MÉDICOS ALERTAM PARA PERIGOS DE METAIS EM PEIXES DO RIO DOCE-BRASIL

Peixe agoniza na lama do Rio Doce (Foto: Leonardo Merçon/ Instituto Últimos Refúgios)

Peixe agoniza na lama do Rio Doce; foto de 12/11/2015 
(Foto: Leonardo Merçon/ Instituto Últimos Refúgios)

Médicos alertam para perigos de metais em peixes do Rio Doce

Estudo aponta que contaminação ultrapassa limites de legislação ambiental.
Resultado de análises será apresentado à ministra do Meio Ambiente.

Tatiana MouraDe A Gazeta

29/03/2016 11h30

Médicos alertaram sobre os perigos para a saúde que a contaminação de peixes por metais pesados, acima dos limites permitidos pela legislação, podem causar. Um laudo divulgado nesta segunda-feira (28) mostra que o nível de arsênio encontrado no peixe roncador, por exemplo, ultrapassa em 140 vezes o limite de contaminação.

Além de arsênio, foram identificados metais como alumínio, chumbo e mercúrio. O presidente da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), Otto Baptista, afirma que em contato com o organismo, esse metal causa cólicas abdominais, náuseas, raquitismo e alterações neurológicas com graves danos ao tecido cerebral.
Ele defende que é preciso fazer um trabalho de conscientização com a população. “É preciso orientá-la de forma educativa em relação aos riscos”, disse.
Os índices de mercúrio em um dos pontos ultrapassavam 13 vezes o tolerável, enquanto os resultados de manganês estavam quatro vezes acima do normal.
Baptista lembra que o mercúrio é mais nocivo durante a gestação, uma vez que os bebês podem nascer com doenças neurológicas, enquanto os sintomas de intoxicação por manganês são observados nos sistemas nervoso central e respiratório.
O nefrologista Michel Assbu afirma que o cádmio, também encontrado, pode alterar a função reprodutora do homem e da mulher. “E ser um gatilho para o desenvolvimento de todos os tipos de cânceres. Os sintomas da intoxicação serão sentidos a longo prazo e dependendo da quantidade ingerida”.
O doutor em ciências fisiológicas e professor da UVV e do Ifes, Thiago de Melo, alerta que é preciso se prevenir. “Utilizar água proveniente de outras vias e não se alimentar de pescados da região”.

Peixe na lama de mineração, no Rio Doce (Foto: Leonardo Merçon/ Instituto Últimos Refúgios)Peixe na lama de mineração; foto de 12/11/2015 (Foto: Leonardo Merçon/ Instituto Últimos Refúgios)
Veja os danos causados
Ferro
O excesso pode ir para o fígado, provocando doença chamada hemossiderose.

Alumínio
Pode atingir o sistema nervoso e causar crises convulsivas como epilepsia.

Cádmio
Pode causar doença renal, fazer com que os ossos não se calcifiquem adequadamente.

Arsênio
O rim pode parar de funcionar totalmente.

Chumbo
Altera a função cognitiva da criança e em adultos pode causar doenças cardiovasculares.

Mercúrio
Pode levar à alterações no cérebro da criança e de mulheres grávidas.

Manganês
Problemas de memória, alucinações, Parkinson, embolia pulmonar.

Fonte:http://g1.globo.com/espirito-santo/desastre-ambiental-no-rio-doce/noticia/2016/03/medicos-alertam-para-perigos-de-metais-em-peixes-do-rio-doce.html

Peixe agoniza na lama do Rio Doce (Foto: Leonardo Merçon/ Instituto Últimos Refúgios)