A GÊNESE DO GRAAL

 

A Gênese do Graal 

  Esta é uma palestra ministrada por "Sir Laurence Gardner" em 1998.

   Transcrito e Editado por Karen Lyster &  John V. Panella

INTRODUÇÃO POR J Z KNIGHT


                     Quando eu era criança; aos 13 anos, tinha uma tremenda paixão por
                      Deus e por Jesus e minha mãe e meu padrasto. Principalmente por minha
                      mãe, porque era quem mais importava! Minha mãe, de fato, realmente
                      tentou me fazer parar de ir à Assembléia da Boa Igreja. E eu tinha minha
                      pequena Bíblia com quem eu dormia toda noite em meu quarto, e era
                      uma Bíblia de capa branca.  E naquele ano eu havia aprendido na escola
                      como fazer diagramas e nem sei se a educação moderna ainda ensina
                      isto, mas vocês provavelmente aprendem no computador. Mas então
                      nós tínhamos que fazer os diagramas e eu tinha feito algumas coisas
                      interessante, e comecei a ler a Bíblia e já a tinha lido completamente
                      quando estava com 13 anos. E eu tinha um monte de perguntas que
                      queria fazer a minha professora na escola dominical . (risos)
                      Bem, fiz os diagramas da genealogia de Jesus, Mateus, Lucas, Marcos e
                      João. E eles não combinavam, e assim eu tinha a composição de algumas
                      perguntas que queria fazer ao Irmão McLindon, que era o nosso
                      Pregador! Eu apenas podia perguntar a minha  professora da escola
                      dominical. E a questão era, "com quem casaram os filhos de Adão e
                      Eva, Caim e Abel ?" (risos). Você sabe sobre casamento? Eles vão à
                      Igreja e se casam, mas com quem eles se casam? Esta era uma pergunta
                      boa e aceitável. (risos) No entanto, com uma mente de 13 anos, eu
                      queria saber; se Adão e Eva eram as primeiras pessoas que foram
                      criadas por Deus e os únicos dois filhos que tiveram eram meninos...
                      (risos) Então, com quem eles se casaram? Minha professora da escola
                      dominical ficou bem constrangida em suas "roupas de baixo" (rindo), e
                      ela não pode responder isto.
                      Minha pergunta seguinte era; como eu tinha um verdadeiro pesar pelo
                      que os perversos tinham feito à Sodoma e Gomorra e esta havia sido
                      destruída, lembra? E o amado Jehovah transformou a esposa dele em
                      vapor. Eles então tinham voltado para esta caverna e ele tinha ido para
                      cama com as suas filhas, e assim eles tiveram filhos. E eu pensei, "algo
                      não está correto aqui". E então veio Abraão , agora o patriarca da
                      Bíblia, que se supõe ser o eleito de Deus, e eu realmente pensei que
                      Abraão estivesse muito correto, até que ele trouxe sua mulher Sara para
                      este reino e este rei era realmente, você sabe, era um tipo de pimenta
                      malagueta. E então Abraão diz, "Oh você pode tê-la, ela é minha irmã."
                      Bem, esta era a mulher dele, e eu penso que ele foi e mentiu, e deu sua
                      mulher porque ele estava amedrontado, porque não queria lutar com este
                      rei. Bem, neste ponto, fiquei muito desapontado.
                      E assim é desnecessário dizer que a minha professora da escola
                      dominical não tinha lido estas coisas também e nao podia responder
                      nenhuma das minhas perguntas. E talvez a coisa realmente terminasse aí,
                      se não fosse quando eu tirei o meu diagrama da genealogia de Jesus e
                      disse que tinha um problema aqui, porque nenhum destes se combina. E
                      foi  neste ponto que ela os tomou de mim e então me reprovou, e disse:
                      "misteriosos sao os caminhos do Senhor e nós, como pecadores, não
                      devemos questioná-los". (risos) Bem, eu já era um problema, porque
                      eles já haviam expulso a minha cunhada da igreja por usar um pouco de
                      batom. A maquilagem era proibida e ela tinha usado um pouco de batom
                      para levar meu pequeno irmão à igreja. E eles fizeram disto um grande
                      espetáculo e de fato meu irmão nunca mais voltou. Então eles
                      expulsaram  minha cunhada da Igreja.
                      E aos 13 anos, com a minha paixão, eu não podia entender como um
                      Deus que tinha suportado todos estes escroques na Bíblia , (risos) você
                      sabe, Jehovah, como ele frequentemente tinha tempo para assassinar
                      pessoas das terras nas quais ele estava trazendo aqueles que ele
                      apoiava? Eu não podia justificar isto com o amor de deus que ele
                      pudesse fazer todas aquelas coisas e então banir a minha cunhada para
                      sempre para o inferno por usar batom. (Aplausos)
                      Assim eu deixei a igreja aos 13 anos e o meu maior apoio veio de minha
                      mãe. Mas é desnecessário dizer que nunca deixei de amar a Deus e tinha
                      um sentimento de culpa em relação a  Jesus, você sabe, "Jesus morreu
                      por meus pecados..." Entretanto, até onde sei, eu não tenho pecados.
                      Assim, como pode esta pessoa ter há 2.000 anos atrás morrido por
                      mim? E a minha outra pergunta era sobre o que teria acontecido a todas
                      as outras pessoas que viveram antes de Jesus.
                      Bem, eu tive esta paixão por toda a minha vida! Eu era também uma
                      criança caseira. Não era o querido da minha famíla, mas amava Deus e
                      criava uma aventura em minha mente e queria respostas para todas estas
                      perguntas. E assim quando  "Ramtha" apareceu em minha vida, eu tinha a
                      mente aberta e com todo amor que eu tinha, havia muito espaço em meu
                      coração para um grande e surpreendente professor. Esta paixão
                      continuou até que cheguei a um livro chamado , "Holy Blood, Holy
                      Grail." Devo ter comprado uns 200 deste livros e os passado a pessoas
                      que nem mesmo conhecia. Eu penso que há apenas uma pessoa a quem
                      dei isto que tenha lido o livro inteiro. Penso ser um dos maiores livros
                      que já li! E então cheguei a um outro livro intitulado  "Bloodline of the
                      Holy Grail," de Sir Laurence Gardner.
                      Eu nao sabia quem era Sir Laurence Gardner , exceto quando abri este
                      livro e o li por aproximadmente quatro dias, porque ele se dirigia aos
                      mistérios da minha vida! Ele se dirigia a eles historicamente e revelava
                      todas as mentiras que me contaram juntamente com outros incontáveis
                      milhões. Sabia que tinha que conhecer este homem porque este é o
                      maior dos livros que já li, e começa por explicar todos estes fios soltos
                      da cristandande. Ele também dá as respostas do porque ainda há tanto
                      sofrimento que continua a confinar o mundo de hoje dentro de todas
                      estas amargas guerras religiosas.
                      E fui capaz de aqui trazer Sir Laurence Gardner . E apenas o adorei ! Eu
                      o adoro porque ele tem a mente aberta! Ele não está apenas imaginando
                      que esta seja a verdade; ele descobriu isto. Ele tem informação histórica
                      que estava lá a centenas de anos antes do nascimento de Cristo. Ele
                      verdadeiramente descobriu a informação. Ele não escreveu este livro
                      como um trabalho especulativo, mas de um conhecimento adquirido. A
                      razão porque desejei que ele viesse aqui e se dirigisse a nós, é que
                      acredito que exceto as crianças, a maioria do pessoal da minha idade,
                      bem como aquelas na audiência sofre de algum tipo de inadequação.
                      Uma que nos pressionam a acreditar que um deus vive dentro de nós, nos
                      fazendo sentir envergonhados de sermos seres humanos, mesmo que
                      este pensamento esteja fora de nosso controle.
                      Este livro também se dirige ao acobertamento que aconteceu ao longo
                      de conspirações, que nos escravizariam sob a cristandade. E não nos dá
                      a liberdade de acessar o Reino dos Céus. O Deus proibido deles de até
                      mesmo sair daquela pequena caixa de aceitabilidade e buscar respostas.
                      Comecei a procurar por aquelas respostas e hoje quero apresentar o
                      meu orador favorito. Aquele que nos trouxe as respostas não baseado
                      na suposição, ou em hipóteses, mas que se baseia na informação
                      histórica.   Laurence Gardner é aberto a isto. Ele tinha que existir para
                      escrever um livro sobre  Jesus e seu irmão James, ter filhos, o que seria
                      considera uma mente aberta por meus amigos. É com grande prazer que
                      apresento Sir Laurence Gardner. E tenho a grande esperança que vocês
                      prestarão uma grande atenção a este novo amigo. (Aplauso)

 

 

                      SIR LAURENCE GARDNER (aplaudido de pé)
                     Muito obrigado, muitissimo obrigado. Bem, bom dia, esta é a primeira
                      vez que venho aqui com o sol no alto e não estou certo do quanto isto é
                      apropriado para um Vampiro, (risos) mas se eu cair em um monte de
                      poeira, vocês saberão que isto não foi um bom movimento.
                      Há um monte de perguntas que vocês conhecem, que se originam da
                      Escritura da Bíblia. E J. Z. mencionou uma exatamente agora sobre o
                      asunto de Caim e Abel . Nós podemos ir diretamente para as histórias
                      da Bíblia e como ela diz corretamente, ninguém realmente apresenta a
                      pergunta, "com quem, na Terra, se casaram Caim e Abel? É dito que
                      Caim se casou, dão uma lista de nomes de seus filhos e também contam
                      uma história. Antes deste pensamento, temos uma outra história estranha
                      sobre como Caim matou Abel, como o matou em um campo, e o deixou
                      em uma poça de sangue. Agora, eles eram as únicas pessoas na Terra
                      naque tempo.   (risos) E o que fez Jehovah segundo o texto? Ele fica um
                      pouco aborrecido com isto e põe uma "marca" em Caim no caso de que
                      todas as outras pessoas possam querer matá-lo.   (risos) Contudo, nós
                      precisamos perguntar, "quem?", "que outras pessoas?" E assim estas
                      anomalias estão lá e são estas anomalias que me levaram a escrever o
                      meu segundo livro nesta série particular, que vê o Velho Testamento da
                      mesma forma que "Bloodline" vê o Novo Testamento.
                      O truque da escrita e algo como isto, um que tem que ir além da própria
                      Escritura.  Temos que obter outros livros: que não estão incluidos, estes
                      livros que não foram aprovados pelo cânone. E há muitos deles que
                      atualmente não foram selecionados para o Velho Testamento,
                      exatamente como no Novo Testamento.  O que temos que entender é
                      que o Velho Testamento foi escrito para cumprir uma tarefa específica.
                      O que me surpreendeu no curso da última investigação, foi que esta
                      seleção, as manipulações e corrupções dentro do Velho Testamento,
                      escolhidas de scripts e textos foi maior do que foi no no Novo
                      Testamento. "Mais mudanças notadas!"
                       Agora não vou falar de Adão e Eva, Caim e Abel e toda esta matéria inicial
                      hoje a noite em particular, porque falei mais longamente da última vez
                      que estive aqui. Alguns de vocês devem ter estado naquela palestra,
                      outros não. Entretanto, houve vários aspectos daquela palestra que
                      abordarei novamente. Desta vez, vou por um ângulo diferente. Até onde
                      podemos retroceder nesta matéria da construção da "Raça Humana"
                      como a conhecemos hoje, haverá alguém mais que virá hoje para cobrir
                      esta parte. Assim, não é muito a minha função falar nisto.
                      Em outubro passado falei sobre uma misteriosa substância que o antigo
                      povo da Mesopotamia costumava chamar, "Starfire"  [estrela de fogo].
                      De fato, depois disto, recebi um grande número de cartas de pessoas
                      daqui que ouviram isto, que me perguntavam coisas muito boas. Assim,
                      também falarei um pouco novamente sobre isto. E novamente ainda, eu
                      abordarei um ângulo diferente, indo mais atrás nisto, muito mais que
                      adiante. Irei fazer um tipo de salto adiante no tempo, para o período de
                      Moisés e então retornar para aquela parte da história para que possamos
                      ver como as coisas se juntaram. Agora, sob uma perspectiva, tudo o que
                      sabemos hoje sobre vida e tempos destes antigos anos antes de Cristo,
                      temos aprendido a partir do final dos anos de 1800 - dentro dos últimos
                      100 ou 150 anos, mais ou menos. Antes disto, o Velho Testamento que
                      temos , é um dos poucos documentos de registro que nos deram esta
                      história desta maneira.
                      O Velho Testamento nunca foi escrito para ser história. O Velho
                      Testamento foi reunido como o Livro da Escritura, era destinado a servir
                      de base ao crescimento da instituição religiosa nos anos antes de Cristo,
                      abrangendo a era de aproximadamente  500-600 AC. E então, embora
                      contando histórias e coisas que aconteceram milhares de anos antes,era
                      destinado a cumprir uma tarefa por volta de 500 anos antes de Jesus. Ele
                      era a construção da religião judaica, hebraica. Em uma grande extensão,
                      estes escritos eram baseados na mitologia, eles não tinham um significado
                      de ser história. Entretanto, por um tempo maior, nós o temos tratado
                      como história. Nao podemos culpar nossos antecessores por terem feito
                      isto porque não havia nada para comparar! Não existiam outros registros
                      disponíveis, apenas o Velho Testamento. E isto se tornou Dogma! E se
                      tornou Absoluto! E desafiá-lo se tornou uma heresia.
                      E então a mitologia foi designada como história. As nossas instituições
                      governamentais e educacionais nos dizem que isto foi história. E as
                      nossas escolas e igrejas por muito tempo tem nos ensinado isto, mas
                      agora nós estamos melhor informados. Durante este século, onde
                      dezenas de milhares de velhos documentos tem sido desencavados, em
                      pedra, argila, pergaminho e papéis. Começamos a aprender toda a
                      história inclusive a que conhecemos da Bíblia, exceto que esta começa a
                      revelar coisas de um modo muito diferente. Quando estas coisas foram
                      descobertas e traduzidas para o inglês e outras linguagens ocidentais
                      durante as décadas de  1920 - 1930, poderiamos esperar, como ocorre
                      com a descoberta médica e científica, que todo mundo ficasse realmente
                      excitado quanto a isto. Ao menos temos alguma informação! Ao menos
                      iremos saber a verdade sobre alguns destes personagens que, embora
                      enigmáticos, não têm nenhum propósito real na história salvo serem
                      nômades errantes de um tipo ou de outro. Entretanto, este não foi o
                      caso! O entusiasmo não foi nada disto!
                      A instituição acadêmica sentiu-se ameaçada por isto e é muito fácil de se
                      compreender porque. Isto estava contradizendo tudo que eles haviam
                      escrito para provarem que eram especialistas. Estes escritos dentro dos
                      últimos 4.000 anos, são os primeiros escritos a mão de Reis e Rainhas,
                      Sacerdotes e Chanceleres, Oficiais do Estado, e Escribas, Historiadores,
                      Comandantes Militares, Profesores, eles estão todos lá. Mesmo os
                      trabalhadores das fazendas e das minas escreveram estes documentos,
                      mas eles eram pessoas que só podiam escrever sobre o que era dito a
                      eles. Parece muito estranho, não parece? Mas nao é, que todo mundo
                      vivo  naquele período em particular de tempo estivesse escrevendo
                      histórias de fadas? [rindo] E fabricando folclore! "Hei, penso que
                      escreverei registros de meu trabalho mental hoje, será mitologia."
                      E assim somos levados a acreditar, e nunca foi história de maneira
                      alguma. Dois mil anos atrás eles escavaram alguns ossos na China, ossos
                      maciços e eles não sabiam que diabos seriam. Eles entederam que
                      deviam ser ossos de um dragão. E foi dito que em tempos históricos
                      ancestrais a cauda de um grande dragão tinha cavado o canal do rio pela
                      terra, na China, posssibilitando o rio  fluir para o mar. Porque eles
                      concluiram que isto era o Dragão do qual haviam encontrado os ossos. E
                      não foi até  a década de 1820, que não foi a tanto tempo, que ossos
                      muito similares foram encontrados, e a seguir estes ossos similares foram
                      encontrados em várias partes do mundo, mais ou menos 170 anos atrás,
                      e foi então que descobrimos os dinossauros. E chamamos os
                      dinossauros de "lagartos terríveis".  Estes sao os mesmos ossos
                      descobertos pelos chineses há 2.000 anos. Pelos últimos 2.000 anos o
                      Velho Testamento tem sido o equivalente deste velho dragão chinês. Era
                      o único registro que tínhamos e assim decidimos que isto era um fato.
                      Temos chamado a este Dragão de história.
                      Entre 1850 e a década de 1930 foram desenterrados documentos na
                      Terra Sagrada, Síria e Mesopotamia. E era intrigante que estes
                      documentos nos dessem nomes de pessoas, de pessoas que
                      conhecemos, Abraão, Terah, etc. Estes nomes realmente surgem em
                      documentos. E a primeira coisa que aprendemos foi que a Bíblia estava
                      correta em certas áreas. Os personagens eram reais e realmente
                      existiram. O que também aprendemos foi que eles não eram apenas
                      nomes de pessoas, eram também nomes de cidades, estados, grandes
                      centros e reinos que foram historicamente governados por governos
                      municipais .
                      E assim tínhamos uma situação que revelou que ou este povo dava seus
                      nomes à cidades ou as cidades davam seus nomes aos governadores.
                      Mas realmente eram pessoas importantes. Ainda que não fossem
                      apresentados como pessoas importantes, eles eram realmente nômades,
                      homens de tribos errantes de algum tipo. E assim um a um destes
                      documentos começou a mostrar uma história diferente. Eu tentarei não
                      me desviar muito para um destes reinos fascinantes  apenas por amor a
                      isto, mas tentarei estreitar e manter o Velho Testamento em vista.

                      Na década de 1980, as instituições dos governos ocidentais detestaram
                      totalmente o trabalho dos arqueologistas. (rindo) E por volta de 100
                      anos atrás, a arqueologia era nova, mas mesmo assim foi bastante
                      odiada; tanto, que novas leis e regulamentos foram criados e colocados
                      em operação. Escavações arqueológicas no Egito e na Mesopotamia,
                      subitamente, tinham que ser aprovadas e somente podiam ser custeadas
                      por algumas fontes. E estas fontes eram controladas por um novo grupo
                      de autoridades recentemente designadas. Uma destas designadas
                      autoridades foi chamada Fundo de Exploração Egípcio, que foi
                      fundado  na Inglaterra em 1891. Na primeira página dos artigos da
                      associação Fundo de Exploração Egípcio declara-se, "o Fundo objetiva
                      promover o trabalho de escavação com o propósito de ilustrar a
                      narrativa do Velho Testamento." (risos)
                      O que isto na realidade significa era que se alguma coisa fosse
                      encontrada pelos arqueologistas que pudesse ser utilizada para sustentar
                      a Escritura de ensino do tempo, então o público seria informado sobre
                      isto, qualquer coisa mais era mitologia!  (risos) Se isto não se encaixasse
                      na interpretação, não estava destinado a ver a luz do dia no domínio
                      público. Isto foi centenas de anos atrás. Nós ainda sofremos de muitos
                      tipos destes regulamentos hoje. Há um monte de descobertas fora daqui,
                      em países que nem ouvimos falar, mas estão colocadas sob cobertas
                      secretamente fechadas dentro de salas sob estes museus, e nós nao
                      vamos saber a verdade delas.
                      Assim o que vamos fazer hoje é realmente nos aprofundarmos em um
                      exemplo de um achado particularmente muito importante daquela era, no
                      final da década de 1800. Iremos ver uma descoberta específica apenas
                      para dar a você uma pálida idéia do tipo de coisa que tem sido
                      encoberta de nós. Em minha opinião esta é provavelmente a descoberta
                      bíblica mais importante que foi feita. Há muito pouca coisa escrita sobre
                      isto, fora dos círculos internos acadêmicos. No contexto do Livro do
                      Exodus há uma importante montanha nomeada na Bíblia. Está ao alcance
                      da Península do Sinai, que é um triângulo de ponta para cima, entre o
                      Egito e a Jordânia. É conhecida como Monte Horeb. Mais tarde foi
                      chamada de Monte Sinai. E entao novamente foi chamada de Monte
                      Horeb. Este é o nome que permanece quando entramos na progressão
                      da história. E esta história com certeza é aquela de Moisés, trazendo os
                      israelitas para fora do Egito quando eles tinham se encontrado com
                      Jehovah, na Montanha Sagrada. Naquele período de tempo na história,
                      por volta de 1.360 AC, não havia uma montanha chamada Monte  Sinai.
                      Devemos saber disto no início.
 
                      Não havia mesmo uma montanha com este nome no tempo de Jesus!
                      Monte Sinai, escrito em registros geográficos, não existe realmente por
                      mais outros 300 ou 400 anos. A tradução que hoje temos do Velho
                      Testamento foi compilada um pouco antes do ano 1.000 de nossa era e
                      é realmente 600 anos mais nova do que o Novo Testamento que temos
                      hoje. Então, quando as pessoas estavam dando certos nomes a certos
                      lugares por volta do ano 1.000 de nossa era, na verdade estavam dando
                      os nomes que conheciam naquela época e não necessariamente os
                      nomes utilizados nos tempos de Moisés. E assim é que as pessoas
                      daquele tempo saberiam exatamente do que estavam falando. E  a
                      montanha geralmente chamada de Monte Sinai agora se localiza ao sul
                      do triângulo da península, que realmente recebeu este nome de Monte
                      Sinai  no século IV de alguns monges gregos cristãos que decidiram
                      construir uma pequena missão. E foi lá que eles decidiram que este é o
                      Monte Sinai da Bíblia. Hoje há ainda um pequeno retiro cristão,
                      chamado de Monastério de Santa Catarina. Entretanto era a mesma
                      montanha Monte Sinai da Bíblia? Foi revelado que não.
                      O Exodus realmente se estende para explicar isto para nós, para explicar
                      exatamente onde ficava esta mágica montanha, a verdadeira montanha
                      para onde foram Moisés e os israelitas na saída do Egito quando
                      atravessaram a terra de Midea. Ele nos diz que eles atravessaram as
                      terras nesta região e chegaram a esta montanha em particular.
                      De fato, se seguirmos a rota do mapa exatamente como ela nos é dada
                      no Exodus, você realmente fica centenas de milhas distante do
                      Monte Sinai, que nos é mostrado nos mapas de hoje. De fato, eles
                      viajaram bem distante ao norte através do Sinai que eles estavam a
                      centenas de milhas do Mar Vermelho. Eles realmente atravessaram a
                      faixa de terra no topo onde se situa o canal hoje. Assim parece muito
                      mais que estranho que eles tivessem se desviado centenas de milhas
                      através do Mar Vermelho onde Moisés teve que partir as águas. Este
                      não seria o caso, se eles viajassem bastante para o norte e o Exodus nos
                      diz que eles realmente fizeram isto. Ele nos diz onde exatamente estava o
                      Monte Horeb. A palavra  "Horeb" é uma palavra árabe, que
                      simplesmente significa , "deserto." Monte Horeb era uma montanha
                      deserta e as Montanhas Desertas eram muito bem conhecidas. Esta
                      montanha ficava aproximadamente a 2.000 pés do nivel do mar,
                      exatamente o que revela o Exodus, na rota da saída do Egito através da
                      terra de Midian.
                      No final da década de 1890 o egiptologista britânico Sir Flinders Petry,
                      da Universidade  do Colégio de Londres decidiu se candidatar aos
                      fundos do Fundo de Exploração Egípcio para ir e investigar esta
                      montanha. Em 1904, ele e sua equipe estavam ao pé de Monte  Surebit.
                      E no ano seguinte, Petry publicou particularmente os resultados de seus
                      achados, as fotografias, registros e mapas. Mas ele acrescentou suas
                      notas desta publicação ao relatório que tinha feito, a despeito de sua
                      fonte de recursos, que geralmente não seriam tornadas públicas pelo
                      Fundo de Exploração Egípcio. Os subscritores do Fundo receberiam os
                      mapas, receberiam pequenas partes de informação mas os detalhes do
                      que havia sido encontrado não seriam de forma alguma mencionados. Os
                      agentes não revelariam, mesmo aos seus próprios membros, nada além
                      do que era permitido dos resultados dos achados de Petry.
                      Porque ele quebrou alguns dos artigos dos regulamentos? Teria achado
                      alguma coisa que supostamente não deveria encontrar? Isto foi
                      exatamente o que aconteceu. Ele descobriu o segredo desta secreta e
                      mágica Montanha de Moisés, um segredo que não somente faz um
                      sentido completo das retratações que temos do  Exodus, mas que retira
                      a cortina totalmente da comum interpretação da Escritura sobre aquela
                      história. O  Sinai não era uma terra estrangeira para os egípcios; era
                      realmente parte do Egito. Estava sob o controle do Faraó. Quando
                      Moisés e os israelitas tinham deixado o Egito e atravessado o Sinai, eles
                      teoricamente ainda estavam no Egito. O Sinai veio para o controle de
                      certas autoridades públicas. Uma era chamada de Chanceler Real e a
                      outra era chamada de Mensageiro Real. E estas pessoas governavam o
                      Sinai. A era de Moisés foi o período de tempo da 18a. Dinastia do Egito
                      e de fato sabemos exatamente quem eram os Governantes do Sinai na
                      18a. Dinastia. Sabemos seus nomes e conhecemos as suas famílias. O
                      Mensageiro Real era um indivíduo chamado  "Nebi," e era também
                      Prefeito e Comandante de Tropa no centro de Siro, que era a cidade
                      principal, de onde vieram os israelitas; é onde eles passaram seus anos
                      no Egito.
                      Uma outra coisa a entender antes de acompanharmos Petry em sua
                      descoberta foi que havia uma imensa diferença entre os israelitas e os
                      hebreus, embora a Bíblia não deixe isto claro. Eles de forma alguma
                      eram o mesmo povo! Os hebreus eram a família descendente de
                      Abraão, eles eram descendentes em linha e em essência e eles viviam nas
                      terras de Canaã e Palestina. Os israelitas eram nem mais nem menos que
                      os descendentes de um dos netos de Abraão, chamado Jacó, que
                      mudou seu nome  para Israel, que levou a família para o Egito onde
                      passaram muitos séculos antes de partirem com Moisés. A família dele
                      era chamada de israelita, os filhos de Jacó, que se tornou  Israel.
                      Assim, o que temos que reconhecer sobre a história da Montanha e de
                      Moisés é que quando Moisés saiu do Egito ele saiu do Egito com os
                      israelitas, e não com os hebreus. O ponto inteiro desta história das leis e
                      mandamentos dados em Monte  Horeb, Monte Sinai era realmente parte
                      de trazer os israelitas de volta à comunidade, uma terra estrangeira onde
                      eles realmente tinham de aprender novas regras, novos regulamentos,
                      novas leis.
                      Eles estavam a se tornar parte da familia de onde se originaram. Este é o
                      verdadeiro registro desta história. Os israelitas não eram hebreus! Mais
                      tarde na história chegamos a aprender a palavra "judeu"que aparece no
                      registro histórico. Eles necessariamente não eram nem hebreus e nem
                      israelitas; eram todo povo que vivia na Judéia.
                      Hoje todas estas tribos são ligadas como um só povo. Os israelitas
                      passaram algo como 400 anos vivendo ema certa parte do Egito, na
                      terra de  Goshen. Durante estes 400 anos, tiveram pouco contacto com
                      seus parentes hebreus em Canaã, e cresceram em um ambiente
                      completamente diferente. Eles cresceram em um ambiente onde
                      aprenderam sobre um Panteão de deuses e não um único deus Jehovah.
                      Era a lei egípcia que seguiam. Embora sendo da família que eram, eles
                      ainda se feriam com a idéia de seguir um tipo de conceito hebreu, que
                      incluia um deus, entre eles em Goshen. Eles simplesmente chamavam
                      este deus de Senhhor Adon, traduzido, "Meu Senhor."  E esta é uma das
                      razões prque os nomes de Senhor e  Jehovah surgiram
                      independentemente na Bíblia. Nós os lemos como se fossem o mesmo
                      ser, mas na maior parte do tempo, não são. Um deus era chamado "o
                      Senhor," o outro era chamado "Jehovah." Jehovah era usado
                      estritamente pelos Hebreus.
                      Para os egípcios, o nome Adon era pronunciado Aten, e vem daquele
                      que temos no nome do Faraó, Ahkenaten. Este também era um conceito
                      de "um deus," que Ahkenaten trouxe ao Egito exatamente antes do
                      tempo de Moisés. E assim é que até mesmo os egípcios da área de
                      Goshen tinham um conceito de "um só deus". Ainda que não fosse o
                      mesmo deus. Então, quando Moisés chega ao Sinai, com os israelitas,
                      eles não chegam como seguidores de Jehovah; quando eles chegaram
                      àquela montanha mágica, eles eram seguidores de  Aten. E foi por esta
                      mesma razão que receberam um conjunto inteiramente novo de leis e
                      mandamentos para obedecer em vista da cultura hebraica de sua terra
                      natal em pespectiva.
                      E voltemos à descoberta de Flinders Petry! Ele vai à montanha e sabe
                      que lá vai obter alguma coisa. Como ele sabe, realmente ele não explica.
                      Mas ele sabe que esta é a montanha e sabe que se procurar bastante irá
                      descobrir um segredo lá. De início, não descobre muito. Mas em um
                      amplo platô, muito perto do topo da montanha, eles encontram coisas
                     que os fazem acreditar que lá teria sido uma habitação. Havia ao redor
                      objetos que pareciam construções, ressaltando-se deste platô 2.600 pés
                      montanha acima. Havia grandes pilares e pedras eretas, que se elevavam
                      fora de uma pilha de entulho.
                      Ele decidiu dar uma olhada no que estava sob esta pilha de entulho. Os
                      ventos e os deslizamentos de terra tinham depositado este entulho há
                      mais de 3.000 anos.  E quando finalmente ele foi removido, Petry
                      escreveu, "não há outro monumento conhecido que nos faça lamentar
                      mais que não esteja em melhor preservação, o todo disto foi enterrado.
                      Ninguém tem qualquer conhecimento disto até que limpamos o sítio." O
                      que eles descobriram, no alto do Monte  Horeb, 2.000 pés acima do
                      nível do mar, foi um enorme templo egípcio de 230 pés que se espraiava
                      acima do solo. Uma outra parte dele se espraiava para uma caverna sob
                      o solo, cortava o lado da montanha com bordas  aparadas e várias
                      inscrições ao redor deste templo. E sobre estas paredes e pedras eretas,
                      foi então que ele se dirigiu à descoberta de que isto tinha sido um ativo
                      templo egípcio, remontando ao tempo da primeira dinastia do Egito.
                      Agora olhemos para Moisés por volta da 18a. Dinastia do Egito, e assim
                      esta descoberta remonta de muito antes, e este templo tinha estado ativo
                      até por volta daquele tempo - 3.000 antes de Cristo.
                      A parte de cima do solo do templo era principalmente de pedra areia,
                      retirada das pedreiras da própria montanha. Compreendia uma serie de
                      salas e de corredores, santuários, cubículos e câmaras. E destas, as
                      características que agora estão abertas para inspeção, são o Santuário
                      principal, o Templo dos Reis, e a Sala da Deusa, que são grandes. O
                      todo deste complexo de templo a que Moisés foi levado, foi
                      aparentemente onde ele se encontrou com Jehovah para receber os Dez
                      Mandamentos, e as novas leis. Este era um templo da Deusa Hathor. Ela
                      aparece em relíquias por todo o lugar. A caverna que foi cortada na
                      rocha era dedicada a Hathor. As paredes, que são lisas e polidas como
                      mármore, tem sua imagem nelas, ainda que supostamente esta seja a
                      montanha mágica de Jehovah. Profundamente dentro da caverna, Petry
                      encontrou uma pedra ereta feita de pedra calcárea do Faraó Ramsés I.
                      Agora, todos os especialistas nos dizem que Ramsés odiava o culto a
                      Aten no Egito. Isto não foi o que declarou Ramsés , ele mesmo se
                      descreve com o título , "Sou Ramsés, sou o governador de tudo que
                      Aten abraça."  Isto revela que os especialistas estão nos mentindo sobre
                      o Faraó e suas crenças. Uma estátua da cabeça da mãe de Moisés
                      também foi encontrada dentro deste templo.
                      Isto provou que o templo tinha estado em uso do período de tempo que
                      remonta por volta 3000 AC todo tempo, até o tempo de Moisés, por
                      volta de  1.360 AC. Nas paredes que rodeiam o exterior do templo há
                      tanques de pedra, bacias retangulares e banhos e todos os tipos de
                      mesas curiosamente formatadas e bancos que ninguém pode fazer
                      qualquer sentido sobre eles. Eles não se parecem com altares e tem
                      frentes repousadas. Eles tem níveis de superfície e a coisa toda parece a
                      eles ser mais um laboratório que um templo. . Havia vasos de alabastro.
                      Eram containers e todos eles tinham o formato das flores de lótus. E
                      havia também quantidades variadas de outros artigos. Havia bastões
                      também, eram como as pequenas varas dos sacerdotes e até mesmo
                      hoje ninguém sabe do que são feitos. O material é muito duro. Todas
                      estas coisas tem desenhos, mas não são exatamente desenhados no
                      estilo egípcio normal, tem trabalho reticulado, e tem um estilo de desenho
                      que é mais mesopotâmico que egípcio. Ainda que seja um templo
                      egípcio. Eles também encontraram umas poucas outras coisas muito
                      estranhas.
                      Quando eles foram para o complexo do templo de Hathor, que parece
                      ser o centro de onde vem a energia de tudo isto, eles começaram a
                      encontrar algumas coisas muito estranhas. Pedras cônicas, colocadas
                      muito cuidadosamente em prateleiras, pequenos cones de pedras, uma
                      caçarola metalúrgica era muito aparente. Foram estes achados que
                      levaram Petry e sua equipe a imaginar o que isto poderia ter a ver com o
                      templo.  Nada havia na lei do templo que dissesse que caçarolas
                      metalúrgicas eram parte do que acontecia. E por todo o templo, todas as
                      paredes e nas várias pedras havia alguma coisa venerada, altamente
                      venerada dentro do complexo do templo e que era chamada de
                      Muffkits.
                      Agora eles sabiam que todas estas coisas estavam relacionadas mas não
                      sabiam como. Assim começaram a tentar entender o que seriam os
                      Muffkits. Alguns acreditavam que fosse cobre, muitos preferiam a idéia
                      de turquesa, mas a coisa irônica sobre estas suposições era que nenhum
                      destes materiais estava aparente dentro do templo, não havia cobre, não
                      havia turquesa. O Sinai é conhecido por suas minas de turquesa, se a
                      mineração tivesse sido a funçao primária do templo por mais de 2.000 a
                      3.000 anos, você esperaria encontrar pedras de turquesa nas tumbas do
                      Egito. Se existem, são poucas, e assim eles estavam minerando turquesas
                      todo este tempo e só acharam mais ou menos meia dúzia.   (risos)
                      E não demorou muito tempo para que eles entendessem que se os
                      egípcios estivessem minerando e derretendo cobre precisariam de um
                      equipamento muito diferente para este tipo de coisa. Esta não era uma
                      retificação do metal da maneira que conheciam. O cobre era aparente no
                      Sinai, mas era lá em baixo, nos vales profundos onde haviam profundos
                      trabalhos de fundição e nao eram em nada semelhantes ao encontrado
                      neste templo. Não havia resíduo de cobre em lugar algum, exceto
                      referências aos Muffkits. Uma outra causa de surpresa quando
                      eles removeram todo este entulho, era que eles começaram a ver
                      referências ao Pão, em todo lugar havia referências ao pão, pão era
                      sempre escrito ao longo dos  Muffkits.
                      Também muito proeminente de todos os sinais hieroglíficos exteriores era
                      o sinal da luz. Pão, Luz e Muffkits pareciam igualmente importantes neste
                      templo. Não tinha nada a ver com cobre, e tinha algo a ver com estes
                      estranhos tanques, e estas estranhas mesas de laboratório com as frentes
                      repousadas e superfícies cortadas em níveis. Então, pão, muffkits, luz,
                      pedras cônicas, caçarolas metalúrgicas compunham um problema até
                      que eles decidiram limpar o entulho de uma série de salas de
                      armazenamento quadradas em uma das partes do templo. Quando
                      removeram o entulho, deram com  placas de pedra. Eles moveram
                      placas de pedra e sob elas, cuidadosamente estocadas em cada uma
                      destas 4 ou 5 grandes e quadradas sala, a umas poucas polegadas de
                      profundidade, empacotadas bem apertadas ao solo estavam toneladas e
                      toneladas do mais fino e puro pó branco.  (risos) Assim disseram os
                      especialistas, que claramente é o resultado da fundição de cobre ! (risos)
                      Assim eles fizeram alguma fundição de cobre e descobriram que o que
                      você realmente obtém da fundição do cobre é uma escória suja, negra e
                      densa. Nào obtém pó branco. Não há cobre dentro de milhas da
                      montanha mesmo que exista cobre em abundância em algumas partes do
                      Sinai .
                      Outros disseram que isto era claramente para queimar plantas e produzir
                      alcalinos. Porque eles realmente queriam produzir alcalinos ninguém
                      soube dizer. Por mais que testassem, descobriam que não havia resíduo
                      vegetal. De fato, se eles fossem ter um templo para queimar plantas, eles
                      realmente teriam feito melhor no vale, onde há mais árvores; e não a
                      2.000 pés, acima, na montanha.  (risos). E assim no desejo de uma outra
                      explicaçao foi decidido que o pó branco e as pedras talvez estivessem
                      associados com um direito sacrificial, unindo-se "palhas" aqui todo o
                      tempo, tentando trabalhá-las no que fosse aquilo.  Provavelmente seria
                      um sacrifício animal ! (risadas)
                      Alguém, que não era o membro mais brilhante da equipe, ressaltou qure
                      este era um templo egípcio. Nada existe em qualquer parte da história
                      que diga que os egípcios sacrificassem animais para qualquer coisa, isto
                      não fazia parte de sua estrutura religiosa de forma alguma. Eles testaram
                      o pó, fizeram tudo o que podiam, não era osso, lasca de pedra, pedra,
                      planta, ou parte de pele. Nada disto estava no pó. E era descrito como
                      um pó bem empacotado, que era exatamente levado pela brisa no
                      momento que você abrisse o pacote.  Petry escreveu "pelo que temos
                      procurado nestas cinzas em dezenas de circunstâncias, espargindo-se na
                      brisa, nunca encontrei um fragmento de osso, pele, planta ou nada mais."
                      Então, alguma porção deste pó misterioso foi enviado à Inglaterra para
                      análises e exames. Os resultados, realmente, nunca foram publicados.
                      (risos) Quando as pessoas voltaram para dar uma olhada no resto do
                      pó,  reconhecendo que havia umas 50 toneladas dele, tudo foi entregue
                      aos ventos do deserto e da erosão e foi o fim de tudo.
                      Contudo o que se tornou aparente, quando examinando as outras
                      inscrições do templo foi que estes Muffkits, este pó, tinha algo a ver com
                      as chamadas "Pedras de Fogo do  Alto" da Mesopotamia ["Highward
                      Fire Stone"]. É a mesma coisa,  os Muffkits são as "Highward Fire
                      Stone."  Eles chamavam a isto de sagrado Shamana, que derivou na
                      palavra bíblica , "Manna" que com certeza, esta era a importância da
                      palavra, "pão," que se mantinha aparecendo. Havia uma ligação entre
                      este pó, o Shamana dos Mesopotâmios, e a luz.  A palavra luz estava
                      sempre lá onde quer que fosse mencionado Shamana e onde quer que
                      fosse mencionado Muffkits , ou Highward Fire Stone. O símbolo de luz
                      sempre estava ao longo dele.
                      Foi então decidido, provavelmente corretamente, que os Muffkits eram o
                      mesmo pó de que fala o livro do Exodus, que realmente nos fala sobre o
                      pó. Ele nos fala dos israelitas serem alimentados com um pó particular
                      naquele tempo. Revela a importância de alguma coisa chamada de
                      "Shew-bread," que estava no tabernáculo e no altar do templo.
                      Shew-bread é o mesmo que Shamana. E Shamana é o mesmo que os
                      Mesopotâmios costumavam chamar a isto. Contudo o Livro do  Exodus
                      nos diz que o indivíduo que fez o Shew-bread para o tabernáculo
                      de Moisés se chamava Bessilie. E desce a detalhes para nos dizer que
                      ele era um Mestre Artesão. E assim este indivíduo tinha recebido as
                      instruções, colocadas na Bíblia para nós lermos. Para fazer bastões de
                      velas, para fazer pratos de ouro, para fazer todas as ordens, para fazer a
                      Arca do Pacto, e para fazer este pão. Ele era um  ourives. O título
                      "Mestre Artesão" é uma palavra particularmente importante, e quanto
                      mais procurei por esta definição para Mestre Artesão mais encontrei ,
                      indo cada vez mais distante no tempo.
                      Esta definição existe remontando por volta de 4.000  AC. Haviam
                      grandes Vulcans; os Mestres Artesãos eram grandes Vulcans. Eles eram
                      as pessoas no comando dos fornos; eram as pessoas que fazias as
                      Highward Fire stone. Então quanto as pedras cônicas, os tanques e as
                      mesas e todo o equipamento no Templo, foi realmente derminado pela
                      equipe de  Petry  que este templo era claramente um laboratório. E assim
                      o relato volta a Londres onde eu comecei dizendo a vocês "o que eles
                      não nos disseram".  O que eles descobriram era a fábrica alquímica dos
                      Faraós, e da 18a. dinastia antes disto. O laboratório do templo guardava
                      e produzia exatamente o que nos diz o livro do  Exodus,  Highward Fire
                      Stone, o Shamana. E Monte Sinai tinha sido visto entre fornalhas porque
                      o Senhor desceu sobre ele em fogo, a fumaça ascendia quando uma
                      fornalha  e a montanha tremeram grandemente - é isto que ele nos conta.
                      Antes que isto acabasse, quando o sol se pôs e estava escuro e lá se
                      mantinha uma fornalha fumacenta, uma lâmpada queimante, o arbusto
                      ardente visto por  Moisés que estava em um esplendor ardente. Isto
                      explodiu e veio um anjo. Se você pensar nisto é bem idêntico ao
                      experimento que ele fez com seu lápis, o esplendor da luz, não tinha
                      nenhum efeito no objeto dentro dele; é a mesma história. No Exodus
                      lemos que Moisés pegou o Bezerro de Ouro, que os istraelitas tinham
                      feito durante sua ausência, quando ele estava na montanha. Ele o
                      queimou no fogo, o transformou em pó.  (risos) Agora, ninguém tem
                      questionado estes registros, mas me parece que se você queimar "ouro"
                      no fogo você tem ouro derretido, realmente não tem pó. Este era
                      exatamente o processo da fornalha  Shamana que nos falam os registros
                      egípcios. E era isto precisamente o que se passava neste templo, eles
                      estavam fazendo esta coisa - 50 toneladas disto!
                      O próprio bisavô de Moisés foi o Faraó Tuthmosis III, ele tinha
                      reorganizado as antigas escolas de mistério no Egito e fundado a Escola
                      Real de Mestre Artesão. Naquele tempo eles a chamavam de "Grande
                      Fraternidade Branca" por causa de sua preocupação com um misterioso
                      pó branco . (risos) Um ramo da fraternidade se tornou conhecido como
                      Terapêutico. Eles eram uma comunidade de cura, que também tem algo
                      a ver com medicina. Os Terapêuticos de fato criaram ramos por toda a
                      Palestina e Siria, e lá estava um ramo conhecido como Essênios no
                      tempo de Jesus. Claramente estes homens estavam nisto também.
                      Lembre-se de Hathor, tudo isto é dedicado a ela, não a  Jehovah, ela era
                      a grande mãe, ela é a mais antiga figura de deidade identificada no Egito,
                      a ela se voltam os mais antigos artefatos que conhecemos, de 3.000 AC.
                      E a história dela quando foi contada e documentada corre paralela com
                      o personagem histórico chamado Grande Vulcan, "Tubalcain." Tubalcain
                      é realmente mencionado na Bíblia, ele realmente foi um dos
                      descendentes de Caim na linha de Eva.
                      Os maçons livres hoje reverenciam Tubalcain. Eles não sabem porque,
                      eles apenas sabem que Tubalcain foi muito importante e foi Mestre
                      Metalúrgico. Ele era um grande Vulcan. Agora Hathor é particularmente
                      importante no Egito, porque ela não estava lá no verdadeiro início do
                      tempo egípcio. Ela estava lá no verdadeiro fim dele. Exatamente no fim
                      da era Faraônica quando Cleopatra é um tipo de declínio. É quando os
                      romanos estão se movendo, por volta de 30 a 40 AC. Ela é o penúltimo
                      faraó deles todos. Garantindo que ela tenha uma de suas imagens
                      gravadas no templo de Hathor. Hathor era a deusa nutridora, e era dito
                      que era filha de  Ra. Diziam que ela dera nascimento ao Sol. Ela era a
                      Rainha do Ocidente. Ela era a que sabia os encantamentos corretos,
                      fossem quais fossem, era a protetora da feminilidade. Contudo a maior
                      importância desta deusa era que dela vinha o leite pelo qual os faraós
                      ganhavam a divindade.
                      Nós agora sabemos qual era o leite em pó de Hathor ; era o pó
                      fabricado no Templo de Hathor - o Shamana. Eles supuseram todo
                      tempo porque isto não era feito no Egito, mas como já disse antes, o
                      Sinai estava no Egito, era o mesmo país. Apenas acontecia estar do
                      outro lado da água. Sobretudo uma das gravações na rocha na caverna
                      da montanha é a representação do próprio bisavô de Moisés, (sic)
                      Tuthmosis IV, na presença de Hathor. Nesta maravilhosa gravação em
                      relevo que é coberta de flores de lótus, um homem é apresentado com
                      (sic) Tosmoses com um pão branco, um pão branco cônico.  Um outro
                      detalha o Pedreiro  Ankif oferecendo dois bolos de pão cônico ao rei e
                      eles são representações de tudo deste templo. Os bolos de pão revelam
                      a importância dos Muffkits; era Hathor dando sua divindade ao Faraó'.


 
                      O homem cuja dinastia e sacerdócio era dinástico, bem como os reis. O
                      homem cuja dinastia ia diretamente para este templo, dos tempos mais
                      iniciais até mesmo o tempo de Moisés, de uma dinastia chamada de (sic)
                      Sabadhotec, e (sic) Sabadhoctec é descrito como o supervisor da
                      montanha e da casa do ouro. Assim, não há dúvida sobre com que
                      estamos lidando aqui, juntamente com o ouro, tudo estava revelando um
                      novo registro histórico até onde Petry estava envolvido. Contudo, o
                      Fundo para Exploração Egípcia não tinha nada a ver com este fato, que
                      não lhe dizia respeito, mesmo que explicasse melhor. Seu raciocínio ao
                      não permitir que esta história fosse revelada foi porque não iria adiante
                      com a história dos Dez Mandamentos e do encontro de Moisés com
                      Jehovah, como a Bíblia tinha retratado, embora esta revelação fosse
                      muito mais excitante. E isto explica porque os historiadores acabaram
                      colocando a montanha a centenas de milhas de distância fora de rota,
                      que era muito melhor para as circunstâncias, que revelar esta história.
                      Os Faraós da 4a. Dinastia sempre são retatados em imagens com esta
                      mesma deusa exatamente perto deles. A 4a. Dinastia foi a grande
                      dinastia das Pirâmides. As pirâmides estavam diretamente relacionadas a
                      este templo e a casa do Ouro. Foi como elas receberam seu nome. A
                      palavra pirâmide significa fogo. Simplesmente denota alguma coisa que
                      pertence ao fogo. Hathor era muito importante no tempo das pirâmides.
                      Era muito importante para os faraós daqueles dias. Ainda que
                      historicamente tenha sido sempre ressaltado que os faraós construiram as
                      pirâmides de  Giza. E então eu fico imaginando qual seria a ligação.
                      Pensei que ao ler estes achados de Petry encontraria o que estava
                      acontecendo aqui. Foi revelado que este mesmo assunto preocupava
                      Petry. Ele estava tentando estabelecer porque esta deusa nutridora, cujo
                      leite era capaz de dar divindade ao faraó, estava associada com as
                      pirâmides construídas. A resposta fora claramente cortada. Sob as
                      circunstâncias certas, este pó é perfeitamente capaz de transpor suas
                      próprias propriedades para outras coisas.
                      Este pó, se você se lembrar dos experimentos de Hudson, realmente
                      tinha sua própria imponderabilidade, era matéria exótica. O físico russo
                      (sic) Saracoff, que foi um dos maiores pesquisadores da gravidade,
                      desde os anos 70, escreveu extensamente sobre a gravidade em fatores
                      de ponto zero. E ele revelou que este pó é matéria exótica! Ele explicou
                      que tinha sob teste uma atração gravitacional de menos que zero. Seu
                      peso foi medido em menos que nada. Completamente exótico, disse ele.
                      Este pó poderia ser feito para se mover para uma diferente dimensão se
                      alguém quisesse, disse ele.  Não somente pesa menos que nada como
                      também a sua perda pesa menos que nada. Agora, se você lembrar
                      novamente o que diz Hudson, lembre de tudo, o pó estava em tudo, não
                      somente o pó perdeu sua falta de peso mas também o fez tudo. Quando
                      então o que emerge disto, realmente não tem muita importância se é uma
                      frigideira, um disco ou um enorme bloco de pedras.   (risos e aplauso)
                      Eles nos dizem que estes maciços blocos das pirâmides; 2 1/2 a 15
                      toneladas cada um, foram elevados a grandes alturas com extrema
                      precisão, por dezenas de milhares de escravos. Eles supostamente
                      usavam rampas e cordas e um longo período de tempo para construirem
                      estas pirâmides, o que sempre tem estado muito além da compreensão.
                      Isto já foi provado que é de uma total falta de lógica, e que ninguém nem
                      mesmo tentou reproduzir este feito, que nunca poderia ser realizado. Os
                      bons testes como os de (sic)Saracoff  e outros realmente tem provado
                      que toda a coisa poderia ter sido muito mais simples. Se eles estivessem
                      produzindo Shemana, Highward Fire Stone neste templo para alimentar
                      os corpos de luz dos faraós, como o leite de Hathor dando a eles
                      divindade e longevidade, porque há lá 50 toneladas? Você realmente
                      não precisa desta quantidade, e eles estavam produzindo quantidades
                      enormes. A especulação envolvida nisto começou a revelar que era bem
                      provável estar relacionado à construção das pirâmides. As Pirâmides
                      eram produzidas pelo fogo, eram feitas em fornalhas.
                      É também muito intrigante reparar que este pó, fosse Hudson ou alguém
                      mais que o tenha testado, pode realmente ter sido feito fisicamente para
                      mover para uma dimensão diferente, juntamente com seu anfitrião.
                      Também foi dito que as Grandes Pirâmides de Giza eram essencialmente
                      lugares funerais para o Velho Reino dos Faraós. Cada caixão que eles
                      tem aberto nunca tem revelado qualquer ocupante e todos estão
                      essencialmente vazios! Nenhum corpo destes faraós foi encontrado. A
                      coisa interessante é que o que eles tem encontrado nestes caixões é uma
                      fina camada de poeira branca . (risos)  O que agora começa a emergir é
                      quando se lê o "Livro Egípcio dos Mortos" e outros textos, que elabora
                      sobre a jornada final dos faraós sendo realizada nesta dimensão, para
                      voltar em um outro tempo. E mais que parece que foi exatamente o que
                      fizeram.
                      Usando as propriedade supercondutoras deste ouro eles provavelmente
                      fizeram isto. Eles simplesmente suspenderam estes indivíduos em alguma
                      forma animada para uma dimensão diferente. Como que em algum
                      estágio no futuro só o mago certo que sabia os encantamentos corretos
                      pudesse vir e traze-los de volta e os Faraós emergiriam novamente. Eles
                      não tinham barganhado com o Fundo Egípcio de Eploração,   (rindo) ou
                      o Museu Britânico onde as pessoas vão com espanadores, escovas e
                      sacos e mandam toda esta poeira embora. (risos ) Os faraós então não
                      tem nenhuma chance. Estão bloqueados para sempre. (risos) David
                      Hudson mencionou a Câmara do Rei em sua fala, e realmente eu não
                      havia ouvido este conceito antes, mas tenho estudado atentamente este
                      conceito e ele realmente me intrigou. Porque na verdade isto pode ter
                      sido um enorme   superconductor.
                      Este processo de super-condução para a correta passagem do Faraó,
                      claramente parece indicar que os faraós eram mantidos em uma
                      dimensao diferente. Este pó garante um e vários usos. Dar a longevidade
                      e a divindade juntamente com seus atributos contidos também, era
                      importante na construçao de suas tumbas, as pirâmides. Era então
                      necessário criar um ambiente de supercondução no qual preservar seus
                      corpos. A cada vez que você investigue mais profundamente estes
                      documentos, dois símbolos continuam a se destacar. O PÃO  e a Luz
                      sempre ao mesmo tempo!
                      Entao, agora sabemos que os israelitas sairam do Egito levados por
                      Moisés e foram para o Sinai, onde havia um templo egípcio. Um templo
                      que tinha estado ativo por 2.500 anos e que era uma estação de
                      laboratório. Moisés já sabia que o templo estava lá e então porque foi
                      para lá? A Bíblia revela que o indivíduo que eles encontraram era
                      chamado de Jehovah. Contudo, aqui a história começa a se quebrar
                      porque a este ponto nós sabemos que Moisés não estava muito seguro
                      sobre quem era Jehovah. Ele diz, "quem é você, que devo contar a eles
                      quem você é ."
                      Parece perfeitamente claro que se Moisés fosse um hebreu e não do
                      Egito ela saberia extamente quem era Jehovah, mas ele não sabia, e ele
                      não tinha ouvido deste Deus. A resposta foi "Sou Aquele Que Sou", e
                      assim nos é dito que "Sou Aquele Que Sou", foneticamente em hebraico
                      tornou-se Jehovah. Neste ponto sabemos que Moisés encontrou
                      Jehovah e eles estavam juntos na montanha, ainda que haja segredo
                      sobre seu nome. Por um longo tempo, os judeus israelitas e hebreus não
                      tinham permissão para mencionar este nome. Ninguém era suposto de
                      expressar o nome de Jehovah, e isto era uma ofensa. No entanto, ele iria
                      emergir como o novo deus dos israelitas, e eles estavam começando a
                      ter que orar para ele. A propósito, eles sempre tiveram orações, mas
                      nunca tiveram que escrever novas orações. As orações dos israelitas
                      eram orações egípcias, exceto que foram traduzidas diferentemente. Eles
                      tinham que dizer a este deus que estas preces eram para ele. Eles
                      precisavam saber seu nome para que no fim da prece pudessem
                      chama-lo por este nome. Mas como não podiam pronunciar o nome do
                      novo deus, eles ficaram bloqueados e tiveram que usar o nome do deus
                      do Egito, o único nome que tinham permissão de mencionar  no final de
                      suas preces era o do deus do Estado do Egito. O nome deste deus era
                      Amen. (risos)
                      Por centenas de anos temos recitado preces para o deus do Estado do
                      Egito (risos e aplausos). A palavra Amen, significa oculto, escondido,
                      velado, secreto, algo além da compreensão da visão, oculto e
                      escondido,  Amen. Foi julgado pertinente para nomear Jehovah porque
                      o nome de Jehovah estava oculto.  Você não pode usar este nome
                      porque ele tem sido vedado. Então use o nome do deus egípcio,
                      AMEN, que se encaixa perfeitamente. E não foi até muito depois,
                      entrando no período de Jesus e além,  quando repentinamente os
                      teólogos daquele  tempo começaram a questionar porque é que estas
                      preces eram para Amen e não para Jehovah? O que eles fizeram foi
                      encontrar uma antiga palavra mesopotâmia que foi colocada em nossos
                      dicionários porque eles pensavam que fosse similar, entretanto não há em
                      absoluto nenhuma similaridade.
                      A palavra era (sic) Hiam, que significa "assim seja". E assim eles dizem
                      que "Amen" era o mesmo que Hiam e que significa "assim seja". E assim,
                      contornaram o problema mas na verdade temos estado a rezar pelo deus
                      do estado egípcio por centenas de anos. E este é o motivo pelo qual as
                      nossas preces não são respondidas . (risos)
                      Agora, nos dizem que foi nesta montanha que se deu o grande evento
                      dos Dez Mandamentos. Não há em absoluto nada de novo nos Dez
                      Mandamentos, e olhando em velhos documentos eu encontrei no "Livro
                      Egípcio dos Mortos" algo chamado de "Entamento número 125 "- (risos)
                      "não matarás, não prestarás falso testemunho...", está tudo lá. Os Dez
                      Mandamentos são parte do Encantamento Egípcio No. 125. Isto não é
                      mais do que estranho?
                      Eles foram para esta nova terra, receberam este novo deus que tem que
                      seguir, mas não podem dizer seu nome. Terão algumas leis que ele lhes
                      deu, mas estas leis são as mesmas leis do que eles chamavam de
                      Encantamento  No. 125. Nada realmente mudou, mas alguma coisa tinha
                      que ser diferente. Exatamente na matéria dos Encantamentros e dos
                      Mandamentos, é muito interessante ressaltar que quando você vai pelo
                      Velho Testamento este registro histórico egípcio é produzido todo
                      tempo, quase sempre palavra por palavra. O Livro dos Salmos,
                      atribuído ao Rei Davi, é quase que verbatim os hinos egípcios, com a
                      inserção de umas poucas palavras aqui e ali. Os Provérbios de Salomão,
                      um dos livros do Velho Testamento que lida com os sábios dizeres e que
                      é também chamado de Sabedoria de Salomão. Entretanto, os
                      Provérbios de Salomão são quase que palavra por palavra, novamente,
                      um outro texto antigo chamado de Sabedoria de  (sic)Ammanamote. E
                      estes papéis eram cópias de algo chamado de Sabedoria de
                      (sic)Tarhotepe. Isto foi datado como 2.500 anos antes de Salomão. O
                      Livro dos Provérbios de Salomão é egípcio. Os Dez Mandamentos são
                      egípcios. Os Salmos são egípcios, e as preces e hinos iniciais também
                      tem sido todos egípicios.
                      E assim o que realmente aconteceu aqui é que os israelitas tinham
                      voltado para os seus primos hebreus e ainda que nos seja dito que havia
                      todo um conjunto novo de leis e mandamentos isto em absoluto não era
                      assim! Moisés os trouxe para esta montanha dizendo, "este é o modo
                      egípcio, nós vamos fazer isto da nossa maneira daqui por diante."
                      As Pirâmides e os textos de Saboria estavam aparentemente compondo
                      o Velho Testamento. Há de fato muito pouco da lei judaica, e
                      compreendia em sua maior parte a lei egípcia. No livro  "Bloodline of the
                      Holy Grail"  estabeleci que a Igreja Cristã  de fato era híbrida,
                      compreendia várias doutrinas que haviam sido reunidas para formar um
                      novo Estado tipo Religião. Transpira que isto seja exatamente o que
                      aconteceu com o Velho Testamento e a fé hebraica inicial, que eram
                      exatamente a mesma coisa. Eles simplesmente queriam criar uma nova
                      religião dentro de uma terra estrangeira. Então, transferiram as leis e
                      mandamentos de um país para outro. O que fica extremamente
                      fascinante  é que quando eles vão pelo Velho Testamento e nos dizem
                      que Noé conversou com   Jehovah e Abraão também teve estas
                      experiências.  E fica crescentemente claro que o movimento em direçao
                      ao conceito de um deus na estrutura hebraica não aconteceu no tempo
                      de Noé, nem no tempo de Abraão, nem no tempo de Moisés, e
                      realmente não aconteceu até o ano de por volta 600 AC.
                      Se começarmos a ler a Bíblia tendo isto em mente nao é surpreendente
                      que nos mantenhamos achando nomes de todos estes outros deuses e
                      deusas, que estão por todas as partes do Velho Testamento. Não há
                      apenas um deus lá, embora os israelitas possam ter tentado seguir um
                      deus, ou outros deuses sempre estão lá e o plural é usado todo o tempo
                      quando estes deuses são mencionados - "Elohim." Por volta de 500 AC
                      os judeus estavam tentando reunir o Velho Testamento enquanto que na
                      Babilônia eles estiveram usando vários documentos individuais escritos
                      por pessoas diferentes e por razões diferentes. Nunca tinha existido um
                      livro reunido, nem mesmo nos tempos de Cristo. Jesus nunca ouviu falar
                      do Velho Testamento ou da Bíblia como nós os temos hoje. Eles
                      simplesmente não existiam. Estes registros históricos existiam em vários
                      documentos; mas não foi senão muito mais tarde que eles foram reunidos
                      na versão que hoje chamamos de Bíblia, no século IV.
                      Quanto ao Novo Testamento, porque certos livros foram também
                      omititdos? Porque certos documentos foram retirados enquanto outros
                      foram omitidos? Há alguma coisa que supostamente não devamos saber?
                      E de fato há mesmo muitas coisas. A Bíblia realmente nos dá alguns
                      nomes destes livros, e desce a detalhes para revelar livros tais como O
                      Livro das Regras de Jehovah, o Livro do Senhor, O Livro de (sic)
                      Jasher. Diz-se que todas estas coisas são importantes para a nossa
                      história, mas não estão na Bíblia, muito mais que apenas mencionadas!
                      Porque não foram incluidos?
                      Tudo isto é muito interessante. Precisamos olhar para estes outros livros
                      e descobrir o que realmente alguém possa ter querido ocultar. O Livro
                      de Jasher, este é um bom, quem é que foi Jasher? Jasher foi o filho
                      egípcio de um indivíduo chamado Caleb, ele era o cunhado do primeiro
                      juiz israelita e foi o oficial apontado para ser o mantenedor da equipe de
                      Moisés. Jasher era muito chegado a Moisés. Um livro recebeu o seu
                      nome e ou foi escrito por ele ou a ele foi creditado em uma data
                      posterior. Mas ele não se encaixava e ficou fora da Bíblia. É possivel que
                      possa contar uma história diferente  do que aconteceu no Monte Sinai da
                      história do Exodus, daquela que previamente nos tem sido ensinada?
                      Sim, e é imensamente diferente. Os especialistas dizem que Jasher
                      deveria cair entre o Deuteronômio e Joshua. E como claramente você
                      pode ver, não há nada lá. .
                      Exodus simplesmente nos diz que Jehovah deu todas estas instruções a
                      Moisés na Montanha, instruções referntes a mestres e serventes e
                      comportamento de vizinhança e todas estas coisas. Mas no Livro de
                      Jasher estas coisas não são conduzidas a Moisés de forma alguma por
                      Jehovah , realmente foi um camarada chamado Jethro que as recebeu.
                      Estes documentos nos contam que Jethro era o Senhor da montanha. O
                      Senhor da Montanha em hebraico é  El Shaddai e isto é particularmente
                      importante porque quando Moisés está na montanha pela primeira vez se
                      encontrando com Jehovah que diz "Sou quem Sou", ele afirma que ,
                      "Sou aquele que Abraão costumava chamar de  El Shaddai." Ele
                      realmente está dizendo que você está falando com Jethro, o Senhor da
                      Montanha.
                      El Shaddai como registrado nos textos mesopotâmios, revela que o
                      Senhor da Montanha era o líder máximo dos Vulcans. Os Vulcans eram
                      os mestres artesãos que faziam o  Shemana nas fornalhas. Há uma
                      maior ligação aqui. Jethro de alguma forma é importante nisto, como
                      Senhor da Montanha, no comando deste Templo, mas ele tem que ser
                      retirado. Se nós soubéssemos que esta pessoa que dá as leis e
                      mandamentos na Montanha era simplesmente Jethro, o Senhor da
                      Montanha, então toda a história de Moisés e seu encontro com Jehovah
                      como somos levados a aceitar seria um engano. Sem mencionar que o
                      livro inteiro de Jasher sobre esta sequência de Jehovah apenas menciona
                      Jethro. Moisés era até mesmo casado com a filha de Jethro. Era muito
                      importante que ele fizesse isto.
                      E uma outra parte deste "pacote", porque realmente há algo muito
                      importante aqui dentro desta história. É algo chamado "Tábuas do
                      Testemunho" que foram entregues a Moisés por Jethro, ou como nos é
                      contado, por Jehovah? As Tábuas do Testemunho indicadas por
                      documentos que estão fora da Bíblia eram ensinamentos que eram
                      mantidos dentro de uma pedra sagrada, e esta pedra sagrada foi
                      colocada nas palmas da mão de Moisés.
                      Eles a chamaram de esmeralda sagrada, mas seja qual for o título,
                      parece ser uma pedra preciosa, que foi mantida na palma da mão de
                      Moisés . Quando ela fosse segura, ela revelaria todos os segredos que o
                      homem conhecesse e as coisas futuras. Mas esta não foi a imagem que
                      nos levaram a acreditar, foi? Nos é dito que os dedos de Jehovah
                      realmente escreveram em grandes placas de granito. (risos) A
                      terminologia da palavra "pedra" nos dá uma outra imagem dentro de
                      nossas mentes, e a MGM decidiu seguir com esta imagem para fazer
                      parecer que o dedo de Deus escreveu sobre placas de pedra e elas
                      puderam ser carregadas por Moisés. (risos) Contudo, onde continuamos
                      errados sobre a maioria destas representações é que foi afirmado que
                      estas placas de pedra continham os Dez Mandamentos que eram uma
                      coisa muito diferente. O que estava na pedra e em uma única pedra nos
                      livros antigos eram "as Tábuas do Testemunho."
                      Agora aqui está um pensamento interessante, mas não temos nenhuma
                      prova dele. Comecei a imaginar se não podíamos dar uma pequena
                      olhada mais de perto em esmeraldas, safiras e ametistas, porque estas
                      são as pedras que são mencionadas. Há pedras que na Antiga
                      Mesopotamia, nos tempo de Moisés e mesmo no tempo do Rei
                      Salomão, se dizia que eram pedras que detinham toda a informação que
                      era importante que o homem soubesse ou viesse a saber. Assim penso
                      que devamos ver o que uns poucos cientistas dizem sobre a composiçao
                      destas pedras. Suponho qual seja o princípio chave nestas pedras...
                      estas pedras são baseadas em sílica. E esta sílica é idêntica aquela que
                      os nossos Pentium utilizam em seus modernos chips de computador, e
                      então isto também pode não significar nada. Estava apenas aguçando
                      suas mentes mas isto é interessante.
                      Quando começamos a comparar este antigo aspecto da alquimia antiga
                      parece haver uma correlação direta entre as pedras preciosas sagradas e
                      aquela que continha "a Tábua do Testemunho".  Aquela que foi dada a
                      Moisés, e então veio a passar para Salomão e outros, a previamente
                      mencionada pedra preciosa do Antigo Egito e Mesopotâmia que é
                      chamada de A Tábua de Esmeraldas de Hermes. O conteúdo da tábua
                      de esmeralda hoje está amplamente disponível, muitas pessoas não
                      sabem disto, mas está. E começa dizendo "por este conhecimento vós
                      partilhais das honras do mundo inteiro, mas este conhecimento da
                      escuridão "fugirá de vós, com este conhecimento vós sois capazes de
                      superar todas as coisas." Isto foi determinado que seria tudo o que o
                      homem já tivesse sabido ou viesse a saber. Agora, segundo os antigos
                      registros da Corte do Dragão  do Egito, o primeiro guardião das tábuas
                      do testemunho, a tabua de esmeralda de Hermes, era um personagem
                      chamado  (sic)Kem.
                      Kem era o alto sacerdote de Menfis. A palavra Kem significa escuridão
                      e vem da raiz de Kem de onde deriva a palavra alquimia - fora da
                      escuridão, ou a escuridão. Kem entre nós é melhor conhecido como o
                      personagem bíblico "Ham." Nos é dito que Ham é o avô de Nimrod cuja
                      família foi amaldiçoada pelos hebreus porque a sua tradição estava em
                      um histórico conflito com a cultura baseada em  Jehovah. E os leitores
                      dos livros e novelas góticas sobre feitiçaria de fato reconhecerão o
                      nome  Kem de Menfis, que frequentemente é simbolizado como um
                      bode. Este era precisamente o emblema de Ham. O "brasão" de Ham foi
                      usado nas genealogias soberanas até os anos de  1700. Cada "macho"
                      daquela dinastia recebia o mesmo "brasão".  Na lei crisstã como na lei
                      contrária soberana, o bode passou a ser o símbolo do diabo. O que
                      descobrimos agora ao acompanhar a história de Kem de Menfis nos
                      leva diretamente ao Templo do Sinai ,  ao pó branco de ouro, e de volta
                      ao ritual da "estrela de fogo" das civilizações anteriores, sobre as quais
                      falamos em outubro passado.
                      Menfis era a maior cidade do delta egípcio. Kem foi designado não
                      apenas como o alto sacerdote mas também como o Aeon da Décima
                      Idade de Capricórnio; foi esta representação de capricórnio que deu a
                      ele o símbolo do bode. O emblema de Kem de Menfis era um
                      pentagrama, uma estrela de cinco pontas. Mas era um pentagrama
                      invertido, tinha duas pontas superiores, e estas duas pontas superiores
                      eram os chifres do bode de Menfis. As pontas laterais eram as orelhas
                      e a ponta única da base era o queixo da barba do Bode de Menfis.
                      Agora, quando o pentagrama é visto nesta posição invertida, é um
                      símbolo masculino. O pentagrama com a ponta única voltada para cima é
                      um símbolo feminino. É um símbolo de Vênus. Kem está particularmente
                      identificado na genealogia soberana pelas jóias de esmeralda. Elas estão
                      exatamente no meio destes dois pontos. Na testa, ao encontro dos
                      chifres, mas quando invertidas o pentagrama se refere a Vênus, o status
                      feminino.
                      O ponto superior se torna a cabeça da deusa, as orelhas que apontam
                      para cima se tornaram os braços. E os chifres se tornaram as pernas da
                      deusa. E repentinamente, as jóias de esmeralda da testa se colocam na
                      posição da vulva. Isto é interessante e eu apenas descobri isto umas
                      poucas semanas atrás. Parece ser exatamente o simbolismo utilizado no
                      livro de David Wood, "Poussins Secret" quando ele calculou a
                      Geometria de  Rennes-le-Chateau. De fato, quando souber algo mais
                      sobre isto, repassarei! Eu tenho observado o meu vídeo desta vez no
                      ano passado e alguém me perguntou sobre  Rennes-le-Chateau e as
                      investigações, e eu ouvi minha resposta soar como se fosse algo
                      negativa, e eu não queria significar isto. O que realmente eu queria dizer
                      era que eu pessoalmente não iria inventar uma rota utilizando equações
                      geométricas porque outras pessoas já estavam anos-luz a minha frente.
                      Deixo isto para eles e ressalto que muitas pessoas estão fazendo isto e o
                      que fiz parece ter pouca importância.
                      Mas não é isto que quero dizer! Quero dizer que ainda não tomei meu
                      chá. As cartas desde então tem chegado com as pessoas dizendo,
                      falando, de todos os escritores de   Rennes-le-Chateau. Wood chegou
                      mais perto do material de Bloodline of the Holy Grail do que eu tinha
                      chegado, e tenho que dizer que tenho estudado isto por causa das
                      perguntas e ultimamente  David Wood é o escritor mais perto disto.
                      Dentro deste pentagrama masculino com as jóias colocadas na testa,
                      frequentemente se acha a imagem de seu fogo, chamas saindo da jóia.
                      Agora esta chama é chamada de luz astral, iluminação, grande sabedoria,
                      grande verdade. Quando o pentagrama está na posição feminina da
                      deusa, esta chama então é chamada de "estrela de fogo".  Agora, desde
                      o verdadeiro início do tempo, do tempo documentado, seja como luz
                      astral ou como estrela de fogo, o pentagrama foi associado ao ritual
                      pré-judaico do  Sabbath. Kem de Menfis sempre foi chamado de
                      "bode sabático". Quando se entra no templo de Kem de Menfis para
                      treinar sob os Grandes Mestres e os Vulcans daquele período, diz-se
                      estar divergindo de uma ocupação normal para ser um sabático. E é daí
                      que previamente temos o termo "sabático" nos círculos acadêmicos de
                      hoje. Veio do antigo Egito. E assim tendo em vista tudo isto, dificilmente
                      será surpreendente que o Pentagrama e o bode sabático se torne
                      particularmente associado com o anti-cristianismo. As pessoas como os
                      cátaros na Idade Média  estavam em contraste com a Igreja Cristã
                      Ortodoxa que se comportava para subverter completamente esta velha
                      sabedoria, a velha escola de mistério. E eles criaram uma religião híbrida,
                      que não era baseada nem em conhecimento ou aprendizado dos
                      segredos do desconhecido, mas na supressão do desconhecido e na
                      supressão disto tudo.
                      E então, como consequência, o Bode de Menfis passou a ser
                      identificado na Idade Média durante a Inquisição com magia negra,com
                      feitiçaria e com tudo que nós supostamente não temos relação alguma.
                      Mesmo agora o Bode de  Menfis recebe este tipo de retratação. Nós
                      vemos isto todo tempo em filmes, em livros de autores como Dennes
                      Weekly. Estas histórias sempre apresentam a figura do bode que pode
                      ser destruído com água benta e crucifixos. Estas histórias realmente
                      representam como destruir a sabedoria, como destruir o aprendizado, e
                      como assegurar o subjugo da regra dos bispos, da interpretação da
                      Igreja do texto bíblico.  Ham-Kem no Velho Testamento é filho de Noé,
                      mas nos mais antigos registros estabelecidos, nos tempos das escritas
                      pré-bíblicas, não era assim. Ele juntamente com seu irmão  Japheth eram
                      os filhos do grande Vulcan e ourives Tubalcain - Rei e Herói da boa
                      terra. Nos dias iniciais na Palestina Kem de Menfis foi associado com
                      um certo Azaziel, uma figura bode. Azazel de Capricórnio! Segundo o
                      Livro de Enoch, Azazel foi altamente importante, ele é descrito como um
                      anjo ou um observador, mas é dito que Kem por Azazel tornou
                      conhecido a todos os homens o uso do metal, a arte de trabalhá-lo e foi
                      o revelador dos segredos do antimônio. No antigo mundo árabe, o
                      antimônio era chamado "Koh" de onde deriva a nossa palavra de hoje.
                      Carvão significa algo que é negro. A palavra relacionada "Alcohol " vem
                      da mesma fonte, é arábica, de Al-coh-ol.
                      O mercúrio filosofal, altamente refinado, preparado dos espíritos do
                      vinho, eram retificados com antimônio, dai ser negro. Da mesma raiz vem
                      o nome Kali, a deusa das estações, períodos e ciclos. A própria
                      estrutura de tempo periódico do próprio ciclo mensal de Kali era
                      chamado Kali, e é de onde nos vem a palavra Calendário. Na tradição
                      hebraica, a tradição do "carvão de banho" uma contraparte Kali, o
                      "carvão de banho" era chamado a filha da voz. E a voz da sabedoria era
                      a palavra, e era dito que se emanava do útero, e o próprio útero assim
                      foi designado. Agora, a figura do Bode aparece realmente no Velho
                      Testamento, mas não na versão autorizada que temos hoje.
                      Na tradição dos adeptos rosacrucianos das escolas de mistério o escrito
                      de Kem foi registrado como sendo o monumento mais antigo da pedra
                      dos filósofos. Foi associado com a sabedoria de Thoth, com as Tábuas
                      de Esmeralda. Os gregos o chamavam de Hermes e todas a coisa era
                      designada como Hermética. Eram ensinamentos herméticos, a Alquimia
                      se tornou hermética e era de Thoth e Thoth era Kem. Mesmo o próprio
                      nome Hermes se deriva da palavra Herma. Herma nos textos antigos
                      sempre está relacionada à construção das pirâmides e a palavra Herma
                      simplesmente significa uma planejada pilha de pedras. Então Hermes,
                      Thoth e os ensinamentos de Thoth, os ensinamentos alquímicos
                      herméticos , todos eles e novamente lidam com as construções das
                      pirâmides. E como os egípcios sabiam sobre a fabricação das pedras de
                      fogo para o alto? Esta era uma coisa mesopotâmia antes de ser egípcia.
                      O que era isto e como se associava a Vênus, o pentagama com a estrela
                      de fogo, e a estrela de fogo que era determinada como o elixir, a
                      essência lunar, a essência mensal da deusa. Para responder a isto temos
                      que retornar para onde eu estava em outubro passado, e viajar de volta
                      no tempo, do Antigo Egito para a antiga Mesopotâmia, a era e lugar
                      onde começou o primeiro reinado. Uma coisa interessante sobre este
                      primeiro reinado, mesmo no texto original hebreu do Velho Testamento,
                      não os que nós temos traduzido, mas os verdadeiros iniciais que
                      tínhamos em mão. É que os reis inicias da linha do filho de Eva, Caim,
                      eram chamados de "Reis Terrenos."
                      A palavra Adam, Adama significa terreno e eles eram chamados
                      de Adama. E então quando voltamos a terra de Adam nós voltamos
                      para a terra da antiga Mesopotamia. Voltamos aos tempos das primeiras
                      cidades e das civilizações no estilo dos tempos modernos.
 
                      E subitamente estamos na antiga Suméria, ao sul da Mesopotamia pelo
                      Golfo Pérsico onde os Deuses de Canaã e dos hebreus que eram
                      chamados de Elohim são repentinamente chamados de Anunaki. Eram as
                      mesmas pessoas com as mesmas histórias que eles chamavam de
                      Anunnaki. E eles regularmente se reuniam em assembléia em Nipper sob
                      a presidência do Grande Senhor do Céu, o Chefe dos Deuses, que era
                      chamado Anu. E estranhamente no Salmo 82 se você olhar na Bíblia,
                      você pode realmente ver uma referência a Jehovah ter que se apresentar
                      diante da grande corte desta assembléia.  Era Anu que determinava o
                      curso do anos e as estações e de onde derivamos a nossa palavra ano -
                      anualmente, por ano. Não é uma palavra latina, ela é muito mais antiga
                      do que isto. Seus dois filhos eram   Enki e Enlil e a irmã deles era
                      Ninghursag, que era chamada de "a senhora da vida". E era uma outra
                      proeminente deusa feminina Anunaki, a Rainha do Submundo e sua filha
                      era  Luluwa, de quem vocês provavelmente ouviram falar. Outros
                      machos chave eram pessoas como Marduk. Agora, o submundo é uma
                      coisa interessante, escritores irão nos fazer acreditar que o submundo era
                      alguma coisa sob a terra, o domínio de algum tipo de mundo
                      subterrâneo. Realmente o termo submundo representava a Terra como
                      oposta ao reino celestial.
                      A antiga lista de Reis da Suméria data de mais de 4.000 anos, uma lista
                      de todos os reis que reinaram naquela parte do mundo, naquele tempo.
                      Mas ela foi traduzida há apenas sessenta anos, na década de 1930, e
                      detalha de um a um os reis daquela antiga região ao tempo em que
                      primeiro começaram. E abre com palavras semelhantes, agora o reino foi
                      baixado pelos  Anunnaki do céu. Depois de algum tempo, a lista
                      menciona que esta é uma raça soberana, e seu povo foi assaltado por
                      uma grande inundação. Ela conta em grandes detalhes a história desta
                      grande inundação. Ela não se liga aos tempos de Noé., como o faz a
                      Bíblia, mas a história é a mesma. Os Reis da Suméria eram de origem da
                      linhagem sanguínea que produziu os Faraós do Egito. Os Faraós do
                      Egito eram da linhagem sanguínea que produziu o Rei Davi, Rei Salomão
                      e os reis de Israel, a despeito de tudo que a história bíblica nos conte.
                      Nada existe nos registros históricos que relegue qualquer importância ao
                      fato de que  David e Salomão ou Jesus fossem descendentes de Abraão
                      ou de Noé. Não foi dada qualquer importância a qualquer um destes. A
                      importância é que todos eles descendiam da linha dos Faraós Egípcios
                      que veio da velha Mesopotamia. Eles eram chamados os Adama, eles
                      eram chamados de Reis Terrenos. Eles emergiram por volta de 3.800
                      AC e em essência é a história deles que o começo do Gêneses tenta nos
                      contar. E a história fora da Bíblia começa com um rei-sacerdote
                      chamado Adama e sua esposa Ninurta, e eles foram melhor conhecidos
                      por nós como Adão e Eva.
                      Os tabletes de argila e os cilindros lacrados explicam que por volta de
                      6.000 anos atrás Adão e Eva tiveram o propósito de procriar para um
                      reino em um lugar chamado a casa de Shimsy. Shimsy seria descrito na
                      linguagem moderna como um centro clínico de engenharia genética. O
                      nome Shimsy, vem de Suméria, Shim-s-y, Hálito, Vento, Vida . Ninti, a
                      senhora da vida, era o título da irmã de  Enki, Ninghursag e é
                      interessante ressaltar que este também foi o título dado a Eva na Bíblia,
                      ela se torna a senhora da vida, a mãe de todos os viventes. Mas há uma
                      outra palavra em sumério que era pronunciada quase que o mesmo,
                      porém com um pequeno acento. E a palavra era pronunciada Tee, agora
                      o que os hebreus querem dizer costela. (risos) Então a senhora da vida
                      na senhora bíblica também se tornou a senhora da costela, e temos esta
                      história de como ele foi retirada da costela de Adão. Isto nada tinha a
                      ver com qualquer registro hebraico anterior , de forma alguma, mas nos
                      tempos da tradução eles encontraram esta palavra, que significa costela.
                      Gêneses tem um monte de erros.
      O ponto onde falha, vêzes e vêzes  novamente, é em reconhecer que a soberania era completamente matrilinear. Mesmo quando se chega aos tempos da Idade das Trevas,   de Rei Arthur e mesmo depois disto, a regra era muito específica, um Rei   só podia ser um rei se ele tivesse uma rainha e a rainha devia ser de  linhagem real. Então eram as Rainhas que eram importantes, sempre as rainhas da linhagem, e a razão para isto é que a linha feminina sempre   carregava o DNA que era importante para prole.
      Os pais não produzem  este DNA. Por outro lado, aquilo que foi escrito na Bíblia e passadoadiante pelos judeus era uma dinastia patriarcal, uma dinastia de machos que levam a  David e Salomão para Jesus. Por causa deste raciocínio, a lei matriarcal tinha que desaparecer e eles então tinham que criar a linhade Adão e Eva para seu filho Seth. Ainda que na realidade agora vejamos que os documentos anteriores nos contam que a lihna soberana, a linha que mantinha o DNA  foi para o Egito e se voltou esaiu novamente, não fosse em absoluto a linhagem de Seth. Foi a  linhagem de Caim, o primogênito, o indivíduo que supostamente matou seu irmão e que nós devemos todos tratar com suspeição, porque se aprendermos demais sobre Caim poderemos aprender demais a verdade.
                      A linhagem é detalhada em grande profundidade na história suméria e 
                      egípcia. A Bíblia tolda isto porque eles estavam tentando criar uma 
                      linhagem patriarcal e não uma linhagem matriarcal. Segundo os arquivos 
                      da Corte do Dragão no Egito, as verdadeiras raízes dos Reis e Rainhas 
                      derivavam do nome de Caim.  Tanto a realeza dos reis como das rainhas 
                      eram em essência idênticas a de Caim. A linhagem soberana dos 
                      parentes sanguíneos do qual também vem a palavra soberania, realeza, 
                      magestade, é a mesma coisa. Nada mais significa do que parente 
                      sanguíneo e esta era a importância da linhagem, eles todos eram parentes 
                      sanguíneos. E assim onde Adão representa em tudo isto, porque Adão é 
                      a figura chave na Bíblia, ele é o tipo de homem que começou isto tudo. 
                      Sim, ele foi o marido terreno de Eva e era o primeiro rei-sacerdote que 
                      começou tudo isto. Mas ele não foi o iniciador da linhagem sanguínea. O 
                      primeiro rei da linhagem sanguínea foi Caim, e assim foi de onde veio 
                      Caim. Bem, se se lê as palavras de Eva, mesmo nas Bíblias modernas e 
                      certamente nas velhas traduções da Bíblia, Eva realmente diz a Adão, 
                      surpresa, "eu tenho gerado em mim um homem do Senhor". Este não é 
                      filho de Adão, os arquivos judaicos e todos os arquivos anteriores nos 
                      contam que o pai de Caim era alguém chamado Senhor. A Bíblia nos 
                      conta que Caim era um  agricultor do solo, e isto é realmente interessante 
                      porque na tradução tenho encontrado todo tipo de coisa que tem sido mal 
                      construída, e este é um exemplo brilhante disto.

                      Uma tradução reta do que diz o texto original não é que Caim era um
                      agricultor do solo, mas que Caim tinha domínio sobre a Terra.  (risos)
                      Agora, não há um distorção nisto? (risadas) Os registros sumérios e
                      hebraicos nos contam que Caim nasceu de um pai que os hebreus
                      chamam de Samael, e os registros sumérios chamam de Enki. Enki era
                      um dos  Anunnaki e era chamado de o Senhor de Samael, simplesmente
                      porque este era o nome daquela cidade naquele tempo. Hoje Samael
                      tem um tipo de conotação com Satã mas então não tinha, era
                      simplesmente o nome de uma cidade e Samael era o líder dela naqueles
                      dias.
                      Então a linhagem de Caim se torna mais magnificada porque o pai dele
                      era um puro Anunaki e a mãe dele era uma uma meia-cria de Anunaki, e
                      dela vieram os gens ou  DNA. Isto foi o que J C mencionou
                      anteriormente, que contava que ele casou, porque este é o indivíduo que
                      a Bíblia nos conta que tinha uma esposa e uma série de filhos. Filhos e
                      descendentes importantes, chamados Enoch, Tubalcain, e outros que
                      temos aprendido, mas a história no Gênesis simplesmente desaparece e é
                      substituída por histórias de Noé, etc... Esta linhagem de família era a
                      chave para a linhagem sanguínea real, eles eram os  Vulcans.
                      Eles eram os reis e eles eram na maioria clones elevados, como eles o
                      chamavam neste tempo, e nós o chamamos clones agora - clones
                      significam ramos. E os Clones eram o ramo mais importante, ou como
                      podemos dizer os ramos de algo que eles chamavam vinha, eles eram os
                      ramos da videira. A videira de fato era o Graal, o Graal era a linhagem
                      sanguínea.
                      Segundo os textos mesopotâmios e hebraicos, Caim matou Abel e
                      derramou seu sangue no solo, o que ele diz é que  o sangue de Caim era
                      tão avançado em relação ao do seu irmão, em comparação, ligado à
                      Terra. As Velhas Escrituras declaram que "Caim se elevou muito acima
                      de Abel".  O que temos nos novos textos é que "Caim cresceu
                      acima de Abel". Não é a mesma coisa, isto estava estabelecendo que a
                      linhagem dele era suprema, era superior, era uma cria de uma
                      ramificação [clone] de um ramo da linhagem soberana. Acontece de ser
                      esta a primeira pista que temos quando comecei o segundo livro, sim,
                      "Bloodline of the Holy Grail" era importante mas o que era tão especial
                      sobre a linhagem sanguínea  em primeiro lugar? O que era tão especial
                      sobre isto era que esta era criada para ser  Adama, os líderes terrenos
                      da humanidade que os textos anteriores , que novamente foi
                      planejada, uma linhagem híbrida.
                      Estes seres sabiam que não poderiam estar aqui para sempre. Eles
                      sabiam que a humanidade eventualmente teria que cuidar dela própria.
                      Criar seus próprios governos e estabeleecer seu próprio destino. Estes
                      Anunnaki queriam produzir uma linhagem soberana, um Graal sagrado, e
                      que a linhagem sanguínea deles fosse elevada a um enorme grau que eles
                      fossem quase deuses. Eles tinham um processo de alimentação que era
                      chamado de Árvore do Conhecimento e Árvore da Vida. E se você
                      olhar a frase do Gêneses onde Adão realmente toma do fruto da árvore
                      do conhecimento do Bem e do Mal, Jehovah realmente diz aos outros
                      deuses, os "outros deuses", observe que o homem tem se tornado como
                      "um de nós". Ele tinha se tornado como um deus. E esta foi a raiz da
                      linhagem real, foi a criação que de certa forma se tornou como um deus.
                      E isto é o que se perpetuou no Egito com os Faraós. Estas pessoas
                      foram criadas e alimentadas e perpetuadas em uma dimensão, que estava
                      acima da norma em termos de conhecimento e de consciência,
                      entendimento geral e habilidades.
                      Mas voltando a Caim, com quem ele se casou? Pela lei das coisas, Caim
                      teria que se casar com sua meia irmã, esta era a regra, uma regra que os
                      faraós perpetuaram e aplicaram na Suméria da Mesopotamia. Quando
                      lemos os textos antigos isto é exatamente o que descobrimos. Para
                      responder a pergunta de J C, e esposa de Caim era uma mulher
                      chamada Luluwa. Luluwa era a filha de Enki. A mãe de Luluwa era a
                      Lillith do Mundo Subterrâneo, ela era da pura raça Anunnaki. E isto
                      significa que Caim e sua mulher eram de linhagem pura, o que de certa
                      forma os fazia puros também. E assim quando nasceu seu próximo filho,
                      a linhagem seria novamente elevada. A Bíblia não nos dá o nome de
                      Luluwa, contudo outros textos dão, inclusive textos hebraicos. De fato
                      dá o nome de seu filho mais jovem, "Enoch." Enoch foi um personagem
                      muito importante, porque Enoch e os escritos de Enoch são onde nós
                      aprendemos bastante do nosso conhecimento sobre a alquimia inicial e
                      como ela era importante. Havia um problema com Enoch, por causa de
                      seu conhecimento e de todos estes escritos terem vindo da linhagem de
                      Caim. E isto não se combinava em algumas mentes.
                      Então foi criada uma outra linhagem de um filho chamado Seth, e por ele
                      virtualmente os mesmos personagens e filhos um depois do outro chegam
                      a um indivíduo chamado Enoch. A linhagem de Seth nunca existiu na
                      história. Enoch que escreveu os trabalhos era da linhagem de Caim. Eles
                      eram da linhagem dos Reis que eram definidos como ramos, os clones
                      ou ramos da videira. E os ramos e galhos da videira são exatamente o
                      que foi perpetuado na história da Idade Média do Graal e todas as coisas
                      que são escritas no outro livro.
                      E ainda é hoje, a videira e a taça, é o Graal. Em todos seus aspectos de
                      procriação planejada, esta linhagem soberana era superior a raça
                      humana normal. Fisica e mentalmente em termos de sua longevidade era
                      imensamente superior. Eles viviam por um longo tempo. Foi reconhecido
                      naquele tempo embora eles não chamassem isto da mesma coisa, que o
                      aspecto importante desta procriação desta linhagem sanguínea era um
                      gen que vinha da fêmea. Eles não sabiam como chamar isto, eles sabiam
                      da palavra "gene" então porque a palavra gen simplesmente se relaciona
                      ao processo de continuidade.
                      Eles ligaram isto à Isis, a grande Deusa Mãe do Todo, esta figura
                      todo-abarcante era a antiga Ísis do Egito. E eles ligaram isto ao que
                      chamavam de "Gen Isis" (Genes de ISIS) de onde vem Gênesis - o
                      Início. Então de 3.200 AC subitamente começamos a saber deste
                      processo de alimentação, aprendemos tudo sobre algo chamado Planta
                      da Vida, a Árvore da Vida e quanto mais olhamos mais exatamente
                      sabemos o que era esta Planta da Vida. E subitamente isto se torna algo
                      chamado "estrela de fogo". Subitamente agora a estrela de fogo se
                      relaciona ao pentagrama egípcio e à figura de Vênus. A estrela de fogo
                      nos círculos judaicos tinha se tornado alguma coisa, que nos é ensinado
                      a evitar como uma praga. A estrela de fogo pertencia a esta outra
                      linhagem, pertencia a  linhagem da realeza senior,  esta é a linhagem dos
                      importantes seres superiores, mas Jehovah quer que nós não tenhamos
                      nada a ver com isto que supostamente sejamos indivíduos subordinados.
                      Não devemos tomar a estrela de fogo.
                      A estrela de fogo estava relacionada ao sangue e por conseguinte o
                      ditado era feito que os judeus deviam evitar a ingestão de sangue. Isto se
                      aplica até mesmo hoje e também se aplicou anteriormente. E esta é a
                      razão porque mesmo agora a carne é preparada livre de sangue antes de
                      ser ingerida. Estranhamente, no mundo cristão é exatamente o
                      oposto que acontece. O sangue e a carne propositadamente foram
                      feitos rituais, beber o sangue, no sacramento da missa, da Comunhão.
                      Tomamos o cálice o Graal que está cheio do sangue da linhagem
                      messiânica, o sangue de Jesus, que sabemos agora que é o que o vinho
                      representa, sabemos que o vinho é fruto da videira e sabemos que a
                      videira era sua linhagem sanguínea. Figurativamente estamos ingerindo
                      seu sangue que os judeus são incapazes de fazer.
                      Então, quanto é antigo este ritual de vinho e cálice, quão distante ele vai,
                      até onde representa um cálice do sangue real? Ele remonta a muito
                      tempo, de volta ao Egito e ainda muito atrás na Suméria. E descobrimos
                      que até mesmo então o aspecto do cálice era muito importante. Quando
                      este ritual era realizado o cálice representava o útero, exatamente como
                      disse em "Bloodline of the Holy Grail." Este é um símbolo feminino, que
                      remonta a 3.500 AC, o cálice é exatamente tão importante quanto o que
                      ele contém. A prática girava em alimentar esta linhagem de reis com o
                      sangue menstrual da deusa. Não é surpreendente que vejamos
                      referências a isto na idade medieval e mesmo mais tarde nos séculos
                      XVI e XVII nos arquivos da  (sic)Rosecruxion. É por esta mesma razão
                      porque  estes grupos inclusive os Cavaleiros Templários estão sendo
                      acusados e malignizados, porque é dito que eles bebiam sangue de
                      crânios etc... Bem, claramente, eles não fazem isto e nem tem feito por
                      um mais longo tempo, mas  é de onde isto remonta.
                      A importância disto era, mesmo em 3.000 AC que eles reconheciam que
                      este sangue menstrual continha a maioria dos elementos versáteis do
                      corpo humano, hormônios, hormônios que eram adequados para
                      fazerem certas tarefas dentro do corpo. Você pode elevar sua mente e
                      status tomando esta matéria. Entendo que isto soe de certa forma
                      bastante desagradável, mas mesmo hoje, sob esta perspectiva, temos
                      todos os tipos de estranhas substâncias e coisas corporais. Realmente
                      ingerimos máterias horríveis que chamam de remédios. Eles estavam
                      fazendo exatamente a mesma coisa então. A importância disto era que
                      não era estrela de fogo humana, era estrela de fogo Anunaki . Era
                      utilizado para elevar a linhagem sanguínea com cada vez mais substância
                      alimento Anunaki, a mesma substância que eles teriam sido alimentados
                      antes de nascerem, e continuavam a se alimentar dela durante a vida. As
                      secreções mais importantes eram hormônios, melatonina e seratonina. E
                      a vida com eles, eram secreções das glândulas pineais e pituitária que
                      agora claramente conhecemos. Os gregos também tinham uma versão
                      disto nos tempos posteriores, que obtinham de sacerdotisas, que eram
                      especialmente procriadas com o propósito do que eles chamavam de
                      Néctar de Suprema Excelência,  Ambrosia! E é de onde vem a palavra
                      Ambrosia , que é a mesma coisa, é estrela de fogo. E assim temos que
                      estas deusas eram mães, e também eram virgens. E tinham vários títulos
                      e nomes, mas em essência sua tarefa era fornecer a estrela de  fogo  para
                      a linhagem real.  A elas eram destinadas flores e geralmente eram
                      definidas pelo símbolo de um lírio ou uma flor de lótus. A palavra flor
                      vem da raiz, flores  devotas.
                      Isto é interessante se você se lembrar que a maioria do equipamento do
                      laboratório que eles encontraram no templo, os vasos e tigelas todos
                      eram formados como lírios e flores de lótus e era exatamente por esta
                      razão. Então as flores, "aquela que flui" eram chamadas  Lírios e a elas
                      eram dados nomes dos quais encontramos em documentos sumérios
                      antigos daquele tempo. Elas eram chamadas de Lily, Luluwa a esposa de
                      Caim. Elas eram também chamadas Lillith. Todos estes nomes
                      determinavam que estas eram flores que estavam produzindo as estrelas
                      de fogo. A maioria de vocês conhece as funções da glândula pineal, mas
                      de fato os registros dos antigos sumérios nos dizem que eles
                      aperfeiçoaram uma ciência médica de substâncias vivas. Era para
                      alimentar esta linhagem e a estrela de fogo era o ingrediente essencial da
                      fonte . Era chamado de o Ouro dos Deuses, e era para alimentar
                      apenas os reis e rainhas de sucessão real. Era também conhecido como
                      veículo de luz, sendo a máxima fonte de manifestação. E a este respeito
                      estava associado com as águas da criação.
                      Os símbolos de luz, água, pão, etc... eram o que vimos como emblemas
                      encontrados no Templo do Sinai Temple e isto tudo remonta à estrela de
                      fogo. Alimento dos Faraós, alimentos dos Reis, alimento das linhagens
                      sanguíneas. E era por esta razão o emblema original de Caim, conhecido
                      como "a marca de Caim" que foi colocada nele, não era uma maldição,
                      era o "brasão" da família. Foi o mais velho registro das "armas" da
                      história soberana no mundo. Era o de uma Cruz Vermelha dentro de um
                      Cículo, foi chamado de a Marca de Caim. Este era o emblema da
                      linhagem real e era também chamado de A Taça das Águas. A Taça das
                      Águas então mais tarde quando traduzida era (sic) Rosecruxiana  e tinha
                      tudo associado ao conhecimento desta prática. Este era o conhecimento
                      que os anteriores (sic) Rosecruxions tinham, eles mantinham o
                      conhecimento da Taça das  Águas, a taça que era o cálice, as águas que
                      eram sangue. É exatamente o mesmo simbolismo que temos hoje na
                      igreja cristã  exceto que esquecemos o que isto significa.
                      Os receptores da estrela de fogo eram considerados por estarem
                      qualificados para a soberania quando tinham alcançado um certo estado
                      prédeterminado de iluminação e de consciência, um estado onde as
                      atitudes e a sabedoria tinham alcançado níveis particulares e eles
                      chamavam a isto de Malcu.
                      É interessante que mesma na Bíblia achemos alguns personagens,
                      personagens reais, e seus nomes sejam  Malcus. Malcus simplesmente
                      significa rei e vem exatamente daquela raiz, vem da prática de estrela de
                      fogo. Durante um período de tempo os "Anunnaki" sairam, por volta de
                      1.960 AC e agora não há mais estrela de fogo, mas eles trinham feito
                      provisões para treinar aqueles desde o início de 3.000 a 5000 a 8000
                      AC. Um grupo de pessoas chamadas Mestre Artesão ou Vulcans,
                      pessoas que eram metalurgistas, e eles estavam treinando para assumir o
                      processo de alimentação quando os "Anunaki" tivessem partido e a
                      estrela de fogo não mais existisse. Durante algum tempo eles utilizaram
                      sacerdotisas especialmente procriadas para realizarem a função de
                      estrela de fogo enquanto a mudança acima estava ocorrendo. Estas
                      sacerdotisas eram chamadas de Mulheres Escarlate e não é
                      surpreendente o porque, elas eram chamadas de Mulheres Escarlate
                      porque realizavam uma cerimônia chamada Ritu. E este Ritu era a
                      extração das secreções das Mulheres Escarlate, e é de onde vem a
                      palavra moderna Ritual e das secreções vem a nossa palavra moderna
                      segrego, secreto. O ritual secreto era o  Ritu das Secreções. Estes todos
                      eram parte do conhecimento ensinado pelas escolas de mistérios. Há
                      alguns dos segredos que a Maçonaria Livre diz que foram perdidos,
                      mas eles em absoluto estão perdidos.
                      De qualquer forma o que aconteceu é que eles acharam um substituto,
                      eles encontraram um meio de manter a linhagem real continuando de
                      forma a manter níveis mais elevados de melatonina e  seratonina na raça
                      sem estrela de fogo para alimentá-los. Durante um tempo eles usaram as
                      sacerdotisas, mesmo em Roma eles perpetuaram com a Virgens, mas
                      isto foi ficando cada vez mais fraco e então neste meio tempo apareceram
                      os Grandes Metalúrgicos, os Mestres Artesãos, os   Vulcans. Eram as
                      pessoas que conhecemos sobre os ensinamentos de Thoth. Estes sabiam
                      sob as Tábuas de Esmeraldas que tinham toda a sabedoria que era
                      necessária sobre como produzir o substituto da estrela de fogo. Isto era
                      o que estava acontecendo na Montanha do Templo, no  Sinai.
                      A lógica é muito simples, se você tomar um suplemento que em essência
                      é hormônio puro isto em seu corpo aumenta o nível destes hormônios.
                      Mas pela necessidade de serem estranhos a você tem que ser tomados
                      da deusa ou das sacerdotisas. Não faria sentido se você tivesse uma
                      substância da qual pudesse ser alimentado e que realmente aumentasse a
                      sua produção pessoal destes hormônios?  E assim você não estaria
                      tomando hormônios diretamente, mas poderia estar tomando algo que os
                      faria entrar em ação. E que tal se você pudesse produzir toneladas disto?
                      Bem, o que eles descobriram é que isto poderia ser feito. E isto podia
                      ser feito com o sagrado Shemana, a Pedra de Fogo Para o Alto, o pó
                      branco, que era alquimicamente produzido do ouro.  A Alquimia, a
                      sabedoria de Kem! Kem eram Ham que era o diabo para os cristãos ,
                      mas ele foi o grande mantenedor da tradição da Equipe e da realeza
                      inicial.
                      Ao tempo dos reinados iniciais, os Reis Sumérios eram chamados de
                      Dragões, as Rainhas sempre eram chamadas de Dragões e algumas
                      vezes há Grandes Reis e Grandes Rainhas que seriam senhores sobre
                      grupos de outros e eram chamados de Grandes Dragões. Isto se
                      perpetuou até mesmo na Idade das Trevas na Inglaterra. E o  Grande
                      Dragão é traduzido por Pen Dragon e aqui é de onde vem os Dragões
                      ou Lenda  Arthuriana (Rei Autor). Eles são Grandes Reis, Eles são Reis
                      máximos daquela sucessão e controlam todos os outros reinos. É
                      interessante saber que a maioria do que sabemos como sabedoria e
                      conhecimento perdido, não está de forma alguma perdido, como
                      descobri no ano passado, muitas destas escolas de mistério ainda
                      prevalecem, do tempo do antigo Egito e ainda são mantidas em certas
                      casas reais.
                      A própria Corte do Dragão foi fundada em 1980 AC, e ainda existe
                      hoje. Está passando por inúmeras mudanças e era essencialmente a corte
                      que a maioria dos historiadores conhecem hoje que era a versão fundada
                      novamente na Hungria em  1408.
                      O Imperador da Hungria a fundou, e ele era um descendente direto dos
                      Reis de Jerusalém, então ele não reinventou a Ordem do Dragão. Ele a
                      herdou por sua linhagem de família, e isto sempre tem estado lá. E ele fez
                      um pacto com Nobres e Príncipes da linhagem para proteger a
                      verdadeira soberania do Graal Dragão, a linhagem sanguínea dos
                      Annunnaki. Ele projetou um documento naquele tempo que diz que
                      vocês, como membros desta ordem,  serem capazes de apresentar o
                      Dragão com a Cruz Vermelha, que é a Marca de Caim. Um dragão
                      circular, mordendo a própria cauda com a cruz vermelha no centro.
                      Este foi o emblema do [sic] Rosecruxian e foi perpetuado dentro das
                      linhagens  reais de 3.000 AC a 1408 AC. Foi a continuação desta
                      dinastia e era passado em alquimia. Eles sabiam sobre o pó branco, eles
                      conheciam o processo de alimentação. É estranho que (Sizamond) da
                      Hungria, quando foi feito Sagrado Imperador Romano pelo  Papa, fosse
                      permitido manter esta ordem funcionando, porque na verdade atual ela
                      era um Graal pré-cristão que tinha tudo com o que a Igreja desprezava. Mas não
                      havia nada que a Igreja pudesse fazer quanto a isto, porque isto era
                      maior e mais antigo do que eles eram e eles não estavam para se
                      aborrecer com 50% das casas regentes da Europa. O que eles fizeram
                      foi trazer leis e regulamentos que começaram a fazer a Corte parecer
                      como se isto fosse alguma coisa com a qual nada tinham a ver. Eles
                      ligaram isto à Arturiana, ligaram-na ao Romance do Graal. No Concílio
                      de Trento em 1545 eles mesmo colocaram permanentemente na lista
                      negra os escritos heréticos de Merlin. Estes escritos de Merlin em
                      essência eram sobre a prática de Estrela de Fogo e do pó branco do
                      ouro. Tudo era "novo ar" para as pessoas, tudo que era mágico aos
                      ouvidos humanos repentinamente se tornou sinistro, oculto, na lista negra.
                      Tudo era heresia condenada e chamada de Feitiçaria.
                      Então mais uma vez  observe que entre o Kem de Menfis e eles, trazem
                      de volta o bode. A Igreja Católica traz de volta este bode como símbolo
                      máximo usando água benta e crucifixos e porções de alho e assim
                      continua a história, e assim então vocês podem repelir este bode de
                      Menfis, Satã.
 
                      A Melatonina era de particular importância na Corte do Dragão e
                      sempre foi também atacada em particular pela Igreja, por que um de
                      seus membros daquela corte original era chamado de Conde Drácula.
                      Conde Drácula é melhor conhecido pelos historiadores como Vlad III.
                      Isto significa filho de Dracul, dentro da ordem seu pai era o grande
                      mestre sob o mestre soberano e o Mestre Soberano era sempre
                      chamado Dracul. Vlad, Conde  Dracula foi descrito na história como
                      uma pessoa mais que viciada e perversa, de fato foi um grande rei de seu
                      país, mas ele tinha um método especial de lidar com crimes contra o
                      estado. Sua forma de execução era o empalamento das pessoas em
                      estacas de madeira.
                      Realmente isto era bem compatível com outros métodos de execução
                      daquele tempo; frequentemente as pessoas eram fervidas em óleo ou
                      queimadas nas fogueiras , no que foi a Inquisição Católica. Os frades
                      Dominicanos do período usavam untar as vítimas com gordura e assá-las
                      vagarosamente de pé, sob as figueiras. Mas  Vlad Drácula nada tinha ver
                      com isto. As histórias sobre ele indicam, e seus registros familiares são
                      incríveis, seu conhecimento do antigo costume estrela de fogo e da
                      química do pó branco e isto era imenso. Ele realmente tinha perpetuado
                      para ele próprio um meio de permanecer jovem por um longo tempo.
                      Ele na Áustria tinha frequentado a Escola de Salomão, que foi uma
                      escola criada pelos grandes reis da linhagem . Ele trinha um
                      conhecimento científico dos efeitos corporais que tinham os hormônios,
                      ele sabia da longevidade aumentada, ele sabia da consciência
                      aumentada. Então todos estes atributos estavam lá juntamente com seu
                      conhecimento da estrela de fogo e foi daí que a Igreja construiu o mito.
                      Na novela de Bram Stokers publicada em 1897 os costumes da estrela
                      de fogo, a melatonina e tudo mais de repente entra em cena com
                      o empalamento em estacas de madeira, mas era revertido
                      contra ele.  Drácula repentinamente é um vampiro, um príncipe das trevas,
                      que partilhava do sangue das virgens, a estrela de fogo. E a única
                      maneira de matar este homem é empalá-lo em uma estaca de madeira.
                      (risos) Então o que é interessante não é que estas histórias tenham
                      produzido um folclore surpreendente e histórias de fadas,  realmente
                      sejam baseadas em certos fatos pertinentes da história, mas que tenham
                      sido mudadas o bastante pela instituição da Igreja e pelos governos para
                      suprimir todo o nosso conhecimento da antiga estrela de fogo, do pó
                      branco de ouro. Qualquer um que se envolva com isto repentinamente se
                      torna um feiticeiro ou um vampiro, como fiz este comentário, no início.
                      Um monte de folclore anterior vem de um monte de raízes, tudo baseado
                      na linhagem sanguínea. As fadas nascem de um dragão, na tradição do
                      Graal. O próprio conceito de fada, vem de "Fay" ou "Fee" que se
                      relaciona ao destino da linhagem sanguínea do Graal. As famílias reais da
                      Europa Céltica todas são ditas levarem o sangue das fadas. Isto é o
                      porque naqueles tempos na Europa Medieval a palavra fada era de fato
                      Ylby, ou Albe. Tudo significa  Elfin, o Graal das Fadas da Linhagem
                      Sanguínea. Quando o Papa lançou sua campanha de 1208 na terra Dock
                      [LANGDOCK], esta foi chamada de A Cruzada Albe, que nomeou estas
                      pessoas de uma de nossas cidades chamadas Elfin. A cruzada realmente
                      foi lançada contra estas pessoas, e os sustentadores do sangue Elfin, a
                      lihnagem sanguínea das fadas. Esta é a  matéria da Linhagem Sanguínea
                      do Graal, toda a Inquisição foi estabelecida contra isto para suprimir a
                      Linhagem Sanguínea do Sagrado Graal. Esta matéria ainda hoje é
                      proeminente porque as pessoas ainda estão escrevendo livros sobre
                      feitiçaria e encantamentos e é interessante que o ouro sempre
                      desempenhe uma parte importante. Os Dragões sempre estavam
                      guardando uma pilha de ouro. Olhando os livros infantis, há geralmente
                      uma caverna com uma pilha de ouro guardada pelo Dragão. Este é ouro
                      do substituto da estrela de fogo, o Dragão é a linhagem sanguínea e este
                      é o grande segredo que é guardado pelo Dragão. O ouro sempre tem
                      sido um símbolo de realeza.
                      Apenas um par de coisas sobre as quais não estou certo e que estavam
                      aqui naquela noite de minha palestra de outubro passado, quando me
                      perguntaram sobre isto e então não pude responder. Me perguntaram se
                      o Ankh egípcio estava relacionado ao símbolo da cruz dentro do cíurculo
                      e a resposta é sim. Eles são todos a mesma marca, o círculo sempre é o
                      símbolo do Todo e a cruz simplesmente significa se é masculino ou
                      feminino.
                      Tasmbém me perguntaram se os costumes de estrela de fogo era tomar
                      deste sangue, o ritual do mistério da estrela de fogo tinha algo a ver com
                      Vodu, se os rituais do Vodu do Caribe e da África vieram desta raiz. A
                      resposta é que não diretamente. Muito indiretamente, apenas sim de um
                      modo que sempre foi conhecido que o sangue era o veículo dos
                      espíritos, e eles sabiam disto deste tempos muito anteriores. Mas nos
                      centros não científicos, não acadêmicos destas crenças africanas, o que
                      eles não conseguiram ter em suas cabeças era que isto era tudo sobre ter
                      um espírito pessoal, não era para manifestar espíritos. Os rituais de
                      sangue do Vodu são para a manifestação de espíritos muito mais do que
                      para a evolução física do próprio espírito de alguém, e assim é diferente
                      nesta maneira
                      A estrela de fogo era o Ouro dos Deuses, era para alimentar os Reis
                      Messiânicos e se tornou suplementada pelo Pó Branco do Ouro, ou por
                      outros metais e se moveu da Mesopotâmia para o Egito. Este é o motivo
                      porque os Faraós eram ditos terem poderes divinos, e eram capazes de
                      se mover no reino dos Deuses. Eles claramente faziam isto, estavam
                      tomando este  Shemana e sendo alimentados com ele. Os Metalurgistas
                      são interessantes no Novo Testamento porque nos é dito que José, o pai
                      de Jesus, era um carpinteiro. E mencionei em "Bloodline" e nas minhas
                      palestras anteriores que o que realmente é dito sobre José é que ele é um
                      Mestre Artesão. Agora temos uma conotação inteiramente nova porque
                      os Mestres Artesãos de fato eram pessoas que dirigiam os templos e que
                      estavam no comando da produção do Pó Branco do Ouro.
                      Agora sabemos que isto era exatamente o que eles estavam fazendo no
                      ambiente Essênio no Vale Quamran. (onde foram encontrados os
                      Manuscritos do Mar Morto) E sabemos que o próprio pai de Jesus era
                      um Mestre Artesão e que os líderes destes templos eram chamados de
                      Mestres. E é interessante quando você começa a percorrer os
                      Evangelhos e lê quando um homem tinha sido chamado professor, e ele
                      subitamente era elevado ao nome de Mestre. O que tinha acontecido era
                      que Jesus tinha seguido o caminho de seu pai, José, e quando José
                      morreu, Jesus então se tornou mestre, o Mestre Artesão Jesus tinha
                      tomado os graus e tinha se tornado um Vulcan. Repentinamente
                      podemos entender que graus eram estes e tudo quando ele fica para trás,
                      no templo, quando tinha doze anos e sua família estava procurando por
                      ele. Quais eram estes graus? Eles eram graus em Alquimia.
                      Então a Pedra da Estrela de Fogo do Alto, Shemana, ou como os judeus
                      a chamavam, simplesmente Manna,  que significa "o que isto é", porque
                      não estavam certos sobre o que fosse. O período da mudança é
                      interessante, quando desapareceu a estrela de fogo e veio o pó branco,
                      não somente muda no registro histórico mas nos é dado na Bíblia em um
                      parágrafo sobre uma pessoa chamada Melchizadek. Os Cavaleiros
                      Templários puseram uma estátua de Melchizadek , na Catedral de
                      Chartres na França e ela é muito explícita no que revela. Na estátua,
                      Melchizadek está apresentando o cálice, o vinho do sangue, mas baixo e
                      lá não há sangue nele, ele mostra uma pedra ou um pedaço de pão. E
                      isto realmente marca o tempo e se encaixa identicamente nos registros ao
                      redor de 1960 AC quando o vinho, o ritual do sangue desapareceu e foi
                      substituído pelo pão, e a produção de Shemana, a Pedra de Fogo Para
                      o Alto, o Pó Branco do Ouro.
                      Atualmente, no Novo Testamento é dito, no Livro das Revelações, "para
                      aquele que se superar darei de comer o manna oculto e darei a ele uma
                      pedra branca." Na Idade Média, no romance do Graal dos Cavaleiros do
                      Templo, Castele, é dito que eles viviam pela virtude, uma pedra mais
                      pura. Se você não sabe, o nome dela é dito  Labit Exceles, pelo poder
                      da pedra a fênix é exatamente queimada às cinzas, mas as cinzas
                      rapidamente se restauram à vida. A Fênix portanto derrete e assim dá
                      uma luz brilhante que é tào bela quanto antes. Agora, a chave para isto
                      está no fato de que a Fênix é reduzida à cinzas e destas cinzas diz a
                      lenda vem a grande iluminação, a grande prática do fogo, e a Fênix
                      nasce novamente.  Mas o que é a Fênix, bem nos é dito que é um
                      pássaro, mas a Fênix nunca foi um pássaro. Ela veio de uma mitologia
                      diferente. A Fênix é uma palavra grega e signiffica Ouro Vermelho.
                      No velho texto alexandrino se afirma que "quando a pedra do paraíso é
                      colocada em prato de balança, a pedra supera sua própria qualidade de
                      ouro, mas quando é coberta em poeira, mesmo  a pena pode inclinar a
                      balança contra ela." Isto é muito interessante, não é? Isto é que ela pode
                      superar seu próprio volume de Ouro mas que também pode ser mais
                      leve que ela própria quando está em uma poeira, um pó, isto se liga com
                      a Fênix que queima até as cinzas, o ouro vermelho que queima a cinzas e
                      destas cinzas vem a iluminação brilhante. É nascer novamente, maior e
                      mais rico do que tinha sido antes.
                      Esta é a história do Shemana, a Pedra de Fogo Para o Alto, o Ouro o
                      metal que é queimado a pó e dele vem a grande iluminação.
                      Nos é dito que muitos metais não foram descobertos até a década de
                      1840 - mas não é assim. Todos estes metais eram conhecidos por volta
                      de 5.000 anos atrás, eles simplesmente não eram nomeados antes da
                      década de 1840. E então estes reis foram procriados, eles foram
                      propositadamente procriados para estarem trazendo à luz e eram
                      definidos como os filhos de Deuses. Quando agora lemos o texto
                      anterior do Novo Testamento, chegamos agora a uma coisa muito
                      interessante, porque dentro da Bíblia exatamente o uso dos plurais da
                      palavra deuses se mudou para deus. Jesus foi escrito como O Filho de
                      Deuses, Aqui temos esta terrível questão sobre se ele era ou não o filho
                      de deus, ou exatamente quem era este deus, se era ou não Jehovah, o
                      que não faz nenhuma diferença. Ele foi um Rei procriado da linhagem do
                      filho dos deuses e se tornou um Mestre. Ele foi alimentado pelos
                      Essênios do mesmo Shemana, o substituto do Graal , o substituto da
                      estrela de fogo. A estrela de fogo na antiga Suméria é pronunciada
                      Gia-al, (GRAAL) É exatamente a mesma coisa.  Não temos muito mais o
                      mistério deixado com Jesus, realmente dizemos que a Bíblia está correta
                      e que não temos nunca mais que debater sobre isto, porque sim, ele era
                      um filho dos deuses. Ele também era o filho de uma pessoa física porque
                      ele tinha nascido daquela linhagem sanguínea. Mas o que agora sabemos
                      é o porque Maria era tão importante. Maria era a mantenedora do DNA
                      e surpreendentemente quando seguimos a genealogia de Maria, ela de
                      forma alguma era de ascendência judaica, ela vinha dos grandes reis do
                      Egito. E assim sua linhagem era imensamente importante.
                      Penso agora que já seja hora de terminar, realmente posso continuar
                      para sempre e mesmo como todos vocês sabem, [risos] mas temos que
                      parar em algum lugar  e este me parece ser o momento correto.
                      (Aplausos).

 
       
      Laurence Gardner, Prior da Igreja Celta da Sagrada Irmandade de St  Columba, é um genealogista internationalmente conhecido, cavaleiro e soberano. Ele foi honrado com a Chevalier Labhran de Saint Germain, é um Adido Presidencial do Conselho Europeu dos Príncipes - um corpo conselheiro constitucional criado em 1946. Ele é formalmente ligado a Casa da Nobre Guarda da Casa Real de Stewart, fundada em St German-enLaye em 1692, e é um Historiador Jacobita Real. 
                      Correspondência para:  Lydia T. M. Ribeiro 
                      zuzu@highway.com.br 
                      "nada é mais estranho que a verdade." 


Fonte:http://www.imagick.org.br/pagmag/dna/graal.html    

O segredo dos Deuses

O que mais me chamou a atenção nesse artigo foi a notícia sobre a glândula pineal. Todos nós temos essa glândula, que para  a medicina está atrofiada e também é conhecida como Epífese Neural. Nas crianças ela ainda está ativa mas sua atividade vai diminuindo ao longo do tempo até se tornar calcificada e atrofiada. É uma glândula endócrina e que, "mesmo estando atrofiada" nos adultos, está diretamente relacionada a produção de melatonina e seratonina. E ... se você for pesquisar sobre esse assunto, chegará ao "segredo dos deuses" , sua relação com o sangue e ouro e claro, como sempre ao Anunnakis! Eu recomendo muito esse texto que ,mesmo sendo grande, merece ser totalmente lido, várias vezes! Não podemos deixar de lado as facções anunnakis e esse texto parece deixar claro que, alguns continuaram como Rito do sangue enquanto outros ... descobriram que o pó de ouro faz o mesmo serviço. Literalmente, o uso desse "caminho", pareceu-me um apelo e atalho a evolução espiritual, embora eu possa estar enganada. 
Esse artigo também explica sobre a origem do "Bode" , e muitas outras coisas que envolvem religião e mito... portanto, leiam esse texto!!!!

Fonte:http://averdadenomundo.blogspot.com.br/2012/10/o-segredo-dos-deuses.html#more