SER AVÓ... É ABENÇOAR OS DESCENDENTES!


SER AVÓ... É ABENÇOAR OS DESCENDENTES!

Tomo uma respiração profunda e parece que foi ontem quando vi o meu filho pela primeira vez.

Bem perto do meu coração, o seu coraçãozinho batia no mesmo compasso.

Quando o meu amado neto nasceu, o vi pela primeira vez numa imagem por computador...

Estávamos longe fisicamente um do outro!

Milagre da tecnologia!

É uma emoção indizível... as palavras ficam frágeis diante de um acontecimento tão comum e tão único na história da humanidade.

É necessário pensar sobre ser avó.

Vamos lá!

Perdemos o sentido do ritual de passagem.

Os acontecimentos ficaram banalizados assim como a dor da perda!

Tudo rápido!

Esse rito de passagem é necessário para que a nossa psique tome como referência profunda a experiência de vida daquele momento luz!


Momento numinoso em linguagem junguiana.

Pensando nessas datas, nas pessoas, nos nascimentos, nas mortes, nos outros e em nós a experiência de “ser avó” é ampliada no viver da mulher.

Não uma avó para cuidar dos netos, levar para a creche, ficar... brincar... etc e tal...

Não! Estou me referindo a algo mais profundo que toca a alma.

Lembro-me da história de Abraão quando, segundo a narrativa bíblica, Deus pediu que sacrificasse seu filho...

Ele, certamente marcado pela dor, foi fiel e “com-fiou”.

Confiar é o ato de bem-aventurança, de plenitude, de pertença genealógica.

Então, a vida nos presenteia com o milagre da maternidade vindo nos nossos filhos.

Você vai acompanhando cada mudança na outra barriga, cada susto, cada risada...

Tudo se torna coeso em laços de família com menos neurose, é claro!

As experiências nutridoras da alma vão passando como um mala de oração.

Às vezes, e muitas, em nome de um consumismo selvagem perde-se essa dimensão de tudo e de todos.

Por isso, falo do estado luminoso de “ser-avó”!

Avó que abençoa cada criança que nasce na família!

Avó que reza de uma forma silenciosa quando todos estão aflitos por alguma coisa.

Avó que é presença energética de abençoar suas raízes e sua ancestralidade.

A condição de avó nos dá o resgate da sabedoria interna...

Das histórias vividas...

Dos dramas passados...

Da história presenciada...

A avó sabe e sente no seu coração todas as dores e alegrias porque é dela que, como os nativos nomeiam, “a avó aranha tece sua rede” que de tão leve balança ao vento que acaricia a Mãe Terra!

É isso! Ser avó é estar conectada com GAIA, a nossa Mãe Terra!

É mais pleno o sentir da sua bondade, sua generosidade, sua força, sua energia divina.

A avó deve sempre ter em mente os descendentes.

É dela que a rede do DNA vibra e atuam nas vivências, emoções, experiências!

É algo de infinito que como as estrelas no céu nas noites escuras nos iluminam.

A presença da avó ilumina uma família!

Resgatar a boa gargalhada que vem de longe, de algum lugar da casa, quando todos se envolvem na mesa e celebram a vida!

Lembro-me da minha avó – uma rezadeira maravilhosa - que me abençoou e dizem que a reza foi tão forte que até hoje vale...

Para mim, vale muito!

Este texto, com gosto de história do interior, com cheiro de cocada preta da Bahia, doce de leite e arroz doce pintado de canela... fala dessa memória.

Quem tem a chance de ver bem de perto os descendentes tem a experiência que a alma reconhece como única e indizível!

Porém, tem avó que não pode estar perto... então, a nutrição passa para a tela de um computador!

Mesmo assim, abençoe com o coração cheio de amor pela vida.

Ser avó, para nós mulheres, pode ser a possibilidade de criar novos rumos no viver, re-contar histórias, escrever, registrar os eventos... Ancorar uma energia da sua egrégora familiar.

Ensine suas crianças a contemplar um por do sol... Mostre o valor do silêncio. Dê exemplo com a sua atitude.

Ouça, escute com atenção quando a criança vem contar alguma coisa. Sente-se com ela!

Observe seus traços ancestrais e também das estrelas... do universo... de toda a galáxia! Afinal somos todos um!

Vovó... vovó, a sua criança pode ser uma “criança índigo” ou “uma criança cristal”!

Vou escrever sobre este assunto como psicopedagoga!

Elas vêm com uma missão para o nosso planeta.

O seu amor pode ajuda-las!

Vovó, você já observou como elas dominam a linguagem dos celulares e dos eletrônicos de modo geral!

Computador, nem se fala!

É como o nosso ponto do café... sai quentinho com um aroma delicioso... assim são eles... competentes, vivos, irônicos, rápidos, criativos, autoritários, musicais, líderes... é uma outra época... época de avó e época de netos e netos abençoados por existirem em nossas vidas!

No ano passado tive a honra de sentar e conversar com uma avó nativa que guarda a Sabedoria da Mãe Terra e é sobre ela que gostaria de encerrar essa nossa prosa virtual.

Peço licença a todas as avós nativas e a todo o clã das Tartarugas para anunciar, especialmente, as avós Cherokees:


“Unci, as Avós – Abrem Portas para a Unificação do Eu – e afirmam com Amor e Graça: nós somos AS AVÓS e oramos por você hoje.

Zelamos por você desde muito pequeno até bem velho.

Zelamos por seu Espírito.

Zelamos por tudo o que você é.

Como sempre, estamos aqui para lembrar você, para lhe trazer um pequeno ensinamento que o ajudará a lembrar.


Nós, as Avós, estamos por trás de você.

Apoiamos você em cada passo. Guardamos seu futuro.

Como a Medicina do Urso, rodeamos você com força.

Damos a você a força da sabedoria que você aprendeu.


Nós, as Avós, protegeremos seu futuro guardando seu passado.

Somos as Protetoras da Chama da Sabedoria, de seu curso de vida e de todos os cursos de vida.

Se você precisa compreender a si mesmo, deve perguntar às Avós.

Nós o levaremos profundamente para dentro do Silêncio de seu próprio ser.

Nós lhe ensinaremos as disciplinas que você precisa conhecer.

Nós o ajudaremos a lembrar-se de quem você é desde o primeiro momento em que você surgiu do Coração do Criador.

Ajudaremos você a integrar os dons sagrados e talentos que tem.


Por isso, procure as Avós se você quiser compreender onde tem estado. Nós o levaremos à Caverna do Eu e o ajudaremos a emergir do outro lado da montanha como um novo ser”.

Ensinamentos da Sabedoria Sagrada!

Foi assim que quando me tornei avó de Vinicius, o Criador me fez encontrar Silvia Star, uma Grande Avó, que tocou o meu coração com o encantamento de SER AVÓ...

É ABENÇOAR OS DESCENDENTES!


Que essa ciranda de avós cresça e se torne uma árvore acolhedora...


Bênção e Luz para todas as mulheres que saborearam ser avó de qualquer forma e de qualquer jeito: é avó!

Ciranda, cirandinha vamos todos cirandar, vamos dar a meia volta, volta e meia vamos dar.


Fonte:
http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=13626