para produtos perecíveis e deve-se levar em consideração. O outro, o "consumir de preferência antes de", é um prazo preferencial e não obrigatório, utilizado para produtos que podem ser consumidos mesmo após o prazo de validaderotulado na embalagem, se estiverem em boas condições de conservação.

“Confie nos seus sentidos e não na data da embalagem. Confie no seu sentido de olfato, visão e paladar”, propõe. 

4. Guarde e coma as suas sobras




Quando cozinhar demasiada comida ou se sobrar comida numa refeição num restaurante, guarde os restos. Escreva as datas nestas sobras para que possa saber há quanto tempo estão guardadas no frigorífico ou no congelador e para que as possa incorporar na sua rotina diária ou semanal. 

5. Guarde a comida nos lugares certos e à vista




Este é um passo importante que é muitas vezes esquecido. “Existe uma grande variedade de frutas e legumes que querem estar à temperatura ambiente em vez de dentro do frigorífico”, diz Jonathan. Aprenda a guardar os seus alimentos da forma mais apropriada para que durem mais tempo. 

Como nos esquecemos facilmente dos produtos que não vemos e, quando os “descobrimos”, já não estão bons para serem consumidos, mantenha os alimentos arrumados de forma prática e de modo a estarem visíveis tanto na despensa, como no frigorífico e no congelador. Utilize o princípio “Primeiro a chegar, primeiro a sair”depois de comprar alimentos novos, traga os mais antigos para a frente para que sejam consumidos primeiro
Lembre-se ainda que guardar a comida no congelador aumenta a sua durabilidade, mas não a faz durar para sempre. 

6. Preste atenção ao que deita fora




Até pode apontar os alimentos que deita fora para evitar que, da próxima vez, sejam desperdiçados. Para além disso, antes de ir às compras, observe ou tome nota do que já tem no seu frigorífico. Desta forma, evitará comprar alimentos duplicados que possam acabar no lixo por não serem usados a tempo. 

7. Doe comida para bancos alimentares




Antes de deitar fora a comida que tem em excesso, informe-se sobre os bancos alimentares e instituições de caridade para os quais pode doar os alimentos que não vai consumir antes que se estraguem. 

8. Experimente fazer conservas e pickles




Ambos são uma excelente forma de preservar comida, como fruta, e fazer com que esta dure meses. 

9. Utilize apps que lutam contra o desperdício




Existem diversas aplicações e sites que ajudam os consumidores a evitar o desperdício alimentar. A app espanhola Yonodesperdicio pretende criar uma rede de utilizadores que partilham os excedentes de comida que não vão comer e a aplicação Handpick ajuda a planear refeições com os ingredientes que já se tem. 
No entanto, como diz Jonathan Bloom, tenha em mente que “nenhuma app terá um impacto tão grande como nós prestarmos mais atenção aos nosso hábitos de consumo alimentar”

10. Experimente a compostagem




Em vez de as deitar fora, pode compostar as sobras de certos alimentos e torná-las fertilizante. Contudo, a compostagem não deve ser uma prioridade para quem está a começar a reduzir o seu desperdício alimentar. 
A compostagem, diz o ativista, é uma boa solução e faz parte de toda esta equação, mas não deveria ser a prioridade de ninguém.


Fonte:http://www.theuniplanet.com/2016/11/10-dicas-praticas-para-reduzir-o.html