sábado, 1 de outubro de 2016

OS TÓXICOS E A DESTRUIÇÃO DOS QUATRO CORPOS INFERIORES



OS TÓXICOS E A DESTRUIÇÃO DOS QUATRO CORPOS INFERIORES


O Ataque à Juventude

Por ataque à juventude não nos referimos somente às crianças ainda por nascer, àquelas que estão nos primeiros anos de vida ou aos adolescentes: espiritualmente falando, somos todos jovens ou crianças, na medida em que a consciência Crística está nascendo em todos nós.

É essa criança que está sendo atacada. Por outro lado, nesta era e nesta fase da evolução de nossa alma, estamos em condições e temos de resto a obrigação de ascender ao estado de adulto, espiritualmente, e fazer face a esse ataque, que e dirigido contra os que não sabem defender-se. O objetivo desse ataque é destruir a Criança Sagrada dentro de nós e dos outros.

Não podemos voltar as costas ao drama da juventude, porque se o fizermos é a nossa própria juventude que se perderá, a nossa vida eterna.

Todos os Mestres Ascensos tem feições entre os 33 e os 36 anos, a eterna juventude. Esse ataque contra a juventude é um ataque contra a consciência dos Mestres Ascensos e se manifesta em todos nós.

É desnecessário explicar, porque qualquer pessoa o vê facilmente, que a nossa juventude está sendo sujeita a ataques a todos os níveis da consciência e do ser.

Os Mestres Ascensos estão extremamente preocupados com esta questão, pois sabem e nos dizem que o objetivo do ataque é destruir esta geração de portadores de Luz - para que não haja ninguém a quem possamos "passar a tocha". Os que atacam pretendem destruir o templo para que a chama da vida não possa nele arder.

O ataque a que me refiro é levado a cabo através das DROGAS, do ÁLCOOL, do AÇÚCAR e da NICOTINA.

Na foto acima está desenhado um círculo com quatro quadrantes, correspondentes aos quatro corpos inferiores. Cada uma dessas substâncias se destina a destruir um dos corpos:

(1) Etéreo - drogas
(2) Mental - tabaco
(3) Emocional - álcool
(4) Físico - açúcar

São as quatro perversões do Templo da Vida.

Os Quatro Corpos Inferiores

O Planeta tem quatro planos de existência: etéreo, mental, astral e físico.

O Plano etéreo superior é na realidade, o mundo celestial do Planeta. O plano etéreo inferior está contaminado pelos padrões karmicos da Terra.

O plano mental tem correspondência com a mente e o processo do pensamento.
O plano astral está relacionado com as emoções, os desejos e o subconsciente.

Finalmente, o corpo físico é exatamente aquilo a que se refere, o planeta físico e o plano físico, que inclui o inconsciente coletivo.

Assim como o planeta tem quatro planos de existência, ou quatro corpos inferiores, também nós os temos. Estes são campos energéticos, quatro camadas de consciência interpenetrantes, cada uma vibrando na sua dimensão. Em conjunto eles são um microcosmo do macrocosmo planetário.

Estas camadas também são designadas como os corpos: etéreo (espiritual), mental, emocional (astral) e físico do homem. Eles envolvem a alma (consciência do indivíduo) e são os seus veículos de expressão no mundo material da forma.

Além destes corpos, existem três corpos superiores:

O Santo Cristo Pessoal, ou Eu Superior; a Poderosa Presença do EU SOU, ou Mônada Divina; e o Corpo Causal, que consiste em esferas solares concêntricas, sete externas e cinco internas (representando os sete raios principais e os cinco secretos), ao redor do núcleo de fogo sagrado, o Santo dos Santos.

Não poderíamos funcionar aqui em baixo como uma personalidade integrada em Deus, sem os quatro pilares do nosso templo. O corpo etéreo nos fornece uma memória e os registros de todas as nossas existências no universo da Matéria.

Ele também é denominado de “Invólucro da Alma“ e, ele contém o padrão e o Plano divino da nossa perfeição.

O corpo mental nos fornece as faculdades da cogitação e do raciocínio bem como a continuidade do processamento dos pensamentos através do computador da mente e do intelecto.

Através do corpo dos desejos expressamos o nosso livre arbítrio e a força magnetizadora do nosso desejo. E através do corpo físico temos a ação física e a expressão física.

Esses quatro corpos inferiores agem como um só. Eles são o veículo para a integração da nossa alma em Deus.

Pela sua graça podemos magnetizar a Luz da nossa Presença do EU SOU, através deste veículo que Deus nos deu, preparando-o para tornar-se o templo do Cristo Interior e do Buda Interior para que a nossa alma possa fundir-se com a sua realidade interior e caminhar na terra como o Ungido.

Podemos observar os quatro corpos inferiores como câmaras da consciência.

Podemos até imaginá-los como se fossem uma casa de quatro andares em que o corpo físico corresponde ao porão e alicerces, o corpo emocional está relacionado com as atividades da família no andar térreo, o corpo mental indica os estudos, a contemplação e as atividades da mente no primeiro andar, e o corpo etéreo, no andar superior ou sótão, representa os registros do passado e o padrão original para o futuro.

E cada corpo combina-se com o seguinte, à medida que, de andar em andar, os degraus de iniciação ao longo da escada em espiral nos conduzem do porão até a claraboia, onde os raios do sol revelam ainda mais um segmento da estrada resplandecente que conduz de novo ao centro.
Na realidade, a câmara do coração é uma escadaria circular até às estrelas, construída com a chama trina, com o fogo sagrado que transforma a consciência humana na divina.
Este é o nosso lar. Podemos fazer dele o que quisermos.

A DESTRUIÇÃO DO CORPO ETÉREO


A MACONHA - MARIJUANA
(USADA COMO DROGA)

As nossas almas não podem ser livres se os nossos templos forem invadidos. Os nossos templos são os nossos quatro corpos inferiores, que formam a base da pirâmide de nosso ser. As drogas violam a integridade desses corpos, impedindo o fluxo da Luz de Deus. As drogas atacam todos os chakras, mas suas ações são mais violentas no chakra da coroa.

Quatro drogas, ou substâncias químicas, serão tratadas neste trabalho: maconha, heroína, estimulantes e flúor.

A maconha é a perversão da Mãe: "a droga da morte” como foi chamada por Saint Germain.

Ela é considerada relativamente inócua pela maioria das pessoas. Esta ideia de que não é perigosa, é fomentada pelas entidades que perpetuam a própria droga, e que projetam essa ideia na mente coletiva.

a) Definição: a maconha (palavra que vem do quimbundo ma'kaña) é uma variedade do cânhamo (Cannabis Sativa), cujas folhas e flores são usadas como narcótico e produzem sensações semelhantes às provocadas pelo ópio. Sua origem é indiana, onde é também conhecida como haxixe.

b) Ação: o ingrediente ativo da maconha, conhecido como THC, é o Tetrahidrocannabínol.

A maconha é classificada como uma "droga psicoativa" modificando o comportamento individual e criando alterações funcionais e psicológicas no sistema nervoso.

c) Efeitos Físicos e Psicológicos: o seu efeito é uma intensificação de todas as percepções sensoriais, com alterações de percepção do tempo e do espaço (o tempo "anda mais devagar“). O pulso é acelerado e os olhos ficam injetados. Uma outra reação é um desejo intenso por determinadas substâncias; em particular doces com grande quantidade de açúcar refinado, o que agrava seriamente o problema. Esse desejo é insuflado e fomentado por entidades astrais.

O controle psicomotor é diminuído, tornando perigosa a condução de veículos. Outras reações são: alucinações, angústia e paranoia torpor mental e lapsos de memória, estes últimos surgem quase sempre com consumo elevado, porém, podem aparecer até com pequenas doses.

Mesmo quando utilizada em pequenas quantidades; a maconha causa grande dano a todo o funcionamento celular, pois reduz a síntese do DNA e do RNA no interior da célula, produzindo um grande número de células com cromossomos defeituosos. Devido a isso, os consumidores de maconha têm uma chance maior de ter filhos com defeitos físicos ou genéticos.

Fumar maconha, ou fumar maconha com tabaco, produz lesões muito mais sérias nos tecidos pulmonares do que o tabaco sozinho. O uso crônico de “cannabis" pode produzir sinusite, bronquite, enfisema e outras dificuldades respiratórias em menos de um ano, enquanto que são normalmente necessários 10 a 20 anos de fumo (tabaco) para produzir complicações comparáveis.

O uso de maconha produz rapidamente lesões cerebrais. Não só o THC tem uma tendência natural para ficar acumulado no cérebro, como também a própria maconha parece produzir deformações irreversíveis no mesmo, incluindo atrofia cerebral com perda de partes de suas funções.

Quando usado cronicamente durante alguns anos, jovens com 18 ou 19 anos, podem apresentar sintomas da doença de Parkinson. A degenerescência cerebral por motivo da droga ocorre 30 vezes mais depressa do que no caso do álcool.

Os consumidores de maconha sofrem muitas vezes da chamada síndrome motivacional, caracterizada por apatia, letargia, incapacidade de usar o poder discriminador, a concentração e a memória, em maior ou menor grau. Os sinais típicos do indivíduo que sofre desta síndrome são a falta de higiene, uma certa lentidão na fala e falta de vivacidade.

(Este talvez seja o pior ponto quando falamos sobre a maconha, pois ela tira a capacidade de ação do indivíduo. Ela é conhecida como a droga do anti-Cristo, porque quem mantém contato com o Cristo interior, torna-se ativo e produtivo, e o que esta droga faz é deixar as pessoas inúteis.)

Os consumidores de maconha são facilmente induzidos a atitudes arriscadas, insensatas e impetuosas, tais como a aceitação de outras drogas, como cocaína, heroína, LSD e outras drogas perigosas, ou a deixar-se envolver em relações homossexuais de que se arrependem mais tarde.

d) Efeitos Espirituais: o ataque contra o cérebro efetuado pela maconha é na verdade um ataque dirigido contra o chakra da coroa, o ponto focal no corpo etéreo do qual as drogas são a perversão. Os chakras envolvidos nesta perversão são o Chakra da Coroa, o do Terceiro Olho e o da Garganta. (Incapacidade de receber de Deus o impulso para agir corretamente. Incapacidade de focar na mente a vitória, e incapacidade de agir corretamente.)

A maconha e os seus derivados químicos cobrem as células do cérebro com uma substância que as impede de conterem Luz. 

As células são cálices: dentro delas está ancorada a nossa consciência cósmica. É por isso que quando fazemos jejum, a nossa percepção interior aumenta.

É através de nosso corpo que experimentamos Deus. Cada núcleo atômico é um Grande Sol Central em miniatura. Quanto mais substâncias impuras nós comemos ou respiramos, menor a nossa possibilidade de vivenciar Deus nesta oitava.

As experiências homossexuais aparecem com frequência ligadas ao uso de maconha, porque a maconha é a morte do raio masculino dentro do indivíduo, é um ataque contra o Princípio do Pai através da perversão da Mãe. A "energia da morte", ou seja, a energia da Mãe pervertida, ataca para destruir o Pai. Isto é energia anti-Deus, anti-Pai.

(Vejam, não vamos mau interpretar a mensageira. Não quer dizer que quem fuma a maconha vira homossexual, obviamente não é isso. O que ela está dizendo é que gradativamente a maconha vai diminuindo a masculinidade, isso é gradual. Uma pessoa pode ser fumante de maconha por 30 anos e não ter relações homossexuais, mas sua masculinidade diminuirá, daquela que ele tinha antes de fumar a maconha por todos estes anos. - Confirmando, que a maconha diminui a testosterona, segue a reportagem do Dr. Dráuzio Varela entrevistando um especialista sobre o assunto:http://drauziovarella.com.br/dependencia-quimica/maconha)

Vemos assim que o consumidor de maconha torna-se cada vez mais efeminado, incapaz de atuar com a virilidade do raio masculino, incapaz de falar com autoridade, incapaz de "injetar" a energia de Alfa na sociedade ou em si mesmo.

É a destruição do raio masculino, tanto no homem, como na mulher. A maconha destrói o equilíbrio de Alfa e Ômega no nosso templo, e qual é o objetivo desse ataque? É que quando esse equilíbrio é rompido, o indivíduo deixa de poder ter a ascensão da kundalini.

As três partes da kundalini que se erguem da base da espinha até a coroa são: o Pai; a Mãe e o Filho. Quando o equilíbrio é destruído porque as energias do Pai foram destruídas pelo uso de drogas e homossexualidade; a kundalini, uma energia que gira à volta da espinha, usando a base da espinha como "trampolim", não pode subir. 

Da mesma forma que um pião que não esteja direito, não roda, a kundalini em desequilíbrio não sobe. As energias da Mãe têm de ser elevadas para irem ao encontro do Pai nos chakras superiores; para dar à luz a Consciência Crística em nós, a Criança Divina, o Cristo Pessoal que é a nossa Eterna Juventude.

Muitos consumidores assíduos de drogas, não só de maconha, têm-nas por inócuas; porque dizem não sentir dificuldades nem problemas relacionados com seu hábito. Essa sensação de "não haver problema", porém, é ela mesma uma consequência da progressiva destruição das suas faculdades de percepção pelo uso de drogas.

Cada vez menos são capazes de ver claramente os níveis de Luz e de consciência divina dentro de si mesmos. Assim, não se apercebem de "nenhum problema" no seu dia-a-dia. A maconha destrói não só os ouvidos físicos como também os ouvidos da alma, sendo este um dos aspectos mais perigosos da maconha e de outras drogas psicodélicas. O consumidor fica incapaz de detectar as mudanças que operam dentro de si mesmo.

Para terminar esta referência à maconha; podemos dizer que o seu efeito sobre os chakras é justamente aquilo que podemos observar na expressão, ou melhor, na falta de expressão daqueles que a consomem: causa estados depressivos; cria letargia e uma separação entre o indivíduo e os seus próprias chakras. Em vez da beatitude que nasce do samadhi ou da meditação profunda da alma no Eu Divino; temos a sua perversão na destruição dessa união.

Todas as alterações químicas são acompanhadas de modificações em termos de energia: sempre que usamos substâncias químicas, temos uma liberação de energia que produz sensações. A sensação agradável leva o indivíduo a supor que a aberração é perfeitamente correta, que não tem nada de mau ou prejudicial.

Na verdade, é a súbita liberação de energia nos chakras produzida pela droga que destrói o equilíbrio da polaridade de Alfa e Ômega dentro dos chakras. Cada chakra é uma espiral de energia, uma esfera de energia. Esta energia, uma vez perdida, não pode ser recuperada.


A HEROÍNA 

a) Definição: alcalóide obtido pela ação de anidrido acético sobre a morfina, com ação fisiológica mais acentuada e poderosa do que esta. A fórmula molecular da heroína é C21H12O4N.

b) Efeitos físicos e psicológicos: o consumo de heroína afeta o sistema nervoso, reduzindo a capacidade do corpo criar a tensão necessária ao processo criativo.

c) Efeitos espirituais: o ataque espiritual de heroína é causado pela entidade da droga. Através dela, os magos negros projetam os seus raios estupidificantes que ocasionam a perda de memória e a capacidade de aprender ou de transferir para as mãos o conhecimento intelectual.

A heroína provoca a concavidade dos chakras, tornando-os incapazes de reter a Luz. A Luz fica perdida e é sugada pelas hordas do plano astral, transformando quem a usa num parasita da sociedade, roubando a Luz dos outros.


A COCAÍNA / CRACK/ ESTIMULANTES

Podem ser usados por injeção, inalação ou via oral. Os estimulantes atuam como depressivo nas crianças e privam-nas do desejo de solucionar aquilo que lhes é desconfortável.

Espiritualmente inibe a criatividade e dá a falsa ampliação do discernimento, resultando em vulnerabilidade e manipulações.

Na época em que a mensageira fez esta aula, a cocaína não era um problema social tão grande quanto hoje. 

Segue abaixo mais informações sobre esta droga:

Uma dose de cocaína faz com que o usuário se sinta estimulado, sociável e extremamente confiante. Ela aumenta a concentração de serotonina e endorfina, substâncias responsáveis pela sensação de prazer. A droga aumenta o estado de alerta, com a liberação de adrenalina, o hormônio que lida com as situações de perigo e emoções de seu organismo, deixando a pessoa se sentindo mais confiante e assim, arriscando mais em situações de perigo onde não arriscaria se estivesse consciente.

A cocaína pode elevar a temperatura do corpo e a pressão sanguínea. Aumenta também o risco de infarto, pois a adrenalina faz o coração bater mais rápido, contraindo até os músculos que envolvem os vasos sanguíneos. Ou seja, fica muito difícil para o coração bombear o sangue por aqueles canais, ele pode não aguentar e parar. Essa droga também está diretamente ligada a derrames e convulsões.

Um consumidor de cocaína é facilmente reconhecido por seu comportamento muitas vezes egoísta e prepotente. Quando o efeito passa, uma sensação de depressão pode tomar conta de seu corpo até dois dias depois do uso; é quando o cérebro está repondo as reservas de dopamina, isso faz com que aumente a vontade de usar mais da droga.

Os casos de morte instantânea ocorrem com grandes quantidades de uso. Mesmo assim, doses menores podem matar, especialmente se o usuário for sensível à droga.

A cocaína pode fazer o usuário sentir-se fisicamente forte, agressivo sexualmente e confiante. Os relatos de traição conjugal quando utilizando a cocaína, são bem elevados. A droga faz com que ocorra aumento do desejo sexual, o que acaba colocando as pessoas em situações de risco constantes a partir de relacionamentos errados, que normalmente não aconteceriam sem a droga.

Sessões de sexo mais agressivas e longas podem ocorrer, aumentando o risco de o preservativo estourar. Os órgãos sexuais podem sangrar aumentando o risco de contração de HIV, hepatite C e outras infecções.

O risco de dependência é extremamente alto; quem usa perde a vontade de fazer qualquer outra atividade, já que sexo e outras atividades que antes davam prazer parecem brincadeira perto dos efeitos de uma dose forte de cocaína. A tolerância à droga surge na primeira dose, fazendo com que a pessoa tenha vontade de tomar doses cada vez maiores.

A cocaína é uma droga cara, fazendo com que o usuário chegue a vender coisas de casa e até objetos pessoais para sustentar o vício. Pode fazer também com que se desenvolva ataques de pânico, alucinações, depressão, paranoia e psicose.

Quando a pessoa inala a droga, pode ocorrer sangramento, destruindo a mucosa do nariz e septo (a pele entre as narinas), acarretando também em problemas respiratórios, como a rinite. A casos mais sérios onde o céu da boca fura e fica um buraco para a narina.


Cocaína com outras drogas

Utilizada com o Álcool dá a sensação de estar sóbrio quando se está bêbado. Estas drogas se misturam no corpo e podem gerar uma substância chamada cocaetileno, uma toxina que danifica o cérebro, fígado e coração. Esta é a razão para os riscos maiores de morte súbita em pessoas usando álcool e cocaína junto.


Com Anfetaminas e Ecstasy, aumenta a pressão no coração e na circulação, com maiores riscos de derrame e ataque cardíaco.

Com Antidepressivos, pode causar a “síndrome da serotonina”. Agitação, batimentos do coração acelerados, suor, espasmos musculares e insônia. Assistência médica urgente é necessária.


O FLÚOR

O flúor é o mais reativo dos elementos químicos, combina-se com praticamente todos os outros elementos. Sua atividade química pode ser atribuída à sua extrema habilidade de atrair elétrons, pois é o elemento mais eletronegativo.

O flúor reage com hidrocarbonetos formando os fluorcarbonetos, que são usados como aerossóis, vaporizadores, como elemento refrigerante em refrigeradores, em plásticos como Teflon e fertilizantes.

Doses maciças de flúor ou de compostos de flúor (fluoretos) podem ser letais, e os fluoretos são usados como ingredientes tóxicos em muitos venenos contra insetos e ratos.

O excessivo consumo de flúor pode causar esclerose assintomática do esqueleto (fluorose). Em Punjab, região da Índia, onde o consumo de flúor é extremamente alto, as alterações nos ossos são associadas com sérias doenças nas juntas e no sistema nervoso.

a) Ação do flúor no corpo humano:

• Atua na ação do DNA, causando danos genéticos.
• Destrói o colágeno, acelerando o processo de envelhecimento.
• Provoca doenças como o endurecimento das artérias e das articulações (artrite e arteriosclerose).
• Dá origem a debilidade muscular e rugas.
• Aumenta a propensão para o câncer.
• Pode causar a formação irregular de colágeno e a consequente deformação de dentes e ossos.

b) O flúor e os dentes:

Cientistas observaram que dentes sadios tinham um presença de flúor no esmalte um pouco maior que em dentes cariados, concluindo que o flúor era a diferença.

Nunca ficou provado através de experiências laboratoriais, que a adição de flúor à água ou dentifrícios provocasse uma melhoria substancial na prevenção da cárie dentária ou de outras doenças na boca. As diferenças na redução de doenças da boca entre cidades de águas fluoretadas e não fluoretadas mostrou-se mínima.

Em 1943 e 1953, investigadores do Serviço de Saúde Pública dos EUA examinaram o estado de saúde dos residentes de Bartlett, no Texas, para estudarem a relação entre 8g por tonelada de flúor da água desta cidade e a saúde dos habitantes. Descobriram que a taxa de mortalidade da cidade vizinha (Cameron) que continha uma quantidade muito menor de flúor nas suas águas (4mg por tonelada), era três vezes mais baixa do que a de Bartlett.

Enquanto este estudo examinou uma faixa relativamente pequena da população, os resultados são apoiados pelos dados relatados pelo Centro de Controle de doenças dos EUA e pela fundação para a Segurança das Águas, que indicam que 30.000 a 50.000 mortes a mais do que a taxa de mortalidade normal são verificadas em áreas onde adicionado 1g de flúor por tonelada na água de consumo das populações.

Já é conhecido há algum tempo o fato de que quantidades de flúor tão baixas como as usadas para fluoretar as águas públicas, provocam o amolecimento dos tecidos, deteriorando biologicamente as enzimas: este fato vai resultar num amplo quadro de doenças crônicas.

O Dr. John Yiamounyannis não aconselha a fluoretação a nenhum nível, incluindo quantidade de flúor existente nas pastas dentifrícias. Se a água de sua região tem um índice elevado de fluoretação natural, aconselha-se o uso de água destilada sem qualquer aditivo não só para beber, como também para cozinhar e na preparação de chás, sucos e outras bebidas.

O uso de águas minerais que não contenham flúor também é aconselhado.

Para evitar a cárie dentária, tártaro e outras afecções da boca e dos dentes, é evidente que apenas uma alimentação apropriada sem o uso de açúcar e carbohidratos refinados, uma higiene diária da boca, usando-se pastas dentifrícias não fluoretas ou produtos naturais à base de funcho ou argila, por exemplo, o consumo diário de maçãs e um exame bucal feito em períodos regulares poderão evitar muitos problemas dentários e manter a saúde da boca e os dentes em perfeito estado.

c) Efeitos espirituais: o flúor enfraquece a identidade, produz depressão e permite aos caídos moldar novas ideias nos seus consumidores. Um dos objetivos ocultos na disseminação do uso de flúor pela população é promover um ataque concentrado para alterar os direitos das pessoas e matar o seu orgulho nacional e o patriotismo.
Além disso, provoca uma quebra na resistência aos ataques psicopolíticos, ao criar passividade.

 
O LSD

O consumo de drogas alucinógenas, como o LSD e o PCP, abrem a mente e os chakras para registros de vidas passadas e outros planos do astral. A cocaína, o crack e a heroína, bem como a maconha, tem efeitos semelhantes de alteração mental e dilaceração dos chakras.

Embora algumas pessoas tenham sentido que entraram em contato com o caminho espiritual através do LSD ou outros agentes, existe o perigo de que, ao tomar alguma destas drogas, você esteja lidando com caminhos incertos, incluindo viagens ruins para o plano astral e a abertura violenta dos seus chakras.

Jesus descreveu esse fenômeno quando ele disse: "O reino dos céus sofre violência e pela força se apoderam dele” Mateus 11:12

O rasgar do envelope do protetor astral / etéreo, em torno dos chakras, pelo consumo de drogas ou pela prática de magia negra (e espiritismo) também pode criar buracos na aura ou campo áurico, o que pode levar décadas ou vidas para ser reparado.

Então, quando nós temos as técnicas da Irmandade do Oriente e do Ocidente na Ciência da Meditação e da Palavra Falada e um Mestre Ascensionado para patrocinar nossas almas, até que nós ganhemos a nossa própria mestria Búdica ou Cristica, nós não precisamos de mais nada, como drogas, ou magia negra, ou controle mental, ou auto hipnose, para nos ajudar a chegar a Deus. Tudo o que precisamos é da nossa própria Poderosa Presença EU SOU e Santo Cristo Pessoal, do Fogo Sagrado e de todos os dons espirituais recebidos de Deus e já selados em nosso Corpo Causal.

Ditado da Mestra Nada: "A ação do círculo e da espada de chama azul da amada Elohim Astrea só irá remover o que é desgraça e preservar a bênção e a liberdade, removendo somente a ilusão e as forças devastadoras que assumiram as mentes das pessoas quando elas tomam regularmente drogas, cocaína, maconha, e mesmo o revestimento da nicotina no cérebro. Todas estas substâncias impedem a ação correta e decisão certa." Mestra Nada

A DESTRUIÇÃO DO CORPO MENTAL


O TABACO - NICOTINA

a) Definição: a nicotina é um alcaloide existente nas folhas do tabaco, líquido, incolor, com odor semelhante ao da piridina, e venenoso.

b) Ação: a nicotina é um narcótico que afeta fortemente o sistema nervoso atuando a nível do corpo mental. É uma das substâncias que mais facilmente cria dependência. Há muitos casos de viciados em heroína que conseguem deixar o seu vício, mas não conseguem deixar de fumar.

É uma das substâncias mais tóxicas que se conhece. É usada em inseticidas como veneno, sendo comparável ao cianeto quanto à rapidez da atuação. Não possui qualquer uso medicinal.

Além da nicotina, o tabaco contém as seguintes substâncias tóxicas: monóxido de carbono, ácido hidrocarbônico e, com frequência, chumbo. Tem 270 substâncias químicas, das quais pelo menos 15 são cancerígenos conhecidos. Ademais, usualmente o Tabaco industrializado (cigarros, charutos e fumos) contém 20% de açúcar.

c) Efeitos físicos e psicológicos: ao ser aspirada, a nicotina acelera o pulso, faz aumentar a pressão arterial e em altas doses produz tremor, convulsões e vômitos. Afeta o fígado e envenena o protoplasma. As doenças mais frequentes causadas pela nicotina são o câncer, o enfisema e doenças do coração.

A nicotina torna as células côncavas, tornando-as incapazes de conter Luz e impedindo o fluxo de prana. Ao encher o corpo com monóxido de carbono, intoxica o cérebro e torna o indivíduo incapaz de compreender e sentir que caminha para a sua autodestruição.

O hábito de fumar tabaco pode ser criado a partir de apenas 3 ou 4 cigarros fumados. Nos Estados Unidos, a indústria do tabaco investe bilhões de dólares anualmente. Em 1976, a população dos EEUU fumou 600 bilhões de cigarros.

d) Efeitos espirituais: o tabaco é sempre acompanhado de entidades astrais com o aspecto de um gigantesco verme que se enrola em torno do corpo da vítima, extraindo-lhe a sua Luz e energia. Fisicamente são semelhantes aos vermes que atacam as folhas de tabaco verdes.

A Destruição dos Quatro Corpos Inferiores

A entidade do tabaco tem enorme tenacidade e é das mais difíceis de expulsar: ela vampiriza a Luz do corpo da vítima até esta ter perdido completamente a capacidade de evoluir.

Quando ameaçadas, estas entidades retaliam violentamente atacando o indivíduo em qualquer de seus pontos fracos, gerando dúvidas quanto à veracidade dos ensinamentos sobre os efeitos do tabaco ou criando racionalizações e justificações para a perpetuação do vício.

A nicotina cobre os chakras com resíduos que diminuem a sensibilidade e a capacidade de entrar em sintonia com o Cristo Pessoal, e torna o indivíduo muito pouco sensível à Luz e aos Ensinamentos dos Mestres Ascensos.

Qualquer pessoa que tenha o hábito de fumar tem essas entidades, facilmente detectáveis pelo seu cheiro característico e pela sua vibração.

As entidades do tabaco interferem com a nossa sensibilidade à verdade, obstruem o fluxo de energia no cérebro e nos pulmões, e impedem a circulação do prana – o puro ar do Espírito Santo.

Pessoas cuja traqueia foi tirada devido a um câncer muitas vezes fumam através do orifício artificial de que estão providos, totalmente dominados que estão pela entidade.

A DESTRUIÇÃO DO CORPO EMOCIONAL
  


O ÁLCOOL

O álcool é um dos intoxicantes mais usados pela humanidade. As pessoas normalmente não bebem álcool puro mas uma bebida contendo álcool, mais especificamente álcool etílico. As bebidas alcoólicas incluem: vinhos, cerveja e aguardentes.

Tomado em pequenas doses pode causar sentimento de leveza e alegria, oferecendo uma válvula de escape a quem o usa para as pressões e tensões da vida cotidiana.

Pesquisa realizada nos Estados Unidos revela que a maioria das pessoas não bebe por gostar do paladar ou do cheiro da bebida, mas sim por pressão social e psicológica, padrões de comportamento e bombardeio publicitário.

a) Definição: o álcool é um líquido incolor, volátil, com cheiro e sabor característicos, obtido por fermentação de substâncias açucaradas ou amiláceas, ou mediante processos sintéticos, utilizado com larga faixa de propósitos.

b) Ação: o tipo de álcool consumido em bebidas tem a fórmula CH3CH2OH ou resumidamente, C2H5OH. É uma droga que destrói o corpo físico, sendo altamente prejudicial ao sistema digestivo, muscular, respiratório, nervoso, ao coração, fígado e todos os órgãos vitais.

Quando uma bebida alcoólica é ingerida, é diluída pelos sucos estomacais, pode haver anteriormente alguma diluição na boca e muito rapidamente distribuir-se através do corpo. Não é necessário haver digestão para a absorção do álcool à corrente sanguínea.

Uma pequena porção propaga-se pela corrente sanguínea diretamente a partir das paredes estomacais. Este processo é grandemente acelerado se o álcool for ingerido juntamente com alguma bebida carbonatada.

Logo após a absorção, o álcool concentra-se grandemente no cérebro e fígado. A intoxicação é praticamente instantânea. O álcool é uma droga que afeta o sistema nervoso central e pertence à classe dos barbitúricos e é comumente classificado como depressivo.

c) Efeitos físicos e psicológicos: o álcool causa úlceras de estômago, o que todavia não é muitas vezes detectado pelos grandes consumidores porque o próprio álcool, afetando o sistema nervoso, impede que a dor que acompanha a ulceração seja sentida. Destrói o Templo, impedindo ao mesmo tempo que o indivíduo se aperceba deste fato.

Causa cirrose do fígado, que conduz a casos de hepatite e varizes no esôfago, que é uma das dez mais frequentes causas de morte nos Estados Unidos.

O câncer do fígado, da boca e da garganta estão muito frequentemente ligados ao grande consumo de bebidas alcoólicas. Seu consumo provoca também doenças do coração e envenena o protoplasma das células nervosas, até causar lesões permanentes.

Tal como no caso do tabaco, vemos aqui a mesma situação: a própria célula contém nicotina ou álcool. Não só a célula fica inutilizada como veículo de consciência cósmica, como também se desintegra fisicamente. Ao fim de algum tempo, isto resulta na perda de memória, confusão e psicoses orgânicas.

O álcool produz doenças mentais e depressão, que é o sinal de que os chakras foram vampirizados. Causa habituação (basta um ano de consumo para o indivíduo se tornar alcoólatra) e dependência (o indivíduo fica incapaz de se descontrair ou de se motivar se não beber).

Nos Estados Unidos há atualmente (década de 70) 10 milhões de viciados em álcool . O álcool cria o caos em um país. Em relação aos Estados Unidos, registram-se sob o efeito de bebidas alcoólicas:

64% dos homicídios
33% dos suicídios
55% de todas as prisões
50% dos crimes violentos
50% dos acidentes
39% das agressões sexuais
58% das mortes por incêndio
45% das mortes por afogamento

d) Efeitos espirituais: o álcool provoca em quem o consome uma atitude antiluz que atrai desencarnados (não é raro 25 ou 30 desencarnados “agarrarem-se” à coluna vertebral e vampirizarem toda a Luz ali contida, criando uma tensão que leva a vítima a beber mais e mais).

O álcool afasta o discípulo da Senda de ascensão, pois destrói o desejo de seguir a Senda espiritual, de cultivar a relação mestre-discípulo.

Ataca o desejo da alma de ser livre de seu karma e tira a esperança: as metas a atingir na vida tornam-se turvas e o indivíduo perde a noção de sua razão de ser. O aprisionamento da alma leva a uma atitude de letargia e sensualidade e a uma falta de motivação e de vontade de superar dificuldades.
O álcool programa o indivíduo e a sociedade para uma passividade perigosa, destrói a capacidade inata da alma de reconhecer a verdade e corrompe tanta energia que pode conduzir à segunda morte.

A DESTRUIÇÃO DO CORPO FÍSICO
  

O AÇÚCAR

O açúcar é uma das substâncias mais perigosas que há neste planeta. Referimo-nos à SACAROSE, o açúcar branco refinado.

a) Definição: o açúcar (do sânscrito “çarkara” – grãos de areia, prácrito “sakkar”, atr. do árabe “as-sukkar”) é um produto alimentar fabricado industrialmente, de sabor doce, solúvel em água, extraído principalmente da cana-de açúcar e da beterraba, também chamado sacarose.

b) Composição química: C12H22O11 é a fórmula da sacarose, que nos permite chegar à entidade que usa esta substância.

c) Ação: Há muitos séculos que o caráter debilitante e viciante do açúcar é conhecido. Já no séc. XVI houveram cientistas que fizeram referências aos efeitos que o açúcar pode ter sobre um exército. 

Observando os turcos e mouros em 1573, o alemão Baptnitz Lennart Rowulf escreveu o seguinte:

“(...) cortam pedaços do açúcar, um atrás do outro, e vão comendo abertamente pelas ruas, sem vergonha. Tornam-se assim uns glutões e já não são os guerreiros intrépidos que foram no passado, nem tem a mesma liberdade e coragem de combater os seus inimigos como em eras passadas”.

Os governantes europeus de há já vários séculos notaram que os seus embaixadores, uma vez criada uma dependência em relação ao açúcar, se deixavam mais facilmente subornar em doces.

Nos Estados Unidos, hoje em dia, consomem-se cerca de 50kg de açúcar por pessoa anualmente (incluindo os alimentos em que o açúcar encontra-se “escondido”). O açúcar foi considerado por uma comissão do Senado norte-americano em 1973 como um anti-nutriente, pois priva o organismo de valiosos minerais e vitaminas. Não tem qualquer valor como alimento, mas apenas fornece calorias “vazias”.

O açúcar perturba o delicado equilíbrio químico do nosso corpo. A sacarose não é digerida na boca nem no estômago, mas passa diretamente ao intestino grosso onde se transforma em glicose pré-digerida e daí passa diretamente à corrente sanguínea.

Esta velocidade extra com que o açúcar entra na corrente sanguínea é utilizada na publicidade do açúcar como “energia rápida”, ou “instantânea”. Entretanto, esta súbita entrada de açúcar no sangue abala o equilíbrio que lá existe, que foi cuidadosamente elaborado pelo organismo através de uma determinada porcentagem de oxigênio.

A destruição deste equilíbrio faz com que o corpo entre em crise. E o cérebro é o primeiro a registrar esta crise. A insulina do pâncreas tem uma função complementar e antagônica aos hormônios das glândulas suprarrenais, procurando fazer baixar o nível de açúcar no sangue.

O nível de glicose desce abaixo do normal, e temos a segunda crise, causada pela primeira. As suprarrenais têm de produzir mais hormônios para compensar a descida excessiva.

Tudo isso se reflete no estado do indivíduo: sentimo-nos cheios de energia, mas logo segue-se uma depressão em que o açúcar desce a níveis inferiores ao normal: causando exaustão total.

Até fazer um movimento ou pensar, deixam-nos estafados, até que o nível de glicose suba outra vez. O pobre cérebro pode ficar sujeito a intensa desconfiança ou mesmo alucinações, e os nervos ficam em frangalhos.

Se nessa situação voltarmos a ingerir açúcar, criamos uma nova crise dupla, mesmo antes de terminar a primeira. Não é de se admirar que as crianças deem sinal de hiperatividade; nem de que não consigam aprender: não há praticamente comida nenhuma que não tenha uma forma camuflada de açúcar em sua composição.

Os anunciantes gastam bilhões de dólares no mundo inteiro tentando convencer as pessoas a consumirem açúcar:

• Desenvolvem uma atitude nas crianças de que algo está errado com a comida que não é doce.
• Fazem doces difíceis de resistir.
• Promovem a crença de que o açúcar traz amor e felicidade (o açúcar é usado ritualmente em aniversários, Natal, Páscoa, dia dos namorados) e que é um alimento sadio.
• Confundem os rótulos para que as pessoas não percebam a quantidade de açúcar que há nos produtos (inclusive ditos “alimentos naturais”).
As diversas formas e denominações do açúcar (além da sacarose) são:
• Glicose: açúcar encontrado no sangue e em diversas plantas, cristalino, incolor (fórmula C6H12O6).
• Dextrose: o açúcar derivado sinteticamente do milho.
• Frutose: o açúcar das frutas. A Destruição dos Quatro Corpos Inferiores
• Maltose: o açúcar do malte.
• Lactose: o açúcar do leite.
• Açúcar mascavo: açúcar refinado (branco) acrescido de 5% a 13% de melado.
• Melado: calda grossa de açúcar.
• Açúcar demerara: açúcar amarelado.
• E muitas outras, como: xarope de milho, açúcar turbinado, açúcar de confeiteiro, etc.

d) Efeitos físicos e psicológicos: o açúcar é uma das causas principais da arteriosclerose, da hipoglicemia, das doenças do coração, das varizes e dos problemas de estômago, úlceras, obesidade, etc.

O açúcar, e não a ausência de flúor, produz a cárie dentária.
A principal alteração provocada pelo açúcar é no movimento dos fluídos no interior dos dentes. Produtos químicos hormonais são levados da polpa ao esmalte, através de minúsculos canais localizados na dentina. Uma dieta rica em açúcar pode diminuir em dois terços a velocidade de transporte de produtos químicos hormonais.

Os dentes com uma atividade interna vagarosa têm uma alta incidência de cárie. Um hormônio secretado pelo hipotálamo estimula a secreção por parte da glândula salivar, ou parótida, de um segundo hormônio. Este segundo hormônio aumenta a velocidade do fluxo de fluído do dente.
Uma dieta rica em açúcar perturba o equilíbrio hormonal e reduz o fluxo no sistema interno. Isso enfraquece o dente e torna-o mais suscetível à cárie. Dentes saudáveis são normalmente invulneráveis aos micróbios que estão sempre presentes na boca.

A incidência de diabetes aumenta proporcionalmente ao consumo per capita de açúcar, diz o Dr. Sir Frederick Banting, que em 1929 descobriu a insulina.

O açúcar é o responsável pela hipoglicemia, a perturbação do nível de açúcar no sangue. H. E. Dubben diz-nos que entre 1966 e 1969 aproximadamente 50% de 134 mil pessoas entrevistadas sofriam de hipoglicemia. A hipoglicemia pode, além disso, ser passada de pais para filhos. Portanto, quanto mais açúcar e álcool são consumidos, mais crianças nascerão com hipoglicemia.

A hipoglicemia é um inconveniente muito grande para quem está num caminho espiritual, porque os indivíduos não conseguem reter a Luz no seu corpo físico quando o nível do açúcar baixa substancialmente.

Quando se dá essa queda no nível de açúcar, o indivíduo fica incapaz de fazer frente aos desejos e à oposição que sempre encontra no Caminho.

Ele pura e simplesmente não tem a resistência físico e mental necessária para se auto proteger de vibrações negativas.

A hipoglicemia pode estar na origem de todo o gênero de perturbações psicológicas e emocionais.

As principais causas da hipoglicemia incluem:

• Dietas com altas doses de açúcar e farinhas refinadas.
• Café e bebidas contendo cafeína, que sobre estimulam as glândulas suprarrenais.
• Álcool, que inibe a habilidade do fígado de liberar glicose no sangue.
• Nicotina, que causa uma rápida elevação e queda dos níveis de açúcar no sangue.
• Alergia de alimentos.
• Deficiências em cromo, zinco, complexo de vitamina B e vitamina C, ácido pantatênico e vitamina E.

Os possíveis sintomas relacionados com hipoglicemia são (em ordem de preponderância): exaustão, depressão, insônia, ansiedade, irritabilidade, dor de cabeça, vertigem, suores, tremores, palpitações, dores musculares e nas costas, anorexia, perda de apetite, fobias (medos injustificados), dificuldade de concentração, paralisia, ingestão crônica, confusão mental, mãos e pés frios, visão embaçada, contração muscular ou câimbras, dores nas juntas, comportamento antissocial, impaciência, obesidade, vacilações, espasmos abdominais, desmaios, convulsões e tendências suicidas.

Sintomas adicionais incluem: esquecimentos, nervosismo, hesitações, mau humor, alergias, sensação de “estar ficando louco”, zumbido nos ouvidos, letargia, sonolência e falta de força de vontade.

Alguns casos de hipoglicemia são diagnosticados equivocadamente domo: retardamento mental, alcoolismo, neurose, diabetes, menopausa, doença de Parkinson, artrite reumática, asma, alergia, arteriosclerose cerebral, síndrome de Mémière, neurodermatite (erupção nervosa da pele), urticária, tumor cerebral, senilidade, esgotamento mental, enxaqueca, epilepsia e esquizofrenia.

Está com frequência na origem da dissolução da família, de desastres financeiros, da motivação na vida.

Isto porque interfere com as glândulas endócrinas: o cérebro deixa de conseguir distinguir o real do ilusório, pois deixa de receber o oxigênio que devia. O número sempre crescente de neuróticos confirma este fato.

Há uma relação entre o consumo de açúcar e as doenças mentais. O aumento assustador de doenças mentais no séc. XVII correspondeu a um grande aumento no consumo de açúcar.

Psiquiatras como o Dr. Linus Pauling são de opinião que as doenças mentais são um mito. As perturbações emocionais são simplesmente o primeiro sinal de que o organismo não está conseguindo fazer frente ao “stress” orgânico ocasionado pelo vício do açúcar.

As pessoas com doenças mentais têm um desequilíbrio bioquímico que começa na infância, com o uso de açúcar nos alimentos de bebê. As doenças mentais podem hoje ser curadas se o corpo for reequilibrado e se forem corrigidos os efeitos deste ataque em quatro frentes.

Quem sofre de doenças mentais não está em condições de ser um discípulo espiritual dos Mestres Ascensos porque não pode receber a disciplina nem as suas iniciações, nem conseguem conter o incremento de Luz que elas comportam.

Têm que ficar à margem da senda iniciática até que esse desequilíbrio esteja curado. Infelizmente os nossos psiquiatras não costumam ver nem tratar a questão das doenças mentais como reflexo de problemas físicos (reduzem tudo à esfera psicológica).

Assim, receitam tranquilizantes, sedativos e mil e uma injeções que agravam ainda mais a intoxicação pelas drogas. É um círculo vicioso, que leva à destruição da alma através da destruição do templo.

Estudos sobre a alimentação de pessoas com esquizofrenia revelam normalmente que o paciente consome ou consumiu grandes quantidades de doces, chocolates, líquidos com cafeína (tipo Coca-Cola) e alimentos contendo açúcar.

e) Efeitos espirituais: o açúcar cria vulnerabilidade e dependência. A sequência lógica é que o mesmo indivíduo cairá mais tarde como um patinho no álcool, no tabaco e nas drogas. O açúcar cria o desequilíbrio químico no organismo, que está na origem das dependências.

Durante os períodos de hiperatividade que se seguem à ingestão de glicose (açúcar) os chakras tornam-se convexos, liberando a sua Luz, até que esta se esgota. Tornam-se então côncavos, produzindo uma sensação de esgotamento e depressão que, por sua vez, faz com que o indivíduo deseje intensamente comer mais doces.

Este desejo repetido cria rapidamente dependência e vício.

Como rouba Luz dos chakras, a reação é consumir sempre mais e mais açúcar, na esperança (falsa) de recuperar aquilo que foi perdido. E isto produz o quê? Sensualidade.

O açúcar provoca os seguintes efeitos sobre os portadores de Luz:

• Enfraquecimento da habilidade do corpo espiritual de conter Luz.
• Manifestação da serpente da consciência da droga através do álcool, nicotina e açúcar.
• Abuso em todo o planeta da Chama da Mãe, representada pelo dragão feminino.
• Enfraquecimento do envelope áurico pela saturação com açúcares que não nos permitem concentrar nossas energias sagradas.
• “Pequenas indulgências” pelas quais perdemos a fortaleza e a coragem de “intrépidos guerreiros”.
• Padrões de hábito que confinam a alma.

As células do corpo ficam saturadas de entidades do açúcar, que substituem a Luz. Enfraquecidas, as células tornam-se incapazes de conter Luz e de manter o seu nível de energia. Esta substituição da Luz pela entidade da sacarose destrói tão profundamente a capacidade inata da criança distinguir aquilo que é ou não é nutritivo que até o discernimento espiritual da alma é afetado.

Devido ao ataque físico a que ficam sujeitas as funções mentais e o sistema nervoso da criança, a sua capacidade de autodisciplina e poder de vontade diminuem, gerando passividade e destruindo a capacidade criativa e o desejo de progresso espiritual e material. Cria o hábito de estímulo sensorial permanente.


Apresentamos os fatos. Resta saber quem é que está por trás desta manipulação, e quais os seus objetivos.

A juventude de todos os países está sujeita a um terrível ataque, que ameaça a sua vida e a libertação da alma.

O ataque é lançado pelos caídos, encarnados fisicamente ou não, que operam com a ajuda de entidades de massa, que manipulam através do controle, entre outros, dos elementais.

São também especialistas em manipular o nosso karma. Pretendem não só sujeitar a nossa juventude tornando-a escrava de seu superestado mundial, como também roubar as preciosas energias de Deus.
Atacam de várias formas, simultaneamente. Um dos exemplos são as muitas indústrias que manipulam o tabaco e os alimentos.

(No Brasil temos a R. J. Reynolds Tabacos do Brasil Ltda. E a Philip Morris, que produzem cigarros e os vinhos e champanhas Dreher, o Leite Glória e os produtos Kibon. Por outro lado, a British American Tobacco, dona da Companhia de Cigarros Souza Cruz, é também a proprietária da Indústria de Alimentos Maguary e da Frutos Tropicais S.A.)

As ações dos caídos estão a sujeitar os jovens à mais intensa carga de modificações psicológicas do comportamento, e ao maior bombardeio mental (ou lavagem cerebral) de que temos memória.

A “modificação de comportamento” é a manipulação da energia e da consciência. Esta estratégia tem por objetivo preparar ou coagir as gerações futuras a adaptarem-se a uma sociedade mecanicista semelhante ao “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley.

Os comparsas de Lúcifer sabem que o cumprimento dos seus planos implica uma ação ramificada a muitos níveis.

Através de toda esta camuflagem dos luciféricos e anjos caídos neste planeta é que conseguiram ocultar à humanidade o fato de que estamos bem no meio de uma guerra.

Temos assim um dragão de quatro cabeças. E temos também uma cortina de fumaça que não nos deixa ver o problema, que é ilusão de que estas substâncias são inócuas, de que não são perigosas.
A Luz de Saída: O Contra-Ataque!

A Mestra Ascensa Leto, em um ditado dado em 2 de janeiro de 1972, falou:

O Fogo Sagrado pode curar essas células, esses pontos, esses eletrodos colocados por Deus no interior do cérebro, e por isso é essencial que os estudantes da Luz levem este ensinamento à juventude do mundo, àqueles que compreendem a loucura dos seus envolvimentos no (domínio psíquico) e que desejam regressar à senda.

Estes terão que ter consciência (da ação) do Fogo Sagrado, pois os Senhores do Karma decretaram este ano a dispensação (pela qual) qualquer criança de Deus e qualquer pessoa sincera que tenha caído na armadilha da cultura da droga poderá voltar ao estado prístino que tinha ao começar esta encarnação se invocar o Fogo Sagrado, a Chama da Cura, e se pedir misericórdia. Pois Deus não é um vingador “vis-à-vis” dos seus filhos, e não deseja castigá-los com uma condenação terna.
Esta é a mentira da serpente. O nosso Deus é um Fogo Consumidor. Não é um respeitador de pessoas, nem se apega à iniquidades que entraram nos corações dos homens.

E, por isso, vem a misericórdia, mas como pode ela ser implementada? Compreendei amados, que a reconstrução das células e dos átomos é do desígnio (padrão) perfeito da mente crística, bem como a de camadas sucessivas de manifestações que rodeiam cada um dos chakras que foram violentados por essa cultura (da droga), requerem o contato com o fogo sagrado.

A Mestra Leto, diz-nos que todos os que tomaram drogas (quaisquer que sejam, bem como álcool, nicotina e açúcar) podem ser purificados.

Tal como disse Jesus “este gênero só sai com orações e jejuns”. Orações como invocações da chama violeta, invocando misericórdia e perdão por nos termos afastado do cumprimento do plano divino, combinado com um breve jejum e equilíbrio alimentar.

O contra-ataque à contaminação do corpo físico requer ações por meios físicos e espirituais.

Durante o período (a que chamamos vida) em que a alma e o corpo funcionam como um só, o equilíbrio de cada uma destas partes do ser depende muito do bom ou mau funcionamento da outra.
Assim se compreende que, do mesmo modo que o corpo frequentemente é um estado da alam, também a alma é grandemente influenciada pelo estado dos nossos corpos terrenos.

O desequilíbrio e degenerescência do templo mental e físico pode conduzir à desintegração da própria alma.

Recomendamos intensamente a invocação ao Arcanjo Miguel para uma proteção contra o ataque de vírus astrais, fortalecimento da vontade e combate às tentações do mundo.

E também que intensifiquem os chamados à amada Elohim Astrea, que é o chamado mais poderoso que se pode fazer à Mãe Divina na oitava física, para a desprogramação do subconsciente, desmagnetização da aura e remoção de entidades astrais.

Este trabalho foi compilado por Carlos Mauricio Prado, da palestra "The Attack on Youth" no congresso "Soul Liberation" de outubro 1977, realizado pela mensageira Elizabeth Clare Prophet.