segunda-feira, 18 de março de 2013

QUEM É O DR. FRITZ , O "PAI" DA CIRURGIA ESPIRITUAL

 

Conhecendo o Dr. Fritz





Nascimento de Adolf Friedrick Fritz

No ano de 1853, em Munich, na Alemanha, encarnava uma criança batizada pelo nome de Adolf Friedrick Fritz. Foi para Polônia aos quatro anos de idade, pois seu pai tinha asma e os médicos recomendavam mudar de clima. Era uma família rica em bens materiais e pobre de amor. Desde cedo foi privado da presença de sua mãe, pois desencarnou cedo, e logo depois seu pai, ficando tutelado pelos avós (clique para relacionar os fatos espirituais ocorridos nesse ano).

Por causa de alguns desentendimentos entre os avós Adolf passou a lutar com dificuldades para estudar tendo que trabalhar desde cedo. Enquanto juntava ração, feno e alfafa numa fazenda pertencente à faculdade para poder pagar seus estudos, levava consigo os livros que versavam sobre medicina.

Mas para o jovem Adolf, que desde a infância quis ser médico isso não foi obstáculo e dedicou-se muito para acompanhar os estudos difíceis na Faculdade de Yverdun, na Suíça.

No auge da realização de seus sonhos, aos 28 anos de idade, quando faltava um mês para se formar na especialização de cirurgia foi procurado por um general que trazia nos braços sua filhinha dizendo que precisava de uma operação rápida senão ela morreria. Assim foi feito, mas, dias depois a menina começou a arder em febre e por mais que ele envidasse esforços por noites incansáveis de vigília, adormeceu, e a menina faleceu. O general o culpou do acontecido e o manteve preso em prisão subterrânea, e na solitária açoitou-o e torturo-o por longo tempo.

Na prisão o jovem Dr. Adolf permaneceu por alguns anos trazendo no coração uma mágoa e que foi por vezes amenizada pela luz do espírito de uma criança que o visitava na prisão, era a filha do general desencarnada bem como Fabiano de Cristo, seu mentor espiritual que o assistia confortando seu coração para que não conservasse os sentimentos que o desviaria de sua missão.

Um dia, como que por acaso, sua cela amanheceu aberta e ele conseguiu fugir para a Estônia, onde passou cerca de trinta anos aperfeiçoando seus estudos na área de cirurgia.

Com aproximadamente 61 anos foi recapturado e mandado para o "front" da 1ª Grande Guerra Mundial como médico cirurgião.

Sua luta foi maior daí por diante, pois com poucos recursos conseguiu fazer diversas cirurgias utilizando parafusos de tanques de guerra, transplantando os membros dos soldados feridos. E na guerra durante um atendimento a pacientes em um acampamento-hospital improvisado, sob fogo cruzado do inimigo, um soldado tombou sangrando muito, e ele, compadecido, avança com a cruz vermelha no braço, procurando socorrer o agonizante, mas naquele instante um estilhaço de explosão de granada o atingiu na face esquerda, levando para o plano espiritual aquele eminente médico em 29 de Novembro de 1918, com 65 anos de idade.

Adolf Friedrick Fritz, logo após o seu desencarne

O exército alemão estava sendo derrotado, as baixas eram muito grande e no plano espiritual aqueles soldados desencarnados, mas ainda pelo choque e as carregadas vibrações do ambiente, não tinham consciência do desencarne.

No mundo espiritual, ainda em convalescença, um dos superiores lhe disse: - "Prepare-se, desça conosco à Terra, pois lá você será mais útil que aqui e a situação exige, é a guerra!". Nem mesmo havia terminado o tratamento de recuperação dos sofrimentos adquiridos pelo desencarne e já se encontrava no mesmo local, socorrendo novamente sob o fogo cruzado encarnados e desencarnados, mas agora em espírito, livre dos estilhaços.


Socorro espiritual por Fabiano de Cristo

A mágoa que trazia, bem como as lembranças da guerra fizeram com que Dr. Adolf não enxergasse nada além da dor e sofrimento à sua frente, permanecendo assim durante alguns anos no ambiente umbralino na parte escura que havia se agravado pelas guerras e discórdias no planeta. Até que um espírito amigo com seu traje de franciscano começou a fazer-lhe visitas constantes, orientando-o sempre a ter esperança e fé em Deus, e ia embora. Até que um dia Dr. Adolf inquiriu de quem se tratava, e o enfermeiro franciscano com doces palavras disse-lhe:

“Meu nome é Fabiano de Cristo seu irmão, reconhecido em Jesus”

“Eu preciso sair dessa escuridão eu quero luz, dê-me luz” – falou desesperadamente.

E Fabiano então respondeu com afabilidade e firmeza:

“Se você quer luz meu filho, então faça luz”.

E logo após entender o significado daquelas palavras, Dr. Adolf foi se preparando a fim de se livrar das trevas que trazia consigo até que foi conduzido à Casa Transitória Fabiano de Cristo, na espiritualidade onde a magoa que estava no seu coração desapareceu; dando lugar ao amor e a vontade de trabalhar no plano material, onde criaria uma casa de assistência tão bonita e caridosa quanto aquela que lhe auxiliava no plano espiritual.

Depois de passar por um longo tratamento e receber através do aprendizado as orientações, passou a trabalhar em favor do próximo.

Desde então Dr. Adolf procurou grupos de pessoas no Brasil, Terra amada de Fabiano de Cristo, para o cumprimento de sua tarefa e a construção de um Hospital Espírita com o nome de Fabiano de Cristo. Encontrou várias pessoas dedicadas ao bem e junto delas, vem desenvolvendo um trabalho bem feito com amor, compreensão e dedicação, junto aos pacientes de toda ordem.


O convite de Dr. Bezerra de Menezes

Dr. Bezerra de Menezes o convida e prepara caminho para que os trabalhos Socorristas no plano espiritual realizado pelas diversas equipes, divididas por especialidades, mas unidas no propósito do bem comum, e a pluralidade das existências humana sejam difundidas e provadas para o mundo inteiro.

Esta seria a segunda grande missão do Dr. Bezerra de Menezes, após a construção e edificação da FEESP (Federação Espírita do Estado de São Paulo).

Inspirado pelo Plano Espiritual Maior e tendo o amparo de Francisco de Assis que designa o Espírito de Antônio Francisco Lisboa(Conhecido como Aleijadinho), para amparar o médium José de Freitas(Zé Arigó), pois deveria este suceder e dar continuidade nessa missão mais tarde. (*Dr. Romano nos informou que o Aleijadinho teria reencarnado como Sérgio Eduardo Miranda e segundo o pedido que fez a São Francisco de Assis, que fosse na véspera do Natal do ano de 1950 - Acompanhou o trabalho de Arigó preparando-se durante quase 30 anos, reencarnado em seguida para cumprir sua missão).

Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho 1730-1814)

Vários trabalhadores espirituais são também chamados para acompanhar Dr. Adolf que ficaria mais conhecido por Dr. Fritz.


Inicia então sua trajetória de trabalho com o Médium José Pedro de Freitas (Zé Arigó)

José Pedro de Freitas, Zé Arigó, nasceu em 18 de outubro de 1921 na Fazenda do Faria, localizada a 6 quilômetros de Congonhas. Teve infância semelhante a dos meninos pobres da sua geração, e os poucos recursos da sua família não lhe permitiram estudos além do terceiro ano primário. Aos quatorze anos se empregou na Companhia Atum (hoje Mineração Casa de Pedra, da CSN) onde trabalhou durante seis anos.

O apelido foi dado por amigos freqüentadores de um bar que Arigó tinha, no centro da cidade.

Por volta de 1950, Zé Arigó começou a apresentar reações mediúnicas que o perturbavam de modo peculiar: fortíssimas dores de cabeça, insônias, transes e visões que o levaram perto da loucura. E uma voz que o acompanhava onde quer que fosse. Não compreendendo o que lhe ocorria, passou a visitar diversos médicos, sofreu durante três anos a desarmonia de sua mediunidade. Um dia, a voz do espírito que o acompanhava, o levou ao estado de desdobramento da alma em consciência e ele pode ver um personagem calvo, vestido de avental branco e supervisionando uma equipe de médicos e enfermeiros em uma enorme sala de cirurgia. Apesar do espírito falar uma língua que Arigó não conhecia, ele o compreendia perfeitamente. Dr. Fritz o escolhera para realizar as curas e fez das suas mãos rudes acostumadas a lidar com grosseiros instrumentos de trabalho, mãos hábeis, capazes de manejar bisturis e agulhas. A partir daí, Congonhas passou a receber milhares de pessoas e caravanas do Brasil e do exterior, em busca de cura onde a medicina tradicional não poderia ajudar.

Muito interessante a ligação entre os espíritos de Antônio Francisco Lisboa(Aleijadinho) e Zé Arigó.

Através dos séculos a estatuaria do Mestre Aleijadinho, exerceu inimaginável influência nas populações rurais da região, atraindo-as para a Igreja que se tornou verdadeiro centro de fé, onde milhares de pessoas doentes e a procura de ajuda, acorrem ao Santuário como os mendigos e leprosos do tempo de Jesus afluíam ao lago de Betsaida.

E os milagres se multiplicam de ano para ano, consagrando cada vez mais o carisma, a graça Divina que assinala Congonhas. (*) Dr. Romano aqui nos orientou, que Zé Arigó estaria dando seguimento a missão que Aleijadinho teria começado, e esse, mais tarde reencarnaria para completar a missão assumida pelos dois espíritos.

JK e Zé Arigó

Carlos Leite havia sido chamado ao Palácio Da Liberdade pelo nosso Governador de então, JK, para dar um parecer sobre o problema que a menina Márcia, filha do governador, apresentava na sua coluna vertebral. Carlos Leite pensava que Márcia fora vitimada pela prática do Ballet Clássico conduzida ineptamente, de forma amadora e fora da idade tradicional ( 7 ou 9 anos de idade) exigida pelas grandes academias de Ballet Clássico do mundo inteiro.
“ A criancinha ainda não possui ossatura resistente, são quase cartilagens....” exaltava o Mestre, “ Sapatilhas de ponta? JAMAIS! “
E outros itens perigosos nos foram apresentados .A Dança que curou as deformidades , os danos produzidos pela poliomielite nas pernas de Alicia Markova, uma das Primas Ballerinas mais famosas da História da Dança mundial, mostrava , infelizmente, em Márcia Kubitsheck o seu lado terrível “ O que conserta também pode aleijar, danificar para sempre, se mal administrado”......

Márcia relatou-me, na ocasião do tal jantar, que o seu pai a levara aos maiores e melhores especialistas, em vão!
Presa ao leito, com o pai já Presidente do Brasil, sofrendo todas as dores e sanções que o seu problema acarretava , alguém um dia se lembrou de dizer ao JK: “ Presidente, por que o senhor não leva a Márcia para o Zé Arigó examinar, ele não é o seu conterrâneo milagreiro? “
Juscelino achou bem lembrada a sugestão e chamou Arigó ao Rio De Janeiro.
O “curador” examinou Márcia e sabiamente concluiu: “ Eu curo a sua filha, mas......no meu terreiro, onde está fincado o meu poder!”
“ Papai, Arigó e eu, contou-me a Márcia,fomos para Congonhas, de avião. Fui deitada e voltei andando sobre os meus próprios pés, sem dor alguma. Nunca mais tive nada!”
“Mas fui alertada por Zé Arigó, prosseguiu: “ Dança: NUNCA MAIS !”

Arigó enfrentou diversos problemas de ordem religiosa e legal. Numa cidade tradicionalmente católica como Congonhas, não foi fácil romper barreiras e trabalhar dentro da linha do Espiritismo, mesmo assim, ele não criou inimizades com o clero. Já no plano legal as coisas foram mais complicadas. Foi processado em 1956 pela Associação Médica de Minas Gerais, acusado de curandeirismo. Foi condenado a 15 meses de prisão e recebeu indulto do Presidente Juscelino Kubitscheck. Em 1962 foi preso durante sete meses em Conselheiro Lafaiete, por exercício de medicina ilegal. Continuou sua missão dentro do presídio e voltou a Congonhas ainda mais prestigiado. Vários médicos renomados do mundo inteiro (inclusive da NASA) estiveram em Congonhas estudando o fenômeno e constataram que 95% dos diagnósticos de Zé Arigó eram corretos e seus feitos relativamente explicados através da parapsicologia.

(*) Recomendamos a leitura do livro: Arigó Vida, Mediunidade e Martírio - J. Herculano Pires

Zé Arigó previu a própria morte, que aconteceu em 11 de janeiro de 1971, num acidente automobilístico na BR-040.

Retorno de Zé Arigo ao plano espiritual

No plano espiritual, o nosso Zé Arigó desprendido da matéria, e depois de algum tempo com Dr. Adolf, passa a compreender melhor a sua missão, pois relembra o período que viveu na Alemanha, e como teria cometido vários erros, inclusive com o Dr. Adolf Friedrick Fritz..

Mas o médico caridoso e amigo, tinha prometido para si mesmo que ajudaria principalmente a todos os que Deus permitisse reencontrar.

Zé Arigó, relembra também sua experiência na medicina e passa a integrar a equipe de socorro.

Dr. Fritz com uma equipe formada de centenas de trabalhadores, começa a se preparar para uma nova fase de sua missão.

Em comunhão e amparo de grandes grupos de espíritos abnegados na causa de Jesus, recebe do plano espiritual maior, através de Fabiano de Cristo a seguinte mensagem de São Francisco de Assis:

Meu querido filho e servidor de nossa causa em Jesus Cristo.

Utilizando da alavanca do trabalho, abristes caminho em direção a luz.

Honrastes o uniforme médico que usas na caridade e devoção em favor do teu próximo.

A luz que se fez em teu coração, liberta-te de todo o passado que o encarcerava entre as grades da mágoa.

Cumpristes bem a tua missão, esquecendo de ti mesmo e socorrendo teu próximo nos mais altos tributos de amor, compreensão e dedicação.

Teu nome, FRITZ , será lembrado eternamente ao lado do abnegado apóstolo BEZERRA DE MENEZES.

Agora, muitos irmãos no mesmo ideal de amor, utilizarão teu nome para levar ao mundo, a mensagem de nosso Senhor Jesus Cristo.

"AMAI-VOS UNS AOS OUTROS"

Nosso Pai, conhecedor do nobre anseio do teu coração em desejar resgatar teus irmãos.

Deferiu permissão e terás muita ajuda.

Agora vosso grupo de trabalho multiplicar-se-á em milhares de irmãos que aprenderão novas técnicas de socorro, que em consolidando com as virtudes do evangelho, reencarnarão nas próximas décadas, levando aos nossos irmãos em transição na terra, as bênçãos do amor maior em forma de socorro.

Deverás apresentar-te agora ao mundo, entre os modestos trabalhadores de todas as comunhões espirituais, prestando o socorro em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.

Louvemos as mãos abençoadas de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos alcança a todos.

Francisco de Assis


Dr. Fritz adota o pseudônimo de Dr. Romano e começa mais uma etapa de sua missão

Sua equipe de trabalho esta perto de 2.500 trabalhadores no plano espiritual, com grandes conhecimentos na área médica e ligados a Casa Transitória no plano espiritual (conhecida por Hospital Fabiano de Cristo).

Recebendo grande conhecimento e desenvolvimento de várias práticas que auxiliarão seus irmãos no meio físico.

Grande número de médicos estão sendo intuídos no meio físico para que seja observado melhor a terapia e ou cirurgias no perispírito, através dos passes, da acupuntura e da homeopatia.

Técnicas de cirurgias sem sangramento, um processo combinado de ionização do sangue e eletromagnético para o controle da hemorragia, serão trazidos por médicos que já estão reencarnando para trazer as novidades.

Inicia então sua trajetória de trabalho com o Médium Sérgio Eduardo Miranda

SERGIO EDUARDO MIRANDA

24.12.1950 - filho de Vicente Miranda e Luiza dos Anjos Miranda, nascido na cidade de São Paulo, à Rua Félix Guilhem, Lapa tendo 6 irmãos.

Dos 2 aos 4 anos foi acometido de paraplegia, a qual regrediu e desapareceu após uma promessa que sua mãe, muita católica na época, fez à São Judas Tadeu. (*) Dr. Romano nos orientou que o perispírito do nosso irmão, trazia ainda compromissos cármicos de suas encarnações passadas. A Interseção das preces fervorosas da mãe e o amparo dos espíritos que o acompanhariam em sua missão, o auxiliaram provendo a seu restabelecimento.

Aos 7 anos brincava com espíritos de aparência de criança, bem como parentes já desencarnados. Aos 8 e 9 anos conversava com os espíritos durante atividades rotineiras como lavar pratos, por isso foi levado a diversos profissionais da área de saúde mental, sendo tratado com ineficácia, então, procurou não comentar mais o que via, já que os outros não viam também.

Estudou apenas até a 3ª série do ensino fundamental encerrando seus estudos aos 12 anos ingressou num seminário de padres seculares, já mostrando sua tendência religiosa. Nesta época teve a primeira vidência de seu mentor espiritual, Pae Benedito, mas por falta de informação pensou ser São Benedito.

Conversava também com o espírito de Padre Antônio Vieira, que o ajudava muito nas redações que tinha que fazer. Aos 13 anos, transferiu-se para o seminário Salesianos em Campinas, lá conversava com o espírito de Frei Sant'Ana Galvão que o inspirava na vida religiosa e na prática da caridade.

Aos 14 anos, transferiu-se para a cidade de Lavrinhas, e neste lugar conversava com o espírito de um dos padres fundadores da instituição que havia desencarnado há 12 anos atrás. Quando falou para um dos superiores do seminário, que havia conversado com aquele, homem do quadro (apontando para o fundador desencarnado), o superior resolveu afastá-lo. Após alguns exames psicológicos, constatou-se que Sergio era um sensitivo, então o superior disse que ali não seria o seu caminho.
Então Sergio procurou alguns terreiros de cultos afro-brasileiros, desenvolvendo sua mediunidade nestes locais.

Aos 16 anos aproximou-se de Dona Emília Ricci que passou a educar e orientar sua mediunidade nos moldes Kardecistas. Aos 18 anos começou a ser intermediário do espírito de Alberto Ricci (Irmão Cadênsio), marido desencarnado de Emília Ricci, que começou a prepará-lo para a formação de um grupo de trabalho, o qual 2 anos mais tarde foi fundado com o nome de CADSEM "Campanha de Auxílio aos Doentes Serviço Espiritual e Material"

No ano de 1972, em um dia de trabalho normal do Grupo Espírita "CADSEM", onde trabalhavam nossa irmã Emília Ricci, presidente da Casa, e nosso irmão Sergio, médium em atividade, ocorre um fenômeno de materialização.

Estando nossos irmãos concentrados cai sobre a mesa, após vir em forma de luz, uma cruz, Sergio disse a Dona Emília:

- É Dona Emília, mais uma tarefa para senhora.

E nossa irmã Emília diz ao nosso irmão Sergio:

- Filho, pegue esta cruz, pois esta missão é sua!
Bastante impressionado nosso irmão pega a cruz e não sente mais nada. No mesmo instante o espírito de Dr. Romano incorpora no médium Sergio, trazendo sua mensagem de trabalho:

- Meus irmãos venho iniciar uma nova etapa nos trabalhos desta Casa. Organizem uma equipe de trabalho, que darei as diretrizes de como agir. Realizaremos um trabalho de atendimento as pessoas vítimas de doenças físicas e espirituais. Confiem em Jesus, estudem Kardec e sigam esta tarefa!

Com sotaque alemão, mal se conseguindo entender o que o espírito dizia, o grupo de trabalho CADSEM inicia os atendimentos espirituais com o espírito de Dr. Romano.

Ficando a Casa pequena demais para dar continuidade aos trabalhos, Dr. Romano orienta que se compre outra Casa para poder dar atendimento a todos que procurassem esse trabalho.

Aos 24 anos inicia-se o trabalho de Dr. Romano junto ao médium Sergio Eduardo Miranda.

Dr. Romano indica a Sergio e seu amigo Carlos Alberto Drago para que fundem o Núcleo Espírita Cristão. Em 1º de abril de 1974, iniciando os atendimentos em um dos compartimentos da casa de Sergio.

Pouco tempo depois foi comprada uma casa na Rua Francisco Alves, onde os atendimentos se avolumaram, desde então, Sérgio procura seguir as orientações da codificação kardequiana e da espiritualidade na prática da caridade que é o principal ensinamento moral do Espiritismo.
Por intermédio do médium Sergio Eduardo Miranda, atendeu aproximadamente cerca de 90 mil pacientes até o ano de 2003.

Na espiritualidade assume uma ala do grande complexo espiritual "Casa transitória Fabiano de Cristo"

Dr. Romano incentiva o grupo a começar a construção de um Hospital.

Este hospital teria por objetivo atender a classe da população carente, uma vez que todo o trabalho dentro dele seria voluntário.

Em 1978, essa idéia e repassada pelo Médium Sérgio Eduardo Miranda, amadurecida e a partir de 1992, é constituído juridicamente o HOSPITAL ESPÍRITA FABIANO DE CRISTO, com a finalidade de ser um hospital de retaguarda.
 
Fonte:http://entendendooespiritismo.blogspot.com.br/2009/03/conhecendo-o-dr-fritz.html
 

DR FRITZ SEGUNDO O ESPIRITISMO


Chico Xavier fala sobre as cirurgias espirituais de Dr. Fritz (VÍDEO)
e Simultaneidade de Manifestações (Dr Fritz)



 

Dr. Fritz

Dr.Fritz é um fantasma que invade o corpo de Brasileiros e torna-os curandeiros. A primeira vitima, Zé Arigó (1918-1971), informou o mundo de que estava a canalizar o Dr. Adolf Fritz, um médico alemão que morrera na Primeira Guerra Mundial. A procura deste Adolf Fritz foi menos bem sucedida do que a procura de Bridey Murphy. Nenhuma prova da existência dele foi encontrada. Não importa. A fé em curandeiros é grande no Brasil, e Arigó tornou-se famoso como curandeiro ou shaman. Pensou-se que estivesse possuido pelo demónio mas afinal era um médico alemão defunto que, por razões conhecidas apenas por Arigó e Deus, tomou o corpo de Arigóe começou a passar receitas ilegiveis a pessoas doentes. Só o irmão de Arigó, um farmaceutico, conseguia ler as receitas. Pessoas vieram para serem curadas pelo Dr. Fritz. A sua reputação aumentou quando alegadamente fez uma cirurgia psiquica e removeu um tumor do pulmão de um senador brasileiro. Durante vinte anos a fama de Arigó espalhou-se enquanto "curou" milhares de pessoas, incluindo a filha do presidente do Brasil. Apesar da fama, foi duas vezes condenado da prática ilegal de medicina. Arigó morreu num acidente de automóvel em 1971.
O Dr. Fritz não tinha terminado, contudo o seu trabalho, e depressa passou para o corpo de outro brasileiro, e quando este morreu de acidente, o Dr. Fritz invadiu outro corpo. Fez isto várias vezes. Duas das suas mais célebres invasões foram os corpos de Edson Queiroz do Recife e Rubens Farias Jr. (1954- ) de São Paulo, o actual canal do Dr. Fritz. Correm rumores de que Christopher Reeve foi tratado por Rubens Farias Jr. A ultima versão do Dr. Fritz é bem educado e cura o corpo astral. Rubens Farias Jr. parece ter abandonado o seu treino católico pelos ensinamentos de Rudolph Steiners ou pela teosofia de Madame Blavatsky. Como eles defende um misticismo que sustenta que o corpo astral, um duplicado do corpo fisico, é o que deve ser tratado quando uma pessoa está doente. O corpo fisico pode ser curado tratando o corpo astral com "energia curativa." Mas só misticos especiais podem fazer isso. Infelizmente, o Dr. Fritz prediz uma morte violenta para Farias Jr. pelo que não continuará as suas magias muito mais tempo.
Apesar de ser acusado da prática ilegal de medicina, Farias Jr. tem longas filas de pessoas à espera de ser curadas. A crença em feiticeiros no Brasil é traçada desde a religião Afro-Brasileira do Candomblé, mas o ultimo Dr. Fritz mostra que os brasileiros não estão imunes às noções misticas da Nova Era.

Randi, James. An Encyclopedia of Claims, Frauds, and Hoaxes of the Occult and Supernatural , (N.Y.: St. Martin's Press, 1995).
http://brazil.skepdic.com/drfritz.html


HISTÓRIA E  FATOS DO DR. FRITZ


Dr. Fritz é a denominação de uma entidade espiritual que, segundo crença religiosa, incorporaria
médiuns para efetuar tratamentos espirituais.[1] Obteve fama mundial através da mediunidade de José Pedro de Freitas (José Arigó),[1] a partir do final da década de 1950, no Brasil. Diversos médiuns em todo o país e na Europa já afirmaram manifestar o espírito de Fritz.

Biografia e lenda

Todas as informações acerca de Fritz provêm de supostas comunicações mediúnicas com o plano espiritual. Nenhum pesquisador jamais documentou a sua vida terrena.[1] Das descrições esparsas colhidas em comunicações através de diversos médiuns ao longo dos anos, emerge uma versão popularmente aceita de que [carece de fontes?] a entidade, em vida, teria usado o nome de Adolf Fritz,[1] nascido em Munique, na atual Alemanha, cerca de 1876. Seu pai, asmático, recebeu recomendação médica para mudar de clima. Por essa razão, a família mudou-se para a Polônia, quando Adolf teria quatro anos de idade. Forçado a trabalhar desde cedo pela morte prematura de seus pais, custeou os próprios estudos, vindo a se formar em Medicina. Um mês após a sua formatura, um general chegou ao seu consultório com a filha gravemente enferma nos braços mas, a despeito de todos os seus esforços, a menina veio a falecer. O oficial responsabilizou Adolf pela morte da menina, conduzindo-o à prisão, onde sofreu maus-tratos e privações. Evadindo-se da prisão, Adolf foi para a Estônia, onde viveu durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).
Outra versão dessa suposta biografia sustenta que Adolf ingressou no quadro de Saúde do Exército Alemão, no posto de Capitão, como Clínico Geral. À época da Primeira Guerra, teria atendido os feridos no campo de batalha onde, por falta de instrumentos adequados, acumulou experiência no atendimento de emergências e de prática cirúrgica utilizando os limitados recursos que o front lhe oferecia.
Adolf Fritz teria falecido em 1918, aos quarenta e dois anos de idade, embora se desconheçam informações sobre as causas e o local desse evento.

Os médiuns

Após deixar o plano físico, tendo sido esclarecido acerca de sua nova condição, Dr. Fritz teria iniciado o atendimento espiritual no Brasil, inicialmente através de uma irmã de caridade. Outros autores afirmam que esse início foi através de um médium na Bahia, o qual cobrava por suas consultas, o que teria prejudicado a relação.

 José Arigó

Ainda através de relatos esparsos, surgiu a versão de que Adolf Fritz e José Pedro de Freitas, encarnados à época da Primeira Guerra, haviam sido companheiros e amigos. Posteriormente, à época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), José Pedro teria encarnado no Brasil, tendo a entidade Dr. Fritz aqui vindo trabalhar a convite de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Afirma-se ainda que, após a desencarnação violenta, José Pedro teria passado a trabalhar como Enfermeiro na falange da entidade.
José Arigó, incorporando o espírito do Dr. Fritz, escrevia receitas em uma letra incompreensível, mas que conseguiam ser interpretadas por seu irmão, que era farmacêutico.[1] Arigó foi processado duas vezes por prática ilegal da medicina, e morreu em um acidente de carro, em 1971.[1]

Edivaldo de Oliveira Silva e Oscar Wilde

Após a morte de José Pedro de Freitas, em janeiro de 1971, num acidente de carro que o próprio médium previu, a entidade passou a se manifestar através dos médiuns baianos Edivaldo de Oliveira Silva (também nomeado como Edivaldo Wilde) e, após o seu falecimento, seu irmão, Oscar Wilde: numa trágica coincidência, a seu tempo, ambos também conheceram a morte em acidentes automobilísticos.
Edivaldo residia no estado da Bahia, onde lecionava. Quinzenalmente percorria cerca de oitocentos quilômetros para chegar ao Rio de Janeiro, onde atendia a centenas de pessoas que o aguardavam. Em seguida, viajava até Recife, de onde retornava para as suas atividades docentes, na Bahia[2].
Nascido em Vitória da Conquista, no estado da Bahia, Wilde atendia ao som da Ave-Maria e, como o seu antecessor, empregava como instrumento cirúrgico qualquer objeto perfuro-cortante, que podia ser um canivete ou uma faca de cozinha. Afirma-se que, no consultório que mantinha em um Centro Espírita, chegou a atender mais de 400 mil pacientes. Antes de falecer, Wilde também foi investigado pelas autoridades, chegando a ser acusado de charlatão pela Associação Espiritualista da Bahia.

 Maurício Magalhães

Ainda após a morte de José Pedro de Freitas, afirma-se que a entidade passou a se manifestar por intermédio da mediunidade do matogrossense Maurício da Silva Magalhães. O médium foi detido em flagrante, em fevereiro de 1998, em Braço do Norte (SC), acusado de exercício ilegal da medicina, charlatanismo e formação de quadrilha[3]. Tendo fundado hospitais e centros em Mato Grosso e Santa Catarina, atualmente atua em Uberaba (Minas Gerais).[carece de fontes?]

Edson Queiroz

Ao final da década de 1970, entidade passou a utilizar como veículo a mediunidade do pernambucano Edson Cavalcante Queiroz, um médico ginecologista. A seu turno, Edson também sofreu questionamentos por parte das autoridades, especialmente pelo Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (CREMEPE), que chegou a processá-lo por infringir o Código de Ética Profissional. Julgado, foi condenado e teve o seu registro profissional cassado. Dois anos mais tarde, em 1985, foi absolvido pelo Conselho Federal de Medicina.

Rubens Farias Júnior

Em meados da década de 1980, e particularmente após o assassinato de Edson Queiroz, a facadas pelo seu caseiro, em 1991, a entidade passou a se manifestar pela mediunidade do paulista Rubens Farias Jr., Engenheiro Eletrônico que residia no Rio de Janeiro. Dr. Fritz também prevê uma morte violenta para Rubens Farias Júnior.[1]

Aylla Harard

Em meados de 2003 a médium Aylla Harard passou a trabalhar com a entidade, realizando cirurgias espirituais a todos os tipos de problemas e atraindo multidões a Guaratinguetá e Caçapava, no interior de São Paulo onde o atendimento ocorre. Este não usa nenhum tipo de aparelho cortante.

Outros médiuns

Técnicas

As técnicas da entidade têm variado nas últimas cinco décadas, evoluindo do receituário instantâneo e das cirurgias empregando instrumentos perfuro-cortantes normalmente inadequados e sem assepsia, até outras técnicas de tratamento espiritual como o emprego de água fluidificada, passes, desobsessão, e outras. Chamavam a atenção o fato de as cirurgias, mesmo sob as condições sépticas mais adversas, apresentarem reduzido ou nenhum sangramento, ausência de infecção pós-operatória, rápida cicatrização dos cortes sem necessidade de suturas, redução ou mesmo ausência de dor durante os procedimentos.

Referências

  1. a b c d e f g h Skeptic's Dictionary, Dr. Fritz [em linha]
  2. Terra dos fenômenos paranormais. Revista Planeta, n° 76, jan. 1979, p. 11-16.
  3. Polícia liberta auxiliares de Médium: Homem que diz incorporar Dr. Fritz continua preso. A Notícia, 18 fev 1998. Consultado em 27 jan. 2009.
  4. Homem que incorpora Dr. Fritz tem a prisão decretada. in: Campo Maior em Foco, 25 Abr 2010. Consultado em 7 Abr 2011.
  5. Federação Espírita de AL se manifesta contra homem que incorpora Dr. Fritz O Jornal Alagoas, 8 Out 2010. Consultado em 7 Abr 2011.

Bibliografia

  • ALVARENGA, Luiz Otávio. Curas Espirituais e tratamentos mediúnicos (Coleção Profecia, nº 5). Rio de Janeiro: Ediouro Publicações S/A, .
  • COMENALE, Reinaldo. "Zé Arigó", oitava maravilha. Belo Horizonte: Ed. Boa Imagem, 1968. 208p. il. [tradução de Enrique Martin Blanco; prefácio de Chico Xavier]
  • FULLER, John Grant. Arigo: surgeon of the rusty knife. New York: Thomas Y. Crowell, 1974. 274p. [prefácio por Henry K. Puharich, MD] ISBN 0690005121
  • PIRES, J. Herculano. Arigó: vida, mediunidade e martírio (4a. ed.). Capivari (SP): Eme, 1998. 193p. ISBN 8573530499
  • GONZALEZ-QUEVEDO, Oscar (Pe.). Curandeirismo: Um Mal ou Um Bem?. São Paulo: Ed. Loyola, 1976.
  • MAKI, Masao. In Search of Brazil's Quantum Surgeon: The Dr. Fritz Phenomenon. Redwood, N.Y.: Cadence Books, 1998.
  • PLAYFAIR, Guy Lyon. The Flying Cow: Research Into Paranormal Phenomena in the World's Most Psychic Country. London Souvenir Press, 1975 ISBN 0285621602
  • RENAULT, Frank. Médiuns, Espíritas e Videntes: seus segredos e poderes. Rio de Janeiro: Editora Tecnoprint S/A, 1984. 112p. il.

 Ver também

 Ligações externas

 

História do Dr. Fritz no Brasil vira tema de livro de norte-americano



O Dr. Fritz é tema central de “The Channel”, de autoria de Frederick Schnurr.


O livro do escritor Frederick Schnurr, que morou no Brasil, é uma ficção baseada na vida do Dr. Fritz.

O livro do escritor Frederick Schnurr, que morou no Brasil,

é uma ficção baseada na vida do Dr. Fritz.




  
O famoso Dr. Fritz, que muitos acreditam ter sido um médico alemão, virou tema central de um livro. Escrito pelo americano Frederick Schnurr, “The Channel” é um romance que reúne mediunidade e problemas ambientais da atualidade.

Este é o primeiro livro de Schnurr, que morou no Brasil e fala português fluentemente. O autor contou que tomou conhecimento da história do Dr. Fritz através de um grande amigo no Brasil. A inspiração para criar a personagem Paco Callao veio da época em que o escritor morou no México.

Segundo crença religiosa, o Dr. Fritz é uma entidade espiritual que incorpora médiuns com o objetivo de realizar cirurgias espirituais. Tornou-se famoso mundialmente depois que supostamente incorporou em José Pedro de Freitas, o José Arigó. Na versão popular, o Dr. Fritz foi na verdade Adolf Fritz, médico nascido em Munique em 1876. Outra versão diz que Adolf atendeu feridos no campo de batalha da Primeira Guerra Mundial.

O escritor já se prepara para as eventuais controvérsias do tema. “Claro, pode causar”, disse ele, que alimenta mais ambições. “Espero que seja transformado num filme”.

Para poder escrever a obra de ficção, Schnurr leu um livro sobre o Dr. Fritz, escrito por um japonês, e conversou com David Sonnenschein, cineasta que dirigiu o documentário “Dr. Fritz – A Cura do Corpo e do Espírito”. O filme fala sobre Rubens Faria Júnior, médium que diz incorporar o Dr. Fritz e que foi acusado de charlatanismo.

Mexendo com a imaginação do leitor
 No livro de Schnurr, o Dr. Fritz incorpora no mexicano Paco Callao. O imigrante ajuda a salvar a vida de Cassie Rothson e do filho dela, depois de um acidente de automóvel. A missão de Dr. Fritz é ainda de alertar o mundo sobre um desastre ambiental.

A inclusão do tema meio ambiente é justificada por Schnurr. “Baseado no meu interesse político”. Frederick explicou que não tem experiências pessoais em relação ao Dr. Fritz, e que só tinha a intenção inicial de ‘bolar’ uma boa história. “O que o leitor acredita ou não, de fato não dou bola”.

Segundo Schnurr, o livro passou pelo crivo de ninguém menos que Stephen King, um dos mais notáveis escritores de contos de horror fantástico e ficção. “Me sinto satisfeito com os personagens principais”. A obra tem diálogos em português, espanhol e alemão. O rascunho do segundo romance, que é sobre um tema diferente, já está sendo preparado.

“The Channel” pode ser adquirido pelo site
www.amazon.com.
 
Fonte:http://www.comunidadenews.com/cultura/
 
Sobre Dr. Fritz

Dr. Adolph Fritz nasceu em 1861 em Dantzig na Polônia e foi criado na Alemanha. Filho de poloneses da família tradicional Yeperssoven, formou-se como médico na universidade de Berlim aos 26 anos de idade graduando-se como cirurgião.

Fritz é o sobre nome de Adolph Fritz Frederick Yeperssoven, hoje esse espírito de luz serve a Deus junto com a sua filha Sheila.

Dr. Fritz alistou-se com a patente de capitão e deu baixa como major medico aos 40 anos de idade, portanto, teve que escolher a sólida reputação como cirurgião médico em Munique, optando pelas trincheiras enlameadas do campo de batalha. Promovido ao posto de coronel médico, Adolph Fritz chefiava um hospital de campanha em Tannenberg, onde tinha uma desordenada clientela de homens feridos e aleijados que tinham o endereço certo, o hospital do coronel-médico, em sua equipe havia dois capitães, Hausen Fritz, Joseph Ffritz Groeber, Sheila e dois cabos enfermeiros.

Durante o combate, Dr. Fritz e sua legião de soldado foram traídos pelos franceses, onde escapou de uma traição por causa de um soldado que defendera a sua vida dando em troca a dele. Este soldado chamava-se Wallacxon, e hoje reencarnado como Kleber Aran Ferreira.

Em 1914 acontecia A Batalha de Tannenberg, foi uma das mais sangrentas da 1º guerra mundial, morreram 125 mil soldados, entre eles, Dr. Fritz e sua equipe, que foram atingidos por um obus do tipo torpedo shell.

 

VÍDEOS