PASSAR O TEMPO NA NATUREZA PODE MELHORAR A COESÃO SOCIAL,DIZ ESTUDO

Passar o tempo na natureza pode melhorar a coesão social, diz estudo 2

Passar o tempo na natureza pode melhorar a coesão social, diz estudo

A riqueza da investigação mostra que só o facto de se estar na natureza, até mesmo num parque da cidade, pode fazer-nos sentir melhor, tanto fisicamente como psicologicamente. Esse contacto com a natureza pode melhorar o humor, reduzir a dor e ansiedade, e até mesmo ajudar as pessoas doentes ou feridas a curar mais rapidamente.
Mas que efeitos isso tem sobre grupos de pessoas e na sociedade em geral? Uma nova investigação sugere que a natureza pode realmente melhorar o grau em que as pessoas se sentem ligadas e agir favoravelmente para com os outros, especialmente com os seus vizinhos, diz Netta Weinstein, professora de psicologia sénior da Universidade de Cardiff, no País de Gales.
Weinstein e os seus colegas realizaram um grande e abrangente estudo com 2.079 participantes de todo o Reino Unido. Eles fizeram a cada pessoa uma enorme quantidade monte perguntas, tais como a quantidade de tempo que passam na natureza e em quantos parques e quanta vegetação é encontrada nos seus bairros. Eles também questionaram sobre o quanto eles se preocupavam e se sentiam ligados aos seus vizinhos. Os investigadores também analisaram o status sócio-económico de cada pessoa, a taxa de criminalidade na área, e outras providências.
O estudo, publicado a 25 de Novembro na revista ‘Bioscience’, descobriu que o contacto com a natureza foi responsável por um pequeno, mas significativo aumento no grau para que as pessoas se sentirem socialmente ligadas. Aexperiência na natureza também foi considerada como uma das causas na uma redução das taxas de criminalidade locais.
Weinstein explica que o contacto com a natureza é responsável por cinco por cento da variância, ou variação, das taxas de crimes entre as áreas. Isso é uma quantidade significativa, considerando que a investigação anterior mostrou que a privação sócio-económica (que é basicamente uma maneira elegante de dizer pobreza) também é responsável por cinco por cento da variação das taxas de criminalidade.
E os benefícios da natureza aplicam-se a ricos e pobres. O efeito da natureza na coesão social é independente do status sócio-económico de uma pessoa, diz Weinstein.
Quanto ao porquê exactamente, os investigadores não sabem, mas eles têm alguns palpites. Uma ideia é que explorar e experimentar a natureza nos dá um “maior sentido de parentesco e conexão … para o mundo em torno de nós,” e quanto mais de que nós temos, mais “nós procuramos ligação com outras pessoas”, diz Weinstein. Outra ideia é que sair de casa, viver a natureza conduz a uma maior interacção e conexão com vizinhos que também estão desfrutando o ar livre.
Weinstein espera que os resultados do estudo venham a influenciar o futuro planeamento urbano, e incentivar visitas de estudo e outras excursões na natureza por escola grupos, especialmente para os jovens em áreas densamente urbanas.
Fontes: