A ILHA EXÓTICA DE MADAGASCAR NA ÁFRICA

madagascar-mar

A Ilha de Madagáscar está situada ao lado da costa de Moçambique, no sudeste da África. O ilha é a maior do continente africano e uma das maiores do mundo e é conhecida por possuir a maior diversidade de fauna e flora em todo o planta, abrigando milhares de espécies de pássaros , répteis e anfíbios, muitos deles existem apenas nesta ilha, como o lémure.
Madagáscar é uma ilha montanhosa banhada pelo Índico e coberta em grande parte do território por floresta tropical, é um paraíso para os amantes da vida selvagem. Proporciona belíssimas caminhadasnas quais se podem observar dezenas de espécies de aves, plantas e lémures. Quanto às praias, convidam à prática de mergulho e snorkelling e é possível avistar centenas de baleias a partir de Junho.
A capital é a cidade de Antananarivo, nas principais cidades do país o turista pode desfrutar dos melhores bares nocturnos, mas os melhores passatempos em Madagascar são certamente o desfrutar das suas praias – tanto na ilha principal quanto nas menores, e a natureza que proporciona a pratica do treckking e do montanhismo nos Parques e Reservas Naturais.
Madagascar é a quarta maior ilha do mundo e uma parcela considerável das espécies de plantas e animais ali encontrados são endêmicas, ou seja, só existem ali e não mais em nenhum outro lugar no planeta. Ela abriga algumas espécies de animais que a principio podem parecer estranhas, principalmente para nós, como é o caso dos lêmures, fossas, camaleões e outras espécies que vem gradativamente desaparecendo devido ao desmatamento que já afetou uma grande parcela da ilha.
A Ilha de Madagascar
A Ilha de Madagascar

Ela também é conhecida por “ilha vermelha” por causa do solo avermelhado do lugar, que não é bom para agricultura, tendo ainda formações de calcário conhecidas como tsingy – resultado de muitos anos de chuva que desencadearam erosões. O clima de Madagascar é composto por duas estações basicamente: uma delas é mais seca, indo de maio até outubro e a outra é quente e úmida, indo de novembro a abril. As florestas tropicais ficam na costa leste do país, que é a parte mais úmida do mesmo, mas ela costuma ser devastada por tempestades e ciclones às vezes. Na costa oeste é onde ficam as florestas decíduas – daquelas que perdem suas folhas durante a estação seca – e quando a chuva chega, elas se transformam num verdadeiro jardim de folhas verdes. O planalto central do lugar é mais seco e mais frio, sendo aqui onde se pratica a maior parte da agricultura do país, que assenta a economia do país. Os produtos de maior destaque são as frutas tropicais, o café e o arroz. O sudoeste do país é a parte mais seca da ilha, recebendo tão pouca chuva que pode ser considerada até mesmo um deserto. Ao certo não se sabe quais foram os primeiros povos a chegar em Madagascar, antropólogos especulam que isso aconteceu há 2 mil anos por indonésios e outros por malaios-polinésios. A ilha abriga cerca de 10 milhões de habitantes, que são chamados de Malagasy, tendo uma cultura que incorporou diferentes elementos africanos, asiáticos e orientais. O arroz é a comida mais tradicional do lugar, mas complementos como carne, por exemplo, são artigos mais luxuosos indo à mesa ocasionalmente. Uma só língua une o povo Malasy.

CLICK EM QUALQUER IMAGEM ABAIXO
PARA CURTIR(SLIDES)

As Riquezas da Ilha de Madagascar
As Riquezas da Ilha de Madagascar

O primeiro europeu a pisar no exuberante lugar foi o capitão Diogo Dias, um português que acabou no lugar por engano, já que queria chegar à Índia. St. Lawrence foi o nome dado à ilha pelo capitão que ao anunciar sua descoberta em seu país de origem fez com que ela se espalhasse e os europeus tentassem estabelecer pontos de comércio no lugar, tentativa frustrada já que os guerreiros Malagasy apresentaram muita hostilidade e resistência, indo até mesmo à luta. Infelizmente no final do século 17 eles conseguiram entrar na ilha, mas piratas dominavam o lado leste da ilha que era exatamente onde os franceses queriam se estabelcer – sem sucesso mais uma vez. O primeiro reino do lugar foi estabelecido em 1810 pelos Sakalavas que eram rivais dos Merinas, que por sua vez dominavam quase toda ilha.O rei dos Merina, Radama I, criou ligações comerciais com os ingleses, permitindo que britânicos entrassem no lugar e fazendo com que este vivesse uma mini revolução industrial, mas após a morte do rei, sua esposa Ranavalona I, assumiu o poder e gerou um verdadeiro caos no lugar durante 33 anos, perseguindo cristãos, executando rivais políticos, expulsando estrangeiros e sacrificando em dias ruins. Somente depois da morte da rainha é que as relações com a Europa foram reabertas. Hoje Madagascar é uma república semi-presidencialista, sendo a AREMA Associação pelo Renascimento de Madagascar, o principal partido político local.


De Volta às Belezas

As Belezas de Madagascar
As Belezas de Madagascar

Acredita-se que a imensa fauna do lugar seja resultado da deriva continental, pois quando Madagascar se separou do continente africano há milhões de anos atrás, ficou isolado do resto do mundo e os animais ali presentes passaram a não ser incomodados por carnívoros predadores e macacos mais modernos. Estima-se que aqui exista mais de 140 espécies de rãs de cores intensas e brilhantes, além de 46 gêneros de pássaros malgaches e também o menor camaleão do mundo, que cabe na ponta do dedo. Algumas espécies infelizmente já entraram para a lista de extintas, como é o caso do hipopótamo pigmeu e do pássaro elefante. Dentre os animais carnívoros do lugar, existem ao todo oito espécies, sendo sete delas endêmicas. Todos eles pertencem ao grupo dos viverrids – o mesmo do mangusto. A fossa é o carnívoro mais famoso do lugar, tanto que no filme Madagascar ela é o vilão. Há ainda um grupo de primatas locais chamados lêmures, que somam 60 espécies, que já vem sendo ameaçadas de extinção. Sobre os pássaros, acredita-se que haja mais de 250 espécies no lugar, sendo que dentre essas 115 são endêmicas. As cobras existentes no lugar não são letais aos seres humanos e sobre os invertebrados, não se sabe ao certo quantas espécies existem no lugar. Para quem gosta de plantas, há aqui mil espécies de orquídeas e ainda 12.000 espécies de plantas, havendo também o baobá, árvore famosa por parecer uma garrafa PET e armazenar muitos litros d’água durante as chuvas.


Madagascar é uma ilha localizada no oceano Índico, na costa leste da África. Madagascar é a quarta maior ilha do mundo, sendo maior que a França e um pouco menor que o Texas. A ilha foi separada do resto do continente africano há mais de 150 milhões de anos e por isso a maiorias das plantas e animais encontrados lá não existem em nenhum outro lugar do mundo.


Foto de satélite da NASA. A ilha de Madagascar está contornada em vermelho.


Por ser tão remota, Madagascar só foi povoada por seres humanos nos últimos 2 mil anos, o que é recente na história da humanidade. Os Malagasy, como são chamadas as pessoas que nascem na ilha, são descendentes de povos da Indonésia, que atravessaram o oceano Índico e vieram parar em Madagascar. Povos árabes e africanos chegaram mais tarde e também fizeram contribuições importantes para a cultura da ilha.

A costa leste de Madagascar era território de piratas até que os franceses colonizaram a ilha, no final do século XIX. A independência veio em 1960 e hoje Madagascar é um estado democrático.


Camaleão Parson em Madagascar


A vida selvagem em Madagascar

Aproximadamente 75% das espécies de plantas e animais de Madagascar são endêmicas, o que significa que elas só são encontradas lá e em nenhum outro lugar do planeta. A ilha é morada para alguns animais bem estranhos, como os lémures, os tenrecs (que parecem um porco-espinho), camaleões de todas as cores, a fossa e vários outros bichos. Infelizmente, muitos desses animais únicos e muito raros estão ameaçados de extinção por causa da caça e da destruição das florestas onde eles vivem.



Ayer-Ayer: primata da ilha de Madagascar

Ayer-Ayer: primata da ilha de Madagascar

Madagascar é a quarta maior ilha do mundo, depois da Groenlândia, Nova Guiné e Bornéu. A capital, Antananarivo, fica mais ou menos no meio da ilha, e a mais de 9 mil km de distância do Rio de Janeiro!

Madagascar pode ser dividida em cinco regiões geográficas: a costa leste, o maciço de Tsaratanana, os planaltos centrais, a costa oeste e a região sudoeste. Os planaltos centrais vão do norte ao sul da ilha, com altitudes entre 800m e 1,800m. O maciço de Tsaratanana fica no norte da ilha e lá se encontra a montanha mais alta de Madagascar, o monte Maromokotro, com 2876m.

Madagascar é também chamada de “a grande ilha vermelha” por causa dos seus solos avermelhados, ruins para a agricultura. A ilha possui formações de calcário no oeste e norte. Essas formações são conhecidas como
tsingy, e são o resultado de anos e mais anos de chuva, que faz causa a erosão da base de calcário.
Normalmente Madagascar tem duas estações: uma estação quente e úmida, de novembro até abril, e uma estação mais seca, que vai de maio até outubro.

A costa leste é a parte mais úmida do país, e portanto é onde ficam as florestas tropicais. Essa área é periodicamente devastada por ciclones e tempestades.

O planalto central é bem mais seco e frio, e nele se pratica a maior parte da agricultura de Madagascar, especialmente arroz.

Na costa oeste ficam as florestas decíduas. Florestas decíduas são aquelas onde as árvores perdem suas folhas durante a estação seca, que pode durar de 6 a 8 meses. Quando a chuva chega nessas áreas, as florestas decíduas se transformam num mar de folhas verdes.

O sudoeste de Madagascar é a parte mais seca da ilha, e alguns pedaços recebem tão pouca chuva que podem até ser considerados desertos.

Ninguém sabe ao certo quem foram os primeiros a chegar em Madagascar. Alguns antropólogos acreditam que os primeiros habitantes da ilha chegaram há 2 mil anos vindos da Indonésia e que os primeiros africanos só vieram do continente para a ilha muito depois disso.

Outros antropólogos sugerem que o povo de Madagascar descende de uma mistura de africanos e indonésios que aconteceu antes mesmo desses povos chegarem à ilha.

Mas um ponto onde a maioria dos estudiosos concorda é que independentemente de quem chegou primeiro, fato é que a ilha só foi ocupada recentemente (a idade da pedra não aconteceu em Madagascar) e que migrações posteriores trouxeram árabes e indianos que se juntaram à mistura que hoje compõe a população da ilha.

Essa mistura que deu origem aos Malagasy (como são chamados os habitantes de Madagascar) produziu uma cultura que incorpora elementos da Ásia, da África e do Oriente Médio. A influência indonésia na cultura Malagasy é bastante evidente na lingual, que é muito parecida com o dialeto falado em Boréu, uma das ilhas da Indonésia. O arroz é a comida mais tradicional de Madagascar e várias pessoas comem arroz em todas as refeições! A carne também é um prato tradicional, mas caro. O gado de Madagascar veio da Índia, mas reflete a influência africana na cultura, já que amaioria dos indianos não come carne.


Um pai Bara com sua filha perto de Isalo, em Madagascar.

A população de Madagascar é de aproximadamente 10 milhões de habitantes e a aparência das pesosas, assim como suas tradições e hábitos religiosos, variam muito de uma região para a outra. Assim como acontece no Brasil, apesar das diversidades regionais, o povo Malagasy é unido por uma só língua.

Madagascar tem uma grande riqueza cultural. Existem mais de 20 grupos étnicos, desde os Merina que descendem dos indonésios e vivam nas montanhas, até os Sakalava que vieram da África e vivem na costa oeste e os Antaimoro, que vivem no outro lado da ilha e são descendentes de povos árabes.

Em Madagascar os ancestrais são parte do presente e não só do passado; em várias regiões a tradição e os costumes são colocados acima da lei e religiões do ocidente se misturam com magia.


Os primeiros humanos chegaram em Madagascar há mais ou menos 2 mil anos atrás vindos da Indonésia e da África. Mercadores africanos chegaram na ilha em meados de 800-900 A.C., quando começou o comércio na costa norte.

O primeiro europeu a chegar na ilha foi o capitão português Diogo Dias, que viu Madagascar no dia 19 de agosto de 1500. O navio do capitão Dias estava a caminho da Índia mas acabou em Madagascar por engano. O capitão deu à ilha o nome de St. Lawrence. Nos anos 1500 os portugueses, os franceses, os holandeses e os ingleses, todos, tentaram estabelecer pontos de comércio em Madagascar. Mas todas essas tentativas falharam por causa das condições hostis e da luta dos guerreiros Malagasy.

No final do século XVII, os europeus finalmente conseguiram entrar em Madagascar, enquanto os piratas dominavam o lado leste da ilha. Esses piratas usavam a ilha como base para seus ataques contra navios levando mercadorias da ĺndia para a Europa. Durante o século XVIII os franceses continuaram tentando se estabelecer na costa leste, sem nunca conseguir fazê-lo.

Enquanto isso, do outro lado da ilha, os Sakalavas fundaram o primeiro reino de Madagascar. Em 1810, seus rivais, os Merina, dominavam quase toda a ilha. O rei dos Merina, Radama I, estabeleceu relações comerciais com os britânicos e permitiu que missionários ingleses entrassem no país e espalhassem o cristianismo pela ilha. No reinado de Radama Madagascar viveu uma espécie de mini revolução industrial. Com a morte do rei, sua esposa, Ranavalona I, assumiu poder e aterrorizou a ilha de Madagascar durante 33 anos perseguindo cristãos, expulsando estrangeiros, executando rivais políticos e revivendo a tradição de sacrificar crianças nascidas em dias de má sorte. As relações com a Europa só foram reabertas depois da morte da rainha.

Em 1883 a França invadiu Madagascar e em 1896 seu controle sobre a ilha era total e Madagascar se tornou uma colônia francesa. A França usava Madagascar como fonte de madeira e de produtos exóticos como a baunilha. O povo Malagasy tentou se rebelar contra a presença francesa, especialmente em 1918 e 1947, mas a independência só veio em 26 de Junho de 1960.

Em 1975, Didier Ratsiraka assumiu o poder em Madagascar. Ele governou como ditador até 1991, quando foi deposto em meio a uma crise econômica. Ele reassumiu a presidência logo em seguida e governou até perder a eleição de 2001. O novo presidente, Marc Ravalomanana, prometeu trazer democracia ao país




Produção de baunilha em Madagascar.
Photo by Julie Larsen Maher of the Wildlife Conservation Society

Madagascar é um dos países mais pobres do mundo. A sua economia se baseia principalmente na agricultura, mineração, pesca e produção de roupas. Um dos produtos mais conhecidos de Madagascar é a baunilha, que vem de uma orquídea e é usada no mundo inteiro pra dar sabor à alimentos. Os grãos de baunilha precisam de pelo menos 2 anos para crescer, o que faz do produto uma especiaria cara.

Apesar dos preços relativamente altos da baunilha, um Malagasy ganha em média 1 dólar por dia. 70% da população do país está abaixo da linha da pobreza e quase metade das crianças menores de 5 anos sofrem de desnutrição.

Por que Madagscar é tão pobre? Existem várias razões. Nos tempos do ditador Didier Ratsiraka o governo era extremamente corrupto e roubou grande parte do dinheiro país. Madagascar era uma colônia de exploração, o que signifca extração dos recursos naturais ao máximo, e nenhum investimento e crescimento econômico. A falta de infra-estrutura, especialmente estradas, dificulta a vida dos fazendeiros, que não tem como transportar a sua produção, o que é agravado pelo fato de Madagascar ser uma ilha e estar isolada, o que aumenta os preços e dificulta o comércio. Tudo que Madagascra quer importar ou exportar fica mais caro. Um sistema de educação fraco impede que os ovens Malagasy consigam bons empregos e poucas pessoas têm acesso à tecnologias ou à internet. A além de tudo isso, a destruição do meio-ambiente reduz a capacidade dos agricultores de produzir comida. Todos esses fatores contribuem para a pobreza de Madagascar.

Mas nem tudo está perdido. Em 2005 o governo de Madagascra anunciou a descoberta de grande uma quantidade de petróleo. O petróleo deve ser parte fundamental do futuro econômico de Madagascar, junto com a mineração, a exploração de pedras preciosas (Madagascar tem muitas safiras) e o turismo. O ecoturimo, uma forma de turismo que minimiza os impactos no meio-ambiente, pode ajudar a economia de Madagascar e ao mesmo tempo proteger a natureza e a vida selvagem.

Fonte:http://www.wildmadagascar.org/brazilian-portuguese/kids/01-introduction.html


Foto Destaque: Marco Zanferrani/Flickr A Ilha de Madagascar, situada na costa da África e uma das maiores do mundo, já serviu de inspiração para tudo: de música de axé (lembram-se?)...
Foto Destaque: Marco Zanferrani/Flickr

A Ilha de Madagascar, situada na costa da África e uma das maiores do mundo, já serviu de inspiração para tudo: de música de axé (lembram-se?) a filme de animação. O país tem uma rica fauna e flora, sendo uma das maiores biodiversidades do mundo. Sua beleza natural contrasta com a pobreza de sua população.
Nós do MalaPronta.com selecionamos algumas fotos para que você conheça melhor este belo país africano.

 
A capital do país é Antananarivo e sua arquitetura teve influência da colonização europeia. Foto: Wallygrom/Flickr
 
No centro da cidade está localizado o lago Lac Anosy. Foto: Ecololo/Flickr
 
A paradisíaca ilha vulcânica de Nosy Be, no noroeste do país, tem uma paisagem deslumbrante. Foto:Rita Willaert/Flickr
 
Lagarto tradicional de Nosy Be.
Foto:Bettina-N/Flickr
 
Casas da vila de pescadores. Foto:Frontierofficial/Flickr
 
As praias selvagens e suas águas transparentes são circundadas pela vegetação densa da floresta tropical. Foto: FredR/Flickr
 
Em Anjajay, o turista encontrará diversas rochas desgastadas pela erosão. Foto:Acme/Flickr
 
Antsiranana, uma das províncias de Madagascar também é uma região bastante visitada pelos turistas.
Foto:Vita Sary/Flickr
 
Na reserva privada Berenty, próxima a Fort Dauphin, estão os sifakas que fazem um show à parte. Eles se locomovem pulando como se estivessem dançando. Foto: Woodlouse/Flickr
 
No sul de Madagascar, Ifaty reserva paisagens desérticas que tem como principal característica os Baobabs. Este tipo de árvore é encontrado somente em Madagascar. Foto: Martha de Jong Lantink/Flickr
 
A bucólica paisagem de Fandriana, região central da ilha. Foto: Chronowizard/Flickr

Depois dessas fotos dá para perceber porque Madagascar serviu de inspiração para diferentes projetos. Não se esqueça de comentar dizendo o que achou das fotos, estamos esperando o seu comentário!

Fonte:http://www.malapronta.com.br/blog/

Madagascar - A Ilha Misteriosa

Madagascar é refúgio de plantas e animais que vieram da pré-história. Eles foram se adaptando às alterações do clima e do tempo, mas mudaram de maneira diferente. O chefe da expedição está em boas mãos. Ele e a botânica Lucille Allorge vão enfrentar os caminhos íngremes de Madagascar. A vegetação já é uma surpresa: como pode crescer apesar da pouca luz que vem do céu e da escassa umidade do solo?
E os bichos? Como são originais e parecem excitados com a visita! Lêmures, que são parentes dos macacos e, sobretudo, os camaleões, acharam na ilha um refúgio ideal.




Postagens mais visitadas deste blog

APRENDA COMO FAZER CONTATO COM SEU ANJO E GUIAS ESPIRITUAIS - TEXTOS DE VÁRIOS AUTORES

PARA ONDE VAMOS QUANDO MORREMOS,SEGUNDO A DOUTRINA ESPÍRITA ?

O GATO NA MITOLOGIA SAGRADA EGÍPCIA