PERU - BELEZA EXÓTICA E TRADIÇÃO MÍSTICA DE SEU PASSADO INDÍGENA


O Peru talvez seja o mais exótico entre os países sul-americanos. Foi sede de um dos mais fabulosos impérios que já existiram sobre a Terra: o Império Inca. Ruínas de suas antigas cidades, entre elas a misteriosa Machu Picchu, encontram-se espalhadas por todo o território do Peru.
Cada vez mais, os brasileiros estão descobrindo este país e suas fascinantes e variadíssimas belezas naturais, além da grande riqueza arquitetônica, histórica e do fabuloso patrimônio arqueológico composto por legados de culturas pré-colombianas.

O Peru é um verdadeiro paraíso para as compras. Há uma grande variedade de artigos, sobretudo artesanato. Os preços são vantajosos e a pechincha é bastante praticada, então não sinta vergonha de pedir descontos. Em Lima, é possível adquirir a maioria dos produtos produzidos nas diferentes regiões do país. Existem mercados de rua e shoppings bem completos, com lembranças e artigos para todos os bolsos e gostos.
Entre os produtos mais cobiçados, e encontrados em todo lugar, estão as famosas capas e casacos. Outros artigos bastante procurados são os ponchos, luvas, chullos (gorros), meias, mochilas e coletes.
A cerâmica é o outro produto muito vendido no Peru. Em Cusco, prevalece a cerâmica que reproduz os motivos incas, sobretudo aríbalos, uma espécie de recepientes apresentados em grande variedade de tamanhos. Ayacucho, em troca, é considerado como um dos centros mais importantes, graças à sua produção em quantidades industriais de cerâmicas utilitárias, apitos (conjunto de cinco músicos), brinquedos, pratos matrimoniais, figurinhas de igrejas, etc.
Se você gosta de música, pode comprar um charango, com concha de tatu, flautas de pan, sanfonas, quenas ou sikus elaborados com cana de bambú ou ocarinas com forma ovalada, fabricadas em barro e pintadas com diferentres motivos.
Os tapetes peruanos também são muito famosos. Em geral são feitos com lã de ovelha. Há também de alpaca, porém são bem mais caros. Destacam-se pelos desenhos, especialmente o que reproduz quadros de mulheres andinas de costas, casas baixas de povoados serranos ou dos monumentos incas.
Já a joalheria se destaca pelos trabalhos que imitam os desenhos das joias encontradas em Sipán, com brincos, braceletes, colares e brincos. Em Nazca encontram-se bons trabalhos em prata que reproduzem as famosas e misteriosas "linhas". Porém, ao longo do país encontrará numerosos locais que oferecem a mais variada bijouteria.
Por último, deixe-se cativar pelas pinturas peruanas, sobretudo as aquarelas, que são verdadeiras obras mestras à preços muito acessíveis. Evite comprar objetos fabricados com penas, carapaças de tartaruga, ossos ou couros de animais selvagens ou em perigo de extinção, assim como peças pré-colombianas, para evitar riscos na alfandega.

Viagem 

Avião: há vôos e conexões de Lima para todas as principais cidades do país, exceto para Huancayo, Huaraz e Ica, podendo viajar por via terreste, de ônibus interprovincial. Faça suas reservas com antecipação.
Ônibus: um dos tipos é o serviço de ônibus interprovincial, que cobre todos os destinos do país, com exceção de algumas cidades da Selva. Informe-se sobre as comodidades obtidas de acordo com a tarifa paga e se o serviço é direto ou fará paradas.
Os ônibus urbanos, que são a alternativa mais barata, são identificados pelas cores e números conforme a rota. Por fazerem longos trajetos, muitas vezes poderão ser um pouco incômodos. Informe-se antes de utilizá-los e de preferência não os utilize altas horas da noite.
Táxi: recomenda-se utilizar os serviços das empresas de táxi (solicitando pelo telefone) ou aqueles autorizados pelas prefeituras (em Lima, os táxis estão pintados de amarelo e alguns têm um sinal luminoso no teto). No Peru, os taxímetros não são utilizados, você deverá negociar o preço da corrida antes de entrar no táxi. Informe-se no seu hotel sobre as tarifas de táxi de acordo com o seu destino. Não é costume dar gorjetas aos taxistas.
Trem: O serviço turístico ferroviário possui três rotas:
Arequipa - Sumbay - Juliaca - Puno.
Puno - Cusco.
Cusco - Ollantaytambo - Machu-Picchu.


Acomodação

Existem alojamentos de várias categorias e custos. Durante a temporada de alta demanda turística (junho a setembro), seria recomendável que fizesse a sua reserva antecipadamente. É possível também hospedar-se em casas de família autorizadas pela Direção Nacional de Turismo.
Na capital, Lima, as melhores opções de hospedagem estão nos bairros de Miraflores e San Isidro. Na cidade histórica de Cuzco, sede dos viajantes que pretendem conhecer MachuPicchu e o Vale Sagrado dos Incas, o Hotel Monastério é uma opção de hospedagem interessante. Ele foi construído em um mosteiro da época colonial espanhola. Quinze quilômetros ao norte, no Vale Sagrado, a cada ano surgem novos hotéis de luxo, como o recém-inaugurado Tambo Del Inka, que tem uma vista do vale impressionante.



Come & Bebes


O Peru é riquíssimo em variedade de espécies de peixes e utiliza os pescados em sua culinária desde os tempos dos índios pré-colombianos. Além da batata e do milho, os conquistadores espanhóis trouxeram novos ingredientes que se somaram aos já utilizados. Outras culturas, como a italiana e principalmente a oriental, representada por chineses e japoneses, deram origem à culinária peruana, conhecida hoje e muito apreciada em toda a Europa.
A cozinha peruana oferece uma grande variedade de pratos típicos da Costa, da Serra e da Selva. Pergunte antes sobre sua preparação já que alguns pratos são muito picantes ou temperados. Mas também você poderá encontrar restaurantes que preparam comida internacional.
Entre os pratos típicos, podemos citar o Ceviche de Pescado (Lima), Chupe de Camarones (Arequipa), Pachamanca (Cusco) e Juanes de Galinha (Amazônia Peruana).
Quanto às bebidas, prove o peruaníssimo "Pisco" (aguardente de uva) e as suas diversas combinações, além da "chicha morada" (refresco preparado com milho arroxeado), a "chicha de jora" (aguardente fermentado de milho) e o "agüaje".



Fonte:http://www.soturismo.com.br/continentes/america_do_sul/peru/p2.php

O Mundo Segundo Os Brasileiros - Lima (Peru) - HD 




PERU

País / Capital: Lima





Peru é um país de arraigada tradição e de passado indígena, mas também fortemente ligado aos costumes impostos pelos conquistadores espanhóis que chegaram à região na primeira metade do século 16. Essa mistura de culturas deixou no vasto território monumentos históricos, igrejas e sítios arqueológicos, sem contar que a natureza aqui também não deixa por menos, com florestas, desertos e cordilheiras nevadas.
Na lista de cidades e atrações imperdíveis está Cusco, Patrimônio Histórico da Humanidade, cujas ruas e becos de pedras parecem respirar os mesmos ares da época dos incas. A capital, Lima, tem encantadora arquitetura colonial. Mas são os misteriosos territórios de Machu Picchu o ponto de atração mais intensa dos turistas que visitam esse país mestiço.
Na costa norte, o eixo entre a colonial Trujillo e a pacata Chiclayo reserva descobertas arqueológicas impressionantes. Ali foram encontrados o Senhor de Sipán, um semideus da cultura moche, anterior aos incas, além da Dama de Cao, múmia preservada depois de 1700 anos que evidencia o relevante papel das mulheres nas sociedades pré-colombianas. Nessa região também estão as ruínas de Chan Chan, a monumental capital de barro chimú, Patrimônio da Humanidade desde 1986.
Quando visitar o altiplano andino, lembre-se de que a altitude pode vir a lhe causar o mal da montanha (soroche), então siga um ritmo lento para adaptação e curta o lugar com calma.
Já ao sul encontram-se as misteriosas linhas de Nazca, fonte das mais amalucadas teorias sobre sua função e construção, indo de alienígenas a uma civilização superior perdida. Seja como for, somente pode-se apreciar sua dimensão de avião, helicóptero ou balão.
Outra faceta peruana que começa a entrar no mapa é sua gastronomia. Imigrantes espanhóis, italianos e japoneses criaram suas próprias versões de receitas de sua pátria e as adaptaram ao que encontravam nos mercados locais. Com sua imensa variedade de batatas, milhos, tomates, pescados e pimentas, pratos cada vez mais elaborados e únicos foram nascendo e deram origem à cozinha local. Agora, o antes simples ceviche, uma marinada de pescados, amplia seus horizontes e ganha versões maravilhosas. Aqui também você encontra o pisco, a bebida nacional, um destilado do mosto da uva, base para elaborados drinques.
Ruínas espetaculares, trekkings fundamentais, uma cultura única e uma rica gastronomia: o Peru está logo aqui ao lado, não deixe de conhecê-lo.
COMO CHEGAR
Há três opções de voos diretos para a capital Lima: TAM (0800-5705700,  www.tam.com.br), LAN (0300-7880045, www.lan.com) e Taca (0800/7618222, www.taca.com) e os preços se iniciam em US$ 450, em média. O táxi é o transporte mais prático para chegar ao centro de Lima. O trajeto de 16 quilômetros custa em torno de US$ 10. Fique atento: os táxis não são equipados com taxímetros, então é melhor chegar a um acordo sobre a tarifa antes de iniciar a viagem. Também há ônibus urbanos que conectam o aeroporto com o centro da capital. Para quem parte de São Paulo (e tem tempo e disposição para encarar a estrada), a viação Ormeño (www.grupo-ormeno.com.pe) faz o percurso de cinco dias até Lima por US$ 275.
COMO CIRCULAR
Assim como em toda a América do Sul, o ônibus é o meio de transporte mais comum para os viajantes. Há quatro viações principais no país: Cruz Del Sur (www.cruzdelsur.com.pe), Expreso Sial (www.expresocial.com),  Civa (www.civa.com.pe) e Tepsa (www.tepsa.com.pe).
  •  www.peru.info
  •  28.000.000 hab
  •  +51
  •  -2h (horário de Brasília)
  •  América do Sul
  •  Nuevo Sol
  •  0800-50190
  •  Não é necessário.

  • SES, Qd. 811, lote 43, Brasília (DF)
    61 3242-9435

    www.embperu.org.br




Fronteiras
Peru é o terceiro  maior país da América do Sul com uma área  de 1.285.216 km2. Limita com o Equador e a Colômbia ao norte,  o Brasil e à Bolívia ao leste, o Chile ao sul e é banhado no oeste  pelo Oceano Pacífico. 


População
De acordo com estatísticas recentes (2007),o Peru tem uma população estimada de 28,220,764 milhões de habitantes e uma taxa média de cre
scimento de 1,13% ao ano. 
O 50,3% da população são mulheres, o 75,9% da população vive nas áreas urbanas e a densidade da populacional é de 20 hab/km quadrado.
Geografia
O país está dividido em três regiões topográficas e climáticas distintas:
A Costa, uma área litoral estreita; 
a Serra, uma zona central montanhosa "Cordillera de los Andes" e; 
a Selva, a bacia superior da Amazônia.
A Costa é o centro da atividade industrial, comercial e agrícola do país.  Lima, a capital política é o centro econômico do Peru. Tem mais de sete milhões de habitantes. O clima litoral é quente no  norte e temperado no centro, e o sul é caracterizado por a falta de chuvas. 
O verão vai de dezembro a março e a inverno de maio a agosto. 
A Serra abrange as montanhas dos Andes, platôs e vales elevados  que cobrem 27% da área. Dependendo da altura, o clima varia do temperado a muito frio, com chuvas que excedem 100 polegadas anualmente em algumas áreas. Nesta região há cidades construídas  a mais de 3.800 metros acima do nível do mar; Puno, no lago Titicaca está acima dos 3.850 metros acíma do nível do mar; e Cerro de Pasco 4.302 metros acima do nível do mar.
A Selva é a região mais extensa e menos povoada do Peru. É a Floresta Amazónica que cobre uma área equivalente a 60% do território nacional. O clima é tropical, isto é, quente, úmido e chuvoso. A Selva, onde a flora e a fauna são consideradas as mais ricas do mundo, é cruzada pelo rio Amazonas, o rio o mais caudaloso do mundo, que nace da união dos ríos Marañón e Ucayali perto da cidade de Nauta no Departamento (Estado) de Loreto.
Divisão Política
O Peru está dividido em 24 Departamentos  (Estados) e uma Provícia Constitucional (El Callao).

Clima
O clima do Peru varia do tropical na montanha ao ártico nas montanhas  mais elevadas dos Andes. Como o Peru tem sete pisos ecológicos (segum o geógrafo Pulgar Vidal) pode por isso ter a maioria dos climas do mundo.
Na Serra, as escalas de temperatura variam de aproximadamente -7 a 21º C. O periodo das   chuvas é de outubro a abril. Em Cuzco, na Serra do sudeste, as precipitações anuais calculam-se em uma média de 81,5 mm.
A Selva é extremamente quente e úmida. Os ventos do leste que passam  através dessa região recolhem a umidade que é depositada mais tarde nas  inclinações orientais andinas. As precipitações anuais em alguns distritos calcula-se em uma média de 3,810 mm. A maioria desta chuva, que cai principalmente de novembro a abril, drena eventualmente à montanha.Na planície litoral a temperatura é normalmente uniforme, com uma média  de aproximadamente 20º C durante todo o ano. O clima litoral é moderado pelos ventos que vem da corrente fria no Mar Peruano conhecida como a Corrente de Humboldt que registra uma temperatura média anual de 19 º C o que possibilita que o Peru seja um dos maiores paises pesqueiros do mundo.
Línguas
As línguas oficiais são o Espanhol e o Quechua o último falado pelas  populações da Serra. Do mesmo modo, em outras áreas geográficas (isto é Puno), o Aymara é falado. Há muitos outros dialetos falados nas comunidades nativas da Selva.
Cultura
O relacionamento entre o hispânico e as culturas índias determina muito da  expressão cultural da nação. Durante a época pré-colombiano, o Peru era um dos centros principais da expressão artística na América. As culturas Pré-Incas, tais como Chavín, Paracas, Nazca, Chimú, e Tiahuanaco, desenvolveram uma cerâmica de qualidade elevada, têxteis e escultura. 
Os Incas continuaram a manter estes ofícios alcançando realizações ainda mais impressionantes na arquitetura. A cidade de Machu Picchu e os edifícios em Cuzco são exemplos excelentes do desenvolvimento da arquitetura Inca.
O Peru continua a ser um centro produtor de arte com pintores  tais como Gerardo Chávez, Alberto Quintanilla, e José Carlos Ramos, junto com o escultor Víctor Delfín, ganhando estatura internacional. Novos artistas promissores continuam seu desenvolvimento, entretanto a economia peruana permite na atualidade mais  promoção das artes.
Durante os  anos 60, Fernando de Szyszlo, um artista peruano internacionalmente reconhecido, transformou-se no principal representante da pintura abstrata e empurrou o arte peruano rumo ao modernismo. Na década após 1932, "a escola indígena" de pintura dirigida por  José Sabogal dominou a cena cultural no Peru. Não obstante, uma reação entre os artistas peruanos originou à pintura peruana moderna. A renúncia de Sabogal como diretor da Escola Nacional de Belas Artes em 1943 coincidiu com o retorno da Europa de diversos pintores peruanos que  revitalizaram os estilos "universal" e internacionais de pintura. Durante o período colonial, o barroco espanhol fundiu-se com a rica  tradição Inca para produzir o arte mestiça. A escola Cuzquenha seguiu a tradição barroca espanhola com influência das escolas italianas, flamengas e francesas. O pintor Pancho Fierro fez uma contribuição distinta com suas pinturas de eventos, de maneiras e de costumes típicas do Peru de meados do século XIX. Francisco Lazo, precursor da escola indígena de pintura, conseguiu também a fama por seus retratos. A arte peruana do século 20 é conhecido extensamente por sua variedade extraordinária de estilos e originalidade.
O Peru passou por vários estágios intelectuais - da cultura colonial  hispânica ao romantismo europeu após a independência. O princípio do século trouxe o "Indígenismo" expressado em uma consciência nova da cultura indígena. Desde a II guerra mundial, os escritores, os artistas, e os intelectuais peruanos participaram em movimentos intelectuais e artísticos ao redor do mundo, influenciados especialmente por tendências americanas e da Europa.
Historia
As culturas pré-incas se assentaram no litoral e nos Andes do Peru. Algumas alcançaram grande poder e influencia no território que originaram pequenos centros regionais. Todas se caracterizam pela sua cerâmica, manejo dos recursos naturais e outras características que as diferenciaram umas das outras.
As principais culturas pré-incas são: Chavín, Paracas, Moche, Tiahuanaco, Nasça, Wari, Chimú e Chachapoyas.
A Cultura Inca (1200-1500 d.C)  foi a civilização mais importante de América do Sul. Sua organização econômica, suas manifestações artísticas e sua arquitetura impressionaram aos primeiros cronistas. O Tahuantinsuyo ou Império Inca se estendeu ate os atuais países de Colômbia pelo Norte e Chile e Argentina pelo Sul, incluindo na sua totalidade os territórios da Bolívia e do Equador.
O encontro entre a cultura Inca e a cultura espanhola iniciou-se com a conquista espanhola no século XVI. Em 1532 as hostes de Francisco Pizarro capturaram a Atahualpa em Cajamarca. Em 1542 criou-se o Virreinato do Peru.  
O processo de assentamento espanhol se consolidou no século XVI com o Virrey Francisco de Toledo, que através das ordenanças, assentou as bases da economia colonial: o sistema de controle de mão de obra indígena (mita) para o minério e a produção artesanal. Até o século XVII o Virreinato do Peru abarcou o território que se estendia desde Panamá ate Terra do Fogo.
O Peru foi declarado país independente por don José de San Martín em 1821. A partir da metade do século XIX o país começou a exportar o guano, algodão e açúcar, prescindido dessa maneira da contribuição indígena e da escravidão.
O inicio do século XIX foi caracterizado por uma abundante criação intelectual, simbolizada pelo fundador do APRA, Vitor Raul Haya dela Torre y José Carlos Mariátegui, criador do pensamento socialista peruano.
As condições de navegação no rio Amazonas motivaram acordos com o Brasil, e em 1909 se finalizou a determinação das fronteiras entre ambos os países. O tratado de fronteiras com a Colômbia foi aprovado pelo Congresso Nacional em 1927. Em 1929, Tacna retorna ao Peru. A demarcação com a Bolívia definiu-se em 1932, e finalmente em 1999 se resolveu a disputa territorial com o Equador, prevalecendo o "Protocolo de paz, amizade e limites", assinado em 1942.
Em 1968, as Forças Armadas, depuseram ao Presidente Fernando Belaúnde, quem foi eleito novamente em 1980. Em 1985 o doutor Alan García foi eleito presidente, seguido do Presidente Alberto Fujimori, quem governou por dez anos. Depois da sua segunda reeleição, no 2000, o povo peruano reclamou novas eleições, e estabeleceu-se um governo de transição democrática com Valentim Paniagua. Em julho de 2001, o doutor Alejandro Toledo Manrique assumiu o mandato presidencial. Atualmente, o Presidente Constitucional do Peru é o senhor Ollanta Humala Tasso (2011-2016).

HISTÓRIA DO PERU


Peru (em espanholPerú; em quéchuaPiruw; em aimaráPiruw), oficialmente chamado de República do Peru (em espanholRepública del Perú; em quéchuaPiruw Ripublika; em aimaráPiruw Suyu), é um paíssul-americano limitado ao norte pelo Equador e pela Colômbia, a leste pelo Brasil e pela Bolívia e ao sul pelo Chile. O seu litoral, a oeste, é banhado pelo oceano Pacífico.
O território peruano abrigou a civilização de Caral, uma das mais antigas do mundo, bem como o Império Inca, considerado o maior Estado da América pré-colombiana. O seu território foi elevado a vice-reinadopelo Império Espanhol, no século XVI. Atualmente, o Peru é uma república presidencialista democrática dividida em 25 regiões. A sua geografia é variada, exibindo desde planícies áridas na costa do Pacífico, aos picos nevados dos Andes e à floresta amazônica, características que proporcionam a este país diversos recursos naturais.
As principais atividades econômicas incluem a agricultura, a pesca, a exploração mineral e a manufatura de produtos têxteis. Após a sua independência em 1821, o Peru passou por períodos de alternância entre turbulência política e crise fiscal e estabilidade e crescimento econômico.
A população peruana, estimada em 28 milhões, é de origem multiétnica e possui um alto grau de mestiçagem, incluindo ameríndioseuropeusafricanos e asiáticos. O país é considerado nação em desenvolvimento e possui um nível de pobreza de 34%. O idioma oficial é principalmente o espanhol, ainda que um número significativo de peruanos fale quíchua e outras línguas nativas. A mistura de tradições culturais produziu uma diversidade de expressões nas artes, na culinária, na literatura e na música.

Etimologia

A palavra Peru é derivada de Birú, o nome de um governante local que morava perto da Baía de São Miguel, no Panamá, no início do século XVI.5 Quando os suas posses foram visitadas por exploradores espanhóis em 1522, elas eram a parte mais meridional do "Novo Mundo" conhecida pelos europeus.6 Assim, quando Francisco Pizarro explorou as regiões mais ao sul, as designou de Birú ou Peru.7
Coroa Espanhola oficializou o nome do território em 1529, com a Capitulación de Toledo, que designou o recém-encontrado Império Inca como a Província do Peru. Sob o domínio espanhol, o país era denominado Vice-Reino do Peru, que posteriormente se tornou a República Popular do Peru, após a guerra da independência do país.8

História


Primeiras civilizações


A antiga cidade inca de Machu Picchu, classificada pela UNESCOcomo um Patrimônio Mundial. As ruínas estão localizadas a 2 400 m de altitude, próximas ao vale do rio Urubamba.
Os primeiros indícios da presença humana no território peruano datam de aproximadamente 10 560 a.C.9 A mais antiga sociedade complexa conhecida no Peru e nasAméricas, a Civilização de Caral, floresceu ao longo da costa do oceano Pacífico entre 3 000 e 1 800 a.C.10
Estes desenvolvimentos iniciais foram seguidos de culturas arqueológicas, como CupisniqueChavinParacasMochicaNazcaWari e Chimu. No século XV, os incasemergiram como um poderoso Estado e, no espaço de um século, formaram o maior império da América pré-colombiana.11
As sociedades andinas foram baseadas na agricultura, utilizando técnicas como a irrigação e terraceamentopecuária de camelídeos e pesca também eram importantes. A organização era baseada no princípio da reciprocidade e redistribuição porque estas sociedades não tinham nenhuma noção de mercado ou dinheiro.12
Nos anos entre 1524 e 1526 a varíola, introduzida a partir do Panamá antes da conquista espanhola varreu o império inca.13 A morte do governante inca Huayna Capac, bem como da maioria de sua família, incluindo seu herdeiro, causou a queda da estrutura política inca e contribuiu para a guerra civil entre os irmãos Atahualpa e Huáscar.14

Colonização


Centro Histórico de Lima, classificado como Patrimônio Mundialpela UNESCO e centro do poder do governo peruano desde 1535
Em 1532, um grupo de conquistadores e de nativos americanos liderados por Francisco Pizarro derrotou e capturou o imperador inca Atahualpa. Francisco Pizarro exigiuouro e prata em troca da libertação do Sapa Inca e, apesar de Francisco Pizarro ter recebido uma sala de ouro e dois quartos seguintes com prata, até ao nível do alcance dos braços de Atahualpa, Atahualpa foi executado e Francisco Pizarro conquistou o império e impôs o domínio espanhol.15
Dez anos depois, a Coroa espanhola criou o Vice-Reino do Peru, que incluía todas as suas colônias da América do SulFrancisco de Toledo reorganizou o país na década de 1570 com a mineração como principal atividade econômica e com o trabalho forçado indígena como a sua principal força de trabalho.16
O ouro peruano trouxe receitas para a Coroa espanhola e alimentou uma rede complexa de comércio que se estendeu até a Europa e as Filipinas.17 No entanto, por volta doséculo XVIII, o declínio da produção de prata e a diversificação econômica reduziu muito a renda real.18
Em resposta, a Coroa promulgou as Reformas Bourbônicas, uma série de decretos que aumentaram os impostos e dividiram o Vice-Reinado do Peru.19 A nova legislaçãoprovocou a rebelião de Túpac Amaru II e outras revoltas, que foram derrotadas.20

Independência


José de San Martín ao anunciar a independência do Peru.
No início do século XIX, enquanto a maioria da América do Sul era assolada por guerras de independência, o Peru continuou a ser um reduto monarquista. Como a elitehesitou entre a emancipação e a lealdade para com a monarquia espanhola, a independência foi obtida apenas após as campanhas militares de José de San Martín e Simón Bolívar.21 Durante os primeiros anos da República, lutas endêmicas pelo poder entre líderes militares causaram instabilidade política.22 A identidade nacional foi forjada durante este período, com projetos bolivarianos que afundaram, como aConfederação da América Latina, e uma união com a Bolívia que se mostrou efêmera.23
Entre 1840 e 1860, o Peru desfrutou de um período de estabilidade sob a presidência de Ramón Castilla através do aumento da receita do Estado com as exportações de guano.24 No entanto, em 1870, esses recursos foram desperdiçados, o país estava pesadamente endividado e a luta política voltou a aumentar.25
O Peru foi derrotado pelo Chile na Guerra do Pacífico entre 1879-1883, perdendo as províncias de Arica e Tarapacá nos tratados de Ancón e Lima. Durante a ocupação chilena de Lima, autoridades militares chilenas transformaram a Universidade Nacional Maior de São Marcos e o recém-inaugurado Palacio de la Exposición em quartéis, invadiram as escolas médicas e outras instituições educacionais, saquearam o conteúdo da Biblioteca Nacional do Peru e transportaram milhares de livros (incluindo volumes originais de muitos séculos de idade), além do estoque de capital que foi levado para Santiago do Chile, e uma série de monumentos e obras de arte que decoravam a cidade.26 Lutas internas após a guerra foram seguidas por um período de estabilidade no âmbito do Partido Civil, que durou até o início do regime autoritário de Augusto B. Leguía.27 A Grande Depressão causou a queda de Leguía, renovada turbulência política e a emergência da Aliança Popular Revolucionária Americana (APRA).28 A rivalidade entre esta organização e uma coalizão das elites e dos militares definiram a política peruana nas três décadas seguintes.29

Era contemporânea

Em 1968, as forças armadas, lideradas pelo general Juan Velasco Alvarado, aplicaram um golpe militar contra o presidente Fernando Belaúnde. O novo regime levou a cabo reformas radicais para fomentar o desenvolvimento, mas não obteve apoio generalizado.30 Em 1975, Velasco foi substituído como presidente pelo general Francisco Morales Bermúdez, que paralisou as reformas e supervisionou o restabelecimento da democracia.31
Durante a década de 1980, o Peru enfrentou uma considerável dívida externainflação crescente, um aumento no tráfico de drogas e violência política maciça.32 Cerca de 70 mil pessoas morreram durante o conflito entre forças do Estado e os guerrilheiros maoístas doSendero Luminoso.33 Com a presidência de Alberto Fujimori (1990–2000), o país começou a se recuperar, no entanto, as acusações de autoritarismocorrupção e violações dos direitos humanos forçaram sua renúncia após a polêmica eleição de 2000.34 Desde o fim do regime de Fujimori, o Peru tenta lutar contra a corrupção, enquanto mantém o crescimento econômico; desde 2011, o presidente é o lider do partido nacionalista Ollanta Humala.35

Geografia e clima

Panorama do Parque Nacional Manú, areserva da biosfera nas regiões deCuzco e Madre de Dios, uma parte daAmazônia peruana.
Monte Tawllirahu, no Parque Nacional de HuascaránAndes.
O território peruano cobre 1 285 216 quilômetros quadrados de área, no oeste da América do Sul. O país faz fronteira com o Equador e a Colômbia ao norte, o Brasil a leste, a Bolívia a sudeste, oChile ao sul e o oceano Pacífico a oeste. As montanhas dos Andes e o oceano Pacífico definem as três regiões tradicionalmente usadas ​​para descrever o país geograficamente. A costa (litoral), a oeste, é uma planície estreita, em grande parte árida, exceto por vales criados por rios sazonais. A serra (planalto) é a região da cordilheira dos Andes, que inclui o planalto Altiplano, bem como o pico mais alto do país, o Huascarán, a 6 768 metros de altura.36 A terceira região é a selva (florestas), uma vasta extensão de planícies cobertas pela floresta Amazônica, que se estende a leste. Quase 60 por cento da área do país está localizada dentro desta região.37
A maioria dos rios peruanos tem origem nos picos da cordilheira dos Andes e correm através de três bacias. Aqueles que correm em direção ao oceano Pacífico são íngremes e curtos, fluindo apenas intermitentemente. Os afluentes do rio Amazonas são mais longos, tem um fluxo muito maior e são menos íngremes, uma vez que saem da serra. Os rios que vão em direção ao Lago Titicaca são geralmente curtos e têm um grande fluxo.38 Os maiores rios do país são o Ucayali, o Marañón, o Putumayo, o Yavarí, o Huallaga, o Urubamba, o Mantaro e o Amazonas.39
O Peru não tem um clima exclusivamente tropical, pois a influência da Cordilheira dos Andes e da corrente de Humboldt causa uma grande diversidade climática no país. A costa tem temperaturas moderadas, baixos índices de precipitações e alta umidade, com exceção de sua região norte, mais quente e úmida.40 Na serra (sierra), a chuva é frequente durante o verão e a temperatura e a umidade diminuem com a altitude até os picos congelados dos Andes.41 A selva é caracterizada por fortes chuvas e altas temperaturas, com exceção de sua parte mais ao sul, que tem invernos frios e chuvas sazonais.42 Devido à sua variada geografia e clima, o Peru tem uma grande biodiversidade, com 21 462 espécies de plantas e animais registradas até 2009; 5 855 delas endêmicas.43
Monte Huascarán, no Parque Nacional de Huascarán, o ponto mais alto do país, com 6 768 metros de altura.

Demografia


Homem peruano indígena na cidade de Písac
O Peru é um país multiétnico, formado por diferentes grupos ao longo de cinco séculos.
De acordo com um estudo genético de DNA autossômico, realizado em 2008, pela Universidade de Brasília (UnB) a composição da população do Peru é a seguinte: 73% de contribuição indígena, 15,10% de contribuição europeia e 11,90% de contribuição africana.44
Os ameríndios habitam o território peruano há vários milênios, muito antes da conquista espanhola da região no século XVI, de acordo com o historiador Noble David Cook a população peruana diminuiu de quase 5-9 milhões habitantes em 1520 para cerca de 600 mil em 1620, principalmente por causa de doenças infecciosas.45 Espanhóis e africanos chegaram em grande número durante o domínio colonial, miscigenando-se entre si e com os povos indígenas. Ondas imigratórias graduais de europeus vindos de países como ItáliaEspanhaFrançaReino Unido e Alemanha seguiram-se após a independência.46 O Peru libertou seus escravos negros em 1854.47 Imigrantes chineses chegaram na década de 1850, substituindo trabalhadores escravos e, desde então, influenciaram muito a sociedade peruana.48
O último censo peruano que tentou classificar as pessoas por etnia aconteceu em 1940, quando 53% da população foi classificada como branca ou mestiça (brancos miscigenados e de ancestralidade ameríndia) e 46% como ameríndios.49 De acordo com o CIA World Factbook, a maioria dos peruanos é indígena, principalmente quíchua e aimará, seguida por mestiços.50 No entanto, em uma pesquisa realizada em 2006 pelo Instituto Nacional de Estadística e Informática (INEI), a população peruana classificou a si mesma como mestiça (59,5%), seguido por quíchua (22,7%), aymara (2,7%), amazônicos (1,8%), negra/parda (1,6%), branca (4,9%) e "outros" (6,7%).51
Com cerca de 29,5 milhões de habitantes, o Peru é o quinto país mais populoso da América do Sul.52 A taxa de crescimento demográfico caiu de 2,6% para 1,6% entre 1950 e 2000; a população deverá atingir a marca de cerca de 42 milhões de habitantes em 2050.53 Em 2007, 75,9% dos peruanos viviam em áreas urbanas e 24,1% em áreas rurais.54 As principais cidades do país são Lima (o lar de mais de cerca de 8 milhões de pessoas), ArequipaTrujilloChiclayo,PiuraIquitosCuzcoChimbote e Huancayo; todas registraram mais de 250 mil habitantes no censo de 2007.55 Existem 15 tribos indígenas isoladas no território peruano.56
espanhol era o idioma usado por 83,9% dos peruanos com cinco anos de idade ou mais em 2007 e é a principal língua do país. Ele coexiste com várias outras línguas indígenas, sendo a mais comum o quíchua, falado por 13,2% da população do país. Outras línguas nativas e estrangeiras eram faladas naquela época por 2,7% e 0,1% dos peruanos, respectivamente.57 O índice de alfabetização foi estimado em 92,9% em 2007, mas essa taxa é menor em áreas rurais (80,3%) do que nas áreas urbanas (96,3%).58 O ensino primário e o secundário são obrigatórios e gratuitos nas escolas públicas.59




Religiões



Fachada principal da Catedral de Lima e do Palácio Arquiepiscopal
No censo de 2007, 81,3% da população com mais de 12 anos de idade descreveu-se como católica, 12,5% como evangélicos, 3,3% de outras denominações e 2,9% como irreligiosos.60
O governo peruano está intimamente ligado com a Igreja Católica. O artigo 50 da Constituição reconhece o papel da Igreja Católica como "um elemento importante no desenvolvimento histórico, cultural e moral da nação."61 Oclero e leigos recebem remuneração do Estado, além do estipêndios pagos a eles pela Igreja. Isto aplica-se aos 52 bispos do país, assim como a alguns padres cujos ministérios estão localizados em cidades e vilas ao longo das fronteiras. Além disso, cada diocese recebe um subsídio mensal institucional do governo. Um acordo assinado com o Vaticano em 1980 concede o estatuto especial para a Igreja Católica no Peru.62
A Igreja Católica recebe o tratamento preferencial em matéria de educação, benefícios fiscais, de imigração de trabalhadores religiosos, e em outras áreas, em conformidade com o acordo. A lei exige que em todas as escolas, públicas e privadas, a educação religiosa seja parte do currículo de todo o processo de ensino (primário e secundário). O catolicismo é a única religião ensinada nas escolas públicas. Além disso, os símbolos religiosos católicos são encontrados em todos os edifícios governamentais e locais públicos.63

Governo e política


O Congresso peruano
O Peru é uma república democrática representativa presidencial com um sistema multipartidário. Sob a atual constituição, o presidente é o chefe de Estado e de governo. Ele ou ela é eleito por cinco anos e não pode buscar a reeleição imediata, deve ficar por pelo menos um termo constitucional antes da reeleição.64 O presidente designa o primeiro-ministro e, com o seu conselho, o resto do Conselho de Ministros.65
Há um Congresso unicameral com 120 membros eleitos para um mandato de cinco anos.66 Leis podem ser propostas tanto pelo poder executivo quanto pelo legislativo, e se tornam leis de facto após serem aprovadas pelo Congresso e promulgadas pelo presidente.67 O poder judiciário é nominalmente independente,68 embora a intervenção política em matéria de justiça tenha sido comum ao longo da história e, possivelmente, continue até hoje.69
O governo peruano é eleito diretamente e o voto é obrigatório para todos os cidadãos com idade entre 18 a 70 anos.70 As eleições gerais realizadas em 2006 terminaram em segundo turno com a vitória para o candidato presidencial Alan García, do Partido Aprista Peruano (52,6% dos votos válidos) sobre Ollanta Humala da União pelo Peru (47,4%).71 O congresso é composto atualmente por Partido Aprista Peruano (36 lugares), Partido Nacionalista Peruano (23 lugares), União pelo Peru (19 lugares), Unidade Nacional (15 vagas), Aliança para o Futuro Fujimorista (13 lugares), Aliança Parlamentar (9 lugares) e República Democrática do Grupo Parlamentar Especial (5 lugares).72
As relações exteriores do Peru têm sido dominadas por conflitos de fronteira com países vizinhos, muitos dos quais foram liquidados durante o século XX.73 Há ainda uma disputa com o Chile sobre limites marítimos no oceano Pacífico.74 O Peru é um membro ativo de vários blocos regionais e um dos fundadores da Comunidade Andina de Nações. É também um participante em organizações internacionais como a Organização dos Estados Americanose das Nações Unidas. As forças armadas são compostas por um exército, uma marinha e uma força aérea. Sua missão principal é a salvaguarda da independência, soberania e integridade territorial do país.75 As forças armadas estão subordinadas ao Ministério da Defesa e ao presidente como comandante-em-chefe. A conscrição foi abolida em 1999 e substituída por um serviço militar voluntário.76

Subdivisões

O Peru é dividido em 25 regiões e pela província de Lima. Cada região tem um governo próprio e eleito composto por um presidente e um conselho que um mandato de quatro anos.77 Esses governos planejam o desenvolvimento regional, executam projetos de investimento público, promovem atividades econômicas e realizam a gestão das propriedades públicas.78 A província de Lima é administrada por um conselho da cidade.79 O objetivo é devolver o poder aos governos regionais e municipais, entre outros, para melhorar a participação política popular. ONGs fazem um importante papel no processo de descentralização e ainda influenciam a política local.80
Regiões
Província

Economia

Edifícios comerciais no centro financeiro de San Isidro, em Lima, o principal do país.
O porto de Callao é o principal ponto de saída das exportações peruanas.
A economia do Peru tem experimentado um crescimento significativo nos últimos 15 anos. O país tem uma alta pontuação no Índice de Desenvolvimento Humano (0,740), segundo relatório de 2012.81 A renda per capita de 2008 foi de 8 594 dólares;82 em 2009, 34,8% de sua população total era pobre, incluindo 11,5% que é extremamente pobre.83Historicamente, o desempenho econômico do país foi amarrado às exportações, que fornecem divisas para financiar importações e os pagamentos da dívida externa.84 Embora as exportações apresentem receita substancial, o crescimento auto-sustentado e uma distribuição mais igualitária da renda provaram-se elusivos.85 A 18,1% das crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição crônica no Peru, as regiões com os maiores índices de desnutrição crônica são Huancavelica, com 51,3%, e Cajamarca, com 36,1%, seguido pelo Loreto, com 32,3%.86
A política econômica peruana tem variado muito ao longo das últimas décadas. O governo de Juan Velasco Alvarado (1968-1975) introduziu reformas radicais, que incluíram a reforma agrária, a expropriação das empresas estrangeiras, a introdução de um sistema de planejamento econômico e a criação de um amplo setor estatal. Estas medidas não conseguiram atingir os seus objetivos de redistribuição de renda e o fim da dependência econômica de países desenvolvidos.87
Apesar destes resultados negativos, a maioria das reformas não foi revertida até a década de 1990, quando a liberalização do governo de Alberto Fujimori terminou com os controles de preços, o protecionismo, as restrições ao investimento direto estrangeiro, e mais propriedade estatal das empresas Em 8 de agosto de 1990, o governo de Fujimori anunciou um choque econômico chamado "Fujishock": a taxa de câmbio foi desvalorizado em 227%, o preço da gasolina aumentou 3.000 por cento, desemprego subiu para 73%, a inflação chegou a 7.694,6%. (114.5% em 1987, 1722% em 1988, 2775% em 1989, e 7694 em 1990).88 89
Os serviços representam 53% do produto interno bruto nacional peruano, seguidos pela indústria transformadora (22,3%), indústrias extrativas (15%) e impostos (9,7%).90 91 90 Espera-se aumento do comércio após a aplicação de um acordo de livre comércio com osEstados Unidos, assinado em 12 de abril de 2006.92 As principais exportações do Peru são de cobreourozincotêxteis e farinha de peixe. Seus principais parceiros comerciais são os Estados Unidos, ChinaBrasil e Chile.90 Em 2013 as exportações agrícolas tradicionais caiu 40,6 por cento93

Cultura


Pintura da Escola de Cuzco, um estilo artístico religioso de cunho catequista
A cultura peruana está enraizada principalmente nas tradições indígenas e espanholas,94 apesar de também ter sido influenciada por diversos grupos étnicos africanos, asiáticos e europeus. As tradições artísticas peruanas remontam à cerâmica elaborada, produtos têxteis, jóias e esculturas de culturas pré-incas. Os incas mantiveram estes ofícios e fizeram realizações arquitetônicas, incluindo a construção da cidade de Machu Picchu. O estilo barroco dominou a arte colonial, embora modificado por tradições nativas.95 Durante este período, a arte estava focada em temas religiosos; as inúmeras igrejas da época e as pinturas da Escola de Cuzco são representativas desse período.96 As artes estagnaram após a independência e até o surgimento do Indigenismo, no início do século XX.97 Desde os anos 1950, a arte peruana tornou-se eclética e foi moldada por correntes artísticas estrangeiras e locais.98
A culinária peruana combina as cozinhas indígena e espanhola, com fortes influências africanas, árabes, italianas, chinesas e japonesas.99 Entre os pratos comuns estão anticuchosceviches e pachamancas. O clima variado do país permite o crescimento de diversas plantas e animais,100 o que produz uma diversidade de ingredientes e técnicas culinárias que é elogiada em todo o mundo.101

Mario Vargas Llosa, escritor peruano laureado com o Prêmio Nobel de Literatura
literatura peruana está enraizada nas tradições orais das civilizações pré-colombianas. Os espanhóis introduziram a escrita no século XVI; a expressão literária colonial incluía crônicas e literatura religiosa. Após a independência, o costumbrismo e o romantismo se tornaram os gêneros literários mais comuns no país, como exemplificado nas obras do escritor Ricardo Palma.102 O movimento do indigenismo do início do século XX foi liderado por escritores como Ciro Alegría103 e José María Arguedas.104 César Vallejo escreveu versos modernistas e muitas vezes era politicamente engajado. A literatura peruana moderna é reconhecida graças a autores como Mario Vargas Llosa, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura e um dos principais membros do chamado "boom latino-americano".105
A música peruana tem raízes andinas, espanholas e africanas.106 Em tempos pré-hispânicos, expressões musicais variaram muito em cada região; a quena e a tinya são dois instrumentos comuns.107 Os espanhóis introduziram novos instrumentos, como a guitarra e a harpa, o que levou ao desenvolvimento de instrumentos mestiços, como o charango.108 Entre as contribuições africanas para a música peruana estão ritmos e o cajón, um instrumento de percussão.109 Danças folclóricas peruanas incluem marineratonderozamacueca e huaino.110
O esporte mais popular do Peru é o futebol. A seleção peruana se classificou para quatro Copas do Mundo FIFA (1930, 1970, 1978 e 1982) tendo como melhor colocação o sétimo lugar em 1970. A seleção peruana possui duasCopa América em 1939 e 1975. Os principais clubes de futebol são o Universitario de DeportesAlianza LimaSporting Cristal da capital Lima e Cienciano de Cuzco, mesmo não tendo um título nacional, o Cienciano ganhou o status de grande porque ganhou a copa sul-americana de 2003. O Universitario de Deportes é o clube de futebol do país mais bem sucedido sendo o maior campeão nacional, em 1972 o Universitario de Deportes chegou a final da Libertadores contra o Independiente onde foi vice, essa marca só foi alcançada de novo por um time peruano na Libertadores de 1997, onde o Sporting Cristal chegou a decisão contra o Cruzeiro Esporte Clube, sendo vice. O voleibol é o segundo esporte mais popular do país. Praticado principalmente pelas mulheres; nos Jogos Olímpicos de 1988 a seleçao feminina de voleibol ganhou a medalha de prata. Outro resultado expressivo é o vice-campeonato conquistado no Mundial de Voleibol Feminino de 1982, realizado no país. No tênis, seu melhor jogador foi Luis Horna, nº 33 do mundo em simples e nº 15 em duplas111

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Peru


Fonte:http://www.embperu.org.br/index.php?

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA