QUATRO PRINCÍPIOS DE ESPIRITUALDADE PARA LIDAR COM OS ACONTECIMENTOS DA VIDA


Estes são ditos quatro princípios de espiritualidade para lidar com o que acontece na vida e, embora não sejam parte de nenhuma fonte séria ou conhecida, e estejam apenas rodando a Internet sem autor conhecido, são curiosos e valem uma leitura e reflexão. Se percebermos em perspectiva, todos eles dizem respeito a como enxergar alguma coisa que aconteceu, mesmo que tenha acabado de acontecer (como encontrar uma pessoa na rua), e dizem respeito principalmente aos motivos que usualmente racionalizamos (ou estamos condicionados a pensar) sobre o acontecido. A fonte desses quatro “princípios de espiritualidade” é desconhecida e parece ser atribuída genericamente à “cultura indiana”, circulando em vários sites sem nenhuma atribuição fixa. Está inclusive em sites escritos por indianos, e entre eles alguns parecem concordar com a filosofia contida neles – como o de Ramana Rajgopaul, um indiano que mora em Puna e escreve o blog “Ramana’s Musings“.
Eles invocam conceitos de karma, de inconsciente, de uma ordem intrínseca nos acontecimentos pelos quais passamos (ou “co-criamos”), mas, principalmente, da aceitação do real em detrimento à idealizações ou rejeições. Quando ele diz “é a única coisa que poderia ter acontecido”, no segundo princípio, talvez ele não queira ter sido fatalista, mas libertário em relação ao presente: medicando a infinita hipotetização mental do que “poderia ter acontecido“.
Os quatro itens estão abaixo. Em negrito estão as frases originais, e em estilo itálico estão as frases que comentam as originais, e ambas estao reproduzidas conforme foram encontradas na Internet.

“OS QUATRO PRINCÍPIOS DA ESPIRITUALIDADE”
Autor desconhecido

O Primeiro Princípio diz:
“Quem quer que você encontre é a pessoa certa”
Isso significa que ninguém aparece na sua vida por acaso. Todos que estão em volta de nós, qualquer um com quem nós interagimos, representa algo, seja para nos ensinar alguma coisa ou para nos ajudar a melhorar a situação atual.

O Segundo Princípio diz:
“O que quer que tenha acontecido é a única coisa que poderia ter acontecido”.
Nada, absolutamente nada do que nós experimentamos poderia ter sido de outra maneira. Nem mesmo no detalhe menos importante. Não existe isso de “Se ao menos eu tivesse feito aquilo de maneira diferente…, então teria sido diferente…”. Não. O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido e tinha que ter acontecido para que possamos aprender nossa lição e ir em frente. Toda situação que encontramos na vida é absolutamente perfeita, mesmo quando desafia nossa compreensão e nosso ego”.

O Terceiro Princípio diz:
“Cada momento em que algo começa é o momento certo”
Tudo começa exatamente na hora certa, nem mais cedo nem mais tarde. Quando estamos prontos para isso, para aquele algo novo em nossa vida, está lá, pronto pra começar.

Esta é o O Quarto Princípio, o último:
“O que acabou, acabou”
É simples assim. Quando algo em sua vida acaba, ajuda nossa evolução. É por isso que, enriquecido pela experiência recente, é melhor deixar pra trás e ir em frente. Acho que não é coincidência que você esteja lendo isso. Se essas palavras tocam você em algum ponto, é porque você preenche os requisitos e entende que nenhum floco de neve cai acidentalmente no lugar errado.


Fonte:http://dharmalog.com/