OS SUPERDOTADOS SURPREENDEM PELA INTELIGÊNCIA ACIMA DE GÊNIOS DA HUMANIDADE

Kian mostra documento com a nota no teste de QI (Foto: Reprodução/Mirror)

Menino de 11 anos supera cientistas em teste de QI, mas quer ser jogador de futebol


O estudante Kian Hamer, de 11 anos, fez um teste de QI e atingiu dois pontos a mais que dois grandes cientistas, Albert Einstein e Stephen Hawking, mas pretende seguir uma carreira não relacionada às ciências: como jogador de futebol.
Segundo o Mirror, na semana passada o garoto recebeu uma carta da Mensa, organização que reúne pessoas com alto QI, confirmando que ele obteve 162 pontos no teste.
Apesar de estar sendo considerado uma criança prodígio, o jovem morador de West Midlands (Inglaterra) pretende se esforçar para ser jogador de futebol e, inclusive, já faz parte de um time de garotos da mesma idade.
O pai do menino, o bombeiro Rich Hamer, de 43 anos, diz estar orgulhoso do filho, mas afirma que não está inflando o ego dele. "Ele é esperto, mas não estou chamando ele de gênio. Quero que ele mantenha os pés no chão", explica ele. Hamer ainda acrescenta que tem ouvido piadas sobre a nota do garoto e a carreira escolhida por ele. "Muitas pessoas têm dito que é muito esperto para ser jogador de futebol", comenta ele.
Apesar isso, Kian diz estar orgulhoso pelo resultado, mas garante que os pontos não mudam seu sonho. "Eu ainda quero ser um jogador profissional quando eu crescer. Eu amo jogar futebol".




Garota de 12 anos tem QI maior que Einstein e Hawking

Redação RedeTV!


A menina Nicole (Foto: Reprodução/Mirror)
Uma menina de 12 anos, de uma comunidade nômade, está sendo considerada um gênio após ultrapassar Albert Einstein e Stephen Hawking em um teste de QI. As informações são do "Mirror".
Com dois pontos a frente, com 162 de QI, Nicole Barr entra para o ranking das pessoas mais inteligentes do planeta. O resultado é mais alto que o de Albert Einstein, Stephen Hawking e Steve Jobs, que têm QI de 160.

A mãe Dolly Buckland, de 34 anos, contou estar muito orgulhosa da filha. Segundo ela, desde pequena, a menina apontava erros em revistas e livros, e sempre pede lição de casa extra. "Ela está determinada a terminar a escola, ir para a universidade e se tornar uma pediatra", diz a mãe, que vive com a família em Essex, no Reino Unido.
"Quando soube que tive uma nota tão alta foi tão inesperado. Eu fiquei em choque", disse a menina. "Eu me lembro de quando estava no primário e eu interpretava um anjo em uma peça da escola, mas outra garota, que fazia outro anjo, não apareceu, então eu decorei suas falas também".

O resultado da menina ultrapassou dois gênios, Hawking e Einstein (Foto: Reprodução/Mirror/Reprodução)
Para o pai, a nota alcançada no teste é fruto "da conversa da comunidade cigana". "Para nós é muito bom estar nas notícias de maneira positiva,  para causar alguma mudança", disse o homem, que é divorciado da mãe de Nicole. "Isso mostra que não importa de onde você vem, qualquer um pode ser brilhante".
Segundo a Mensa, uma organização baseada em diversos países e que aceita pessoas com alto QI, apenas 8% de seus membros são menores de 16 anos, sendo que somente 35% são mulheres.

 O caso de Nicole Barr, uma menina de 12 anos que obteve o resultado de 162 em um tradicional teste de QI (quociente intelectual) - dois pontos acima de dois grandes cientistas de diferentes épocas, Albert Einstein e Stephen Hawking - chamou a atenção do mundo nesta semana. A estudante, que vive em uma comunidade nômade, foi bastante elogiada pelos professores e até mesmo chamada de gênio pela imprensa britânica.
A reação levanta duas questão: basta QI alto para ter sucesso na vida? E ainda: considerando que o processos de aprendizagem e interesses se manifestam de diferentes formas, seria possível um teste padrão avaliar a 'genialidade' de alguém?
O teste que avalia o quociente intelectual foi inspirado por um exame criado por Alfred Binet, em 1900, para dar uma estimativa da habilidade cognitiva de crianças ao longo da infância, e assim identificar suas habilidades e deficiências a fim de dar auxílio, caso seja necessário. 


“Acho que todos se depararam alguma vez na vida com pessoas muito inteligentes, mas que não deram certo nem profissional nem socialmente por não terem 'inteligência emocional'", afirma a a psicóloga Regiane Esposito, especialista em Psicopedagogia, Psicodrama e Neuropsicologia, e que trabalha há mais de 20 anos com crianças, jovens e adultos com Deficiência Intelectual.O QI médio para a população é 100, enquanto 140 já é uma pontuação considerada bem acima do normal - o que torna o caso de Nicole fora do comum, mas não o único. Personalidades como Steve Jobs, Bill Gates, Madonna, Shakira, Sharon Stone, Quentin Tarantino e Roger Moreira, vocalista da banda Ultraje a Rigor, também tiveram notas altas no teste. No entanto, o resultado não significa, necessariamente, que exista um ‘futuro brilhante’ reservado para esse 'gênio'. 

Em casos como o de Nicole, a psicóloga diz acreditar que o rótulo recebido pelo resultado não irá acrescentar em nada nesta fase da vida. “Gênio é aquele que traz no decorrer de sua história um 'salto' de conhecimento que favorece toda a humanidade. Vamos ver como será a história dessa garota”, comenta. “O importante é que ela tenha um bom desenvolvimento em todas as áreas da vida e seja feliz”, acrescenta.

Como funciona

O teste psicrométrico, que identifica o QI, estipula, entre outras coisas, a capacidade cognitiva geral de uma pessoa. A média da população é de 110  “Os testes mais comuns utilizados pelos psicólogos são compostos de algumas provas verbais e algumas de execução. Não há a expectativa de "provar" alguma coisa”, afirma Regiane.
Regiane explica que as avaliações, que não são nacionais, foram padronizadas para o uso com o povo brasileiro, mas que, geralmente, só é aplicado em alguns casos.
“Seu uso é indicado normalmente quando não está ocorrendo uma adaptação adequada ao conteúdo escolar, seja pelo fato da criança ou adolescente não conseguir acompanhar o programa pedagógico ou demonstrar extrema facilidade de assimilação, podendo nesse caso, ocorrer um desinteresse pela escola”, esclarece a psicóloga. “Há ainda indicação para sua aplicação quando há suspeita de déficit cognitivo ocasionado por demência ou outras doenças neurológicas”.
O psicólogo Rodolfo Ambiel, especialista em Avaliação Psicológica pela Universidade São Francisco, explica que o teste é um processo sistemático que pode demonstrar em quais áreas a pessoas tem mais facilidade ou dificuldade. "É possível compreender que uma pessoa pode ter alta habilidade de lidar com números, mas uma habilidade menor de lidar com palavras, por exemplo, ou vice-versa".
Ele destaca que outros fatores podem estar por trás da 'genialidade'. "O meio ambiente e o aspecto social têm um peso bastante relevante. Por exemplo, os anos de escolaridade de uma pessoa tendem a influenciar diretamente seu desenvolvimento cognitivo", explica". "Também a exposição a ambientes ricos em recursos como, por exemplo, disponibilidade de livros, em geral ajudam bastante no desenvolvimento das crianças".

Gênio da internet

A avaliação pode ser aplicada somente por psicólogos, e é fruto de pesquisas e padronizações – o que, segundo Regiane, invalida os resultados de testes disponíveis na internet, que não passaram por nenhum estudo.
Já Ambiel alerta que é preciso ter muito cuidado com os testes encontrados na internet. “Na grande maioria das vezes, os testes de internet que prometem avaliar o QI das pessoas não passa de uma brincadeira feita por pessoas que não tem a menor ideia do que seja psicologia, avaliação psicológica e mesmo o QI. Em geral, testes online são de senso comum, não tem qualquer base conceitual ou científica que sustente as interpretações que sugere”.

Fonte:http://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/da-para-acreditar/