sábado, 29 de outubro de 2016

COMO ESTIMULAR A AUTO-ESTIMA DA CRIANÇA

mãe e filho


Como Estimular a Auto-estima da Criança


Saiba como estimular a auto-estima do seu filho desde cedo


Quer um ser com mais autoestima neste mundo do que as crianças? Bom, geralmente é assim mesmo e deveria ser, pois as crianças são os indivíduos com mais potencial para autoestima elevada visto que ainda não internalizaram certas normas e regras implícitas ou explicitas da sociedade em que vivem. Mas, nem sempre é assim. É possível encontrar algumas crianças, mesmo em idades tenras, com problemas de autoestima.
Para a criança de até 2 anos de idade, o mundo, e principalmente, os pais, existem apenas para a tarefa de suprir todas as necessidades dela. É simples assim. A partir de 2 anos, a criança vai percebendo que as coisas são mais complexas, que a mãe, por exemplo, tem outros afazeres ou outros filhos, que o pai sai todos o dia para trabalhar independente de sua vontade, que o mundo à sua volta possui regras e que, inclusive ela tem que seguir algumas normas e obedecer aos pais, tias, irmãos mais velho, professoras da creche ou escola e etc.
Sentir este “trauma” de que não é o centro de tudo aos 2 anos pode levar a criança a vários tipos de comportamentos. Um deles é tentar burlar as normas e fazer com que tudo volte a ser como ela achava que era. Ou então ela pode se desenvolver lidando bem com toda esta situação ou então pode se sentir diminuída ao perceber tudo isso e começar a desenvolver problemas de autoestima ou autoimagem. No inconsciente ela se culpa, pensa: “será que isso está acontecendo porque não sou tão boa assim?”
Nestes casos é importante os pais estimularem a criança para que a mesma apresente uma autoestima elevada. Ao mesmo tempo com certo equilíbrio para que não pareça prepotência ou que aquela criança ainda não saiu da fase de se achar o centro de tudo.
mãe brincando com filho

Atitudes e comportamentos que elevam a auto-estima das crianças

  • Carinho nunca é demais. Dê muito carinho ao seu filho. Abrace, beije, acarinhe o quanto você puder. Em nada este comportamento irá ser negativo ou estragar e mimar sua criança. Claro que, quando estiver corrigindo é corrigir e pronto. Mas, tirando estes momentos, quanto mais amado ele se sentir melhor irá ser para sua autoestima.
  • Elogie-o constantemente. Sempre que o seu filho fizer algo de positivo (mesmo que seja uma obrigação que ele já faça frequentemente) elogie. Diga o quanto você gosta de vê-lo naquela situação ou fazendo determinada coisa e o porquê disso. Não adianta ficar apenas nos elogios generalistas, pois seu filho sente quando é de verdade ou quando são apenas palavras que os pais acostumaram-se a dizer.
  • Demonstre sempre que sente orgulho da pessoa que seu filho é. Sabe aquela coisa de dizer que ele é tão bonitinho? Quem sabe não seria melhor, trocar o bonitinho por bonzinho de vez em quando? É importante que ele sinta que você tem orgulho dele também pelo o que ele é, pelas atitudes que ele tem e não apenas porque tem uma boa aparência.

Atitudes e comportamentos que diminuem a auto-estima das crianças

  • Criticar a criança em detrimento da ação errada. É claro que em determinado momento a criança terá de ouvir críticas. Porém, é extremamente prejudicial ao desenvolvimento de sua autoestima que a mesma ouça críticas contra ela. Se ela fez algo errado não diga que ela é má, burra ou coisas do tipo. Diga que o que ela fez é errado, que o comportamento que ela demonstrou é errado.
  • Nunca compare seu filho a outra pessoa ou qualquer outra coisa. Pessoas são incomparáveis. Algumas situações podem ser comparadas, mas pessoas não. São seres únicos e singulares.
  • Não faça medo em seu filho. Não cante boi, boi, boi… E também não diga que o homem do saco virá pegá-lo caso não obedeça. A criança precisa se sentir segura para desenvolver sua autoestima de forma positiva.
  • Cuide da sua autoestima. Seu filho, mesmo sem saber explicar ou falar sobre isso, será a primeira pessoa a perceber que alguma coisa está acontecendo com você, que não se sente legal com você mesma. E a tendência das crianças é achar que tudo é culpa delas. Isso não ajuda na formação da personalidade ou da autoestima.
A formação emocional de uma criança é complexa e delicada. Contudo, as mães, na grande maioria das vezes, superam todos estes obstáculos pelo simples fato de que com a intuição e o amor incondicional elas sabem do que seus filhos precisam e não se intimidam de dar.
Fonte:http://www.mamaeonline.com.br/como-estimular-a-autoestima-da-crianca/

mãe e filho