A ARTE DA PAZ - MORIHEI UESHIBA

A ARTE DA PAZ - MORIHEI UESHIBA


A ARTE DA PAZ


MORIHEI UESHIBA é mundialmente reconhecido como o grande mestre das artes marciais que desenvolveu o Aikido para cultivar a paz e harmonia no mundo.



"Aqueles que não são possuídos por nada, possuem tudo"


Escrito por O'Sensei Morihei Ueshiba

Todas as coisas, materiais e espirituais, provém de uma fonte e estão relacionadas como se fossem uma família. O passado, presente e futuro estão todos contidos nessa força de vida. O universo emergiu e desenvolveu-se a partir de uma fonte, e nós evoluímos através do processo da unificação e harmonização.

Foi desta forma que o universo se tornou ser. Não havia céu, nem terra, nem universo - só espaço vazio. Nesse vasto espaço vazio manifestou-se subitamente um único ponto. Desse ponto, vapor, fumo e névoa subiram em espiral até formarem uma esfera luminosa, e assim nasceu o som sagrado SU. À medida que o SU se expandiu de forma circular e descendente, para a esquerda e para a direita, apareceram a natureza e a respiração, claras e puras. A respiração desenvolveu vida e apareceu o som.

SU é a palavra mencionada em muitas religiões do mundo.

Todos os sons e vibrações emanam dessa Palavra.

(...) Se tens vida em ti, terás acesso aos segredos das eras, pois a verdade do universo reside em cada e todo o ser humano.

(...) A prática da Arte da Paz permite-te ergueres-te acima do louvor ou reprovação e libertar-te do que te prende a isto e àquilo.

(...) Uma boa mistura é constituída por setenta por cento de fé e trinta por cento de ciência. A fé na Arte da Paz permitir-te-á entenderes as complexidades da ciência moderna.

O conflito entre a ciência material e espiritual provoca a exaustão física e mental, mas quando matéria e espírito estão em harmonia, toda a tensão e fadiga desaparecem.

Usa o teu corpo para criar formas; usa o teu espírito para transcender as formas; unifica corpo e espírito para ativar a Arte da Paz.

(...) Todas as coisas estão harmoniosamente juntas; esta é a verdadeira lei da gravidade que mantém o universo intacto.


(...) A tua respiração é o verdadeiro elo que te liga ao universo. Respira em espiral para cima, para a direita; expira a espiral para baixo, para a esquerda. Esta interação é a união do fogo e da água. É o som cósmico de A e UN, Alfa e Ómega.

 

Pensa na maré baixa. Quando as ondas dão à costa, rebentam e caem, criando um som. A tua respiração deverá seguir o mesmo padrão, absorvendo todo o universo na tua barriga com a inalação. Fica a saber que todos possuímos quatro tesouros: a energia do sol e da lua, a respiração do céu, a respiração da terra e a maré e corrente das ondas.

(...) A vida é uma dádiva divina. O divino não é algo exterior a nós; está presente no nosso âmago, é a nossa verdade. Na nossa aprendizagem aprendemos a verdadeira natureza da vida e da morte. Quando a vida é vitoriosa, há nascimentos, mas quando existem obstáculos, há morte.

(...) Cada árvore que se ergue acima do ser humano deve a sua existência a um âmago de profundas raízes.

Estudai os ensinamentos do pinheiro, do bambu, dos rebentos das ameixoeiras. O pinheiro é verde, tem raízes firmes e veneráveis. O bambu é sólido, resistente, inquebrável. Os rebentos das ameixoeiras são cheirosos e elegantes.


Não te esqueças de todos os dias prestares a tua homenagem às quatro direções. Este nosso mundo maravilhoso é a criação do divino, e por essa dádiva devemos estar eternamente gratos. Essa gratidão deve ser expressa através de uma qualquer oração. A verdadeira oração não tem forma estabelecida.
Oferece simplesmente a tua gratidão sincera de uma maneira que considerares apropriada e serás amplamente recompensado.
(...) A Arte da Paz não é fácil. É uma luta até ao fim, o desfazer de desejos malévolos e de toda a falsidade. De vez em quando a voz da paz ressoa como um trovão fazendo sair os seres humanos da sua apatia. 

(...) O único pecado verdadeiro consiste em ignorar o universal, princípios intemporais da existência. Essa ignorância é a raiz de todo o mal e de todo o comportamento desviante. 

(...) Os mais fortes nem sempre derrotam os mais fracos. Os pequenos podem tornar-se grandes se trabalharem constantemente para isso; os fortes podem tornar-se fracos se não o fizerem. 

(...) O Caminho da Paz é muito vasto, reflectindo o grande desenho dos mundos ocultos e visíveis. Um guerreiro é um santuário vivo do divino que serve esse grandioso desígnio. 

(...) Mesmo que o nosso caminho seja completamente diferente das artes guerreiras do passado, não é necessário abandonar totalmente os costumes antigos. Absorve as tradições veneráveis, vestindo-as de forma mais actual e apoia-te nos estilos clássicos para construíres melhores formas.

 (...) Aqueles que são iluminados nunca deixam de se querer superar. Os feitos destes mestres não podem ser expressos por palavras ou teorias. As acções mais perfeitas são as dos padrões encontrados na natureza. 

(...) Encara um inimigo como se estivesses a defrontar dez mil; encara dez mil inimigos como se estivesses a defrontar um. 

(...) O ferro está cheio de impurezas que o enfraquecem; trabalhando-o, torna-se aço e transforma-se numa espada de gume afiado. Os seres humanos desenvolvem-se da mesma maneira. 

(...) Não há disputas na Arte da Paz. Um verdadeiro guerreiro é invencível porque ele ou ela não disputa nada. Derrotar significa derrotar o espírito de contenção que abrigamos dentro de nós. A Arte da Paz não é um objecto que alguém possua, nem qualquer coisa que se possa dar a outro. Deves entender a verdadeira essência da Arte da Paz e expressá-la pelas tuas próprias palavras. 

(...) Na arte da Paz temos como objectivo ver tudo ao mesmo tempo, abarcando todo o campo de visão com um só olhar. 

(...) O centro físico está na tua barriga; se o teu espírito estiver centrado aí também, poderás estar certo da vitória. 

(...) As técnicas da Arte da Paz nem são rápidas nem são lentas, não são internas nem externas. Transcendem o tempo e o espaço.

(...) O corpo deve ser triangular, o espírito circular. O triângulo representa a geração de energia e é a postura física mais estável. O círculo simboliza a serenidade e perfeição, a fonte de técnicas ilimitadas. O quadrado significa solidez, a base do controlo.


(...) Toda a vida é um círculo que se move sem parar e esse é o ponto central da Arte da Paz. A Arte da Paz é uma esfera inesgotável que envolve todas as coisas. 

(...) Não olhes para este mundo com receio e ódio. Enfrenta corajosamente o que os deuses têm para te oferecer.

(...) Encara qualquer desafio que esteja à tua frente. Quando um ataque aparece à tua frente, utiliza o princípio da "lua reflectida na água". A lua parece estar realmente presente, mas se tocares a água, não estará lá nada. Também o teu oponente não encontrará nada sólido para atacar. Tal como a luz da lua, envolve o teu oponente física e espiritualmente, até não haver separação entre vós. 

(...) Sê grato mesmo pelos revês e dificuldades. Lidar com os obstáculos é uma parte essencial do treino da Arte da Paz. 

(...) O falhanço é a chave para o êxito; cada erro nos ensina alguma coisa. 

Em situações extremas, o universo inteiro torna-se nosso antagonista; nessas alturas críticas a unidade do espírito e a técnica são essenciais - não deixes que o teu coração hesite! Para praticamos a Arte da Paz necessitamos de um valor, um valor que assenta na verdade, bondade e beleza. 


VÍDEO MUITO ALÉM EM HOMENAGEM A  MORIHEI  UESHIBA