EMMANUEL E ASHTAR SHERAN : SEMELHANÇAS ENTRE UM ESPÍRITO E UM ALIENÍGENA


Emmanuel e Ashtar Sheran:
Semelhanças entre um espírito e um alienígena


Este artigo visa  demonstrar a extrema identidade entre o discurso e os fenômenos físicos de Emmanuel, guia de Chico Xavier, e Ashtar Sheran, alienígena famoso que também se comunica por médiuns, sendo de nível “etéreo”, ou seja, de consistência puramente em forma de energia, devido a sua “escala vibratória superior”.

Ambas as entidades passam lindíssimas mensagens de amor e paz, reconheço. Porém, elas também passam mensagens cheias de misticismo, típicas da Nova Era, praticamente inverificáveis. Vamos a algumas delas.

Jesus é o Governador e o Modelador da Terra:


Rezam as tradições do mundo espiritual que na direção de todos os fenômenos, do nosso sistema, existe uma Comunidade de Espíritos Puros e Eleitos pelo Senhor Supremo do Universo, em cujas mãos se conservam as rédeas diretoras da vida de todas as coletividades planetárias.

Essa Comunidade de seres angélicos e perfeitos, da qual é Jesus um dos membros divinos, […] já se reuniu, nas proximidades da Terra, para a solução de problemas decisivos da organização e da direção do nosso planeta […].

Sim, Ele [Jesus] havia vencido todos os pavores das energias desencadeadas; com as suas legiões de trabalhadores divinos, lançou o escopro da sua misericórdia sobre o bloco de matéria informe, que a Sabedoria do Pai deslocara do Sol para as suas mãos augustas e compassivas. Operou a escultura geológica do orbe terreno, talhando a escola abençoada e grandiosa, na qual o seu coração haveria de expandir-se em amor, claridade e justiça. Com os seus exércitos de trabalhadores devotados, estatuiu os regulamentos dos fenômenos físicos da Terra, organizando-lhes o equilíbrio futuro na base dos corpos simples de matéria, cuja unidade substancial os espectroscópios terrenos puderam identificar por toda a parte no universo galáxico. Organizou o cenário da vida, criando, sob as vistas de Deus, o indispensável à existência dos seres do porvir.

Fonte: A Caminho da Luz - 1938 – FEB

Jesus é o representante da Terra:

Jesus Cristo seria membro da equipe do “comandante” extraterrestre. Nestes termos, Jesus Cristo seria o representante da Terra na “confederação intergaláctica”. [1]

Lemúria e Atlântida

“Entre as raças negra e amarela, bem como entre os grandes agrupamentos primitivos da Lemúria, da Atlântida e de outras regiões que ficaram imprecisas no acervo de conhecimentos dos povos, os exilados da Capela trabalharam proficuamente, adquirindo a provisão de amor para suas consciências ressequidas.”

Os vários povos do mundo traziam de longe as suas concepções e as suas esperanças, sem falarmos das grandes coletividades que floresciam na América do Sul, então quase ligada à China pelas extensões da Lemúria, e da América do Norte, que se ligava à Atlântida.

Fonte: A Caminho da Luz - 1938 – FEB

“Queremos ombrear cada vez mais convosco na construção de um mundo mais fraterno e amoroso, onde prepondere a União e a Paz entre todas as classes, independentemente da crença, classe social, cor, ou opção filosófica que cada criatura adotar em sua caminhada rumo ao Pai. Essa nossa tarefa de apoio ao vosso mundo estendeu-se por toda a história conhecida, desde a Lemúria, a Atlântida, passando pelo Egito, pela Índia, pela Europa e chegando amorosamente até os dias de hoje.” [2]

Materialização de Emmanuel:

“Já era bem tarde, Chico ainda estava na cabine, quando se materializou uma entidade, cujo porte e luminosidade demonstraram-nos grande superioridade. A porta por onde adentrou o recinto evidenciou-lhe a estatura elevada. Profundo silêncio se fez, embora sussurros se fizessem ouvir:

— Emmanuel?!?

Ali estava o abnegado servidor de Cristo, o ex-senador romano!

Arnaldo Rocha assim descreve a profunda emoção causada pela materialização daquela singular e inesquecível presença:

“A materialização de Emmanuel foi magnífica! Emmanuel é um belíssimo tipo de homem. Atlético, alto, provavelmente 1 metro e 90 centímetros de altura. Sua voz clara, forte, baritonada, suave mas enérgica, impressionou-nos muito. O andar e os gestos elegantes, simples, porém aristocráticos. No grande e largo tórax um luzeiro multicolorido. Na mão direita, erguida, trazia uma tocha luminescente e sua presença sempre irradiava paz, harmonia, beleza e felicidade.”

Fonte: “Mandato de Amor”, da União Espírita Mineira

Certa ocasião, não sabemos explicar como, resolveu o Chico, talvez influenciado por companheiros de trabalho espiritual, servir como médium de efeitos físicos.

Para isso, foram organizadas algumas reuniões especiais.

Elementos selecionados compuseram o grupo.

(…)

Eis, porém, sem que se esperasse, em plena sala, se destaca a figura serena, mas enérgica, do espírito de um senador. Alto, majestoso, túnica imponente, ligeiramente atirada sobre os ombros. Faixa característica em forma de cinturão cingindo-lhe a cintura. Cabeça olímpica, olhar vivo. Uma onda de respeito e de temor percorreu os corações

(…)

Ali, diante deles, está Emmanuel, o campeão do Evangelho em terras da América e do Brasil, o senador redivivo no “Há dois mil anos…”

Fonte: “Chico Xavier – o santo dos nossos dias”, livro de R.A. Ranieri editado pela Ed. Eco, às págs. 158-60



Materialização de Ashtar Sheran:

“Conforme o tempo transcorria, uma curiosa e estranha névoa azulada formava-se ao lado do sensitivo, assumindo vagarosamente a forma de uma nuvem circular. Essa forma gasosa emitia uma luz tênue, lembrando fumaça de cigarro iluminada ou fosforescente que, a intervalos, aumentava sua intensidade. Parecia que pulsava. Rapidamente a névoa compactou-se formando uma semiesfera e do seu interior surgiu uma sombra. Lentamente, do desconhecido, uma forma humanóide aparecia. Era um ser semelhante a um ser humano mas de aspecto “angelical”. O rosto era belo, de traços suaves e bem delineados, mas sem perder o ar sério e severo. Os olhos eram claros e ligeiramente rasgados, o cabelo era comprido e loiro, penteado para trás. Seu corpo era proporcional, esguio e atlético, sua altura beirava 1,80 metros aproximadamente com os membros perfeitamente normais e mostrando o contorno dos músculos. Vestia-se de forma simples, ostentando um macacão folgado com as mangas acabando em punhos apertados, botas semelhantes ao couro, de cano longo sem folga, e um cinto largo na cintura.

A figura humanóide colocou-se à frente da luz, em pé, olhando sério para o grupo que, totalmente atordoado, não conseguia compreender o que estava se passando. O ser de origem desconhecida, olhou para o médium que em seguida começou a falar, como se estivesse recebendo uma mensagem através da telepatia: “Não temam, não lhes farei nenhum mal, meu nome é ASHTAR SHERAN, sou Comandante da frota de espaçonaves de Ganímedes.” [1]



Obras assistenciais:


Oficialmente, por meio de registro em cartório, Chico doou os proventos dos livros mediúnicos às editoras de seus livros, bem como a inúmeras obras sociais. Viveu sempre exclusivamente de seu minguado salário de funcionário público de baixo escalão. Como prova de gratidão, muita gente chegou a lhe oferecer dinheiro. Chico recusava sistematicamente: “Ajude o primeiro necessitado que encontrar”, dizia ele. O mesmo fazia com os presentes com que era agraciado. Sistematicamente recusou também doações que lhe foram feitas, envolvendo terras e dinheiro. Tudo foi repassado a instituições de caridade.Várias foram fundadas por espíritas com o nome do guia Emmanuel, por exemplo, o Lar da Criança Emmanuel, que tem como missão “prestar assistência à criança carente, fornecendo alimentação, orientação pedagógica, social e saúde para facultar seu desenvolvimento físico, intelectual, moral e social e dar suporte extensivo à família.” [3],[4]

No Brasil, existem várias entidades e pessoas que dizem manter contato com a entidade “Ashtar Sheran” e são orientadas a seguir seus ensinamentos. O mais conhecido e talvez mais antigo seria o CEEAS – Centro de Estudos Exobiológicos Ashtar Sheran, localizado em Salvador, Bahia e com filiais em Brasília, São Paulo, Curitiba e Natal. Foi fundado por Paulo Fernandes, em 1973, que teria mantido “contatos” físicos e telepáticos com “Ashtar Sheran” desde 1969 e teria sido o próprio“Ashtar Sheran” que teria pedido para que Paulo Fernandes fundasse a entidade com o objetivo de estudar e divulgar a presença de extraterrestres na Terra e suas supostas mensagens. Hoje a entidade é coordenada por Ana Santos e Marco Vinicius Almeida

(Paulo morreu em março de 1981).

O CEEAS centrou sua pesquisa e sua ação em bases filosóficas, científicas e espiritualistas. O objetivo maior do centro é a pesquisa da exobiologia (ou seja, da vida além da Terra) e a difusão da paz entre os povos. Por isso, desde 1989 apóia e integra a União de Sociedades Espiritualistas – Unisoes, e o Instituto Röerich da Paz e Cultura do Brasil, movimentos que buscam a união de esforços para a harmonização da humanidade. Também faz parte de seu programa de ação promover o vegetarianismo, a preservação da natureza, o não uso de drogas e, ainda, alertar para outros perigos maiores que a humanidade e todo o planeta correm com a iminência de mais um confronto mundial de potências e seus inimaginavelmente danosos experimentos nucleares. O trabalho se expandiu a partir da criação de dois núcleos de vivências, em Feira de Santana eIbicoara, municípios de diferentes regiões do interior da Bahia, para promover a integração do homem com a natureza e desenvolver trabalhos de responsabilidade social. [1],[5]



Vemos que tanto o alegado espírito quanto o suposto extra-terrestre possuem muitas semelhanças em suas palavras e atitudes, ambos orientando diversas obras assistenciais e chegando até mesmo a se materializar, segundo os relatos. Porém, seria verdade o que dizem?

Tanto as alegações de que Jesus seria o governador ou o representante da Terra, quanto a das materializações, são atualmente inverificáveis (a menos que algum médium aceite se submeter a testes controlados e materialize tais entidades, claro). Porém a existência dos continentes perdidos não. Há muita evidência de que tais continentes jamais existiram.

Ainda assim, independente de terem de fato existido ou não, Emmanuel afirma que a China e a América do Sul, nesta época, quase eram unidas entre si pelo continente da Lemúria. Porém hoje em dia já há mapeamentos submarinos que parecem refutar a possibilidade de existência e destruição no passado de tal continente, pelo menos um continente com as características descritas por Emmanuel.