sexta-feira, 30 de setembro de 2016

A IMPORTÂNCIA DO DETOX NA ASCENSÃO DO CORPO FÍSICO - APRENDENDO A DESINTOXICAR -CONCEIÇÃO TRUCOM


A IMPORTÂNCIA DO DETOX NA ASCENSÃO DO CORPO FÍSICO - Aprendendo a desintoxicar


Texto baseado no livro:

Alimentação Desintoxicante 
Conceição Trucom – Edição Independente

Aprendendo a nos desintoxicar descobriremos os segredos da saúde plena. Aprenderemos a prevenir doenças e a evitar os estimulantes artificiais, que mascaram tudo com a falsa idéia de gerar prazer.

Quanto melhor nos sentimos, mais procuramos meios naturais para nos equilibrarmos (sol, água, alimentos vivos, atividade física, lazer, respiração, etc.). Recorrer às drogas que causam dependência e arruínam a saúde não pode ser considerada uma atitude espiritual.

Quanto mais intoxicados estamos, mais precisamos de estimulantes – cada vez mais fortes – para “manter” o equilíbrio.Qualquer desequilíbrio no nosso corpo físico muda a nossa disposição e provoca distúrbios emocionais. Qualquer emoção provoca uma descarga de adrenalina no sangue – reação ao stress. Isso cria um bloqueio das funções de eliminação do corpo, elevando o nível de intoxicação e agravando os distúrbios emocionais.

Esse círculo vicioso é interrompido assim que usamos um processo de desintoxicação – precioso meio preventivo e curativo de numerosos desequilíbrios psíquicos.Muitos distúrbios, que à primeira vista parecem ter apenas causas psicológicas, são transformados pelos processos físicos de limpeza do organismo. 

A cura de diversas doenças psiquiátricas graves, freqüentemente consideradas incuráveis, mostra isso. Qualquer intoxicação do corpo e qualquer distúrbio emocional provoca uma diminuição das funções cerebrais. Todos nós sabemos como é difícil raciocinar com clareza após uma refeição pesada.

Descobrir o efeito positivo da desintoxicação sobre as faculdades mentais é apaixonante. A concentração, a memória, a capacidade criativa e intuitiva ficam extraordinariamente aguçadas.

Eu sempre afirmo: intestino preso e corpo intoxicado “emburrecem”. 

Em contrapartida, um corpo desintoxicado fica mais criativo e inteligente. E para fechar, um corpo limpo gera uma harmonia que é sinal da espiritualidade em condição de evolução.
Todas as grandes religiões da história instituíram períodos de descanso do organismo (Shabat, Ramada, Quaresma, jejum ritual) para assegurar a boa condição física durante o ano e criar momentos privilegiados para a vida espiritual.

As técnicas de desintoxicação são instrumentos valiosos para nos libertarmos do condicionamento educacional, dos hábitos sociais nocivos para a saúde, das emoções desequilibradas, dos preconceitos e da intolerância.

A experiência individual é insubstituível quando se trata de aprender, sem fanatismo, a manter a forma física, a equilibrar a vida emocional, a ampliar nossa consciência espiritual.

Os hábitos agradáveis, a refeição saborosa e os pequenos prazeres não devem ser obrigatoriamente abolidos para sempre. Não há como obter saúde com atitudes de disciplina espartana, mas sim por uma sucessão de adaptações sábias.
A DESINTOXICAÇÃO ALIMENTAR
É salutar aliviar o organismo da sobrecarga alimentar. 

A energia normalmente consumida para realizar a digestão de alimentos pesados servirá então para realizar uma limpeza e uma regeneração do corpo físico. Os produtos da natureza (frutas, hortaliças, ervas e grãos) são os alimentos que exigem o menor trabalho digestivo.

Além disso, são dotados de extraordinárias propriedades despoluidoras, ou seja, depurativas. 

A sua riqueza em fibras assegura uma verdadeira “limpeza” no tubo digestivo, levando, junto com as fezes, uma grande quantidade de toxinas e resíduos.

Graças a seu elevado teor de vitaminas, sais minerais, oligoelementos, enzimas e substâncias biologicamente ativas de todo tipo, os vegetais fornecem aos órgãos de eliminação os elementos de que necessitam para funcionar perfeitamente. Além disso, quando consumidos crus, fornecem ao corpo uma água cheia de vitalidade.



A maioria das hortaliças demanda calorias ao se deslocarem de uma extremidade à outra do tubo digestivo. Na realidade, para digeri-las, o organismo queima mais calorias do que recebe. Isso gera um balanço calórico negativo, provocando uma perda de peso por combustão das gorduras em excesso.

Em alguns trabalhos que consultei, os alimentos estão classificados em quatro categorias, de acordo com o seu grau de VITALIDADE. Acho este conceito de extrema sabedoria, e toda vez que acesso um esclarecimento de forma tão clara e objetiva, não resisto, compartilho imediatamente:

1) Alimentos que GERAM VIDA – chamados BIOGÊNICOS

São a base ideal da alimentação, usando um ponto de vista qualitativo. São os germes e os brotos dos grãos, dos cereais, das leguminosas, das ervas e das hortaliças.
Germes e brotos são as plantas no início de seu crescimento, portanto extremamente ricas em substâncias que os cientistas chamam de micronutrientes. São as vitaminas, sais minerais, oligoelementos, aminoácidos, enzimas, hormônios vegetais, estimulantes biológicos, etc.).
Ao ingerirmos esse tipo de alimento cru irão reforçar a vitalidade das células e permitir que elas se regenerem constantemente.

2) Alimentos que ATIVAM A VIDA – chamados BIOATIVOS

São a base ideal da nossa alimentação do ponto de vista quantitativo.

São as frutas, ervas, hortaliças, leguminosas, nozes (sementes oleaginosas), os bagos, grãos e cereais que já estão maduros e são consumidos em perfeito estado, crus ou deixados de molho.

Os alimentos que geram a vida, e os alimentos que ativam a vida são considerados ALIMENTOS VIVOS.


Foram previstos pela natureza para assegurar a vida e o bem estar do ser humano. Seu consumo traz vitalidade e saúde em qualquer idade.

3) Alimentos que DIMINUEM A VIDA – chamados BIOESTÁTICOS

São os alimentos cuja força vital foi reduzida pelo tempo (alimentos crus por muito tempo armazenados), pelo frio (refrigeração e congelamento) ou pelo calor.
Estão incluídos aqui as carnes, o leite e derivados e os ovos.

O consumo de alimentos bioestáticos é o resultado de hábitos sociais. O seu consumo assegura o funcionamento mínimo de nosso organismo, mas provoca o envelhecimento das células, pois não lhes fornece as substâncias vivas necessárias para sua saudável regeneração.


4) Alimentos que DESTROEM A VIDA – chamados BIOCÍDICOS
São os alimentos que predominam na alimentação moderna.
São todos os alimentos cuja força vital foi destruída pelos processos físicos ou químicos de refino, conservação ou preparo.
Os alimentos biocídicos foram inventados pelo homem para sua própria perda. Ganham em praticidade, perdem em qualidade. Ganham em prazer, perdem em saúde.

Açúcar, principalmente o refinado, sal, chá preto, café, chocolate, bebidas alcoólicas, frituras, alimentos industrializados e aditivados, margarina e óleos refinados.

Envenenam pouco a pouco as células com as substâncias nocivas que contêm. É preciso saber que, mesmo em pequenas doses, qualquer produto químico adicionado aos alimentos é tóxico.

Os processos agrícolas modernos e a industrialização introduzem no organismo substâncias que paralisam o instinto alimentar, perturbam a assimilação e bloqueiam a eliminação.

Enfraquecem pouco a pouco o sistema imunológico, causam vários problemas de saúde e abrem portas às chamadas doenças da civilização – doenças cardiovasculares, câncer, reumatismo, diabetes e outras doenças degenerativas, doenças mentais.


Resumindo:
ALIMENTOS DE ALTA VITALIDADE

São os alimentos usados nas receitas da Alimentação Desintoxicante. São fáceis de digerir e apóiam os mecanismos de desintoxicação do corpo à BIOGÊNICOS (geram vida) + BIOATIVOS (ativam a vida).
ALIMENTOS DE BAIXA VITALIDADE

Exigem do organismo grande esforço para serem digeridos, intoxicam e entopem o organismo à Bioestáticos (diminuem a vida) + Biocídicos (destroem a vida).
FINALIZANDO

Agora já sabe o que deve constar no preparo dos seus sucos desintoxicantes.
E mais, o trabalho com a Alimentação Desintoxicante provoca uma real mudança de contextos e hábitos que vai muito além destes conceitos de seleção dos alimentos. São os novos rituais, a serem praticados com uma consciência em estado constante de expansão.

Existem 2 propostas neste trabalho, a da desintoxicação diária, através de sucos, sumos e lanches desintoxicantes, e a proposta de 1 ou mais dias de desintoxicação intensiva com sucos, sumos e sopas desintoxicantes. 

Esta desintoxicação intensiva deve ser realizada por pessoas que desejam sair de um processo excessivamente tóxico como parar de fumar ou beber, depressão, obesidade, relacionamentos destrutivos e etc.

De qualquer forma, recomendo para todas as pessoas, principalmente aquelas que estão numa busca determinada por crescer, a desintoxicação diária com a desintoxicação intensiva (de 1 a 7 dias) a cada 1-2 meses.
Como fazer a dieta detox – O que comer e o que evitar

Não basta somente você fazer a dieta à risca se você não mudar seus hábitos alimentares e fazer com que passe a comer somente alimentos ricos em proteínas e etc. Vamos lista aqui alguns alimentos que, ao iniciar esta dieta, você deve evitar ou consumir em uma quantidade bastante moderada.

Alimentos a serem evitados

Alimentos industrializados
Café
Bebida alcoólica
Carne vermelha
Excesso de sal
Açucares
Carboidratos refinados
    Este são os alimentos a serem evitados para que sua dieta surta efeito.

    Alimentos indicados

    Parece brincadeira, porém o principal alimento para limpar seu organismo é a água. Ela é a base de sua alimentação. Beba bastante água para esta dieta surtir efeito. Além disto você pode consumir chá verde, água de coco, limão, chá e maçã são alimentos que não podem faltar na geladeira de quem se propõe a fazer a dieta.

    Outros alimentos

    Veja mais como os sucos detox podem ser feitos, ingredientes e como preparar para você complementar sua alimentação diária.

    Exercícios

    Fazer exercício sempre deve fazer parte de suas dietas. É um complemento que faz com que seu corpo funcione melhor como um todo, além de auxiliar a perda de gorduras do corpo.
    CONCLUSÃO

    Atualmente recebemos muitas informações a respeito da saúde e da alimentação através da mídia. A cada dia surgem novos produtos alimentícios, novas tecnologias e algumas vezes ouvimos termos que, ao invés de esclarecer, tornam mais difíceis nossas escolhas alimentares do dia-a-dia. 

    Termos como alimentos orgânicos, light, diet, funcionais, nutracêuticos e transgênicos já fazem parte do nosso vocabulário, mas existe ainda pouco esclarecimento sobre o que efetivamente significam e quais as diferenças entre eles. 

    Estamos vivendo em um momento crítico da história da terra, na qual nós precisamos eleger o futuro que queremos. Os riscos são grandes para se seguir adiante. Todas as formas de vida inclusive a nossa está sob uma ameaça constante desencadeada pelo sapiens sapiens.

    Estamos em uma encruzilhada que cada vez mais nos obriga a enfrentar e repensar nosso destino comum. 

    Nossos atuais hábitos de consumo são quase que totalmente insustentáveis, gerando cada vez mais destruição do meio que se vive, tornando todos os espaços de vivência e habitação em locais completamente artificiais. 

    O ritmo evolutivo da nossa civilização a que chamamos e consideramos modernos podem ser considerados como de uma geração que ainda não alcançou a maturidade ambiental, não conseguiu perceber que quanto mais nos afastamos dos ciclos da natureza, mas estamos evocando o desequilíbrio ecológico de todas as formas de vida. 

    Quase todos os espaços criados pelos seres humanos estão ultrapassando a escala humana de manejo, necessitando cada vez mais de tecnologias que contribuem para a criação e manutenção de espaços humanos completamente artificiais, onde tudo é manejado por controles e comandos eletro-eletrônicos. 

    Controla-se o ar, a temperatura, a umidade, a refrigeração, a claridade, até a alimentação de todos que fazem parte deste mesmo ambiente, que a meu ver não pode ser considerado de ecossistema. As nossas casas estão cada vez mais se tornando em centrais poluidoras e distantes de serem considerados espaços que abrigam seres da natureza. 

    O esforço individual de cada um de nós pode fazer a diferença e causar mudanças profundas. Somos muitos habitantes, mas se cada um iniciar por fazer algo, poderá redirecionar e mudar muitas coisas, espaços e cabeças. 

    Precisamos ecologizar todos os espaços iniciando este processo por nossa consciência que permanentemente nos indica o que queremos e como fazer. A decisão é sua, e o apelo é a da natureza. 

    Educando os filhos para a sustentabilidade, é a solução mais plausível e passível de conseguir resultados ,se quisermos que modelos de sustentabilidade possam virar e ser princípios norteadores de nossas ações presentes e futuras; temos que preparar as próximas gerações. A ecologização ainda não faz parte da nossa cultura, mas precisamos fazer com que ela se torne essencial.