MÃE DIVINA,COMO MEUS BODHISATTVAS




 
 
Desde Meu Coração de Fogo, Eu vos saúdo, filhos de Minha redenção.
Eu sou a Mãe Divina, Eu sou a Mãe dos Budas de Compaixão, Eu sou Tara.
Brotos de Meu ventre, embaixadores de Minha paz, hoje Eu vos preparo como Meus Bodhisattvas.
Hoje Eu vos preparo para que vocês caminhem sobre a superfície deste planeta irradiando silenciosamente Meu amor, Minha paz e Minha cura.
Eu sou a Mãe da Cura, Eu sou a Mãe dos Bodhisattvas.
Filhos e filhas, a redenção da matéria se conclui, todas as promessas se cumprem. Vossa liberdade só deve apenas ser aceita, vossa liberação é já uma realidade.
Os grilhões que prendiam a alma à experiência material foram dissolvidos, resta a vocês conscientizar-se desta verdade.
Resta a vocês fazer a experiência de Minhas palavras.
Minhas crianças bem amadas, no silêncio de vosso coração Minhas palavras serão compreendidas para além de seu significado aparente.
No cerne da vibração, por detrás destas palavras audíveis e inteligíveis para a mente, está um Mar de Fogo, está um Oceano de Vibração.
Esta Vibração os prepara hoje para serem Meus embaixadores nesse mundo.
Isto não vos coloca num patamar acima do resto da humanidade.
Não Meus filhos, em Meu Reino, lembrem-se, há apenas UM.
Isto sim vos coloca como servidores de vossos irmãos e irmãs, como servidores de Meu plano, como servidores de Minha irradiação.
Eu vos fiz anteriormente um convite ao sacerdócio.
Aqueles que naquele momento se abriram a este convite, hoje concluem a preparação que Eu iniciei, hoje concluem a cura que Eu comecei.
Aqueles que não aceitaram este convite, hoje têm a oportunidade de então aceitá-lo e assim se abrir para a Minha cura e para a Minha preparação.
Eu não vos preparo para um próximo mundo, para uma próxima vida.
Eu vos preparo para a vivência aqui e agora e para o serviço de vossos irmãos e irmãs.
Eu não vos preparo para um paraíso ou para um céu idílico, imaginário.
Eu vos preparo para a ação consciente, para a ação reta, aquela que parte do impulso de vossas almas, que parte do impulso de Meu Sagrado Coração de Fogo.
Na contemplação deste Sagrado Coração de Fogo, vocês realizam vossa Natureza Divina, vocês realizam também Meu presente e Meu convite para hoje: sejam Meus Bodhisattvas encarnados nesta terra, sejam Meus filhos da Compaixão, sejam os Budas da Compaixão que hoje Eu invoco em auxílio desta humanidade.
Abram-se, filhos e filhas para este Mar de Fogo que hoje é derramado sobre este planeta.
Abram-se brotos de Meu ventre para as poderosas correntes que hoje acorrem em auxilio a este campo de experiência.
Compreendam, a guerra já foi vencida, não há mais dois lados neste processo.
Compreendam, apenas impera a Minha Natureza divina e amorosa.
Aceitem, não é mais momento de lutar, rejeitar ou combater.
Este é o momento de conscientizar-se como Meus Bodhisattvas, como Meus Budas da Compaixão enviados a esta superfície, enviados a esta experiência para aqui irradiar o Ser perfeito que nós somos.
Este é o Meu presente hoje para vós: que tudo o que necessitardes para realizar vossa Natureza Divina vos será concedido prontamente e sem demora, desde que estejais na disposição ao serviço, desde que aceiteis Meu convite à vossa Natureza que se revela.
Isto não é uma condição para o Amor, Meus filhos.
Quando vocês vivem a aceitação de Meu convite, vocês o compreendem.
Tudo está disponível desde que vocês aceitem o que está disponível, mas se vocês se recusam a aceitar, quem os obrigará?
Certamente não Eu, certamente nenhum de Meus filhos e filhas que vos acompanham. Apenas vocês podem dar este passo para dentro, apenas vocês podem acolher o mundo que Eu vos proponho, um Reino de Unidade, um Reino de Amor ilimitado, um Reino de libertação e liberdade.
Aqueles que se põem sobre seus dois pés e se levantam em resposta ao Meu chamado, Eu vos consagro hoje como Meus Bodhisattvas, como Meus canais de irradiação de paz e amor para este mundo.
Lembrem-se, não tinjam estas palavras com as noções mentais de orgulho, não tinjam estas palavras com as colorações mentais de superioridade.
Ser um Bodhisattva da Compaixão hoje é Ser apenas, em serviço à criação, em serviço à Minha manifestação.
Um serviço não de atos, um serviço não de palavras.
Um serviço de entrega, um serviço silencioso de irradiação e acolhimento amoroso.
Estas palavras devem ser levadas ao recôndito de seu interior, iluminadas pela luz da Chama de Meu Sagrado Coração de Fogo.
Neste recinto oculto aos olhos da mente, Eu vos conduzirei neste processo.
Eu vos abrirei todas as portas e vos revelarei todos os mistérios até então escondidos.
Eu vos ponho em contato com vosso Útero Cósmico, Eu vos devolvo a vossa Família Estelar para que nessa fusão com a Fonte possais viver a fusão com a Fonte das Fontes, Eu mesma, a Mãe Universal que vos acolhe, vos abraça e vos impulsiona para adiante neste dia.
Minhas palavras são Letras de Fogo gravadas em vosso coração, Minhas palavras são signos de Fogo gravadas no Éter deste planeta.
Elas não serão esquecidas e este dia será lembrado pela eternidade como o dia em que Minhas flores de lótus enfim floresceram sobre a lama do esquecimento, sobre a lama da ignorância.
Eu vos abençoo com um dom.
Eu vos abençoo com o dom da verdadeira Compaixão.
A verdadeira Compaixão não é sofrer o sofrimento do outro, a verdadeira Compaixão é acolher o sofrimento do outro e siderá-lo no Fogo de Meu Sagrado Coração.
Eu vos revelo esta virtude neste dia porque os próximos passos desta humanidade assim necessitam: que flores de lótus se abram acima da lama do esquecimento e da ignorância e permitam que a fragrância de Meu Amor Divino se espalhe e tudo impregne.
Esta benção Eu deixo em vós.
Recordai nossa Natureza Divina, recordai nossa Unidade.
Neste silêncio, neste acolhimento amoroso e nesta fusão, vocês sempre poderão encontrar em Mim toda a força de que necessitais, toda a sabedoria que precisais para concluir e conduzir ao fim o processo da sacralização de vossa matéria.
Eu vos abençoo e lhes digo até sempre.
Sejam abençoados na Chama de Meu Coração.
Mãe Divina
 
Mensagem da Amada e Divina MÃE DIVINA recebida e transmitida por Agnimitra Om, do Coletivo dos Filhos da Lei do UM:
27 de junho de 2013
***
Transcrição e edição: Zulma Peixinho