SHANGAI , PÉROLA DO ORIENTE : A MAIOR CIDADE DA REPÚBLICA POPULAR DA CHINA

Ficheiro:Shanghai montage.png

Do topo, sentido horário: Centro financeiro dePudongBund em PuxiJardim Yuyuan; Placas de neon na Rua de Nanquim; e Pavilhão Chinês no Eixo da Expo 2010.


Xangai (em chinês: 上海; pinyinShànghǎi Ltspkr.png ouça; no dialeto wuZanheAFI[z̥ɑ̃̀hé]), por vezes também designada pela forma inglesa Shanghai, é a maior cidade da República Popular da China e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes.3 Localizada na costa central da China oriental, na foz do rio Yangtze, a cidade é administrada como um município da República Popular da China com um estatuto do nível de uma província.4
Originalmente uma vila cuja economia era baseada na pesca e no setor têxtil, Xangai cresceu de importância no século XIX devido à sua localização favorável do seu porto e como uma das cidades abertas ao comércio exterior em 1842 peloTratado de Nanquim.5 A cidade floresceu como um centro de comércio entre o oriente e o ocidente e tornou-se um hub multinacional de finanças e negócios na década de 1930.6 No entanto, com a aquisição do Partido Comunista do continente em 1949, a influência internacional da cidade declinou. As reformas econômicas introduzidas por Deng Xiaoping em 1990 resultaram em um intenso desenvolvimento da cidade e, em 2005, Xangai tornou-se o maior porto de carga do mundo.7
A cidade é um destino turístico famoso por seus marcos históricos, como o Bund, o Templo da Cidade de Deus, o moderno e em constante expansão centro financeiro de Pudong, onde está localizada a famosa Torre Pérola Oriental, e por sua nova reputação como um centro cosmopolita da cultura e do design.8 9 Hoje, Xangai é o maior centro comercial e financeiro na China continental e tem sido descrita como o grande exemplo da pujança da economia chinesa.10

Localização da cidade na China
Localização da cidade na China
PaísRepública Popular da China
PrefeitoHan Zheng
Área
  Total6 340,51 km²
    Água  697 km²
População
  Cidade (2012)23 710 0002
    Densidade  3 739,45/km²
Fuso horário+8 (UTC)
Website: www.shangai.gov.cn

História

Durante a dinastia Song (960-1279) Xangai era originalmente uma vila e ganhou status de cidade-mercado em 1074. Em 1172 um segundo quebra-mar foi construído para estabilizar o litoral, complementando um dique anterior.11 A partir da Dinastia Yuan em 1292 até se tornar oficialmente uma cidade pela primeira vez em 1927, Xangai foi designada meramente como um condado, administrado pela prefeitura de Songjiang.12
Dois eventos importantes influenciaram o desenvolvimento de Xangai durante a dinastia Ming. A muralha da cidade foi construída pela primeira vez em 1554 para proteger a cidade das invasões de piratas japoneses. A muralha media 10 metros de altura e cinco quilômetros de circunferência.13 Durante o reinado Wanli (1573-1620), Xangai ganhou um importante impulso cultural com a construção do Templo da Cidade de Deus em 1602. Este privilégio era geralmente reservado para lugares com status de uma cidade, como a capital de uma prefeitura, normalmente não concedido a uma cidade-condado, como Xangai era naquela época. Provavelmente refletia a sua importância econômica, em oposição ao seu baixo estatuto político.13
Durante a dinastia Qing, Xangai tornou-se um dos portos marítimos mais importantes da região do Delta do Rio Yangtze, devido a duas importantes mudanças políticas do governo central: Em primeiro, o imperador Kangxi em 1684 inverteu a proibição anterior de navegação oceânica de carga - uma proibição que estava em vigor desde 1525. Em segundo, em 1732 o imperador Yongzheng transferiu a aduana marítima da província de Jiangsu para Xangai, e deu ao Xangai o controle exclusivo sobre a coleta de impostos do comércio exterior da província de Jiangsu. Como resultado dessas duas decisões críticas, em 1735 Xangai tornou-se o porto marítimo mais importante de toda região sul do rio Yangtzé, apesar de estar ainda no nível mais baixo na hierarquia administrativa política.14

Bund em 1928.
O seu desenvolvimento mercantil e financeiro internacional no século XIX iniciou-se quando, no fim da Guerras do Ópio (Tratado de Nanquim1842), teve de se abrir ao comércio e tráfico de Ópio com os países ocidentais. Em breve as forças britânicas adquiriram o monopólio de metade do comércio externo da China, atingindo um grande desenvolvimento urbano e demográfico.
Antes da Segunda Guerra Mundial, era o maior centro comercial do Extremo Oriente, com 4 300 630 habitantes, e constituíam-na uma parte chinesa e outra europeia, gozando esta do direito de extraterritorialidade, com um regime jurídico próprio.
Este aspecto peculiar da cidade nasceu dos excessos da Rebelião Taiping durante o período de domínio que exerceram sobre ela, de Setembro de 1853 a Fevereiro de 1855. Xangai foi então internacionalizada, e o serviço da Alfândega marítima passou a mãos estrangeiras, regime que se tornou extensivo, em 1858, a todos os portos incluídos no contrato que se celebrou. Depois de criada esta situação, uma nova tentativa de conquista da cidade, levada a efeito, em 1860-1861, pelos mesmos rebeldes chineses, foi repelida por voluntários e por forças da marinhas inglesa e francesa.
Assim se transformou Xangai, com carácter efectivo, numa colónia cosmopolita, em cuja administração intervinham as potências signatárias do Tratado, por intermédio dos seus representantes consulares. Esta posição especial permitiu-lhe observar a neutralidade durante a guerra sino-japonesa de 1894-1895 e a revolta dos boxers de 1900. O mesmo não sucedeu, porém, no decurso das guerras civis que se seguiram à proclamação da República, em que a cidade sofreu muito, sobretudo em 1925 e 1926, quando uma sangrenta vaga de revolta e xenofobia a assolou, o que foi pretexto para o desembarque de forças expedicionárias estrangeiras, que, nos arredores, se empenharam em vigorosos combates.
Na década de 1930, Xangai tornou-se um dos maiores portos marítimos da Ásia, com opulentos bancos e edifícios de escritórios ladeando o porto nas margens do rio Huangpu.
Em 1945, após a ocupação e rendição japonesa, a cidade foi ocupada por forças americanas, a pedido de Chiang Kai-shek, a fim de impedir que essa ocupação fosse levada a efeito por Mao Zedong e as suas tropas comunistas, há muito já em armas que nesse momento se evitou veio a verificar-se em 1949, depois da definitiva derrota das forças da KMT e a sua retirada para a Taiwan. A partir desse ano, pois, dada a profunda reorganização do país, as condições de vida da cidade mudaram totalmente, passando a fazer a partir daí parte integrante da República Popular China. A maioria dos cidadãos estrangeiros abandonaram a cidade, também o fizeram alguns empresários chineses que preferiram organizar os seus negócios em Hong Kong.

Geografia


A área urbana de Xangai pode ser vista nesta imagem de satélite em falsa cor.
Xangai está localizada na foz do Delta do Rio Yangtze na costa leste da República Popular da China, e é está no eixo entre Pequim e Hong Kong e tem praticamente a mesma distância entre a Região Autônoma e a capital. O município está dividido na península entre o Yangtze e Baía de HangzhouChongming (a terceira maior ilha da China), e uma série de ilhas menores. Faz fronteira ao norte pela Província de Jiangsu, a sul pela Província de Zhejiang, a leste pelo Mar da China Oriental. A cidade é dividida pelo Rio Huangpu, um afluente do Yangtze. O centro histórico da cidade, chamada de Puxi, está localizada no lado oeste do Huangpu, enquanto o novo centro financeiro,chamado de Pudong, está sendo desenvolvido na margem oriental.
A grande maioria dos 6.218 km ² da área terrestre de Xangai é plana, além de alguns morros no sudoeste, com uma altitude média de 4 m. A posição da cidade em planície aluvial praticamente obrigou que os novos arranha-céus fossem construídos com bases de concreto para se assentarem sem nenhum problema no terreno plano. O ponto mais alto é de 103 m e está na Ilha Dajinshan. A cidade possui muitos rios, canais, córregos e lagos e é conhecida por sua riqueza de recursos hídricos e está englobada na bacia hidrógrafica do Lago Taihu.

Proteção Ambiental

Os investimentos públicos em meio ambiente na cidade tem tido um grande crescimento na cidade,inclusive a concientização de seus residentes.Entre esta série de investimentos recentes, está a limpeza do Rio Suzhou,que passa pelo centro da cidade e está avaliada em US$ 1 bilhão e tem previsão de durar 10 anos.Apoluição em Shanghai é baixa em comparação com outras cidades chinesas, como Pequim, mas o rápido desenvolvimento nas últimas décadas, significa que ainda é alta em padrões mundiais, e é comparada regularmente aos níveis de Los Angeles.
O clima de Shanghai é clima subtropical úmido (classificação climática de Koppen Cfa) e com quatro estações bem definidas. No inverno, os ventos frios do norte da Sibéria fazem com que as temperaturas noturnas sejam negativas, embora a maioria dos anos, há apenas um ou dois dias de neve. O verão em Shangai é muito quente e úmido, com chuvas ocasionais e trovoadas fracas. A cidade também está na rota de tufões, mas nenhum nos últimos anos tem causado danos consideráveis. As estações mais agradáveis são a primavera,que não tem padrões climáticos fixos, e o outono, que é geralmente ensolarado e seco. Xangai possui, em média, 1.878 horas de sol por ano, com a temperatura mais alta já registrada em 40 °C, e a menor em -12 °C. O número médio de dias chuvosos é de 112 por ano, enquanto o mês mais chuvoso é junho.

Demografia


A única rua pedestre em Nanjing.
A população de Xangai é 19 213 200. O censo de 2000 colocou a população do município de Xangai em 16,738 milhões, incluindo a população migrante, o que contam 3,871 milhões. Desde o censo de 1990, a população total teve um aumento de 3,396 milhões, ou 25,5%. Os homens representam 51,4% e o sexo feminino 48,6% da população. 12,2% estavam na faixa etária de 0-14, 76,3% entre 15 e 64 anos e 11,5% tinham mais de 65 anos. A partir de 2008, a população de residentes de longa duração atingiu 18,88 milhões, incluindo uma população oficialmente registadas permanente de 13,71 milhões e 4,79 milhões de imigrantes registrados a longo prazo de outras províncias, muitos de AnhuiJiangsu e Zhejiang. De acordo com o Bureau de Estatísticas Municipal Xangai, havia 133.340 estrangeiros em Xangai em 2007. Além disso, há um grande número de pessoas a partir de Taiwan para as empresas (as estimativas variam de 350 000 a 700 000). Até 2009, as comunidades sul-coreano em Xangai também aumentou para mais de 70 000. A esperança média de vida em 2006 era de 80,97 anos, 78,67 para homens e 82,29 para as mulheres. A renda anual média disponível dos residentes de Xangai, com base nos três primeiros trimestres de 2009, é 21 871 RMB.

Idiomas

A maioria dos residentes de Xangai são os descendentes de imigrantes provenientes das duas províncias adjacentes de Jiangsu e Zhejiang que se mudou para Xangai no final do século XIX e início do século XX, as regiões que geralmente falam também chinês Wu. Nas últimas décadas, muitos migrantes de outras regiões da China têm vindo a Xangai para o trabalho. Eles muitas vezes não são capazes de falar o dialeto local e, portanto, utilizam o mandarim como língua franca.
A linguagem vernacular é o dialeto de Xangai, um dialeto do Wu chinês, enquanto a língua oficial é o mandarim padrão. O dialeto local é mutuamente inteligível com o mandarim, e é uma parte inseparável da identidade de Xangai. O moderno Xangai dialeto é baseado no dialeto Suzhou de Wu, o dialeto de prestígio de Wu falado na cidade chinesa de Xangai antes da expansão moderna da cidade, o dialeto de Ningbo Wu, e no dialeto de áreas tradicionais de Xangai, agora dentro do Hongkou, Baoshan e distritos de Pudong, que é simplesmente chamado de "Bendihua", ou "no dialeto local". Ela é influenciada em menor medida pelo dialetos de outras regiões próximas, a partir do qual um grande número de pessoas que migraram para Xangai, desde o século XX. Quase todos os habitantes da cidade com idade inferior a 40 pode falar mandarim fluentemente. Fluência em línguas estrangeiras é desigualmente distribuída. A maioria dos residentes idosos que receberam uma universidade educação antes da revolução, e aqueles que trabalhavam nas empresas estrangeiras, pode falar inglês. Aqueles com idade inferior a 26 tiveram contato com o Inglês desde a escola primária, como o inglês é ensinado como uma disciplina obrigatória a partir de primeiro grau.

Religião


Yuyuan Garden. Embora muitas vezes vista como uma metrópole moderna, Xangai ainda tem muitas áreas antigas.
Devido à sua história cosmopolita, Xangai tem uma mistura rica de património religioso como mostram os edifícios e instituições religiosas ainda espalhadas pela cidade. O taoísmo está presente em Xangai, na forma de vários templos, incluindo aTemplo da Cidade de Deus, no coração da cidade velha, e um templo dedicado ao general Guan Yu dos Três Reinos. O Wenmiao é um templo dedicado a Confúcio. O budismo está presente em Xangai desde tempos antigos. O Templo Longhua, o maior templo de Xangai, e o Templo Jing'an, foram construídos no período dos Três Reinos. Outro templo importante é o Templo do Buda de Jade, que é nomeado em homenagem a uma grande estátua de Buda esculpida em Jade no templo. Nas últimas décadas, dezenas de templos modernos foram construídos em toda a cidade.
Xangai é também um importante centro do cristianismo na China. Igrejas pertencentes a várias denominações são encontrados em toda Xangai e fazem congregações significativas. Entre as igrejas católicas, a Catedral Santo Inácio em Xujiahui é uma das maiores, enquanto a Basílica She Shan é o único local ativo de peregrinação na China. Xangai tem o maior percentual de católicos na China Continental (2003). A cidade é também o lar de comunidades muçulmanasjudaícas eortodoxas.
A religião predominante em Xangai é budismo maaiana e taoísmo também é seguido por muitos moradores de Xangai.

Política


Prédio do Governo Municipal de Xangai.
Xangai foi um centro político da China desde o século XX. O primeiro Congresso Nacional do Partido Comunista da China foi realizado em Xangai. Além disso, muitos dos mais altos funcionários do governo chinês em Pequim são conhecidos por terem subido em Xangai nos anos 1980 em uma plataforma que era crítica pelo esquerdismo extremo da Revolução Cultural, dando-lhes a tag "Clique Xangai" na década de 1990. Muitos observadores da política chinesa veem o direista Clique Xangai como uma facção oposta e concorrente do atual governo chinês sob a presidência de Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao. Empregos top de Xangai, o chefe do partido e da posição do prefeito, sempre foram destacados em escala nacional. Quatro secretários do comitê do partido municipal ou prefeitos de Xangai, eventualmente, passou a assumir posições de destaque do Governo Central, incluindo o ex-presidente Jiang Zemin, ex-Primeiro-ministro Zhu Rongji, e actual Vice-Presidente Xi Jinping. Os trabalhos administrativos de topo são sempre nomeados directamente pelo Governo Central.
O governo atual em Xangai sob o prefeito Han Zheng tem defendido abertamente a transparência no governo da cidade. No entanto, em anos anteriores, um sistema complexo de relações entre o governo de Xangai, bancos e outras instituições da sociedade civil tem estado sob controlo da corrupção, motivada pela política facção em Pequim; estas alegações de Pequim não deram em nada até o final de 2006. Desde a partida de Jiang do escritório tem havido uma quantidade significativa de conflito entre o governo local em Xangai, e o Governo Popular Central, um exemplo de evolução de fato do federalismo chinês. O governo de Xangai administra quase todos os interesses económicos da cidade sem interferência de Pequim.
Em 2006, o nível real de Xangai de autonomia aumentou e superou a de qualquer região autónoma, elevando os sinais de alarme, em Pequim. Em setembro de 2006, o Secretário do Partido Comunista Xangai Chen Liangyu, de Xangai, muitas vezes entrando em conflito com funcionários do governo central, juntamente com um número de seus seguidores, foram removidas de suas posições depois de uma sonda no fundo de pensão da cidade. Mais de uma centena de investigadores, enviada pelo Governo Central, teria descoberto indícios de desvio de dinheiro do fundo de pensão da cidade de empréstimos e investimentos aprovados. Abrupto afastamento de Chen é visto por muitos chineses como uma manobra política do presidente Hu Jintao para proteger ainda mais seu poder no país, e manter o centralismo administrativo. Em março de 2007, o governo central nomeou Xi Jinping, que não é um nativo de Xangai, para se tornar o secretário do Partido Comunista, o cargo mais poderoso da cidade. Xi acabaria por ser transferido para trabalhar para o governo central em Pequim e foi substituído por Yu Zhengsheng em novembro de 2007.
Ficheiro:Shanghaiviewpic1.jpg

Centro financeiro de Pudong, em Xangai.

Economia


Centro financeiro de Pudong, em Xangai.

Fachada da Bolsa de Valores de Xangai, a maior da China e uma das cinco maiores do mundo.
Xangai é o maior centro comercial e financeiro da China, e ocupa o 5o lugar na edição de 2011 do Índice de Centros Financeiros Globais publicado pela City de London16 . Era a maior e mais próspera cidade do Extremo Oriente durante a década de 1930, e a com mais rápido desenvolvimento em 199017 . Isto é exemplificado pelo Distrito de Pudong, que se tornou uma área piloto para reformas econômicas integradas. Até o final de 2009, havia 787 instituições financeiras instaladas na cidade, dos quais 170 eram estrangeiras18 .
Em 2009, a Bolsa de Valores de Xangai ficou em terceiro lugar entre as bolsas de valores em todo o mundo em termos de volume de negociação e sexto em termos de capitalização total — e o volume de comércio de seis produtos básicos, incluindo o cobreborracha e zinco na Shanghai Futures Exchange estavam todos os classificados em primeiro lugar no mundo19 .
Nas últimas duas décadas Xangai foi uma das cidades com o mais rápido desenvolvimento no mundo. Desde 1992, Xangai registrou crescimento económico de cerca de 10% todos os anos, exceto durante a recessão global de 2008 e 200920 , em que o crescimento da economia de Xangai ficou entre 8 e 9,5%. Em 2010, o Produto Metropolitano Bruto total de Xangai ficou em ¥1,6 trilhão (o que equivale a cerca de US$256 bilhões), com um PIB per capita de cerca de ¥7,6 mil (quase US$1 mil)21 . As três maiores indústrias de serviços são os serviços financeiros, os de varejo e o imobiliário. O setor industrial e o agrícola representaram 39,9% e 0,7% do PIB, respectivamente22 . A renda anual média dos moradores da cidade, com base nos três primeiros trimestres de 2009, era ¥21,8 mil (ou algo perto de US$3,8 mil)19 .
Localizado no coração do rio Yangtze, Xangai é o principal porto da China, e, consequentemente, o mais movimentado do mundo, com movimento de pouco mais de 29 milhões de conteiners só em 201023 .
Xangai é um dos principais centros industriais da China, desempenhando um papel fundamental em indústrias pesadas do país. Um grande número de zonas industriais, incluindo a Zona de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico de Xangai-Hongqiao e a de Minhang, a Zona Jinqiao de Exportação e Processamento da Economia e Zona de Desenvolvimento de Alta Tecnologia de Xangai-Caohejing, são pilares da indústria secundária da região metropolitana de Xangai. As atividadesindústriais pesadas, como por exemplo a indústria química e metalurgica, foi responsável ​​por cerca de 78% da produção bruta industrial de Xangai em 2009. A Baosteel Group., a maior empresa do ramo siderugico da China e o estaleiro de Jiangnan, um dos mais antigos estaleiros da China são ambos localizados em Xangai24 .
atividade automobilistica é outro setor importante na economia da cidade. A Shanghai Automotive Industry Corporation, a SAIC, é uma das "três grandes" do setor na China. A empresa tem uma parceria estratégica com a Volkswagen e com aGeneral Motors.

Vista do distrito financeiro Lujiazui em Pudong. Na foto, em destaque, a Torre Pérola Oriental.

Infraestrutura

Educação

Apesar de Pequim e Hong Kong serem considerados os centros educacionais da China, Xangai também é lar de algumas das mais prestigiadas universidades do país, incluindo Universidade FudanUniversidade Jiao Tong de Xangai e Universidade de Tongji.

Transportes


Metrô de Xangai é dos sistemas que crescem mais rápido do mundo.
Xangai tem um extenso sistema de transporte público, largamente baseada em ônibus, ônibus elétricos, táxis, e um sistema de metro em rápida expansão. Todas estes meios de transportes públicos podem ser acessados usando o bilhete de transporte público de Xangai, que utiliza frequências de rádio para que o bilhete não precisa de tocar fisicamente o scanner. O sistema do Metrô de Xangai e os trilhos elevados tem dez linhas (linhas 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 11), no presente e se estende a todos os distritos do núcleo urbano como bem como os distritos vizinhos suburbanos como SongjiangMinhang e Jiading. De acordo com o cronograma de desenvolvimento do governo municipal, até o ano 2010, outras duas linhas (números 10 e 13) serão construídas, enquanto as extensões estão também em curso para as linhas 2, 6, 8, 9. É um dos sistemas de metropolitano de mais rápido crescimento do mundo, a primeira linha inaugurada em 1995, e a partir de 2009 o Metro de Xangai é o nono sistema mais movimentado. Xangai também tem o mais extenso sistema de ônibus do mundo com cerca de mil linhas de ônibus, operadas por numerosas empresas de transporte. Nem todas as rotas de ônibus de Xangai são numeradas, algumas têm nomes exclusivamente em chinês. Passagens de ônibus custam geralmente ¥ 1, ¥ 1,5 ou 2 ¥, às vezes mais, enquanto as tarifas Mêtro custam entre ¥ 3 a 9 ¥ dependendo da distância.
Os táxi em Xangai são abundantes e a regulamentação do governo fixou tarifas de táxi a um preço acessível para os residentes média de ¥ 12 por 3 km, ¥ 16 depois das 23:00, e 2.4RMB/km depois. Antes da década de 1990, a bicicleta era a forma mais utilizada de transporte em Xangai, mas a cidade tem bicicletas proibidas em muitas das principais estradas da cidade para diminuir o congestionamento. No entanto, muitas ruas têm ciclovias e cruzamentos são monitorados por assistentes de tráfego que ajudam a fornecer segurança para a travessia. Além disso, a prefeitura comprometeu-se a acrescentar 180 km de ciclovias ao longo dos próximos anos. É interessante notar que algumas das principais zonas comerciais e ruas turísticas, Nanjing Road e Huaihai Road não permitem bicicletas.
Com o aumento da renda, os automóveis particulares em Xangai, também aumentou nos últimos anos. O número de carros é limitado, entretanto, pelo número de matrícula, disponíveis em leilão. Desde 1998, o número de matrículas de veículos novos é limitado a 50 000 veículos por ano.
Em cooperação com o Município de Xangai e de Xangai Maglev Transportation Development Co. (SMT), a alemã Transrapid construiu o primeira ferrovia de alta velocidade Maglev no mundo em 2002, da estação de metrô de Xangai Longyang Road em Pudong para Aeroporto de Pudong. A operação comercial foi iniciada em 2003. A viagem de 30 km em 7 minutos e 21 segundos e atinge uma velocidade máxima de 431 km/h. A velocidade normal é de 431 kmh, mas durante um teste, o Maglev alcançou uma velocidade máxima de 501 km/h.
Duas ferrovias se cruzam em Xangai: a Ferrovia Jinghu (Pequim-Xangai) passando por Nanquim e Ferrovia Huhang (em Xangai Hangzhou). Xangai é servida por duas estações ferroviárias principais, Estação Ferroviária de Xangai e a Estação Ferroviária de Xangai do Sul. O serviço expresso para Pequim através de comboios Z-series é bastante conveniente. A rota do trem maglev para Hangzhou (Xangai-Hangzhou Maglev Train) pode começar a construção em 2010. A ferrovia de alta velocidade para Pequim também está em obras.
Mais de seis vias expressas nacionais (prefixados com "G") de Pequim conectam-se com Xangai desde Pequim e da região em torno de Xangai. Xangai tem seis vias expressas elevadas (skyways) no núcleo urbano e 18 vias expressas municipais (prefixado com "A"). Há planos ambiciosos para construir vias expressas conectando Shanghai Island com o núcleo urbano. Para uma cidade do tamanho de Xangai, o tráfego ainda é bastante suave e conveniente, mas ficando cada vez mais congestionado com o número de carros aumentando rapidamente.
Xangai tem dois aeroportos comerciais: Aeroporto de Hongqiao e o Aeroporto de Pudong, o último dos quais tem o terceiro maior tráfego na China, na sequência do Aeroporto Internacional de Pequim e Aeroporto Internacional de Hong Kong. O Aeroporto de Pudong no entanto tem mais tráfego internacional do que o Aeroporto de Pequim, com mais de 17,15 milhões de passageiros internacionais transportados em 2006 em comparação com 12,6 milhões de passageiros do Aeroporto de Pequim. Hongqiao serve principalmente para rotas domésticas, com alguns voos para Tóquio Aeroporto de Haneda e para Seul. O Aeroporto de Hongqiao dista cerca de 10 quilômetros a oeste da cidade. Uma das vantagens do aeroporto é que é muito mais próximo do centro da cidade que o aeroporto de Pudong.

Ver também

Referências

  1. Ir para cima Land AreaBasic Facts. Shanghai Municipal Government. Página visitada em 19 de julho de 2011.
  2. Ir para cima Current Demographic Situation of Shanghai(2012) (em inglês). Shanghai Population and Family Planning Commission. Página visitada em 06 de dezembro de 2013.
  3. Ir para cima Shanghai population tops 20mChina Daily (5 de dezembro de 2003). Página visitada em 22-3-2008.
  4. Ir para cima ShanghaiEncyclopædia Britannica Online (2008). Página visitada em 22-3-2008.
  5. Ir para cima Mackerras, Colin. The New Cambridge Handbook of Contemporary China. [S.l.]: Cambridge University Press, 2001. 242 p. ISBN 0521786746
  6. Ir para cima A Glimpse at 1930s Shanghai. Yoran Beisher (24 de setembro de 2003). Página visitada em 20-3-2008.
  7. Ir para cima Shanghai now the world's largest cargo portAsia Times Online (7 de janeiro de 2006). Página visitada em 20-3-2008.
  8. Ir para cima Caroline Bremner (2009-01-07). Trend Watch: Euromonitor International’s Top City Destinations Ranking. Euromonitor International. Página visitada em 2009-01-16.
  9. Ir para cima Look! It's the brand new face of ChinaThe Guardian (9 de março de 2008). Página visitada em 20-3-2008.
  10. Ir para cima Shanghai: China's capitalist showpieceBBC News (2008-05-21). Página visitada em 2008-08-07.
    Of Shanghai… and Suzhou. The Hindu Business Line (27 de janeiro de 2003). Página visitada em 20-3-2008.
  11. Ir para cima Danielson, Eric N., Shanghai and the Yangzi Delta, 2004, p.9.
  12. Ir para cima Danielson, Eric N., Shanghai and the Yangzi Delta, 2004, p.9, pp.11–12, p.34.
  13. ↑ Ir para:a b Danielson, Eric N., Shanghai and the Yangzi Delta, 2004, p.10.
  14. Ir para cima Danielson, Eric N., Shanghai and the Yangtze Delta, 2004, pp.10–11.
  15. Ir para cima Prefeitura vai estreitar relações comerciais. Prefeitura de Manaus.
  16. Ir para cima http://www.taipeitimes.com/News/biz/archives/2011/03/23/2003498853
  17. Ir para cima http://www.hkjournal.org/PDF/2009_winter/3.pdf
  18. Ir para cima 1X06BVOR
  19. ↑ Ir para:a b http://english.cntv.cn/english/special/news/20110119/109180.shtml
  20. Ir para cima http://www.stats-sh.gov.cn/tjnj/nje11.htm?d1=2011tjnje/E0109.htm
  21. Ir para cima http://www.shanghaidaily.com/sp/article/2011/201101/20110125/article_462395.htm
  22. Ir para cima http://www.hktdc.com/info/mi/a/mpcn/en/1X06BVOR/1/Profiles-Of-China-Provinces-Cities-And-Industrial-Parks/SHANGHAI-MUNICIPALITY.htm
  23. Ir para cima http://www.straitstimes.com/BreakingNews/Singapore/Story/STIStory_621944.html
  24. Ir para cima http://www.chinadaily.com.cn/bw/2009-11/30/content_9074353.htm

Ligações externas

Commons
Commons possui multimídias sobre Xangai





Shangai: História da cidade


Shangai, situada no rio Huangpu junto ao delta do Chang Jiang, é a mais populosa cidade da China. Shangai é considerada como a verdadeira capital econômica da China, o seu centro mais dinâmico e moderno. Graças ao desenvolvimento dos últimos decênios, Shangai é um centro econômico, financeiro, comercial e comunicativo de primeira linha da República Popular Chinesa. O seu porto, o primeiro do país, é um dos mais freqüentados do mundo com Singapura e Rotterdam.
Na língua chinesa Shangai é abreviada em Hù e Shēn, que ao pé da letra significa "sobre o mar" ou também "no mar". Antes da própria formação da cidade, Shangai era chamada  de província de Songjiang, subdivisão da cidade de Suzhou. A província foi fundada cerca de 1000 anos atrás.
A partir da dinastia Song (960-1279), Shangai se tornou um porto cada vez mais freqüentado. Os muros da cidade foram construídos em 1553. Este acontecimento é geralmente considerado como o ato de fundação da cidade atual. Todavia, antes do século XIX, Shangai não foi considerada uma cidade importante e contrariamente a muitas outras cidades chinesas, não apresenta monumentos antigos ou lugares de particular interesse histórico. Antes de 1927, Shangai pertencia ao distrito de Jiangsu (com capital Nanchino). Sucessivamente foi oficialmente elevada a uma municipalidade. O papel de Shangai mudou repentinamente e radicalmente no século XIX devido a sua posição geográfica, na foz do rio Yangtze, era a porta ideal para o comércio marítimo com o ocidente.
Durante a Primeira Guerra do Ópio, no início do século XIX, as forças britânicas ocuparam por um breve período Shangai. A guerra terminou com o tratado de Nanchino de 1842 que sancionou a abertura dos portos, incluindo Shangai, para mercado internacional. O Tratado de Bogue assinado em 1843 e o Tratado sino-americano de Wangsia de 1844 permitiram às nações estrangeiras adquirir direitos de extraterritorialidade no solo chinês. Em 1863 as tomadas de posse britânicas e americanas se uniram para formar a International Settlement. Shangai se tornou o mais importante centro financeiro do extremo oriente.
Em 27 de maio de 1949 Shangai caiu debaixo do controle comunista, no decênio sucessivo houve multíplices mudanças nas fronteiras das subdivisões administrativas. Após 1949 muitas empresas estrangeiras transferiram as suas atividades de Shangai para Hong Kong e a cidade se tornou  o centro industrial da revolução comunista. Durante a Revolução Cultural Shangai teve condições de conservar a sua tradicional elevada produtividade e uma relativa estabilidade social. As atividades econômicas de Shangai desde seu início geraram a maior entrada fiscal para o governo da república. No início dos anos oitenta, o 70-80% da inteira renda fiscal do governo provinha da única municipalidade de Shangai.





Considerada a maior cidade da China, concentra cerca
de 17 milhões de habitantes e é conhecida enquanto grande centro comercial e importante polo financeiro
e industrial do país.

aspecto das ruas de Xangai
Esta cidade portuária é o maior centro financeiro da China, além de considerada como uma das mais cosmopolitas e vibrantes metrópoles nesta parte do planeta. Possui um imenso porto, do qual deriva o próprio nome, uma vez que Xangai significa sobre o mar. É uma cidade moderna e movimentada, mas, simultaneamente, oferece uma cultura diferenciada, rica em diversos aspectos que conduzem o visitante rumo ao passado.
Para a sua fama mundial muito terá contribuído, também, o sucesso da Expo Xangai, a mais ambiciosa jamais realizada, visitada por cerca de 73 milhões de pessoas. Este é, definitivamente, um destino em voga. Por isso, faça as malas e parta à descoberta das principais atrações desta fascinante metrópole.



De aldeia piscatória a porto de alto mar
Ao longo de um milénio, o desenvolvimento de Xangai, que evolui de simples aldeia piscatória a conceituado porto de alto mar, foi pacífico. Contudo, no século XIX, o Reino Unido entrou em guerra com a China, que se tinha oposto às entregas ilegais de ópio efetuadas pelas casas comerciais inglesas. Em 1842, navios de guerra britânicos incendiaram Xangai e avançaram pelo rio Yangtsé, rumo a Nanrei. Como resultado desta incursão, a China não só teve de permitir a importação de ópio, como também concedeu Hong Kong aos britânicos, além de garantir direitos de soberania às nações ocidentais sobre parte de Xangai.

Desde então, enormes fortunas se fizeram com o ópio em Xangai, cujos detentores construíram castelos privados e investiram em casinos, bordéis e antros de fumadores, conhecidos como “casas de ópio”. Porém, ainda mais que o tráfico de drogas, o comércio “normal” conheceu uma grande expansão, mormente através da exportação de seda, algodão e porcelana da China, e importação de maquinaria e aparelhagem doméstica oriundas do Ocidente.
Expo XangaiShanghai World Financial Center
Britânicos, americanos, franceses e alemães estabeleceram aqui os seus negócios, bancos, hotéis e clubes noturnos na margem do rio, que ficou conhecida como The Bund. Porém, após a Segunda Guerra Mundial, 
as concessões atribuídas pelo governo chinês cessaram e Xangai passou a ser governada e financeiramente explorada a partir de Pequim, 
pelo regime comunista. 

Entre 1966 e 1976 a cidade foi a base de lançamento da Revolução Cultural de Mao e a economia estagnou. Os famigerados guardas vermelhos forçaram os engenheiros do porto de Xangai a abandonarem os seus postos, espancando-os e despromovendo-os a empregados de limpeza de latrinas.

Quando o bairro de Pudong foi declarado zona económica especial, em 1990, teve início uma nova viragem. Xangai tomou-se na cidade economicamente mais bem sucedida da China e o número de habitantes na zona circundante está também em expansão (em breve atingirá 20 milhões). Ao mesmo tempo, o antigo antro de vício atrai grande afluxo de turistas. A antiga moradia do magnata do ópio Victor Sassoon, agora o Cypress Hotel, é um dos que oferecem o máximo luxo.

Uma obrigação para os turistas é visitar os Jardins Yuyuan, planeados em 1559, com as suas cinco paisagens em miniatura. O complexo inclui um pitoresco pavilhão de chá, que pode ser alcançado apenas através de uma ponte em ziguezague com nove curvas. Supostamente, os dragões não a conseguirão passar, porque os espíritos malignos só se movem em linha reta. Espalhados por esta zona estão templos que vale a pena ver, onde budistas, confucianos e seguidores de outras religiões realizam os seus cultos.
Xangai é grande, iluminada e audaz. Possui mais de
17 milhões de habitantes e 4000 arranha-céus (sendo que outros mil estão em projeto)
entrada para os Jardins Yuyuan

Onde ir

Bund
Em chinês waitan, é o célebre cais comercial dos anos 30 situado junto ao rio Huangpu. Considerado na sua época como o conjunto monumental de estilo ocidental mais notável a leste do Suez, é um errático sortido de imóveis de estilo híbrido e antiguidades monumentais da época gloriosa em que Xangai era o principal porto da Ásia e o ponto de encontro entre o oriente e o ocidente. No Bund, pode navegar pelo rio Huangpu, desfrutar das vistas do Pudong, visitar o museu histórico (5, Waitan Lishi) ou ir às compras ao Friendship Store. Os seus edifícios mais emblemáticos são o Banco da China, o Peace Hotel, a Alfândega, o Banco de Hong Kong e Xangai e o Shanghai Club.
panorama Bund
panorama de Bund em Xangai
Nanjig Donglu



Nova zona de Pudong
Mais extensa do que a própria Xangai, Pudong estende-se ao longo da margem oriental do Huangpu. Desde o início do seu plano de desenvolvimento, em 1990, que Pudong se transformou no centro financeiro da China. O distrito de Lujiazui é uma autêntica teia de arranha-céus. Os edifícios mais emblemáticos da zona são a extravagante torre Pérola do Oriente, com 468 metros de altura, que suporta as antenas de televisão e dispõe de centros de entretenimento, restaurantes e um hotel de luxo; o Museu Municipal de História e a torre Jin Mao, o edifício mais alto da China e o quarto maior do mundo, com vistas soberbas a partir da plataforma de observação que encontra 
no 88.º andar.

Nanjig Donglu e Praça do Povo
Desde o Peace Hotel até ao Park Hotel, Nanjing Donglu foi tradicionalmente a principal artéria da cidade, com mais de 1000 lojas e grandes armazéns. É o antro comercial de eleição da população local, renovado em grande parte desde 1999. O Parque e a Praça de Renmin ou do Povo são considerados o centro de Xangai. Aqui encontram-se o Museu da Cidade, o Grande Teatro e o Museu de Arte.
Pérola do Oriente
Bairro Francês e Xintiandi
Corresponde ao centro da antiga concessão francesa em torno de Huaihai Lu e do Hotel Jinjiang. É a alternativa ao centro comercial de Nanjing Donglu, com muitos e grandes armazéns. Alberga ainda alguns dos melhores exemplos da arquitetura do início do século XX, com apartamentos estilo art déco e moradias neoclássicas.
É uma zona ideal para percorrer a pé ou de bicicleta. Perto de Huangpi Nanlu encontra Xintiandi, um ambicioso complexo comercial, cultural e de lazer, constituído por vários blocos restaurados de casas tradicionais, com restaurantes, bares e lojas de moda muito elegantes. 

Jardins e bazar de Yu Yuan
No extremo norte oriental da cidade antiga encontram-se os jardins da dinastia Ming, hoje restaurados, e um centro comercial com muitas lojas de antiguidades e restaurantes, tudo bastante orientado para o turismo. A rua próxima do templo dos Deuses da Cidade (Chenghuang Miao) e o bazar de Yu Yuan são outros pontos a meio caminho entre a China tradicional e 
a nova China.




Peace Hotel em Xangai
Templo do Buda de Jade (Yufo si)
Um dos poucos santuários budistas ativos na cidade. Construído no início do século XX, alberga um buda de jade branco de mil quilos, coberto de joias. Outro vestígio do passado é o pagode de Longhua, parte integrande de um complexo que remonta ao século X.

Um hotel mítico

Depois do Bund, a referência mais lendária de Xangai é o Peace Hotel, o velho Cathay. Construído em 1930, este edifício de 12 pisos pertencia a Victor Sasson, um judeu que amealhou grande fortuna com o comércio do ópio e investiu em imóveis e cavalos. Diz-se que possuía cerca de 1900 edifícios na cidade e dirigia os seus negócios a partir de uma suite situada no piso mais alto do hotel. Pelo velho Cathay passaram nomes como Charles Chaplin, George Benard Shaw e Noel Coward. Hoje continua a oferecer o luxo decadente daquela época irrepetível. A sua orquestra de jazz, composta por músicos octogenários, sempre foi um dos principais atrativos da cidade, especialmente entre os turistas ocidentais.
Guia do Viajante 
Xangai

onde dormir

Shanghai Equatorial
Shanghai Jinjang Tower Hotel
Hilton Shanghai
Sofitel Hyland Hotel
Radisson Plaza Xingguo
Portman Ritz-Carlton
Grand Hyatt Hotel

o que levar

Roupa confortável, leve e fresca, preferencialmente de algodão ou linho, e um casaco ou qualquer outro agasalho para os meses de Inverno. Não esquecer um chapéu, óculos de sol, protetor solar e um repelente de mosquitos.

onde comer

Xangai é um paraíso para os apreciadores da boa mesa, reunindo centenas de restaurantes de vários estilos da gastronomia chinesa, reconhecidamente delicada e leve, preservando os sabores originais dos alimentos.
Mon the Bund
T8
Grand Hyatt
Le Garçon Chinois
Shanghai Old Restaurant
Xiaoshaoxing Restaurant
Meilongzhen Restaurant
Luyangcun Restaurant
Huifenglou Restaurant
Cloud 9

na hora das compras

As zonas tradicionais para ir às compras sempre foram Nanjing Lu e Huaihai Lu, mas há outras possibilidades. Para peças mais pessoais ou tecidos a metro deve visitar o mercado de roupa de Dongjiadu. O melhor local para adquirir porcelanas de qualidade é a galeria do Museu de Xangai. A zona de Duolun Lu, no distrito de Hongkou, reúne antiquários, galerias de arte, livrarias e lojas de curiosidades, com artigos oriundos do início da era comunista e outros mais tradicionais.
Na gigantesca Xangai pode encontrar-se de tudo e a todos os preços. Em Huaihai Road, uma das principais vias públicas da cidade, há vários centros comerciais como a Praça 66. O chamado Shanghai Times Square supera em tamanho o nova-iorquino. Para os amantes das melhores imitações chinesas, nada como Shaanxi Road e Xian Yang Street; aqui, podem comprarartigos de todos os grandes desenhadores depois de regatear, enquanto as últimas produções de Hollywood se vendem em DVD a preços mínimos. O melhor local para comprar artesanato local e do sudeste asiático é Taii Kang Road. Para recordações da época comunista, não se pode perder Fan Bang Roa. O bazar de Yu Yuan é ideal para os amantes de antiguidades.

informações

Moeda
Yuan
Idioma
A língua oficial é o mandarim. Em Xangai fala-se em dialeto wu; o inglês está bastante expandido nos serviços turísticos, mas não entre a população.
Documentos
Passaporte com validade mínima de seis meses e visto, que deverá ser obtido na Embaixada da China, em Lisboa.
Fuso horário
+ 07h00 (abril a outubro)
+ 08h00 (novembro a março).

clima

O clima em Xangai é imprevisível, mas normalmente a primavera (de março a meados de maio) e o outono (final de setembro e início de dezembro) são as melhores épocas para visitar a cidade, embora chova bastante também na primavera.

saúde

Aconselha-se a não consumir refeições de rua e a não beber água da torneira. Não é necessária qualquer vacinação especial para entrar na China.

segurança

A China é considerada um país seguro. Em zonas muito turísticas, como noutros pontos do mundo, deve estar atento aos carteiristas.

Texto: Virgínia Esteves (virginia.esteves@impala.pt) | Fotos: Arquivo Impala, Wiki Commons e Flickr
Fonte:http://www.aproximaviagem.pt/html/n8/11_xangai.html

VÍDEOS