ARTE CONTEMPORÂNEA : VISITAR INHOTIM EM BRUMADINHO MINAS GERAIS É IMPERDÍVEL

Considerado o maior centro de Arte Contemporânea do mundo, o Instituto Inhotim, em Brumadinho, pequena cidade localizada em Minas Gerais, é um grande exemplo de resistência e perseverança quando o assunto é o mundo artístico. Há 10 anos, o Inhotim recebe visitantes e galerias do mundo inteiro, e sempre procurando relacionar a Arte com a Natureza, uma das idéias principais do Instituto, que também abriga um Jardim Botânico nas suas instalações.
São100 hectaresde jardins, esculturas ao ar livre, lagos, e grandiosos pavilhões dedicados aos mais importantes representantes da arte contemporânea brasileira e mundial. São, também, anualmente, quase 250 mil pessoas visitando esse verdadeiro templo da Arte Contemporânea, idealizado pelo minerador e colecionador Bernardo Paz, que fez de Inhotim um reduto de um acervo particular, compartilhando, com todos nós, uma belíssima coleção.
Agora, o pernambucano de Palmares, Tunga, um dos principais artistas brasileiros, terá um pavilhão no eixo da Arte Contemporânea mundial, ladeado de nomes como Adriana Varejão, Ernesto Neto, Hélio Oiticica, além dos internacionais como Matthew Barney, Chris Burden, entre outra centena de artistas e dezenas de nacionalidades. Serão expostos, a partir desse mês, 30 anos da trajetória do nosso conterrâneo, reconhecido internacionalmente, inclusive com exposições no Museu do Louvre e na Documenta de Kassel.
A existência, e persistência, do Instituto Inhotim renova as esperanças dos artistas brasileiros e, certamente, internacionais. Traz, portanto, um novo suspiro para o meio artístico, sedento de contemplação, respeito, e, principalmente, espaço para expor ao mundo o melhor dos seus trabalhos.
Antônio Campos
Escritor, advogado e membro da Academia Pernambucana de Letras 

Inhotim imperdível!

Empolgada depois de passar três dias no complexo de arte mineiro, nossa stylist Amanda Berndt compartilha sua experiência. Faça a mala!

ama (Foto: Glamour)

Adentrar pelos portoēs de Inhotim já é uma experiência incrível! Os entusiastas da arte podem até ficar ofendidos, mas eu me senti entrando na Disney. Uma Disney mais adulta (mas que as crianças também adoram), mais tropical, com palmeiras enormes te recebendo e aquela perfeição de detalhes características da terra do Mickey.

Difícil é escolher meu top 5 de Inhotim, já que eu simplesmente não queria sair de lá. Foram três dias de exploração e contemplação das paisagens.

1. Janet Cardiff & George Bures Miller - The Murder of Crows

Depois de uma exaustiva caminhada pela mata nativa, somos surpreendidos por um galpão branco enorme, de onde saem sons assustadores. Mas não se acanhe, você está prestes a participar de algo que irá mexer com seus sentidos.

O espectador senta em cadeiras de madeira rodeadas de caixas de som de alta tecnologia e há um megafone de frente para elas. De lá, saem os primeiros sons. Janet Cardiff passa a contar e a envolver todos com a história de um pesadelo e, entre cada narrativa, existem sons e músicas em que basta fechar os olhos para sentir que tudo aquilo está realmente acontecendo dentro do galpão branco. Ora desconfortável, ora assustador, mas surpreendentemente trás uma paz interior deliciosa. De fazer uma lagriminha rolar.
 
ama 3 (Foto: Glamour)

2. Doug Aitken - Sonic Pavillon

Exige um caminhada de 1km para chegar no alto do morro. Lá encontramos uma galeria circular minimalista onde o espectador ouve uma transmissão continua dos barulhos que vêm... da terra! Captados por um buraco de 606 pés de profundidade, vale muito a pena descansar da caminhada ouvindo a terra respirar.
 
ama 5 (Foto: Glamour)

3. Piscinas

Existem duas piscinas-instalaçōes em Inhotim, uma coberta, dentro do pavilhão alucinógeno Cosmococa, elaborado por Hélio Oiticica e Neville D'Almeida; e outra externa, criada pelo artista Jorge Macchi com feições de agenda telefônica. Ambas são interativas, e o visitante pode nadar (!!!) nelas. O complexo dispõe de toalhas, vestiários e salva-vidas com boia e tudo mais para deixar todos à vontade. Como sou friorenta, não desfrutei dessa interação, mas meus acompanhantes na viagem sim, como podem ver nas fotos!
 
5 (Foto: Glamour)

4. Galerias imperdíveis - Cildo Meirelles, Adriana Varejão e Valeska Soares
Aqui chegamos na parte difícil, descrever resumidamente três galerias ótimas. No Cildo temos instalações interativas. Entre elas, uma que nos faz caminhar por barreiras, como grades de cadeia, arames farpados e até uma inofensiva cortina de box... Detalhe: o chão é todo de cacos de vidros.

Ver de perto os grandes e delicados azulejos da Adriana Varejão é algo surreal. Sua galeria está entra as arquiteturas mais icônicas de Inhotim, é incrível mesmo.

O pequeno chalé de Valeska Soares é para os românticos, com paredes revestidas de espelhos. A projeção de um casal dançando constantemente nos convida a testar uns passinhos e, melhor ainda, se você estiver acompanhada, a dançar juntinho.
 
 
ama (Foto: Glamour)

5. Lojinha

No final do passeio existem as lojinhas, onde dá para comprar livros e souvenirs, além de itens de design e mudas de diversas espécies presentes no parque, vasos de cerâmica lindos, uma deliciosa geléia de jabuticaba com pimenta e a cachaça oficial de Inhotim. Trouxe tudo para casa!

Ficam as dicas!

Se você não é um admirador de longas caminhadas, pode escolher usar o serviço de carrinhos de golfe.

Vá com roupas confortáveis, tênis é item básico.

Existem dois excelentes restaurantes em Inhotim, o Tamboril, mais requintado, aberto todos os dias, e o Oiticica, com sistema por quilo e uma belíssima paisagem para o lago, aberto apenas aos finais de semana. Em ambos, escolha uma mesa do lado de fora. Ao longo de todo Inhotim existem lanchonetes com cardápios diversos, pizza, omeletes, cachorro quente e coxinhas ma-ra-vi-lho-sas!

Aproveite os bancos feitos por Hugo Franca para descansar e contemplar a natureza e as paisagens. Só esse programa já vale um dia de visita.
 

Quer ir? O site oficial tem todas as dicas que você precisa.

Fonte:http://revistaglamour.globo.com/Lifestyle/noticia/2012/06/top-5-viagem-inhotim-imperdivel.html

Banco esculpido por Hugo França a partir de árvores caídas, uma das marcas do Inhotim 1

Instituto Inhotim é a sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina2 . Está localizado em Brumadinho (Minas Gerais), uma cidade com 30 mil habitantes, a apenas 60 km de Belo Horizonte.

Etimologia

Segundo os moradores de Brumadinho, o local foi uma fazenda pertencente a uma empresa mineradora que, no século XIX, atuava na região e cujo responsável era um inglês, de nome Timothy - o "Senhor Tim", que, na linguagem local, acabou virando "Nhô Tim" ou "Inhô Tim".3 4

Histórico

Tamboril (Enterolobium timbouva), no Inhotim
Surgiu em 2004 para abrigar a coleção de Bernardo Paz, empresário da área de mineração e siderurgia, que foi casado com a artista plástica carioca Adriana Varejão, e há 20 anos começou a se desfazer de sua valiosa coleção de arte modernista, que incluía trabalhos de PortinariGuignard e Di Cavalcanti, para formar o acervo de arte contemporânea que agora está no Inhotim.
Em 2006, o local foi aberto ao público em dias regulares sem necessidade de agendamento prévio. O acervo abrigava obras da década de 1970 até a atualidade, em dezoito galerias (em 2011).5 6 São 450 obras de artistas brasileiros e estrangeiros, com destaque para trabalhos de Cildo MeirelesTungaVik MunizHélio OiticicaErnesto Neto, Matthew Barney, Doug Aitken, Chris Burden, Yayoi Kusama, Paul McCarthy, Zhang Huan,2 Valeska Soares, Marcellvs e Rivane Neuenschwander.5
As exposições são sempre renovadas e galerias são anualmente inauguradas.5 Em 2010, o Instituto recebeu 42 000 alunos e 3 500 professores.5 No mesmo ano, o número de visitações atingiu a marca de 169.289.6

Características

O Instituto Inhotim localiza-se dentro do domínio da Mata Atlântica, com enclaves de cerrado nos topos das serras. Situado a uma altitude que varia entre 700 m e 1.300 m acima do nível do mar, sua área total é de 786,06 hectares, tendo como área de preservação 440,16 ha, que compreendem os fragmentos de mata e incluem uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), com 145,37 ha.
A área de visitação do Inhotim tem 96,87 ha e compreende jardins, galerias, edificações e fragmentos de mata, além de cinco lagos ornamentais, com aproximadamente 3,5 hectares de espelho d'água.7 O jardim botânico tem 4.300 espécies em cultivo - marca atingida em 2011 6 - e está cercado por mata nativa2 , com trinta por cento de todo o acervo em exposição para o público (cerca de 102 hectares em 2011).6 Em reconhecimento à necessidade de preservar os 145 hectares de reserva, o instituto recebeu do Ministério do Meio Ambiente, em fevereiro de 2011, a classificação oficial de jardim botânico, na categoria C.8 Nesse jardim, estão cerca de 1.500 espécies catalogadas de palmeira, a maior coleção do tipo do mundo.5
Flor-cadáver no Inhotim em 27 de dezembro de 2012.
Em fevereiro de 2010, os pavilhões em cubo branco foram substituídas por instalações transparentes. A intenção é promover o diálogo com o entorno de montanhas e mata. Em artigo de Fabiano Cypriano para o jornal Folha de São Paulo, cita-se que as mudanças criam mais raízes locais e o Inhotim "se torna um novo paradigma para a exibição da produção contemporânea". 9
Aberto de terça a domingo e aos feriados, o Inhotim oferece visitas temáticas, com monitores, além de visitas educativas para grupos escolares, que devem agendar previamente. As terças a entrada é de graça.

Jardim botânico

O parque abriga diversas plantas raras, tanto nativas quanto exóticas.
O Instituto é o único lugar da América Latina que possui um exemplar da flor-cadáver, uma espécie nativa da Indonésia conhecida como sendo a maior flor do mundo. O espécime floresceu pela primeira vez em 15 de dezembro de 2010, e novamente em 27 de dezembro de 2012.10 11 A flor fica no Viveiro Educador, na Estufa Equatorial, ficou exposta ao público, e pôde ser visitada por interessados e curiosos.12

Museu de arte moderna

Além das 170 obras de arte em exposição, o museu conta com 98 bancos do designer Hugo França. O primeiro banco foi colocado no jardim em 1990, sob a sombra da árvore tamboril, um dos símbolos do parque. Os bancos são feitos de troncos e raízes de pequi-vinagreiro, árvore comum na mata atlântica, que são encontrados caídos ou mortos na floresta.13

Crítica

O jornal The New York Times, em referência ao Inhotim, citou certa vez que "poucas instituições se dão ao luxo de devotar milhares de acres de jardins e montes e campos a nada além da arte, e instalar a arte ali para sempre".2

Galeria

Ficheiro:Instituto Cultural Inhotim Pavillion.jpg

  • Ficheiro:Inhotim yayoi kusama 03.jpg

  • Ficheiro:True Rouge Inhotim Tunga.jpg

  • Ficheiro:Inhotim, Jd. Botânico 01.jpg

    Ficheiro:Edgard de Souza - Dor de Cabeça (Inhotim).jpg

  • Ficheiro:Inhotim Oiticica 04.jpg

  • Ficheiro:Dan Graham Inhotim 01.jpg

  • Ficheiro:Inhotim 3.jpg

  • Vista do lago
  • Ficheiro:Doug Aitken Brumadinho.jpg

    Doug Aitken

    Ficheiro:Inhotim Simon Starling 02.jpg

    Simon Starling

    Referências

    1. Ir para cima New York Times - In a Garden in Brazil, a Biennial Show at Instituto Inhotim
    2. ↑ Ir para:a b c d MEDEIROS, Jotabê (25 de março de 2010). Inhotim é um trabalho para a posteridade. Caderno Negócios. Jornal O Estado de S.Paulo
    3. Ir para cima Novos pavilhões e mostras serão inaugurados na próxima quinta no museu de arte contemporânea em Minas Gerais, por Mariana Moreira.Correio Braziliense, 21 de setembro de 2010.
    4. Ir para cima No paraíso da arte - Com suas galerias espalhadas entre jardins, o museu mineiro Inhotim ganha status internacional e vira ponto turístico, por Ivan Claudio. Istoé, 11 de julho de 2007.
    5. ↑ Ir para:a b c d e Jornal Estado de Minas. (6 de fevereiro de 2011). Poder transformador. Caderno EM Cultura.
    6. ↑ Ir para:a b c d SEBASTIÃO, Walter (21 de agosto de 2011). Obra em construção. Jornal Estado de Minas, Caderno EM Cultura.
    7. Ir para cima Inhotim. Recursos ambientais
    8. Ir para cima Inhotim ganha status de jardim botânico nacional, por Junia Oliveira. Matéria originalmente publicada no jornal Estado de Minas, 8 de abril de 2010.
    9. Ir para cima Novas instalações fazem de Inhotim paradigma para arte contemporânea - Folha de S. Paulo, 25 de fevereiro de 2010 (visitado em 25-2-2010).
    10. Ir para cima http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2010/12/flor-cadaver-floresce-pela-1-vez-na-america-latina-em-minas-gerais.html 'Flor-cadáver' floresce pela 1ª vez na América Latina em MG, diz botânico
    11. Ir para cima http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/12/flor-cadaver-atinge-auge-da-floracao-em-inhotim.html G1: Flor-cadáver atinge auge da floração em Inhotim
    12. Ir para cima http://www.tribunadabahia.com.br/2012/12/26/flor-cadaver-desabrocha-em-inhotim Flor-cadáver desabrocha em Inhotim
    13. Ir para cima Natureza que renasce. Página visitada em 3 de fevereiro de 2014.

    Ligações externas


    Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Centro_de_Arte_Contemporanea_Inhotim