PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O BUDISMO TIBETANO

 

 

O que significa Ped Gyal Ling?

Ped Gyal é a forma abreviada de Padma Gyalpo, uma das oito manifestações de Padmasambhava (Guru Rinpoche), considerado o fundador do Budismo Tibetano. Assim Ped Gyal Ling siginifica “lugar de Guru Rinpoche”, nome auspicioso escolhido por Chagdud Tulku Rinpoche para o centro do Rio de Janeiro.

Como posso aprender mais sobre o Budismo Tibetano?

A forma mais segura para aprender sobre o budismo é ouvir a transmissão dos ensinamentos diretamente de um professor capacitado e autorizado para tal função.
Outras formas são: livros, filmes, textos e vídeos na internet.

Algumas sugestões de fontes de consulta:

Portões da Prática Budista – livro escrito por S.Ema. Chagdud Tulku Rinpoche(clique), fundador do Chagdud Gonpa. Traz os fundamentos da prática do Budismo Tibetano de forma ao mesmo tempo acessível e profunda.
Biblioteca Multimídia – 
área do nosso site com vídeos e textos(clique).
Práticas para iniciantes – todas segundas, terças e quintas às 19:30h temos atividades direcionadas a iniciantes(clique).
Centros de Prática – procure o centro mais próximo de você(clique) e descubra os dias em que há práticas para iniciantes. Muitos deles também têm sites com textos, fotos e vídeos para consulta.

Quem é o Dalai Lama?

Sua Santidade o Dalai Lama é o líder político do povo tibetano e líder espiritual de todos os budistas tibetanos. Como líder político, ele dirige o governo tibetano exilado na Índia desde a invasão comunista no Tibete na década de 50. Em seu papel de líder espiritual, ele serve como referência aos budistas tibetanos do mundo inteiro através de seus ensinamentos, sua orientação e de seu exemplo. Site oficial de Sua Santidade Dalai Lama:http://www.dalailama.org.br.

O que significa “lama”?

Lamas são os professores no Budismo Tibetano. São chamados assim devido a sua compaixão. Em tibetano, “la” significa mãe e “ma” significa elevado. Assim como uma mãe cuida de seus filhos e dá a eles tudo o que necessitam para a sua vida comum, o lama cuida de seus discípulos. Os ensinamentos do Budismo Tibetano afirmam que, ao ensinar o caminho para a completa liberdade do sofrimento, o lama oferece o cuidado mais elevado a seus alunos e, por isso, é chamado de “mãe elevada ou superior”.

O que significa Rinpoche?

A palavra “Rinpoche” significa “precioso” em tibetano e é usada para designar professores muito especiais porque possuem uma realização espiritual elevada.

Budismo é uma filosofia ou religião?

Não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. S.Ema. Chagdud Tulku Rinpoche costumava dizer que o conhecimento da filosofia embasa a prática religiosa. Ou seja, da mesma forma que é importante saber por que estamos meditando, também é fundamental que coloquemos em prática nas cerimônias e no dia-a-dia o que aprendemos intelectualmente.
Alguns professores preferem definir o budismo como um estilo de vida. O ponto principal é chamar nossa atenção para o fato de que a prática espiritual não é distinta ou separada das atividades do cotidiano.
É comum se considerar a prática espiritual como incompatível com nossas atividades comuns. No entanto, os grandes mestres afirmam que prática espiritual, em essência, significa termos um bom coração: desenvolvermos a habilidade e o hábito de lidar com o cotidiano propelidos por qualidades como a compaixão, bondade, amor, generosidade, paciência, respeito e tolerância. Assim construímos paz e harmonia internas e nos transformamos em uma fonte de benefício para os outros. Isso é a base para criarmos a interdependência ou causa para boas experiências no futuro desta vida e em vidas futuras.

O que é a dedicação de mérito?

No budismo, acredita-se que todo ato benéfico (seja em ações, palavras ou pensamentos), quando realizado com uma motivação altruísta, geram uma energia positiva chamada mérito. Podemos “dedicar” o mérito para todos os seres. A dedicação é uma atitude mental. Ela acontece quando desejamos que, pelo poder da energia positiva criada, todos os seres possam alcançar a completa liberdade do sofrimento e experimentar felicidade temporária e definitiva.
Esta é uma oração de dedicação de mérito escrita por nosso professor S.Ema. Chagdud Tulku Rinpoche:
“Ao longo de minhas muitas vidas e até este momento, todas as virtudes que eu tenha alcançado, inclusive o mérito gerado por esta prática e todas as que vier a conseguir, ofereço para o bem-estar dos seres sencientes. Possam a doença, fome, guerra e sofrimento diminuir para todos os seres enquanto sua sabedoria e compaixão aumentam nesta e em vidas futuras. Possa eu rapidamente alcançar a iluminação para trabalhar sem cessar pela liberação de todos os seres.”

Existem outros grupos de prática?

Sim, aqui você encontra uma lista de centros budistas ligados ao Chagdud Gonpa Brasil(clique). Além disso, no Brasil existem centros de outras escolas e linhagens. O site Dharmanet(clique) tem uma lista deles.

Por que o local é tão colorido?

Os métodos do Budismo Tibetano têm como visão o fato de que nossa verdadeira natureza é primordialmente pura. O templo, com seus ornamentos e cores, é uma expressão externa das qualidades dessa pureza. Dessa forma, sempre que olhamos para as cores e detalhes dos ornamentos nos recordamos das qualidades da nossa natureza autêntica. Cada ornamento, detalhes e cores têm um significado particular e profundo.

Quem foi Buda?

O Buda histórico nasceu ao norte da Índia no século VI a.C e recebeu o nome de Sidarta Gautama. Seu pai, Sudodana, governava o reinado dos Shakias e era casado com a rainha Maya.
Estudos astrológicos feitos quando Sidarta ainda era bebê previram que ele escolheria a vida de um asceta. Seu pai, determinado que o filho fosse o sucessor de seu trono, cercou-o com uma vida de riquezas. Sudodana nunca permitia que ele deixasse o palácio e atendia todos seus desejos. Sidarta cresceu cercado de pessoas jovens e saudáveis e, aos dezesseis anos, casou-se com Yasodara, uma princesa bonita e dedicada.

O mundo além dos muros do palácio

Já um pouco mais velho, Sidarta insistiu que o pai o deixasse passear fora do palácio. O rei deu instruções específicas ao cocheiro para que o príncipe somente visse coisas belas. Apesar da cuidadosa preparação, Sidarta encontrou, pela primeira vez, a dor da realidade humana.
Depois disso ele saiu do palácio várias vezes e, em cada um dos passeios, deparou-se com uma pessoa doente, um idoso e um cadáver. O testemunho da vulnerabilidade da vida humana deixou Sidarta triste e decepcionado. Ele, então, determinou-se a encontrar a completa liberdade do sofrimento.

Em busca da liberdade

Aos 29 anos, Sidarta abandonou a vida de príncipe e tornou-se um asceta em busca da verdade. Por seis anos, manteve uma vida de austeridade e seguiu os maiores mestres da Índia da época, estudando e aplicando seus métodos. Apesar do esforço e diligência, não encontrou a resposta para alcançar a completa liberdade do sofrimento.
Ele seguiu então para Gaia, um vilarejo indiano hoje conhecido como Bodigaia. Lá, após 49 dias e noites de meditação embaixo de uma árvore, alcançou o estado iluminado.

O que é Budismo?

Budismo, hoje, refere-se aos ensinamentos transmitidos no séc. VI a.C. por Sidarta Gautama, o Buda Shakiamuni. Em essência, Buda ensinou para as pessoas o caminho da sabedoria, isto é, como alcançar a completa liberdade do sofrimento, a iluminação. O potencial para se tornar um Buda é inerente a todos e, com desejo e empenho, é possível alcançar tal realização. Sabedoria ou prajna, em sânscrito, num sentido comum, significa natureza absoluta, “a mente em estado de absoluta normalidade”.

Em busca de sabedoria

Do ponto de vista do budismo, nossa mente não está no estado natural ou normal e, por isso, a percepção que temos de nós mesmos, dos outros e do universo é enganosa, confusa e ilusória. O propósito último do caminho é atingir o estado de sabedoria, de “normalidade”, a liberdade dessa percepção errônea que o budismo chama de ignorância.
Procurado por diversas pessoas, Buda ensinou de diferentes formas de acordo com a necessidade dos que o ouviam. Por essa razão, pessoas ou grupos diferentes receberam ensinamentos conforme o temperamento, personalidade, cultura, habilidade e conhecimento que possuíam.

Os Três Giros da Roda do Darma

A grande variedade de ensinamentos e métodos transmitidos por Buda Shakiamuni foi categorizada posteriormente como os “Três Giros da Roda do Darma”. “Darma” aqui é sinônimo de “ensinamentos do Buda”. Esses três discursos deram origem às três principais escolas budistas existentes hoje:
Hinaiana
Mahaiana
Vajraiana

Budismo Tibetano

Os ensinamentos de Buda Shakiamuni chegaram ao Tibete pela primeira vez no século V. Foi somente a partir do século VII, no entanto, quando o Rei Trisong Deutsen convidou da Índia o monge e erudito Shantarakshita e o Mestre Guru Padmasambava para construírem o Monastério de Samye (foto ao lado), que o budismo firmemente se estabeleceu no país das neves.
Durante a primeira fase de propagação do Darma no Tibete, surgiu a escola mais antiga do Budismo Tibetano, conhecida como Nyingma, palavra tibetana que significa “antigo”.

As quatro escolas

Posteriormente, após um período em que um dos reis tentou dizimar o budismo do país, houve um novo fluxo de mestres indianos e novas traduções de textos sagrados. Com isso formaram-se novas linhagens de práticas. Quatro escolas principais foram estabelecidas e são conhecidas até hoje:
Nyingma
Kagyu
Sakya
Gelupa

Através dos séculos, os ensinamentos de Buda Shakiamuni foram transmitidos de professor a aluno por meio das diferentes linhagens de práticas existentes nas quatro escolas principais. A pureza dos métodos se manteve porque os detentores dessas linhagens alcançaram realização e maestria das instruções recebidas.

Guru Rinpoche

É o mestre que levou a tradição do Budismo Vajraiana para o Tibete no século oitavo. Conhecido como o Senhor Nascido no Lótus, ele estabeleceu uma série de práticas para reduzir a negatividade em um Tibete majestoso, porém turbulento. Os ensinamentos de Guru Padmasambava têm sido mantidos puros até hoje. Eles permanecem tão vivos para os praticantes de hoje quanto foram há mil e duzentos anos atrás. As linhagens específicas de Guru Padmasambava praticadas nos centros do Chagdud Gonpa foram estabelecidas por Chagdud Rinpoche, ele próprio uma encarnação (tulku) de um dos vinte e cinco principais discípulos de Padmasambava.

Alguns livros recomendados

S.Ema. Chagdud Rinpoche
Portões da Prática Budista(clique). Traz os fundamentos da prática do Budismo Tibetano de forma ao mesmo tempo acessível e profunda.Para abrir o coração(clique), – Treinamento para a Paz.
Dalai Lama
Todos os livros de S.S. Dalai Lama trazem pontos essenciais da prática budista em uma linguagem universal.(clique)
Outros mestres importantes
A alegria de viver, de Yongey Mingyur Rinpoche(clique)
Fazer da mente uma aliada, de Sakyong Mipham
As Três Jóias, Tartang Tulku(clique)
Livro Tibetano do Viver e do Morrer, de Sogyal Rinpoche
O que o Buda ensinou?, de Walpola Rahula

CDs recomendados

Transformando os Venenos da Mente(clique) – série de ensinamentos em CD da Lama Tsering Everest. Cada CD enfoca uma das chamadas “emoções perturbadoras” e traz dicas práticas de como lidar com inveja, raiva, apego, orgulho e ignorância. Em inglês com tradução para o português.Voice of Tibet(clique) – uma coletânea de mantras cantados por S.Ema. Chagdud Tulku Rinpoche.

Ensinamentos em áudio e vídeo

Visite a biblioteca multimída (clique)

Textos

Clique para ler ensinamentos online

Ensinamentos ao vivo

Na linhagem do Budismo Tibetano, é importante receber ensinamentos presenciais de um mestre qualificado. Livros, CDs e internet são boas introduções, mas não são o suficiente. Encontre um professor do Chagdud Gonpa próximo de onde você vive.

"É meu desejo que o poder espiritual da paz toque cada pessoa na Terra, irradiando de uma paz profunda em nossa mente, atravessando as fronteiras políticas e religiosas" diz S. Ema. Chagdud Tulku Rinpoche.

Que todos os seres possam se beneficiar!

Fonte:http://www.pedgyal.org/

Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA