ENSINAMENTOS DE KRISHNA

Ensinamentos de Krishna

Sattva: conhecimento, amor, paz, fortaleza, devoção ao dever, discernimento, veracidade, compaixão, memória, contentamento, generosidade, desapego, fé, modéstia, caridade, perdão.
Rajas: desejo, atividade, orgulho, cobiça, arrogância, busca de conforto, prazer dos sentidos, paixão por fama, zombaria, ostentação, agressividade, presunção.
Tamas: obscuridade mental, preguiça, ira, falta de compreensão, avareza, falsidade, crueldade, mendicância, fadiga, briga, tristeza, medo, inércia, lentidão, ciúme, inveja.

A caridade sátvica se faz como um dever, sem idéia de retribuição, no devido lugar e momento, à pessoa que a merece. A caridade rajásica é feita esperando recompensa, mérito ou de má vontade. A caridade tamásica é feito em momento inoportuno, em lugar indevido, a alguém que não merece, e com desprezo.


Eu sou a bondade dos bons. Sou o sabor das águas, o esplendor da lua e do sol, sou o sagrado OM dos Vedas, o som do espaço e o valor do homem. Sou a fragrância da terra, o brilho do fogo, a vida em todos os seres e a austeridade nos ascetas. Sou a semente eterna de todos os seres, sou a inteligência dos inteligentes e a valentia dos valentes. Sou a força dos fortes. Sou a prosperidade dos futuros ricos; entre as qualidades femininas sou a beleza, a fama e a abundância, a clara dicção, a memória, a inteligência, a fortaleza e a clemência.

Quem mantém uma esposa adúltera, ou um corpo dominado por outra pessoa, ou um filho malvado, ou riquezas que não reparte entre gente meritória, ou um falar em que nunca se Me menciona, sofre desgraça após desgraça.

Temperamento divino: constância, sacrifício, não-ferir, austeridade, não-aborrecer-se, abnegação, calma, não caluniar, delicadeza, ausência de leviandade, intrepidez.
Temperamento demoníaco: vaidade, aborrecimento, vulgaridade, ignorância, luxúria, concupiscência, insolência.
O céu é o surgimento de sattva na mente. O inferno é o surgimento de tamas na mente. O verdadeiro rico é o rico em virtudes. O pobre é aquele que está descontente. Mesquinho é quem não domina os sentidos. Nobre é quem não se apega aos objetos.