GEORGE SOROS PODE SE TORNAR O MAIOR "BANKSTER" DA UCRÂNIA


O desonroso chefe do FMI Dominique Strauss-Kahn, também está na lista


George Soros Pode se Tornar o Maior "Bankster" da Ucrânia


O Departamento de Estado do governo golpista instalado na Ucrânia em breve poderá nomear um chefão financeiro para conduzir o seu banco central. A agência de imprensa do Azerbaidjão relatou hoje que George Soros está no topo da lista.

A informação foi divulgada pelo Canal 112 da Ucrânia, citando fontes do site Verkhovna Rada, o Parlamento ucraniano e pessoas ligadas ao ex-magnata de confeitarias e atual presidente Petro Poroshenko.

Em novembro, Soros escreveu um artigo para o The New York Review of Books, alegando que os bancos centrais vão renegar uma promessa de financiar a falência do país.

"Isso levou a uma evitável pressão sobre as reservas da Ucrânia e levantou o espectro de uma completa crise financeira no país", escreveu ele.

Soros, um renomado russófobo, também disse que "a Europa está enfrentando um desafio vindo da Rússia contra a sua própria existência."

A fonte do governo ucraniano também mencionou que o chefe desonroso do Fundo Monetário Internacional e candidato do Partido Socialista francês Dominique Strauss-Kahn estava na lista.

Não houve nenhuma palavra se um anúncio feito pelo Ministério Público da França, que Strauss-Kahn está programado para ser julgado por "proxenetismo agravado", terá influência sobre a sua nomeação. Em 2012, foi relatado que ele pagou a camareira Nafissatou Diallo de Nova York uma quantia não revelada, em uma ação civil depois que ela o acusou de estupro.

O site APA informa que existem atualmente cinco candidatos para a vaga, incluindo representantes do Federal Reserve.

Em setembro, especulou-se que o Fed estava sustentando a Hryvnia, moeda nacional da Ucrânia.

Em março, um site russo situado em Zaporozhye, a Ucrânia oriental alegou que "as reservas de ouro da Ucrânia foram levadas às pressas de helicóptero para os Estados Unidos partindo do aeroporto Borispol, leste de Kiev."



George Soros Clama Por Uma Nova Ordem Mundial, Declara o Fim do Dólar e Que o Mundo Está Falido





 Em vídeo George Soros fala sobre “a criação de uma Nova Ordem Mundial”, ele discute a necessidade de um “declínio administrado” do dólar dos EUA e fala longamente sobre a necessidade de uma verdadeira moeda global. Então quem é George Soros? Bem, ele é um bilionário “filantropo”, que veio a ser conhecido como “o homem que quebrou o Banco da Inglaterra”, quando ele faturou um incrível valor de um bilhão de dólares durante a crise cambial “Black Wednesday” de 1992. Nos dias de hoje, Soros é famoso por ser talvez o bilionário mais “politicamente ativo” (pelo menos abertamente) do mundo. Sua Open Society Institute está em mais de 60 países e gasta aproximadamente US $ 600 milhões por ano promovendo os ideais de Soros. Suas organizações têm desempenhado um papel fundamental em um bom número “revoluções” em todo o mundo ao longo das últimas décadas, mas ultimamente o objetivo principal de George Soros é trazer uma mudança política nos Estados Unidos.

Então o que é exatamente que George Soros está tentando realizar? Bem, em poucas palavras, o que ele quer é um governo mundial Big Brother, baseado no socialismo europeu extremo, o controle populacional rigoroso e a radical agenda verde. Seria um mundo onde o Estado regule tudo o que fazemos para o maior benefício do ambiente e da sociedade como um todo.

No entanto, Soros não é o “mentor do Nova Ordem Mundial” que alguns tentaram fazer acreditar. Na verdade
entre a elite bancário internacional, Soros é considerado uma espécie de “ovelha negra” e um “outsider”. Muito do que Soros está tentando realizar alinha com os objetivos da elite bancária internacional, mas o que eles não gostam é que Soros não vai parar de falar publicamente sobre uma moeda global e uma “Nova Ordem Mundial”. Claro que a elite bancária internacional quer muito uma moeda global e uma “Nova Ordem Mundial”, mas o que não precisa é de um papagaio como Soros chamando atenção desnecessária para estes objetivos.

Além disso, Soros parece não compreender que ambos os lados do espectro político nos Estados Unidos são profundamente influenciados pela elite dos banqueiros internacionais. Infelizmente, a verdade é que o mesmo punhado de organizações elitistas dominou os gabinetes de cada presidente americano desde a Segunda Guerra Mundial. Se você duvida disso, basta verificar quantos membros de cada administração presidencial nos últimos 40 anos pertenceu ao CFR (Council of Foreign Affairs), a Comissão Trilateral ou o Grupo Bilderberg. Se você nunca prestou atenção nisto antes, você ficará absolutamente chocado. Não importa qual presidente   é eleito nos EUA, são exatamente sempre as mesmas organizações que sempre dominam seus gabinetes.

Mas Soros ainda parece estar muito preso dentro do paradigma esquerda/direita e obcecado em destruir o partido Republicano. Por exemplo, Soros gastou uma quantidade insana de dinheiro tentando derrotar George W. Bush em 2004. De acordo com o Center for Responsive Politics, George Soros doou 23 milhões de dólares durante o ciclo eleitoral aos partidos políticos que estavam tentando evitar com que Bush fosse reeleito.

Soros também tem foi um grande adepto de Barack Obama, apesar de que ultimamente Soros parecer estar um pouco desiludido com ele. Através de organizações como o Center for American Progress e MoveOn.org, Soros está constantemente tentando influenciar o estado da política americana.

Então o que é que George Soros tem pensando sobre os dias atuais? Bem, no vídeo postado abaixo, você verá Soros discursar sobre o “o declínio ordenado” do dólar dos EUA, a chegada da moeda global e a importância da Nova Ordem Mundial.
Você notou como Soros ficou desconfortável quando ele estava dizendo o termo “Nova Ordem Mundial”?


A verdade é que ele sabe exatamente o que aquela frase significa. Ele sabe que é uma frase que ele provavelmente não deveria dizer e que trará bastante atenção.

Mas ele falou de qualquer forma.

Soros também parecia um pouco desconfortável quando ele falou sobre o ”declínio ordenado” do dólar.

Soros vem dizendo por algum tempo que o dólar americano precisa cair, e ele fala da vindoura queda do dólar como se fosse algo inevitável...

A única coisa que Soros parece temer é que o “declínio administrado” do dólar possa “sair do controle” e  levar ao caos financeiro mundial.

Soros ainda teve a ousadia de dizer que o dólar como a moeda de reserva mundial não é do interesse nacional dos e EUA e que uma mudança para uma moeda mundial é “um ajuste,  doloroso mas saudável” e que os americanos terão que suportar o baque para o bem maior da economia mundial.

Mas o povo americano não teria algo a dizer sobre tudo isso?

Talvez o povo americano não queira um "declínio administrado" do dólar.

Talvez o povo americano não queira nenhuma parte em uma “moeda mundial”.

Talvez o povo americano não queira fazer parte de uma “Nova Ordem Mundial”.

Mas para os homens como George Soros, realmente não importa o que “os pequenos” pensam. No mundo em que vive Soros, aqueles com enormes quantidades de dinheiro e poder sabem o que é melhor para o resto de nós, e se o “povo pequeno” inicialmente não quiser aceitar, a opinião pública pode ser então comprada se você gastar dinheiro o suficiente.

A triste verdade é que nós já vivemos em uma economia global. Basta entrar em praticamente qualquer loja nos Estados Unidos e começar a pegar os produtos para ver onde eles foram feitos. Muito poucas coisas que compramos se compra nos EUA são realmente feitas lá.

Hoje, o trabalho é uma mercadoria global. Trabalhadores norte-americanos devem agora competir diretamente para os trabalhos com aqueles ganhando salário de miséria na China e na Índia. O fato de milhões de empregos nos EUA estarem  sendo exportados e terceirizados não incomoda os defensores da globalização, em tudo porque supostamente é uma coisa benéfica para o conjunto da economia global.

E a maioria dos americanos tem pouca ou nenhuma idéia de quanta influência de organizações internacionais como as Nações Unidas, o Banco Mundial, o FMI e a OMC têm sobre nossas vidas diárias.

A verdade é que nós já vivemos em um mundo que já é profundamente integrado. Na medida em que isso continuar, em algum momento parecerá "natural" para os EUA concordar com uma verdadeira moeda global e uma total integração política global .

Vamos esperar que este dia nunca chegue. Ou pelo menos vamos torcer para que o povo americano acorde o suficiente apenas para não ir passivamente para uma “Nova Ordem Mundial”.

Uma economia global é ruim para os EUA e um governo global seria realmente muito ruim para os EUA.

Fontes:


Blog The Economic Collapse George Soros: The United States Must Stop Resisting The Orderly Decline Of The Dollar, The Coming Global Currency And The New World Order


O investidor multimilionário Marc Feber coloca em dúvida a recuperação dos Estados Unidos. Ele acredita que a situação econômica global poderia complicar na segunda metade deste ano e se mostra preocupado sobre o fato de que a crise financeira de 2008 seja apenas uma precursora de uma queda ainda maior.

Em declarações à CNBC, Feber explica que o volume total de crédito nas economias avançadas- somado às empresas, os governos e os consumidores, seja de apenas 30% superior ao de 2007. O autor do relatório Gloom, Boom & Doom, não acredita que a "economia esteja recuperada totalmente. Temos uma desaceleração nos Estados Unidos", assegura.

Os dados preliminares, publicados na semana passada, assinalam que a economia dos EUA cresceu 0,1% no primeiro trimestre deste ano, depois de um dos piores invernos em anos. A Bloomberg aponta um crescimento de 1,2% e supõe um forte esfriamento desde o 2,6% registrado no último trimestre de 2013, segundo dados do Departamento de Comércio.

Os dados mostram que o impacto que houve sobre maior economia do mundo do inverno que se distinguiu pelas temperaturas muito baixas e repetidas nevascas que afetaram a quase todo o país. De fato, a presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, já deixou pra trás ao apontar que a desaceleração da economia é transitória.

Em todo caso, Feber, suspeita da recuperação. Alem disso, opina que "o dinheiro é o bem mais desvalorizado". "Olhando para os próximos 6 meses, talvez o dinheiro seja mais atrativo", aponta.

Durante todo este contexto, acrescenta que, o preço das ações nas economias avançadas já atingiu o seu máximo. Feber assinala, que além disso, os títulos do governo estão caros devidos a sua baixa rentabilidade

O investidor também se referiu ao conflito com a Ucrânia, um problema geopolítico que atua como um ponto negativo para os mercados financeiros.

Fontes das Informações:
- Periodismo Alternativo: Marc Faber teme la llegada de una nueva crisis financiera mayor que la de 2008
- El Economista: Marc Faber teme la llegada de una nueva crisis financiera mayor que la de 2008

- El Ecomonista: La economía de EEUU solo creció un 0,1% en el primer trimestre, menos de lo esperado
- El Economista: Yellen (Fed) dice que la desaceleración de la economía de EEUU es transitoria
-http://www.anovaordemmundial.com/2014/05/investidor-marc-feber-teme-a-chegada-de-uma-nova-crise-financeira-maior-que-a-de-2008.html#ixzz3MumFXlSL


- Infowars: Soros may become top Ukraine bankster
- The New York review of Books: Wake Up, Europe



Fonte:http://www.anovaordemmundial.com/2014/12/george-soros-pode-se-tornar-o-maior-bankster-da-ucrania.html#ixzz3MuidH7ND