O PAPEL DOS PAIS É FUNDAMENTAL NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA

Brincar com o bebê é uma das maneiras de estreitar o vínculo (Foto: Thinkstock)

O papel dos pais é fundamental no desenvolvimento da criança

Por Informe publicitário - atualizada em 12/10/2015 10h36
A Kimberly-Clark convidou uma jornalista para ficar dois dias numa imersão total de conteúdo para reflexão no V Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância, promovido pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal e o Núcleo Ciência pela Infância, em São Paulo.
Simposio (Foto: divulgação)
Abaixo o depoimento de uma mãe, de dois filhos pequenos, em busca de conhecimento:

“Foram muitas palestras, muitos insightse informações que podem ser úteis para nós, pais, ajudarmos no desenvolvimento dos nossos filhos. Esse, aliás, foi um dos principais pontos que me chamou atenção: de nada adianta a escola, a família, os brinquedos e os estímulos se os pais não estiverem perto. E perto significa junto, conversando, abraçando, interagindo, rindo, cantando, discutindo. E não no mesmo espaço, com você no celular e ele num tapetinho de atividades falando com bichinhos eletrônicos.

É isso que cria o vínculo entre filhos e pais. É isso que precisa ser trabalhado nas escolas. É o que vai ajudar o cognitivo, o psicológico, o intelectual e o pessoal das nossas crianças.
E quando começar isso? Já! Afinal, 80% do desenvolvimento do cérebro infantil ocorre durante os três primeiros anos de vida, segundo o professor Ronald Ferguson, da Universidade de Harvard. Ou seja, precisamos estar perto, dar carinho, abraçar. Precisamos nos desligar do mundo e curtir nossos filhos. É nessa relação que ele vai absorver muita coisa boa que estimulará o seu desenvolvimento.
V Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância (Foto: Divulgação)
Ainda falando sobre esta conexão entre filhos e pais, Hirokazu Yoshikawa, professor, psicólogo na área do desenvolvimento, explica que é preciso haver mais comprometimento dos pais. Principalmente quando falamos das escolas. Não adianta ir a três ou quatro reuniões e achar que a escola vai fazer o resto sozinha. É preciso trabalhar em conjunto - família e escola - em prol da criança. É um trabalho que se faz em casa e fora dela. 
Eu fico aqui pensando quando o tema é desenvolvimento: o que posso usar a meu favor para trabalhar isso lá em casa com o Rafinha, de quase 2 anos, e com o Gabi? Ronald Ferguson deu algumas dicas que podemos praticar em casa com as crianças:

- Abraçar mais, maximizar o amor e minimizar o estresse – assim a criança se sentirá protegida e segura;

- Cantar, apontar e falar – afinal, essa é a primeira forma que a criança aprende para se comunicar;

- Contar, agrupar e comparar objetos, cores, fotos, fazer com que a criança reconheça e aprenda a fazer a distinção das coisas;

- Estimular o movimento e a brincadeira – Quem não ama, né? Conecte-se com a criança, corra, pule, brinque do jeito que você sabe e da forma que você sabe. Sempre será divertido.

- Ler e estimular as histórias desde sempre! Ainda na barriga, enquanto estiver no peito. Mesmo que pareça que a criança não está entendendo, conte, leia e faça-a escutar a sua voz. Isso certamente trará bons resultados.
Colocarei esse check-list na parede de casa, com certeza!

Mas eu também destaco o uso da tecnologia a favor do desenvolvimento das crianças. Não de forma intensa ou sem um critério de seleção do conteúdo, mas acredito que essa seja uma forma lúdica para passar algumas informações importantes para elas. “O visual tem um resultado muito positivo no desenvolvimento infantil”, explica a especialista em conteúdo educacional Charlotte Cole, da Blue Butterfly. Ela, que foi uma das responsáveis pela criação do Vila Sésamo, explica que desenhos animados podem ser muito úteis e ajudar os pais com as crianças. “Um desenho animado que fala sobre germes e bactérias, sobre se alimentar bem, que mostra a importância do carinho dentro de casa vai mostrar, visualmente, para a criança, aquilo falamos”

A psicóloga Rosely Sayão, alerta, no entanto, para um ponto importante: não use os eletrônicos como muleta na educação dos filhos. “É muito comum os pais usarem os tablets e celulares como ‘cala a boca’ para as crianças. Isso é um processo de alienação e precisa ser evitado.”

O que vale é praticar aquela regra que a gente sempre fala: educar é repetir, explicar, conversar e dar muito amor. Conversar com amor, sempre!”


A Kimberly-Clark – multinacional norte-americana no Brasil desde 1996 –  foi apoiadora do V Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância.  O evento abordou uma temática que está alinhada ao discurso da companhia: a qualidade da atenção à primeira infância.

A Kimberly-Clark, que tem um portfólio amplo de produtos de higiene pessoal, desenvolve uma linha completa de cuidados infantis. Dessa forma, busca agregar conhecimento a respeito do desenvolvimento durante os primeiros anos da criança.  A participação no Simpósio contribui para disseminação do conteúdo a serviço das mães e pais do Brasil.
Fonte:http://revistacrescer.globo.com/Informe-Publicitario-Kimberly-Clark/noticia/2015/10/o-papel-dos-pais-e-fundamental-no-desenvolvimento-da-crianca.html

Brincar com o bebê é uma das maneiras de estreitar o vínculo (Foto: Thinkstock)