A RELAÇÃO DO SOM COM O CORPO HUMANO E OS CHAKRAS - PARTE 1


A relação do som com o corpo humano e os chacras – Parte 1



Se você quer mudar realmente use a Intenção e o Verbo!
Dentro da Técnica EMF Balancing Tecnique® usamos um Protocolo Verbal e Gestual que desencadeia Coerência, Ordem, Equilíbrio e Amor Incondicional! Transformação e estabilidade, tudo como em uma grande Orquestra, onde reina a Sonoridade, o Movimento, a Harmonia e Equilíbrio! Veja abaixo:


O som é vibração em forma audível. Se o nosso aparelho auditivo tivesse um alcance maior, de modo a captar todas as frequências em cada intensidade sonora, então ouviríamos a música das flores, dos campos, das montanhas e dos vales, o canto do céu e das estrelas, bem como a sinfonia do nosso próprio corpo. As opiniões da ciência moderna confirmam aquilo que os místicos e sábios de todas as culturas reconheceram e empregaram para a harmonização, a cura e a ampliação da consciência do ser humano, a vida inteira da criação.
Desde os tempos mais remotos, o homem percebeu todo o seu potencial musical. Usando os materiais que tinha à disposição (pedras, ossos, madeiras, o próprio corpo e a voz), ele foi combinando sons e silêncios das mais diversas maneiras, surgindo assim a música.
Em sua origem, ela era usada para venerar a natureza, os deuses e para conectar o ser humano com forças maiores, envolvendo realidade, magia e crenças. Até hoje ela é responsável pela criação dos mais diferentes sentidos e significados. O som é vibração em forma audível.
A ciência confirma que todas as partículas no Universo, bem como todas as formas de radiação, todas as forças da natureza e cada informação, obtém suas características específicas através da sua estrutura musical, através da frequência e do padrão melódico, bem como através dos sons fundamentais com suas vibrações especiais.
O som da música pode ser utilizado para nos “religarmos” com as forças da vida que agem no núcleo mais íntimo de todas as coisas, para equilibrar nossas energias e para criar harmonia com a vida no Universo.
Quando ouvimos uma música, suas ondas sonoras (vibrações) alcançam o tímpano do ouvido gerando reações químicas e impulsos nervosos que registram em nossa mente os diferentes tipos de som que estamos ouvindo. Como as raízes dos nervos do ouvido são extensamente distribuídas sendo um dos que mais possuem ligações com o cérebro, todas as funções no nosso organismo são influenciadas. Elevando-se através do tálamo (área estacionária que reveza todas as emoções, sensações e sentimentos), a área mestre do cérebro (razão) é automaticamente influenciada.
Estudos têm revelado que o impacto da música no sistema nervoso altera as batidas do coração, a respiração, a pressão sanguínea, a digestão, o balanço hormonal, temperamentos, atitudes, além de liberar adrenalina. As reações podem variar em cada indivíduo e o resultado é sempre único. Van de Wall no seu livro “Music in Hospitals” explica que as vibrações sonoras causam contrações e colocam em movimento braços, mãos, pernas e pés automaticamente. Em testes com determinados pacientes, aconteceram movimentos involuntários, sendo necessária a retenção muscular consciente do paciente.
Somos essencialmente criaturas rítmicas. Tudo, desde o ciclo das ondas do nosso cérebro, às batidas do coração, nosso ciclo digestivo, ciclo do sono. Tudo trabalha com ritmos. Nossa  mente trabalha com as mais diversas faixas vibratórias (frequências), até porque nosso corpo foi criado para captar e processar todas essas energias. Assim, aquele que sabe manipular a vibração pode transformar as coisas ao seu redor e CRIAR!
Toda oração é invocação ou chamado. Toda palavra/som, primeiramente influi no corpo de quem emite, e só depois alcança seu objetivo externo. É por isso que tudo que desejamos (e pela palavra cristalizamos) para o próximo, a nós mesmos estamos desejando. De toda palavra inútil teremos que prestar contas. NOSSA PALAVRA É NOSSA LEI.
Os mantras são palavras ou sons especiais que se criam por meio do ritmo e da nota-chave de cada pessoa. O íntimo (Atman), de acordo com nossos pensamentos e aspirações puras, pode nos dar a verdadeira pronúncia das palavras sagradas. O poder magnético da palavra humana é conhecido pelos estudiosos do oculto. E nós temos mecanismos que reagem aos sons, que fazem parte de nosso corpo desde a criação da raça humana.
Esses receptores são os chacras, que só são visíveis por sensitivos (pois ficam no corpo etérico). Eles captam as energias que nos circundam no etérico, astral e mental e, como um transformador, “convertem” para um padrão que o corpo possa assimilar. Informações mais detalhadas podem ser encontradas nos livros de Leadbeater e Blavatsky, então farei um breve e modesto resumo:

Chacra (roda, em sânscrito) é um centro de força, que gira como uma roda, captando e irradiando energia como um vórtice, ou, de forma mais poética, como uma galáxia microscópica. Alguns sons específicos, como as vogais do alfabeto, emitidos pela nossa voz, vibram nestes centros do nosso corpo, emitem uma coloração e causam efeitos bioquímicos em nós mesmos e em quem os ouvir.
São harmonizantes, relaxantes e curativos. Causam efeitos físicos que revitalizam, animam e auxiliam na interiorização. Levam-nos para dentro e para fora, para cima e para baixo. Cada som age especificamente sobre um centro energético, ressoa em uma área vibratória específica do corpo. Os centros principais são: o básico (centro vital; Hara), o cardíaco (centro pessoal), e na cabeça (centro impessoal). O som dos tambores, por exemplo, estimulam os chacras básicos e impulsionam à ação. Os sons melodiosos de um instrumento como o violão e o piano, estimulam o centro cardíaco, a afetividade. O centro dos chacras superiores é ativado por sons de pouca modulação, suaves, como da música New Age, que traz paz e equilíbrio interior.
Algumas tradições musicais indianas, e certos instrumentos, como a cítara, ativam os três centros ao mesmo tempo. Isto promove o alinhamento perfeito entre os centros principais e todos os demais chacras. A vibração do centro básico deve se elevar, ao passo que a vibração do centro superior deve descer e se corporificar. E é no coração que acontece esse encontro, que é o centro pessoal do ser, nascido da terra… E descendido do céu.

Fonte:http://www.eusemfronteiras.com.br/a-relacao-do-som-com-o-corpo-humano-e-os-chacras-parte-1/