INFERNO - DAN BROWN - RESENHA


Resenha: Inferno - Dan Brown


Título: Inferno
Original: Inferno
Série: Robert Langdon #04
Autor: Dan Brown
Páginas: 448
Editora: Arqueiro (maio de 2013)


Sinopse: No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.

Robert Langdon está de volta em mais um eletrizante livro do aclamado autor Dan Brown. Seguindo a mesma linha dos títulos anteriores, somos apresentados à uma narrativa detalhista no que se refere aos cenários e acelerada no que se refere às partes de ação. Facilmente o leitor se pegará folhando páginas e mais páginas para tentar descobrir o que está acontecendo em tal perseguição ou momento de perigo.

Após acordar dentro de um hospital e não ter a menor ideia do que aconteceu com ele, Robert Langdon começa a desconfiar que alguém está lhe perseguindo e tentando até mesmo matá-lo. Felizmente, nosso protagonista contará com a ajuda da médica Sienna Brooks para fugir e descobrir o que se passou nas últimas 36 horas da sua vida.

A trama concentra-se na Itália durante boa parte do livro, onde Robert visitará vários lugares conhecidos a fim de descobrir o significado de um estranho objeto encontrado no seu paletó. Gosto muito das descrições locais feitas pelo Dan Brown e sempre me imagino visitando os lugares de seus livros. Um dia, quem sabe...

Inferno remete claramente à obra Divina Comédia do artista Dante Alighieri e seus desdobramentos, onde a pessoa que comete pecados deve sofrer muito para ter a chance de chegar ao Paraíso, e é focando exatamente nisso que o protagonista descobrirá os mistérios que o cercam desde que acordou com amnésia.

Os lugares mais sombrios do Inferno são reservados àqueles que se mantiveram neutros em tempos de crise moral.

Gostei bastante desse livro do Dan Brown. Fui premiado, além de uma boa narrativa, com um debate muito interessante a respeito do crescimento populacional desacelerado e suas implicações para o futuro da humanidade. Saliento aqui que esse é o tema central de todo o livro e foi muito bem explorado, por sinal.

O único ponto negativo (que para mim não é tão influente assim) é o fato do autor utilizar praticamente a MESMA coisa dos seus outros livros: somente Langdon resolve os problemas, existem sempre perseguições frenéticas, entre outras. Eu não chego a considerar isso ruim, mas aqueles que nunca gostaram das histórias do Dan Brown não irão mudar a sua opinião com esse livro.

Mesmo assim, fica a dica de uma boa leitura. Até a próxima!

Pontos fortes: tema interessante e narrativa frenética.
Pontos fracos: se você não gostou dos livros anteriores de Dan Brown, certamente não irá gostar deste também.

Fonte:http://desbravandolivros.blogspot.com.br/2013/09/resenha-inferno-dan-brown.html

No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história – O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.
Inferno é o quarto livro de Dan Brown com o simbologista Robert Langdon à frente e, assim como os outros, traz uma trama bem amarrada e cheia de reviravoltas. A fórmula é a mesma que vemos emAnjos e DemôniosO Código da Vinci e O Símbolo Perdido. Portanto, se você não gostou desses livros citados, não encontrará algo muito diferente nessa nova história.
Dessa vez, o professor de Harvard acorda desmemoriado em um hospital e logo sofre um atentado contra sua vida. A partir daí, ele conta com a ajuda da Dra. Sienna Brooks para decifrar um enigma que envolve um objeto encontrado no seu paletó e o poema épico escrito por Dante Alighieri: A Divina Comédia.
“Os lugares mais sombrios do Inferno são reservados àqueles que se mantiveram neutros em tempos de crise moral.”
A principal característica da narrativa de Brown, e o que particularmente mais me agrada nela, é seu ritmo frenético e a estrutura da trama.  Como um quebra-cabeça, as peças vão sendo encaixadas e novos enigmas estão sempre surgindo. Nenhuma informação é dada antes da hora. Isso impulsiona o leitor de maneira ímpar e garante uma leitura bem rápida. Sem falar que o final sempre guarda pelo menos uma grande revelação de tirar o fôlego. Nunca sabemos em quem confiar.
As descrições de obras de arte e monumentos, assim como os fatos históricos, também são fatores que me agradam bastante nos livros desse autor. Conseguimos mentalizar muito bem o ambiente descrito, tornando tudo mais vívido e realista. Além disso, sempre existe a possibilidade de pesquisar o que está sendo mostrado, garantindo uma maior interatividade com o livro (nunca li nenhuma história de Dan Brown sem pesquisar no Google imagens dos locais e obras citadas). Mesmo assim, é compreensível que algumas pessoas achem tais descrições extensas demais, a ponto de “quebrar” o ritmo de leitura. Outro ponto negativo pode ser o fato de Dan utilizar a mesma fórmula, meio que roteirizada, em todos os seus livros (para mim isso não tem tanta influência).
No geral, a única coisa que me desagradou foi parte da explicação para alguns acontecimentos (que infelizmente não posso colocar aqui – seria um grande spoiler). Esperava algo mais elaborado. Mesmo assim, é um problema pequeno comparado à obra completa. Apenas uma questão de preferência.
Inferno cumpre seu dever de casa e garante uma excelente leitura. Promove uma boa reflexão sobre assuntos atuais (envolvendo ciência e o futuro da humanidade), possui cenários magníficos e nos permite conhecer mais a fundo a vida e a obra de Dante Alighieri, assim como sua influência, que perdura até hoje. Se você gosta de thrillers de conspiração, esse livro é perfeito.
– Portões do Paraíso? Mas eles não ficam… no Céu?
– Na verdade – disse Langdon, abrindo um sorriso de ironia e se encaminhando para a porta – se você souber onde procurar, Florença é o Céu.

Fonte: http://becoliterario.com/resenha-inferno-dan-brown/

Inferno, último livro lançado por Dan Brown, é o sexto livro de ficção lançado pelo escritor. Para os que não o conhecem, Dan Brown ficou famoso mundialmente pelos livros “O Código da Vinci” e “Anjos e Demônios“, graças às temáticas polêmicas retratadas nos livros quanto à riqueza dedetalhes e de criatividade. Seu último livro possui as mesmas marcas dos livros anteriores do escritor, o que agrada, mas, ao mesmo tempo, decepciona.
Inferno traz novamente Robert Langdon, protagonista dos maiores sucessos de Brown. Robert acorda em um hospital em Florença, na Itália, com perda parcial de memória. Sem saber como ou quando chegou ao local, Robert sente fortes dores na parte de trás de sua cabeça, e é informado pelos médicos Marconi e Sienna Brooks que ele havia sofrido uma lesão ao levar um tiro de raspão. Após uma longa conversa, uma das antagonistas da Obra, Vayentha, chega ao hospital procurando por Langdon, e, não demonstrando piedade, mata Marconi. Com a ajuda de Sienna, Robert consegue fugir, mesmo com dificuldades. O casal chega ao apartamento de Sienna, onde descobre que ela é superdotada. Ao longo da história, Robert acha um cilindro contendo o símbolo de risco biológico em um bolso secreto de seu paletó. Ao conseguir abrir o cilindro, eles deparam-se com um mapa alterado do Inferno, de Sandro Botticelli, inspirado na obra de mesmo nome de Dante Alighieri, o que desencadeia muito mistério e ação para a dupla.
Ao mesmo tempo que tudo isto está acontecendo, a diretora-geral da OMS, Elizabeth Sinskey, é sequestrada por um grupo secreto. Elizabeth possuia intrigas com um cientista transumanista radical (Transumania é uma filosofia que analisa e incentiva o uso da ciência e da tecnologiapara superar as limitações humanas.) que tinha o plano de criar uma praga biológica para resolver o problema da superpopulação.
Enquanto isso, o Mendacium, uma agência secreta que protege dados, planos e pessoas da mídia tem em mãos um segredo de um de seus mais paranóicos clientes que pode acabar com toda a raça humana.
2
Inferno aborda temas de bastante discussão no mundo, como o da superpopulação e a de escassez dos recursos naturais. Como todos os livro de Dan Brown, o amor e fascínio pela arte são retratados com bastante riqueza com a inserção delas na história, o que torna o livro muito fascinante. Dan sempre se importa em contar bastante sobre as obras citadas no texto, a história que os locais presentes em seus livros possuem. Os temas de seus livros são sempre bem polêmicos, e é interessante ver o ponto de vista do autor e dos personagens que são abordados no livro. É uma fantástica saga.
Entretanto, o livro traz consigo a mesma fórmula de todos os outros. Do início ao fim. De verdade. Dan Brown criou para si uma fórmula de sucesso e parece estar com medo de sair de seu porto seguro.  Se você for um leitor fiel de seus livros, você se decepcionará bastante com a falta de inovação que o autor trouxe neste livro. Com o tempo, a padronização do tempo cronológico com que os fatos ocorrem e a previsibilidade dos atos seguintes tornam-se entediantes.
Inferno supera as expectativas, nos apresentando história fantásticamente detalhada e assuntos bem atuais. Além de nos deixar eletrizados com a história, ainda traz consigo uma boa bagagem sobre literatura clássica. Porém, nota-se claramente a falta de criatividade do autor, o que mata um pouco o livro para quem já leu suas obras anteriores. Falta a Dan um pouco de coragem para arriscar-se em novas ideias e surpreender seus leitores fiéis, os quais um autor deve importar-se primeiro.
Fonte:https://tudoresenhas.wordpress.com/2014/05/05/resenha-inferno/
Inferno (Título original em inglêsInferno) é o sexto livro de ficção do escritor dos Estados Unidos Dan Brown e o quarto a ser protagonizado pelo simbologista Robert Langdon. Em 15 de janeiro de 2013, Dan Brown divulgou o título do livro em seu site, após avisar os seus leitores para ajudar a "revelar" um mosaico digital com mensagens no Twitter e no Facebook.[5] [6] O livro foi lançado em 14 de maio de 2013 pela Doubleday[7][8] [9] , em 20 de maio, no Brasil[4] e em 10 de Julho em Portugal pela Bertrand Editora.

Sinopse

Conforme divulgado pela editora, o livro é ambientado na Itália e em um dos centros da história mais duradoura e misterioso: a obra literária Inferno de Dante Alighieri.[8]

O professor Robert Langdon, da Universidade Harvard, desperta em uma cama de hospital com um ferimento na cabeça e sem conseguir se lembrar do que aconteceu nos últimos dias. Ao olhar pela janela, descobre que está em Florença, na Itália. Logo, os médicos Sienna Brooks e Marconi entram em seu quarto e o explicam que ele sofreu uma concussão ao levar um tiro de raspão e deu entrada no pronto-socorro do hospital por conta própria. Repentinamente, Vayentha, uma assassina profissional que havia perseguido Robert anteriormente, invade seu quarto, atira no médico e tenta chegar até ele, que é agarrado por Sienna e retirado do hospital às pressas.[10]
Eles fogem para o apartamento da médica, onde Robert descobre que Sienna é uma superdotada. Mais tarde, ele encontra um cilindro em um bolso secreto de seu paletó (tão secreto que nem ele mesmo sabia que existia). O cilindro contém o símbolo de risco biológico. Robert decide então ligar para o consulado estadunidense, onde descobre que estão a sua procura. Instruído por Sienna, ele dá o endereço do prédio à frente, para se certificar de que realmente seu consulado enviará funcionários da representação diplomática. Contudo, é Vayentha quem chega ao local, levando Robert e Sienna a acreditarem que o governo estadunidense quer Robert morto.[10]
Robert decide então abrir o cilindro e encontra um cilindro ósseo medieval dotado de um projetor laser que projeta uma versão levemente modificada do Mapa do Inferno de Sandro Botticelli. Na parte de baixo da ilustração, há uma inscrição onde pode-se ler: verità è visibile soolo attraverso gli occhi della morte (a verdade só pode ser vislumbrada através dos olhos da morte[11] ). Repentinamente, soldados de preto invadem o prédio de Sienna, que consegue escapar por pouco com Robert.[10]
Palazzo Vecchio de Florença
Ambos seguem em direção à Cidade Velha, acreditando que o cilindro está relacionado a Dante Alighieri. Contudo, eles descobrem que a polícia de Florença e os carabinieri fecharam as pontes e procuram por eles. Eles correm para uma obra perto dos Jardins Boboli onde Robert acende o projetor novamente e percebe que dez letras, que formam a palavra "CATROVACER", foram adicionas a cada uma das dez camadas do Inferno, e que as camadas foram rearranjadas. Ao organizá-las de modo a ficarem como na pintura original, Robert chega às palavras "CERCA TROVA" - as mesmas palavras na pintura A Batalha de Marciano de Vasari, localizado no Palazzo Vecchio. Robert e Sienna escapam dos soldados e vão à Cidade Velha usando o Corredor de Vasari.[10]
Robert observa A Batalha de Marciano tentando encontrar respostas. Uma curadora o encontra e o leva para a diretora do museu, Marta Alvarez. Marta havia encontrado Robert e Ignazio Busoni, diretor da Santa Maria del Fiore na noite anterior e lhes mostrado a máscara mortuária de Dante, mas Robert, devido à sua amnésia, não lembrava de nada. Fingindo se lembrar do encontro, Robert pede para ser levado novamente ao local, mas a máscara desapareceu. Checando as câmeras de segurança, eles vêem Robert e Ignazio tomando a máscara. Os seguranças do museu dominam Robert enquanto Marta liga para Ignazio, mas é informada por sua secretária de que ele sofreu um enfarte. A secretária pede para falar com Robert e reproduz um recado que Ignazio deixou antes de morrer: "Os portões estão abertos para você, mas não demore. Paraíso 25."[12]
Portões do Paraíso noBatistério de São João
Robert e Sienna fogem dos guardas, mas os soldados chegam. Eles escapam pelo sótão da Apoteose de Cosimo I. Vayentha encurrala os dois, mas Sienna e empurra para sua morte metros abaixo. Roberto conecta "Paraíso 25" com o Batistério de São João, onde ele e Sienna encontram a máscara mortuária de Dante com uma charada deixada por seu atual dono, um geneticista bilionário chamado Bertrand Zobrist. Um homem chamado Jonathan Ferris, que esconde um ferimento em seu peito, aparece e afirma ser da Organização Mundial da Saúde(OMS). Ele ajuda os dois a fugirem dos soldados. A charada é uma estrofe do Inferno de Dante, que os leva até Veneza, onde Jonathan sofre uma parada cardíaca e Robert é capturado por um grupo de soldados. Sienna consegue escapar.[10]
Robert é levado a Elizabeth Sinskey, diretora-geral da OMS, e finalmente descobre o que está acontecendo. Bertrand, que cometeu suicídio uma semana antes, era um cientistatransumanista radical que havia desenvolvido uma praga biológica que mataria boa parte da população da Terra para resolver o problema da superpopulação. Elizabeth violou o cofre particular de Bertrand, encontrou o cilindro e convocou Robert até Florença para ver se ele conseguia entender as pistas. Durante o encontro, Elizabeth costurou um bolso secreto em seu paletó e colocou o cilindro lá dentro para deixá-lo seguro. Contudo, Robert parou de se comunicar com Elizabeth depois de seu encontro com Marta e Ignazio, e a OMS passou a desconfiar dele. Os soldados que perseguiam Robert eram na verdade uma equipe de emergência da OMS e nunca tiveram a intenção de matá-lo.[10]
Quanto a Bertrand, este havia pago uma organização secreta (chamada simplesmente de "Consórcio") para que o deixassem isolado e incomunicável por algum tempo enquanto desenvolvia a praga, e também para que protegessem o cilindro até uma certa data. Ele também deixou um vídeo perturbador com eles, que deveria ser enviado a toda a imprensa mundial no dia seguinte aos eventos do livro. No vídeo, uma espécie de balão pode ser visto flutuando em uma caverna subaquática, com uma substância escura dentro.[10]
Quando Elizabeth roubou o cilindro, o Consórcio se viu forçado a proteger o que quer que ele apontasse. Eles sequestraram Robert após o encontro com Marta e Ignazio, mas ele ainda não havia desvendado todas as charadas, então, eles injetaram nele uma dose de benzodiazepina para forçar a amnésia. Criaram também um falso ferimento na cabeça e uma encenação para forçar Robert a encontrar mais respostas. Sienna, Vayentha, Jonathan e até o suposto atendente do consulado estadunidense eram todos atores trabalhando para o Consórcio, sendo que Jonathan era também o médico supostamente assassinado no início da história. O ferimento em seu peito foi resultado de uma explosão mal calculada para simular o tiro que supostamente recebeu de Vayentha. O líder do Consórcio, chamado simplesmente de "Diretor", ao descobrir o plano bioterrorista, se vê forçado a se submeter à OMS para deter a praga.[10]
Descobre-se que a substância contida no balão do vídeo é uma praga prestes a ser liberada, e Robert descobre que o local onde a praga está fica abaixo da Santa Sofia em Istambul, onde Enrico Dandolo está enterrado. Sienna, que estava desaparecida, também segue para lá, onde é perseguida por Robert, o Consórcio e os agentes da OMS, que descobrem que ela na verdade trabalhava por Bertrand, sua paixão secreta. Robert e Christoph Brüder, chefe da equipe da OMS que também é ligada ao Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, descem até a Cisterna da Basílica, e descobrem que Sienna já está lá. O balão que continha a praga, feito de uma material hidrossolúvel, já havia se desfeito uma semana antes, e todos descobrem que, na verdade, a praga já estava espalhada pelo mundo todo, já que o local é muito visitado por turistas de vários países. Para fugir, Sienna cria um tumulto ao gritar que o local está pegando fogo.[10]
Cisterna da Basílica, com a água embaixo e os turistas em cima.
Sienna revela que nunca quis liberar a praga, mas sim detê-la. Contudo, ela não confiava na OMS, pois achava que, uma vez que as amostras de vírus fossem levadas por eles, elas acabariam caindo nas mãos de governos interessados em criar armas de destruição em massa. O Diretor tenta fugir do domínio da OMS com a ajuda de policiais disfarçados, mas acaba preso pela polícia de verdade mais tarde. Sienna decide ajudar a OMS a lidar com a situação em troca de anistia.[10]
A praga criada por Bertrand, na verdade, é um vírus vetor que infectará todas as pessoas da Terra, mas terá efeito em apenas 1/3 delas, selecionadas aleatoriamente, causando uma modificação no DNA que provoca ainfertilidade. Desta forma, a humanidade é forçada a entrar em uma nova era, pois qualquer tentativa de reverter o vírus pode provocar efeitos genéticos colaterais perigosos.[10]

Referências

  1. ↑ Ir para:a b "Inferno (ficha técnica)". Editora Arqueiro. Consultado em 7 de maio de 2013.
  2. Ir para cima "Segredos de Dan Brown"O Globo. 5 de maio de 2013. Consultado em 7 de maio de 2013.
  3. Ir para cima "Os segredos envolvendo o novo livro de Dan Brown"O Globo. 5 de maio de 2013. Consultado em 7 de maio de 2013.
  4. ↑ Ir para:a b Rodrigues, Maria Fernanda (15 de maio de 2013). "Sextante antecipa lançamento de ‘Inferno’, de Dan Brown"(em português). O Estado de S. Paulo. Consultado em 21 de maio de 2013.
  5. Ir para cima Farley, Christopher John (15 de janeiro de 2013). "‘Da Vinci Code’ Author Dan Brown Reveals ‘Inferno,’ Crashes Site" (em inglês). The Wall Street Journal. Consultado em 17 de fevereiro de 2013.
  6. Ir para cima Flood, Alison (15 de janeiro de 2013). "Dan Brown's Da Vinci Code sequel Inferno revealed by readers" (em inglês).The Guardian. Consultado em 17 de fevereiro de 2013.
  7. Ir para cima "'Inferno', de Dan Brown, marca volta de personagem de 'Código da Vinci'" (em português). G1. 15 de janeiro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2013.
  8. ↑ Ir para:a b c McLaughlin, Erin (15 de janeiro de 2013). "New Dan Brown Novel, ‘Inferno,’ Set for May Release" (em inglês).ABCNews.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2013.
  9. Ir para cima Meslow, Scott (16 de janeiro de 2013). "Dan Brown's Inferno: Everything we know so far" (em inglês). The Week. Consultado em 17 de fevereiro de 2013.
  10. ↑ Ir para:a b c d e f g h i j k Brown, Dan (2013). Inferno (São Paulo: Editora Arqueiro). ISBN 978-85-8041-152-2.
  11. Ir para cima Brown, Dan (2013). "15". Inferno (São Paulo: Editora Arqueiro). p. 68. ISBN 978-85-8041-152-2.
  12. Ir para cima Brown, Dan (2013). "43". Inferno (São Paulo: Editora Arqueiro). p. 178. ISBN 978-85-8041-152-2.

Ligações externas


Fonte:Wikipedia