MEDITANDO AO VENTO DA PRIMAVERA - THICH NHAT HANH


Meditando ao vento da primavera

"Eu estou dando cada passo em liberdade por você, Pai".
"Eu estou respirando suavemente, pacificamente para você, Mãe."

Enquanto estivermos sentando parados, sentando pacificamente, há três elementos que precisamos harmonizar. O primeiro é o corpo, o segundo é a mente, o terceiro é a respiração - mente, corpo, e respiração. Às vezes nosso corpo está presente, mas a mente escapou para outro lugar. Escapa para o futuro, para o passado. É capturada em preocupações, tristeza, raiva, ciúme, medo. Não há nenhuma paz, nenhuma quietude. Se nós queremos sentar parados, temos que devolver a mente ao corpo.

Como podemos devolver a mente ao corpo? O Buda ensinou no Sutra da Plena Atenção ao Respirar que precisamos saber usar a respiração. Quando inspirarmos, trazemos de volta a mente para a respiração. Eu estou inspirando, e estou consciente que estou inspirando. Em vez de prestar atenção a coisas que aconteceram no passado, coisas que poderiam acontecer no futuro, nós trazemos de volta a mente de forma que ela possa prestar atenção à respiração.

Este sutra estava disponível no Vietnã desde o terceiro século. Este é um do sutras mais básicos na prática de meditação. Inspirando, eu sei que eu estou inspirando. Expirando, sei que estou expirando. Este é o primeiro exercício dos dezesseis exercícios do Sutra da Plena Atenção ao Respirar, o qual eu traduzi do Pali para o vietnamita e do chinês para vietnamita; foi publicado em muitos idiomas.

O dia que eu descobri o Sutra da Plena Atenção ao Respirar fiquei tão contente! É um sutra maravilhoso para nossa prática de meditação. Se nós praticarmos de todo coração, em algumas semanas poderemos trazer paz e felicidade aos nossos corpos e para nossas mentes.

Em Plum Village temos um gatha, um poema curto, que nós memorizamos. Tem só algumas palavras.

Inspirando, expirando.
Profundo, lento.
Calmo, tranqüilo.
Sorrio, solto.
Momento presente, momento maravilhoso!

O primeiro, “Inspirando, expirando” significa: inspirando, eu sei que eu estou inspirando. Expirando, eu sei que eu estou expirando. O segundo “profundo, lento“, inspirando, eu vejo que minha inspiração ficou mais profunda, expirando, eu vejo que minha expiração ficou mais lenta. No princípio nossa respiração é muito curta, mas se nós continuarmos seguindo nossa respiração durante algum tempo, naturalmente a inspiração fica mais lenta, mais profunda, e nossa expiração também fica mais lenta, mais relaxada.

Esta é nossa prática. Da mesma maneira que quando nós quisermos tocar o violão, temos que praticar diariamente, ou se quisermos aprender jogar tênis, temos que praticar para ser um bom jogador de tênis, também temos que praticar nossa respiração. Depois de uma hora de prática já nos sentimos bem. Então lentamente nós poderemos sentar parados como o Buda, e merecedor de ser seu discípulo.

Talvez por muito tempo só tenhamos ido para o templo para fazer oferecimentos. Mas isso não é o bastante. Nós temos que aprender os ensinamentos do Buda, as práticas que o Buda quis transmitir a nós.

Nós não praticamos para ficarmos contentes no futuro; nós praticamos para sermos felizes exatamente no momento presente. Quando estivermos sentando, nós deveríamos ter felicidade enquanto estamos sentamos. Quando estivermos caminhando, deveríamos ter felicidade enquanto estamos caminhando. Nós sentamos com nossa respiração de forma que o corpo possa estar tranqüilo e a mente também; isso é que é chamado de meditação sentada. Quando sabemos caminhar, dar passos com leveza e bondade, isso é chamado meditação caminhando.

Em centros de prática que praticam na tradição de Plum Village, caminhamos pacificamente como se estivéssemos entrando na Terra do Buda. Nós não falamos enquanto estamos caminhando. Se precisarmos dizer algo, nós paramos, e então continuamos andar. Se você visita Plum Village, Deer Park, Prajna ou Tu Hieu, você vai ver que os monges e as monjas nestes centros não falam enquanto caminham. Eles prestam atenção a cada um dos seus passos, e os passos sempre seguem a respiração.

Quando você vem viver com os monges e as monjas, mesmo por vinte e quatro horas, pode aprender como caminhar e sentar como eles. Paz e felicidade irradiam enquanto estamos sentando, enquanto estamos caminhando. Quando praticamos corretamente, há paz e felicidade hoje; nós não temos que esperar até amanhã. Médicos que assistem aos nossos retiros aprendem a respirar, sentar, e como prestar atenção aos seus passos logo na primeira hora de orientação.

"Inspirando, expirando, profundo, lento. Calma, tranqüilo, sorrio, solto". Isso é o quarto exercício: “sorrio, solto".

Inspirando, eu sinto calma, eu tenho uma sensação de bem-estar. Expirando, eu me sinto leve. Isto é o que chamamos de elemento de tranqüilidade - um dos sete fatores do despertar. Quando praticamos o terceiro exercício nos sentimos tranqüilos e à vontade. Quando respiramos assim não é só por nós, mas estamos continuando a tarefa do Buda. Nós estamos respirando por nossos pais, nossas mães em nós. Quando praticamos assim é muito agradável.

Eu escrevo freqüentemente estas declarações de forma que os monges e monjas jovens possam enviar para casa uma caligrafia como presente para os seus pais. "Eu estou dando cada passo em liberdade por você, Pai". "Eu estou respirando suavemente, pacificamente para você, Mãe." Quando nós praticamos assim, praticamos para nossa família inteira, para nossos ancestrais, e para nosso país inteiro, não só para nós mesmos.

Nós acumulamos tanta tensão! Isto pode trazer muitas doenças se nós não soubermos praticar o relaxamento total. É por isso que o Buda nos ensinou: inspirando, eu relaxo meu corpo inteiro; expirando, eu sorrio para o meu corpo inteiro.

Em Plum Village nós temos a prática de Dharma chamada "relaxamento total." Nós podemos fazer relaxamento total enquanto estamos sentados ou deitados. Eu lhe peço que aprenda esta prática. Se você praticar relaxamento total a cada dia durante aproximadamente vinte minutos, pode evitar muitas doenças. Se você tem muita tensão e stress em seu corpo ou mente, pode gerar doenças no futuro como pressão alta, doenças cardíacas ou derrame.

Se nós pudermos praticar na família a cada dia, dividindo o tempo de forma que os pais e os filhos possam deitar e praticar, tornaria essa família muito civilizada. Em Plum Village produzimos CDs que podem ajudar as pessoas a praticar relaxamento total. No princípio quando você não souber conduzir o relaxamento total, pode escutar o CD e a família inteira pode praticar. Depois de um tempo podemos fazer turnos liderando o relaxamento total na nossa família.

No ocidente há hospitais que aplicam estes exercícios de respiração para salvar os pacientes quando não há nenhum outro modo para ajudá-los. Em um artigo na revista de Plum Village, Irmão Phap Liei [que era anteriormente um médico] escreveu sobre um médico que aprendeu sobre o sutra e as práticas de Plum Village e então aplicou o que ele aprendeu para ajudar os seus pacientes.

Há as pessoas no ocidente que são da tradição cristã, mas sabem tirar proveito da sabedoria budista para se ajudar. Nós nos chamamos um país budista, mas muitos de nós só sabemos como adorar e fazer oferecimentos. Nós ainda não sabemos aplicar os ensinamentos muito efetivos transmitidos a nós pelo Buda através dos sutras como Os Quatro Estabelecimentos de Plena Atenção ou Sutra da Plena Atenção ao Respirar.

Nós temos este templo - o Phap Van - como também Prajna, Tu Hieu, Um Quang, e outros templos. Nós podemos ir para estes templos para aprender mais sobre os ensinamentos do Buda. Nós aprendemos sobre meditação da respiração, meditação sentada, meditação andando, meditação de relaxamento total, de forma que possamos aplicá-los em nossas vidas diárias.

Em um retiro para homens de negócios em Ho Chi Minh, eles também aprenderam meditação da respiração, meditação sentada, meditação andando. Nós organizamos um retiro assim para congressistas e as suas esposas nos Estados Unidos. Agora em Washington há pessoas no Congresso que sabem fazer meditação andando, sabem como coordenar a sua respiração e os seus passos. Um congressista escreveu uma carta para mim dizendo "Querido Thay, quando vou da minha sala para o salão de votação eu faço sempre meditação andando. Eu me volto para minha respiração e meus passos no meu caminho para este lugar. Minha relação com o processo de votação e com meus colegas de trabalho melhorou muito porque sei aplicar a prática de meditação andando."

Nós também organizamos retiros para ensinar estas práticas a policiais nos Estados Unidos. Imagine todos estes grandes policiais que agora dão passos em paz, em bondade. Você sabe que nos Estados Unidos há mais policiais que se suicidam do que baleados por criminosos? Eles testemunhavam tanto sofrimento e causavam tanto sofrimento a eles e para as suas famílias; que sentiam que não tinham outra saída. É por isso que um retiro como nosso os beneficiou muito e, por isso, hoje sofrem muito menos.

Nas prisões há os que sabem organizar meditação sentada. No mês passado um prisioneiro americano me escreveu "Querido Thay, embora eu esteja na prisão, eu estou muito contente, e vejo que às vezes estar na prisão é bom para mim. Esta é uma condição vantajosa para eu fazer muita meditação sentada e andando. Se eu estivesse fora agora mesmo, talvez nunca tivesse aprendido esta prática. Eu não sou um monástico, mas vejo que estou morando em uma prisão e vivendo de acordo com as maneiras atentas e os preceitos do livro Stepping into Freedom." Stepping into Freedom é uma revisão do livro escrito para os monásticos; contém as práticas essenciais para os noviços.

Durante os séculos quando as pessoas estiveram em desespero profundo e vieram a ter contato com os ensinamentos maravilhosos do Buda, puderam transformar suas vidas. Nós temos sido as crianças do Buda - por muitas gerações. O budismo está em nosso país há mais de dois mil anos. Se nós não aprendemos ainda estas práticas básicas de meditação, é uma vergonha. (...)

No Anapanasati Sutra, Sutra na Plena Atenção ao Respirar, o Buda nos ensinou a usar a plena atenção na nossa respiração para curar nosso corpo e mente. Quando houver relaxamento no corpo, ele terá a capacidade de se curar e os remédios se tornam secundários. Quando a tensão for muito grande, poderemos tomar muitos medicamentos, mas é muito difícil curar. Assim enquanto estivermos tomando medicamentos, a coisa mais importante é relaxar o corpo. Quando a enfermeira está a ponto de nos dar uma injeção nós enrijecemos nosso corpo porque temos medo da dor. Quando tornamos os músculos tensos assim, uma injeção será muito dolorosa. Assim ela diz, "Agora dê uma respiração profunda!" E quando estivermos expirando e pensando na expiração, então ela pica a agulha em nosso braço.

Enquanto estivermos dirigindo, cozinhando, varrendo o chão da casa, usando o computador, também podemos praticar relaxamento total. Não pense que os monges e as monjas não trabalham. Eles também trabalham muito, mas eles praticam para trabalhar em um espírito de relaxamento. Isso é por que eles podem manter o frescor, o sorriso, a felicidade. Nós podemos fazer igual aos monásticos.

(Traduzido do Dharma Talk que Thich Nhat Hanh fez em excursão ao Vietnã, Phap Van Temple em Ho Chi Minh no dia 22 de fevereiro de 2007 por Leonardo Dobbin).
Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

Caso queira obter esse texto em formato Word clique aqui

Fonte:http://www.viverconsciente.com/textos/meditando_vento_primavera.htm

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA