REENCARNAÇÃO VERSUS ERRATICIDADE



REENCARNAÇÃO VERSUS ERRATICIDADE 

Richard Simonetti - Livro: Reencarnação: Tudo o que você precisa Saber.


1 – Existe um tempo certo para reencarnar? O estágio na erraticidade, como denominava Kardec, a vida espiritual é variável. Podemos ficar um ano ou um milênio. Depende de nossas necessidades e opções.

2 – Em média, ficamos mais tempo na Terra ou no Além? Tendemos a ficar mais tempo no mundo espiritual, até por uma questão de disponibilidade reencarnatória. A população desencarnada é bem maior, perto de 20 bilhões. Não estão equivocados os confrades que falam da necessidade de valorizarmos a experiência humana, considerando que há filas no Além, aguardando o mergulho na carne.

3 – Não seria perda de tempo ficar tanto tempo na erraticidade? A evolução não está subordinada exclusivamente à vida física. Ocorre nos dois planos. O Espírito evolui também no continente espiritual, onde está nosso lar.

4 – Que outro critério, além da disponibilidade reencarnatória, define a duração do estágio no plano espiritual? As necessidades do Espírito. Alguém com graves comprometimentos espirituais, em virtude de seus desatinos, necessitará retornar à carne em tempo breve, conforme já comentamos. Um missionário, que costuma vir à Terra para sagradas tarefas em favor do bem comum, poderá permanecer séculos na Espiritualidade.

5 – Em média, fica-se mais tempo no mundo espiritual? A tendência é essa, considerando-se não apenas a disponibilidade reencarnatória, mas também o fato de que a experiência humana funciona como um estágio escolar. O tempo que o aluno passa na escola é bem menor do que aquele que ocupa com outras atividades.

6 – O retorno à carne é decidido pelo próprio interessado? Depende de seu estágio evolutivo. Espíritos mais amadurecidos, conscientes de suas responsabilidades, planejam a época do retorno. Espíritos imaturos são orientados e conduzidos por mentores espirituais.

7 – E se o Espírito recusar-se a reencarnar? Havendo necessidade premente, seus mentores providenciarão a reencarnação compulsória.

8 – Obrigado a reencarnar, não será natural que o Espírito venha a se rebelar, que não assuma suas responsabilidades? Provavelmente, tanto quanto o sentenciado que não se conforma com a prisão em que foi confinado. Mas, assim como a penitenciária objetiva conter o comportamento criminoso, a reencarnação compulsória desbasta as imperfeições mais grosseiras do Espírito reencarnante. Entre "choro e ranger de dentes", segundo a expressão evangélica, ele amadurecerá.


Fonte:http://www.espiritbook.com.br/profiles/blog/show?id=6387740