Desde que estreou no mercado de trabalho há alguns anos, a geração Y  tratou de firmar bandeira em todos os setores da economia e, em alguns casos, dominar (literalmente) algumas áreas.
(Se você tem dúvidas, entre em uma empresa de internet e conte nos dedos quantos têm mais do que 35 anos).
Em comum, tais carreiras guardam um espírito coerente com as características típicas dos profissionais nascidos nos anos 80 e 90: trazem uma rotina dinâmica e uma visão inovadora, além da ascensão profissional meteórica.
Boa parte delas foi criada (ou se revolucionou) em resposta às demandas da última década. E, por isso, meio que naturalmente foram ocupadas por quem têm tais mudanças no próprio DNA.
Consultamos alguns especialistas em recrutamento e Geração Y e mapeamos as profissões que são dominadas pelos jovens. Confira.
size_590_homem-jovem-executivo-sorri
Executivo de contas
O papel do executivo de contas dentro das agências de publicidade é fazer o meio de campo entre cliente e agência. “Ele precisa estar conectado acima da média. É alguém que lida muito bem com conteúdo, trabalha com informação”, afirma Ricardo Haag, gerente executivo da Page Personnel.
Mas não só. “Ele tem um perfil híbrido: ao mesmo tempo que tem um lado técnico, ele tem uma habilidade de relacionamento voltada para gestão e execução de vendas”, diz.
size_590_83186350
Operadores de bolsa de valores
A combinação de ascensão rápida e um ambiente dinâmico tornam o mercado financeiro sedutor para quem integra a geração Y, afirma Haag, da Page Personnel. Uma das profissões em alta para os mais jovens é de operador da bolsa de valores. “Geralmente, é um economista, administrador de empresas ou engenheiro”, afirma o especialista. “É ele quem compra e vende ações. Com 25 anos, já está ganhando uma boa quantia salarial”.
size_590_original_bolsa
Analista de investimento
Outra carreira atrativa para os mais jovens no mercado financeiro é a de analista de investimentos. “Ele não faz a operação em si, mas recomenda investimentos em uma determinada carteira”, afirma Haag. “É um mercado que foi invadido por jovens nos últimos anos. A remuneração é muito agressiva nesta área. Com 40, eles já podem se aposentar”.
size_590_foto_1
Analista de SEO
Para se destacar no sistema de buscas do Google (ou outras ferramentas do tipo disponíveis na internet), os sites precisam ser elaborados (e alimentados) com base nos fundamentos de SEO (Search Engine Optimization). Para responder a esta demanda, os especialistas em SEO têm a função de explorar estes recursos e criar estratégias para que a página não seja punida pelos robôs do Google, ou de outras ferramentas de busca. Por ser uma função nova e totalmente relacionada com o mercado digital, naturalmente, é repleta de jovens.
size_590_2013-08-14T155453Z_1420909347_GM1E98E1U7U01_RTRMADP_3_BOSNIA
Gestor de redes sociais
Engana-se quem pensa que a rotina de trabalho de um analista de mídias sociais se resume a passar o dia clicando no botão curtir do Facebook ou tuitando. O dia a dia depende de estratégia, um profundo conhecimento dos negócios da companhia em questão e domínio das principais ferramentas sociais. Afinal, de uns tempos para cá, ser estratégico no meio digital virou conceito de ordem para o sucesso das empresas. “A geração Y já nasceu neste ambiente digital”, diz. Trabalhar numa área assim quase sempre é uma consequência.
size_590_homem-olha-lampadas-diferen
Área de inovação
Segundo Rodrigo Vianna, diretor-executivo da Talenses, as carreiras ligadas à área de pesquisa e desenvolvimento também tendem a atrair mais jovens. “As empresas contratam esta geração por conta do dinamismo”, diz. Mas não só. O acesso à informação, a naturalidade com ferramentas inovadoras típicas desta geração também facilitam na hora de estimular o pensamento inovador dentro da empresa.
size_590_reunião-executivos
Carreira em consultorias
A área de projetos é outra que, segundo a experiência de Vianna, agrega muitos jovens. “É uma característica pessoal desta geração: rotina é algo que os incomoda e nesta área você pode se envolver com diferentes assuntos em um curto espaço de tempo”, diz.
size_590_sala-de-reuniao-dow-2
Desorganizador corporativo
Uma carreira nova que começa a esboçar seu espaço no Brasil é a de desorganizador corporativo. “A função dele é tornar a empresa mais colaborativa, flexibilizá-la a um ponto que se altere as funções”, diz Sidnei Oliveira, autor do livro “Profissões do futuro” (Integrare Editorial).
size_590_PX030_1338_9
Engenheiro de pré-sal
Por ser uma carreira nova no Brasil, a área de engenharia de pré-sal, provavelmente, será toda ocupada por jovens. Na prática, as oportunidades para estes profissionais estão presentes em todas as etapas da produção.
size_590_10072012lixeiraFotoMarcosSantos003-505x337
Gestor de resíduos
Com a meta de dar um fim sustentável ao lixo, o gestor de resíduos é mais uma das novas profissões que serão ocupadas por mais jovens exatamente por sua novidade no mercado. “Os primeiros foram as pessoas mais veteranas. Mas com os cursos novos, rapidamente, será ocupada pela Geração Y”, diz Sidnei Oliveira.
size_590_2013-09-30T155853Z_153242322_TM4E99U0VJC01_RTRMADP_3_MICROSOFT-SONY-POLL
Designer de games
Para quem passou as décadas de 80 e 90 vidrado nos videogames, ter como sonho de carreira a rotina de passar o dia projetando este tipo de jogo é uma clara consequência. “São atividades que o jovem absorve com mais rapidez”, afirma Oliveira.
Fonte:http://qga.com.br/trabalho/2013/12/11-carreiras-em-alta-que-sao-dominadas-pela-geracao-y
Resultado de imagem para PORQUE OS JOVENS PROFISSIONAIS DA GERAÇÃO Y ESTÃO INFELIZES