A CURA PELA ENERGIA ESPIRITUAL - FLUIDOTERAPIA



"Eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, dizendo: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo de sua lepra” (Mateus, capítulo 8, versículo 3).

Comovente e inspiradora, a ação de curar por meio da fé e de simples toques de mãos já era praticada por Jesus Cristo há mais de 2 mil anos. E ainda hoje em dia faz parte de diversas religiões e culturas, sendo cada vez mais procurada por aqueles que buscam uma maneira natural e sem contra-indicações de conquistar saúde e equilíbrio para corpo e alma.

No espiritismo, a técnica é chamada de fluidoterapia. Mais popularmente conhecida como passe espírita, é indicada para o tratamento dos mais diversos tipos de enfermidades físicas e espirituais, como depressão, vícios, hepatite, medo, ansiedade e dores de cabeça.

Segundo os seguidores da doutrina de Allan Kardec, a prática funciona à medida que o paciente é envolvido em uma corrente de fluidos positivos, concedidos por espíritos iluminados e intermediados por um médium, que transmite as energias pelas mãos. Durante a sessão do passe, esses fluidos curativos são absorvidos pela pessoa necessitada por meio de seus centros vitais – também conhecidos como chakras – que acumulam e distribuem a energia pelo nosso corpo.

*Energia espiritual
De acordo com Edith Gomes de Alencar, presidente da Sociedade Espírita Pequeninos de Jesus, de São Paulo, a ação dos espíritos é precisa, pois atua de forma especial para cada necessidade. “Durante a fluidoterapia, os espíritos se aproximam e observam o problema do paciente. Dependendo do que for necessário, eles preparam um composto fluídico específico”, explica.

O médium que aplica o passe, também chamado de passista, precisa ter uma grande capacidade de absorver e armazenar essas energias, para que possa transmiti-las de forma adequada para as pessoas que necessitam. Para não afetar a qualidade dos fluidos, é importante que o passista tenha preparo moral para vencer as más inclinações e que se esforce, sempre, no aprendizado intelectual e na melhoria íntima. Além disso, o estado de espírito do paciente também é determinante para o resultado do tratamento. “É preciso participar das sessões de forma crente, orando, acreditando e sendo persistente para alcançar o que se deseja”, lembra Edith.

A aposentada Vicência Soto Correia, adepta há dez anos do tratamento com a fluidoterapia, afirma que, graças aos passes, as dores que sentia nas pernas se tornaram mais amenas. “As dores eram tão fortes que cheguei a ficar em cadeira de rodas, pois não era possível andar. Desesperada para encontrar uma cura, frequentei diversas religiões, mas só encontrei alívio para minha dor com a fluidoterapia”, relembra.

Segundo as orientações dos espíritos, o objetivo principal do passe é o reconforto, o apoio e o alívio do sofrimento. Sua aplicação pode ser feita regularmente, em qualquer centro espírita em que o paciente se sinta confortável. A quem aplica, recomenda-se não exceder três passes semanais. Já para quem recebe, não há recomendação específica, além do bom senso – deve-se evitar exageros, como receber aplicações diárias, por exemplo. É preciso destacar que receber o passe não é obrigatório e também que, se os sintomas de uma doença já estiverem manifestados, a primeira atitude a tomar é procurar um médico.

*Água fluidificada
Nos trabalhos realizados em centros espíritas, sempre é colocada uma jarra com água potável para ser fluidificada pelos espíritos. Ao final do trabalho, essa água é servida aos freqüentadores do centro. Isso é feito porque a água absorve facilmente as partículas magnéticas sutis que lhe são projetadas pelo pensamento em prece, assim, pode adquirir grande valor terapêutico durante as sessões de fluidoterapia.