COMO ESCOLHER UM MBA ADEQUADO À SUA CARREIRA

Gabriel_Ferrari_Mcdonalds

Gabriel Ferrari, 31 anos Gerente de marketing sênior do McDonald’s fez curso de MBA em gestão empresarial na FGV (2009-2011) 


Como escolher um MBA adequado à sua carreira


Um caminho para aumentar o salário, receber uma promoção, mudar de emprego — ou até de carreira —, ampliar o networking ou simplesmente adquirir novos conhecimentos. Uma pós-graduação pode ser sinônimo de tudo isso.
Para alcançar sucesso nessa empreitada, é preciso ter objetivos claros e saber escolher o curso e a instituição. O número de cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado, doutorado e mestrado profissional) no Brasil cresceu 23% de 2010 a 2013, chegando a mais de 3 000 programas — isso sem contabilizar especializações e MBAs, que entram na categoria lato sensu e não têm uma contabilização oficial no Brasil. 
Ter uma pós-graduação tornou-se algo tão comum que se engana quem pensa que ela sozinha é garantia de um novo emprego ou promoção. “O mais importante é a faculdade e a experiência. O MBA é um critério de desempate”, diz Paulo Moraes, gerente executivo de finanças da Talenses, empresa de recrutamento de São Paulo.
E não basta só colocar o título no papel — o aprendizado tem de se refletir na prática. “Numa entrevista de emprego, é importante contar como o conhecimento da pós foi útil para suas atividades”, diz Claudia Troca, gerente da Robert Half. Fazer apenas para ter o certificado é desperdício de tempo e dinheiro.
Mas é preciso levar em conta que um MBA não vai resolver todas as deficiências de carreira. É crescente a discussão, principalmente no exterior, segundo a qual os MBAs estão se distanciando dos assuntos que realmente importam para liderar negócios.
Apesar de haver maior número de profissionais certificados no mercado, o curso mantém sua importância na carreira. Segundo pesquisa da consultoria Robert Half feita com 70 executivos de RH brasileiros, 42% desses líderes consideram o MBA relevante para o currículo de um profissional.
Na CPFL Energia, a pós conta ponto não só nas contratações mas também nas avaliações de desempenho. “O conhecimento tem prazo de validade. O profissional tem de se reciclar”, diz Mônica de Oliveira Rocha, gerente de desenvolvimento de pessoas da CPFL. 

Como escolher um MBA

Qual o programa ideal?

Objetivos do aluno: O primeiro passo para fazer uma boa escolha é entender claramente o que você espera como resultado do processo: aprendizado, novos contatos, aumento salarial, promoção ou só um diploma? Se sua intenção é atuar no mercado, uma especialização, um MBA ou um mestrado profissional são mais indicados.
Para os acadêmicos, mestrado e doutorado são o caminho. “Para o recém-formado, é mais interessante um curso voltado para uma área específica, porque a faculdade dá uma formação muito generalista.
O MBA executivo é mais indicado para quem tem pelo menos cinco anos de carreira e já lidera pessoas”, diz John Schulz, sócio-fundador da BBS Business School. “É preciso ter um bom nível de conhecimento de como funcionam os negócios e experiências para trocar para aproveitar um MBA”, diz Itziar de Ros, diretor de admissão em MBA da Iese Business School. 
O programa e os professores: A credibilidade da instituição fará toda a diferença no currículo e deve ser considerada. Mas outros fatores também devem entrar na conta. “Tenha claro quais são os gaps específicos que você quer preencher e faça um ranking próprio.
Avalie quem são os professores, qual a metodologia e a dinâmica das aulas e examine bem o programa”, diz Patricia Volpi, líder da unidade de MBA da consultoria Gnext. “Procure conhecer também o perfil dos outros participantes”, diz Paula Matos Simões, gerente-coordenadora de programas MBA da Fundação Dom Cabral. 
Carga horária e exigências: As horas de dedicação podem variar bastante conforme o tipo de curso. Para especialização (categoria em que entra também o MBA), o mínimo é de 360 horas, mas há programas com maior carga horária. Já os mestrados acadêmico e profissional costumam durar pelo menos 24 meses.
Antes de fazer a matrícula, avalie se será possível conciliar todas as tarefas. “Faça em um momento em que você realmente possa se dedicar. Considere o tempo fora de sala também. O curso passa rápido e quem não aproveita se arrepende depois”, diz José Claudio Securato, presidente da Saint Paul.
 Experiência internacional: Para quem quer adquirir bagagem internacional, alguns programas de especialização, mestrado e MBA oferecem a possibilidade de fazer um semestre ou módulo fora do país em escolas parceiras. É uma opção interessante para quem não quer ou não pode deixar o emprego por um ano ou dois. 
Certificação: Um dos critérios que podem ajudar na decisão são as certificações internacionais, que conferem um selo de qualidade aos programas de MBA. As entidades certificadoras levam em consideração critérios como instalações, professores, metodologia e currículo para dar seu aval.
Entre as mais reconhecidas estão a Association of MBAs (Amba), a Advance Collegiate Schools of Business (AACSB) e o European Quality Improvement System (Equis-EFMD).

Daniela Moreira, da VOCÊ S/A

Fonte:http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/19702/noticias/como-escolher-um-mba

Gabriel_Ferrari_Mcdonalds