CONJUNTO MODERNO DA PAMPULHA,EM BELO HORIZONTE-MINAS GERAIS-BRASIL,É PATRIMÔNIO CULTURAL DA HUMANIDADE SEGUNDO UNESCO DECIDIU HOJE(17-07-2016),EM REUNIÃO EM ISTAMBUL-TURQUIA


Casa do Baile faz parte do conjunto moderno da Pampulha (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press)

Igreja de São Francisco de Assis

Conjunto moderno da Pampulha é Patrimônio Cultural da Humanidade

Representantes da Unesco reunidos em Istambul concedem título a conjunto projetado por Oscar Niemeyer

Deu Pampulha na cabeça. A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) reconheceu na manhã deste domingo em Istambul, Turquia, o conjunto moderno de Belo Horizonte, projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012), como Patrimônio Cultural da Humanidade. A reunião da 40ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, para discutir a candidatura da Pampulha, seria realizada ontem, mas, devido à tentativa de golpe de estado na Turquia, teve que ser suspensa, com todos os representantes dos países visitantes, inclusive do Brasil, orientados a não sair dos hotéis em que estavam. De BH, estão em Istambul a diretora do Conjunto Moderno da Pampulha da Fundação Municipal de Cultura (FMC), arquiteta e urbanista Luciana Feres, e a superintendente em Minas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Célia Corsino.

Espelho d'água

O conjunto moderno da Pampulha foi concebido para criar uma obra de arte total, integrando as peças artísticas aos edifícios e esses à paisagem, apresentando as quatro primeiras obras assinadas por Niemeyer e os jardins planejados pelo paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994), painéis com azulejos do pintor Cândido Portinari (1903-1962) e esculturas de artistas renomados como Alfredo Ceschiatti (1918-1989), Augusti Zamoyski (1893-1970) e José Alves Pedrosa (1915-2002).

Formado por uma paisagem que agrega quatro edifícios articulados em torno do espelho d’água de um lago urbano artificial, o Conjunto Moderno da Pampulha é formado pela Igreja de São Francisco de Assis, o Museu de Arte da Pampulha (MAP), antigo cassino, a Casa do Baile, atual Centro de Referência em Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte e o Iate Tênis Clube, todos construídos entre 1942 e 1943.

A campanha a favor do reconhecimento da Pampulha como Patrimônio Cultural da Humanidade começou há 20 anos, mas ganhou força em 2012. Nessa escalada, o primeiro passo foi a aceitação pela Unesco da inclusão do bem na Lista Indicativa do Patrimônio Mundial. Um dossiê sobre a candidatura foi entregue ao Iphan que, por meio da delegação permanente do Brasil na Unesco, o apresentou ao Comitê do Patrimônio Mundial.

Unesco descreve Pampulha como local que reflete a influência das tradições locais

A Pampulha recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade neste domingo em Istambul, na Turquia


“O conjunto compreende formas arrojadas que exploram o potencial plástico de concreto, enquanto fusão de arquitetura, design de paisagem, escultura e pintura em um todo harmonioso”. Essas foram algumas palavras usadas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) para descrever a Pampulha, que ganhou neste domingo o título de Patrimônio Cultural da Humanidade.

Ao fazer referência ao reconhecimento da Pampulha, a Unesco fez uma descrição da região. “A Pampulha Modern Ensemble era o centro de um projeto de cidade-jardim visionário criada em 1940 em Belo Horizonte , capital de Minas Gerais . Concebido em torno de um lago artificial , este centro cultural e de lazer inclui um casino, um salão de baile , o Golf Yacht Club e a igreja São Francisco de Assis . Os edifícios foram concebidos pelo arquitecto Oscar Niemeyer, em colaboração com artistas inovadores”, disse.

A Organização destacou as diferentes tradições no entorno da Lagoa da Pampulha que mostra um pouco dos mineiros e do país. “Ele reflete a influência das tradições locais , o clima brasileiro e ambiente natural nos princípios da arquitetura moderna”, completou.

A reunião da 40ª Sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, para discutir a candidatura da Pampulha, seria realizada nesse sábado, mas, devido à tentativa de golpe de estado na Turquia, teve que ser suspensa, com todos os representantes dos países visitantes, inclusive do Brasil, orientados a não sair dos hotéis em que estavam. De BH, estão em Istambul a diretora do Conjunto Moderno da Pampulha da Fundação Municipal de Cultura (FMC), arquiteta e urbanista Luciana Feres, e a superintendente em Minas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Célia Corsino.

A partir de agora, a Pampulha integra um seleto grupo reconhecido pela Unesco, do qual fazem parte as Muralhas da China, as Pirâmides do Egito, o Palácio Taj Mahal, na Índia e os profetas esculpidos por Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho (1737-1814), entre mais de mil bens mundo afora. Em Minas, será o quarto conquistado, embora o primeiro modernista: já estão na lista os centros históricos de Ouro Preto, na Região Central, e Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, também na Região Central. 

Fonte:http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/07/17/interna_gerais,784423/conjunto-moderno-da-pampulha-e-patrimonio-cultural-da-humanidade.shtml

"É muita emoção, é um sentimento de agradecimento, porque foram anos de trabalho, como um atleta para uma Olimpíada: treinamos, treinamos, treinamos e depois ganhamos. Foi um trabalho conjunto da Prefeitura de Belo Horizonte, junto com Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), que transcende a cidade e alcança o país", afirmou.
Prevista para ser votada no sábado, a decisão sobre o título foi adiada por um dia devido à tentativa de golpe no país europeu. "Foram momentos tensos, em que nós não dormimos acompanhando nossos técnicos, até que, no fim da tarde de sábado, houve a retomada da reunião, e somente os bens que tinham parecer favorável da Unesco foram apreciados. A Pampulha era um deles e hoje (ontem) tivemos a declaração. De 6h às 8h, só consegui chorar de emoção e de alegria", disse o presidente da Fundação Municipal de Cultura, Leônidas Oliveira.
O Conjunto Moderno da Pampulha inclui os edifícios e jardins da Igreja de São Francisco de Assis, Casa do Baile, Iate Tênis Clube e Museu de Arte – construídos entre 1942 e 1943 por alguns dos principais nomes brasileiros da arte e da arquitetura, como Oscar Niemeyer, Roberto Burle Marx e Candido Portinari –, além do espelho d'água e da orla da lagoa. Com o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, o conjunto passa a contar com o compromisso de proteção da Unesco e de 190 países signatários da Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial, Cultural e Natural.
"Não somente o conjunto moderno da Pampulha foi reconhecido, mas também a paisagem moderna, a genialidade de Niemeyer e a singularidade do exemplar para o mundo, o que significa que a orla inteira da lagoa, da calçada para dentro, e isso inclui os monumentos, estão protegidas pela humanidade", afirmou Oliveira. De acordo com ele, dados da Organização Mundial de Turismo apontam que as cidades beneficiadas com o título ganham um incremento de 40% no turismo.
O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), comemorou o título, ressaltando a importância para a geração de emprego e renda na cidade e para a autoestima dos moradores. "Esse reconhecimento aumenta nossa responsabilidade e nosso compromisso, no sentido de preservar e tornar cada vez mais rico, bonito e acolhedor esse espaço, não só para os habitantes de Belo Horizonte, mas de toda a região metropolitana e Minas Gerais", afirmou.
Título. No documento avaliado ontem pelo Comitê do Patrimônio Mundial, a Unesco afirma que o Conjunto Moderno da Pampulha "reflete os princípios da arquitetura moderna desenvolvida nas primeiras décadas do século XX, que foi libertada da construção rígida e adaptada para refletir tradições locais, o clima brasileiro e arredores naturais". Além disso, o texto destaca a "colaboração dinâmica entre vários artistas inovadores em seus respectivos campos de atividade".
A Unesco considera que o conjunto, como um todo, pode ser considerado "suficientemente intacto", com destaque para o bom relacionamento entre os quatro edifícios, a lagoa e o bairro. Entre as ressalvas, o documento chama a atenção para as alterações do Iate Tênis Clube, que perdeu parte de suas características originais, e a poluição da lagoa, "que continua a ser um problema, em relação à ideia de uma bela paisagem que oferece atividades de lazer". Por fim, o texto cita a necessidade de restauração dos jardins de Burle Marx, que são "um importante aspecto do conjunto".
"A lista (de adequações) não é pequena, mas são todas absolutamente factíveis, e a maioria ou quase a totalidade já estão em andamento, com orçamento definido", afirmou o prefeito Marcio Lacerda.
Segundo ele, o maior obstáculo do conjunto hoje é a restauração do Iate – o clube possui um anexo de 1970 que descaracteriza a obra original de Niemeyer. "Nós temos um decreto de interesse para desapropriação (do clube) que continua valendo e poderá ser aplicado caso não se chegue a um acordo decente do ponto de vista do interesse público, que está sendo intermediado por meio do Ministério Público", disse Lacerda. Em relação à lagoa, a expectativa é que, até no fim deste ano, a água seja adequada para a prática de esportes náuticos.
Segurança pode ser reforçada
O título de Patrimônio Cultural da Humanidade pode trazer mais segurança ao Conjunto Moderno da Pampulha à medida que mais pessoas passem a visitar e a ocupar o local, de acordo com o prefeito Marcio Lacerda. "O risco de insegurança maior e mais violento ocorre principalmente nos locais mais isolados, com pouca presença de pessoas. Com a população ocupando e se apropriando do espaço, isso acaba afastando os oportunistas", afirmou.
Segundo ele, o número de policiais na capital é insuficiente para garantir a segurança necessária. "Infelizmente em Minas temos um efetivo muito pequeno da Polícia Militar, que tem hoje exatamente o mesmo efetivo de quando Minas tinha 10 milhões de habitantes, hoje são 20 milhões. São 5 mil militares em Belo Horizonte, (número) absolutamente insuficiente para o nível de segurança que nós merecemos", pontuou.
De acordo com o prefeito, a Guarda Municipal, que tem efetivo de cerca de 2.200 guardas, atua em tempo integral na Pampulha. "Certamente precisaríamos ter mais, mas nosso orçamento também não permite. Podemos ampliar o número de câmeras aqui na região", afirmou o prefeito, sem dar detalhes sobre a possível instalação de novos equipamentos.
Recomendações da Unesco. Plano de restauração do Iate Tênis Clube; novo projeto para praça Dino Barbieri, para refletir paisagens de Burle Marx; restauração da entrada original da Casa do Baile; melhoria da qualidade da água da lagoa; proteção não apenas dos edifícios-chave do conjunto, como do bairro; criação de estratégia de turismo; fortalecimento da participação das autoridades locais e comunidades na gestão; proteção e planejamento do bloco de casas de frente para o lago, para que participem de forma adequada do conjunto.
Ações. Segundo Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura, a maioria das recomendações já foi cumprida, como a restauração da Casa do Baile e de cinco jardins de Burle Marx. Aguardam recursos a restauração da Igrejinha e do Museu de Arte.
Investimento. Segundo Leônidas Oliveira, cerca de R$ 150 milhões foram investidos em projetos no Conjunto Moderno da Pampulha para a candidatura ao título.
Para fomentar o turismo na Pampulha, a Fundação Municipal de Cultura estuda uma série de novidades e investimentos a partir de agora que o conjunto se tornou Patrimônio Cultural da Humanidade. Apenas com a campanha de candidatura, o turismo cresceu 35% no local.
Uma das ideias é a criação de um ônibus turístico, que deve ser licitado ainda neste ano, para levar os turistas de um edifício ao outro. "Estou com uma ideia, que é mais agradável ao contexto do patrimônio histórico, que é um ônibus retrô, como os de 1950, que circule pela orla, ligando barcos, equipamentos e tudo mais", contou Leônidas Oliveira.
Outro objetivo é a venda de pacotes turísticos com passeios de dois dias em Belo Horizonte que incluam, além da Pampulha, o Mercado Central e a Praça da Liberdade, por exemplo. A intenção é captar, principalmente, turistas de outros Estados ou países que vêm para Minas Gerais visitar as cidades históricas – atualmente, apenas 8% desse público passeia pela capital, segundo pesquisas.
"Hoje há pacotes turísticos apenas sob demanda, por isso estamos organizando pacotes com os atrativos que a capital tem para que deixe de ser uma cidade de passagem e passe a ser um local que as pessoas venham e fiquem para conhecer", disse Oliveira. Segundo ele, a criação do pacote já está em negociação com várias agências de turismo do país.
Outros projetos, como a criação do Fórum de Negócios e Eventos (Fone), a capacitação de professores da rede municipal para serem multiplicadores do turismo na capital, a ampliação do número de Centros de Atendimento aos Turistas e a venda de "lembrancinhas" da Pampulha estão sendo articulados. "O título é importante, mas a potencialização do título é, quiçá, mais importante, porque não tem sentido fazer isso se não encher de pessoas. Pretendemos fazer vários programas, exposições e criar um programa de valorização da cidade", disse Oliveira.
Sobre o título

Campeão. Minas Gerais é o Estado brasileiro com mais sítios declarados Patrimônio Cultural da Humanidade. Além do Conjunto Moderno da Pampulha, são considerados bens a Cidade Histórica de Ouro Preto, o Centro Histórico da Cidade de Diamantina e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas. No país, são 20 sítios declarados, no total.
Critérios. O Conjunto Moderno da Pampulha se candidatou ao título da Unesco sob três critérios. O primeiro deles foi representar uma obra-prima do gênio criativo humano, o segundo critério é a exibição de intercâmbio de valores humanos que impactaram o desenvolvimento da arquitetura, as artes monumentais, o urbanismo e o paisagismo, e o terceiro é ser um exemplar excepcional de um conjunto arquitetônico que ilustra um estágio significativo da história.
Candidatura
O Conjunto Moderno da Pampulha, composto pela Igreja São Francisco de Assis, Iate Tênis Clube, Casa do Baile e Museu de Arte, que foi projetado por Oscar Niemeyer, aguardou o sim da 40ª reunião da Unesco para se tornar oficialmente o Patrimônio Cultural da Humanidade.
A candidatura, que já durava 20 anos, ganhou fôlego nos últimos quatro, e seu sucesso pode garantir investimentos para a região e incremento no turismo de toda capital.

Fonte:http://www.otempo.com.br/cidades/complexo-da-pampulha-ganha-t%C3%ADtulo-de-patrim%C3%B4nio-da-humanidade-1.1339209


Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA