METADES ETERNAS,ALMAS GÊMEAS,AFINIDADES


Metades eternas, Almas Gêmeas, Afinidades

Não existe uma união particular e fatal de duas almas. Existe uma união entre todos os Espíritos, mas em graus diferentes, segundo a posição que ocupam, isto é, segundo a perfeição adquirida. Quanto mais perfeitos, mais unidos. (L.E., 298)(1) 

É inexata a expressão metades eternas. Se um Espírito fosse metade de outro e dele separado, seria incompleto. (L.E., 299)(1) 

A simpatia que atrai um Espírito para outro resulta da perfeita concordância de suas inclinações e de seus instintos. A identidade necessária à simpatia perfeita consiste na igualdade do grau de elevação. (L.E., 299)(1) 

Os Espíritos que hoje não são simpáticos poderão sê-lo mais tarde. Todos o serão. O Espírito que hoje se acha em esfera inferior alcançará, pelo aperfeiçoamento, a esfera onde reside um outro. (L.E., 299)(1) 

Dois Espíritos simpáticos poderão deixar de o ser, se um deles for preguiçoso. A teoria das metades eternas é uma imagem que pinta a união de dois Espíritos simpáticos. (L.E., 299)(1) 

Além da simpatia geral, oriunda da semelhança que entre eles existe, votam-se os Espíritos recíprocas afeições particulares, do mesmo modo que os homens, sendo, porém, que mais forte é o laço que prende os Espíritos uns aos outros, quando carentes do corpo material, porque então esse laço não se acha exposto às vicissitudes das paixões. (L.E., 291)(1) 

A afeição espiritual tem por base a afinidade fluídica espiritual, determina a simpatia. 

Dois Espíritos unidos espiritualmente se buscam e tendem sempre a aproximar-se; seus fluidos são atrativos. Se estiverem no mesmo globo, serão impelidos um para o outro; se separados pela morte terrena, seus pensamentos unir-se-ão na lembrança e a reunião far-se-á na liberdade do sono. 

A afeição espiritual é a única resistente no domínio do Espírito. 

Na Terra e nas esferas do trabalho corporal, concorre para o avanço moral do Espírito encarnado que, sob a influência simpática, realiza milagres de abnegação e de devotamento dos seres amados. Nas moradas celestes, ela é a satisfação completa de todas as aspirações e a maior felicidade que o Espírito possa desfrutar. 

Os Espíritos se unem segundo suas afeições iniciadas em mundos inferiores e trabalham juntos por seu progresso espiritual. (R.E., fev/1864, “As afeições terrenas e a reencarnação”)(2) 

Um do outro dois seres se aproximam devido a circunstâncias aparentemente fortuitas, mas que na realidade resultam da atração de dois Espíritos, que se buscam reciprocamente por entre a multidão. (L.E., 386)(1) 

O que se falou acima sobre a expressão metades eternas, aplica-se também à expressão almas gêmeas. 

No curso do tempo nos harmonizaremos mais e melhor uns com os outros. É a lei da evolução. E a solidariedade faz parte dela. Os que mais avançaram estimulam os que ficaram para trás a progredirem, alcançando-os, no curso do tempo, com força de vontade direcionada para o bem. 

Fazemos parte, todos, de uma grande família espiritual, cumprindo ajudarmo-nos uns aos outros incessantemente, e vendo nos que mais se adiantaram um estímulo a nos esforçarmos também. 

Quando encarnados, muitas vezes amamos de maneira equivocada chegando, alguns, a “matar por amor”. 

Metades eternas e almas gêmeas representam, numa linguagem poética aquele estado de felicidade que aspiramos, mas que depende do nosso esforço próprio, e não de imaginarmos que uma outra metade irá nos complementar.


1. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos.
2. ________. Revista Espírita.
3. ________. O Livro dos Espíritos.
4. ________. O Evangelho Segundo o Espiritismo

Fonte: Revista Internacional de Espiritismo 





Fonte:http://www.espiritbook.com.br/profiles/blog/show?id=6387740


Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA