ABANDONE A IDÉIA DE SEGURANÇA - OSHO




Abandone a idéia de segurança

Uma pessoa autêntica simplesmente abandona a idéia de segurança e começa a viver em completa insegurança, porque essa é a natureza da vida. Você não pode mudá-la.

O que você não pode mudar, aceite, e aceite com alegria. Não bata a cabeça sem necessidade contra a parede; simplesmente, saia ou entre pela porta.





Osho, em "Intimidade - Como Confiar em Si Mesmo e nos Outros"

A vida é insegurança



Cada pessoa cria uma determinada segurança psicológica, sem saber que a sua segurança é a sua prisão.

As pessoas estão cercadas por todos os tipos de inseguranças; daí o desejo natural de criar proteção.  Essa proteção torna-se cada vez maior à medida que você fica mais atento aos perigos pelos quais está passando.

A sua cela na prisão vai ficando menor, você começa a viver tão bem protegido que a vida em si torna-se impossível.

A vida só é possível na insegurança. Isso é algo muito fundamental para se entender: a vida em sua própria essência é insegurança.

Enquanto você está se protegendo, está destruindo a sua própria vida. Proteção é morte, porque apenas aqueles que estão mortos nos seus túmulos estão absolutamente protegidos. Ninguém pode fazer mal a eles, ninguém pode ser injusto com eles. Não há mais morte para eles. Tudo o que poderia acontecer já aconteceu. Nada mais vai acontecer.
 
Osho, em "Intimidade: Como Confiar em Si Mesmo e nos Outros"
Imagem por saturnism
 
A beleza da insegurança
A vida é basicamente insegura. Essa é a sua qualidade intrínseca. Nada pode mudar isso.

A morte é segura, absolutamente segura. No momento em que você escolhe a segurança, sem saber está escolhendo a morte.

No momento em que escolhe a vida, está escolhendo a insegurança.

Com a segurança, com o conhecido, você fica entediado. Começa a ficar entorpecido.

Com a insegurança, com o desconhecido, com o inexplorado, você se sente extasiado, belo, criança novamente — mais uma vez aqueles olhos de admiração, mais uma vez aquele coração capaz de se maravilhar.
 

Osho, em "Faça o Seu Coração Vibrar"
 


Não chame de insegurança, chame de liberdade


Não estou aqui para dar a vocês um dogma — o dogma faz com que se tenha certeza. Não estou aqui para dar a você nenhuma promessa para o futuro — nenhuma promessa para o futuro transmite segurança.

Estou aqui simplesmente para deixá-lo alerta e consciente — isto é, para ficar aqui agora, com toda a insegurança que existe na vida, com toda a incerteza que existe na vida, com todo o perigo que existe na vida.

Sei que você veio em busca de uma certeza, de alguma doutrina, algum "ismo", algum lugar ao qual pertencer, alguém em quem confiar. Você está aqui por causa do medo que sente. Está procurando uma espécie de prisão bonita — de forma que possa viver sem nenhuma consciência.

Eu gostaria de fazer com que você se sentisse ainda mais inseguro, mais incerto — porque é assim que a vida é, é assim que Deus é. Quando há mais insegurança e mais perigo, o único jeito de reagir a isso é apelar para a consciência.

São duas as possibilidades. Ou você fecha os olhos e passa a ser dogmático, vira cristão, hindu ou muçulmano... e aí fica como se fosse um avestruz. Isso não muda a vida; é simplesmente fechar os olhos. Simplesmente faz de você um estúpido, alguém sem inteligência.

E nessa falta de inteligência, você se sente seguro — todo idiota se sente seguro. Na verdade, só os idiotas se sentem seguros. O homem que está verdadeiramente vivo sempre se sentirá inseguro.
Que segurança pode existir?

Osho, em "Coragem: O Prazer de Viver Perigosamente"
Imagem por
andjohan


Fonte: http://www.palavrasdeosho.com/