quarta-feira, 18 de julho de 2012

O GENE DA FÉ - CIÊNCIA E RELIGIÃO



 


“Deus colocou a eternidade no coração dos homens”
O Cristianismo contribuiu de forma decisiva para a pesquisa moderna defendendo que procurar entender nosso mundo faz parte do mandado cultural que Deus havia dado ao homem no ato da criação.



O homem deve conhecer melhor o universo que Deus criou e onde Deus o colocou, conhecer o próprio Deus é assim conhecer-se melhor.
A religião surgiu na história da humanidade com as primeiras agregações sociais e, embora não seja a única possibilidade de conferir sentido a existência, para milhões de pessoas em diferentes épocas e culturas tem sido uma forma eficiente de se projetar no futuro com mais segurança. Ideais políticos, e comprometimento com causas sociais podem assumir a mesma função psíquica, porém pelo modo como um organizador psíquico privilegiado – embora exista o risco de instituições, dogmas e rituais exageradamente rígidos favorecem justamente o oposto: confusão, fanatismo e adoecimento mental



“Em nome da fé se justificam ações de todo o gênero, dos gestos de generosidade às atrocidades.
O conceito de religião pode ser definido como um sistema de significados centrados no sagrado, que se torna  a lente através da qual percebemos a realidade.



Uma curiosidade tem intrigado pesquisadores: não só a função da religião no psiquismo, mas a possibilidade de haver no cérebro humano áreas cuja função específica é possibilitar experiências religiosas, como se estabelecem uma ponte em direção a Deus.
O geneticista Dean Hamer pesquisou a fundo questões que sustentan que a crença no criador é geneticamente determinada e que teria decifrado o “código” que revela que a fé não é simplismentebuma escolha pessoal, mas está contida em nossos genes. E afirma que há na espiritualidade um mecanismo biológico que nos deixa predispostos geneticamente a crer
Hamer lançou assim uma das maiores controvérsias dos últimos tempos. Mas tanto teólogos, filósofos, antropólogos e psicanalistas que estudam o tema afirmam que a biologia não é capaz de explicar algo complexo, pois a definição de fé não é tão simples como propõe o autor.



“A ciência é uma disciplina que demanda medições precisas de fenômenos, e as dimensões da consciência humana não podem ser medidas dessa forma”
Tomás de Aquino dizia: “Todas a s ações humanas devem ser dirigidas a um fim último, a felicidade de estar com Deus”



Quando se crê na existência de Deus, a evidência mostrada pela ciência ao descobrir mediadores químicos que nos possibilita experiências com Ele, não muda os fatos: a experiência que se tem com Deus é singular e influencia a vida dos indivíduos, nas relações consigo mesmo e com os outros. E confere sentido à nossa própria história, do nascimento à morte e até a eternidade.
Fonte:http://analopes9.blogspot.com.br/2010/12/o-gene-da-fe.html