sábado, 2 de junho de 2012

O TAOISMO DO AMOR E DO SEXO

sexo-tantrico


O Amor e a Alimentação são igualmente
Vitais para nossa sanidade e sobrevivência.

Ko Tzu




Hoje me deparei com este livro que gosto muito: O Taoísmo do Amor e do Sexo, de Jolan Chang. Infelizmente está esgotado, mas dá para encontrá-lo usado em livrarias on-line.

Recomendo para todos os amantes que se interessam em cuidar de si, do outro e do relacionamento.

As filosofias orientais tinham uma visão metafísica do sexo, que era fonte de saúde, juventude e poder pessoal.

O tantrismo, por exemplo, que existiu na Índia, antes de invasões e do estabelecimento do patriarcado, era composto de técnicas que visavam a iluminação do ser, através da ascensão de Kundalini, a serpente ígnea, alojada no chackra sexual.

Mas o que acho mesmo especial no Tao, filosofia chinesa que teve início há milhares de anos atrás, é a amorosidade que permeia as relações homem/mulher.

O Tao é a própria força infinita da natureza. A filosofia do Tao é permanecer. E para praticar o Tao, e para nos tornarmos parte desse força infinita devemos ser naturais, devemos estar honestamente relaxados. E foi a partir dessa filosofia natural de prudência, conservação e flexibilidade que o Tao do Amor se desenvolveu.

Temos então, três conceitos básicos nesta arte (ou ciência?), que distinguem o Tao do Amor dos demais estudos sexuais:


1 - o homem deve aprender a descobrir o correto intervalo de ejaculação adequado à sua idade e a sua condição física. Com isso se fortalece para fazer sexo quando ele e sua parceira desejarem.

2 - os chineses antigos acreditavam que a ejaculação não era, para o homem o momento de maior êxtase. Sabendo controlá-la o homem poderia ter orgasmos sem ejacular.

3 - o terceiro ponto fala da importância da satisfação feminina no intercurso sexual.

As mulheres eram mestres e consultoras dos imperadores sobre o Taoísmo do Amor.

O livro é ótimo e fala de forma poética sobre técnicas para se obter prazer e longevidade através do sexo amoroso.

Encerro com um diálogo entre o Imperador e sua consultora sobre a importância de fazer amor:

Imperador Huang Ti: "Estou fatigado, estou em desarmonia. Estou triste e apreensivo. O que devo fazer para solucionar isso?
Su Nü: Toda debilidade do homem deve ser atribuída às maneiras feitas de amor.A mulher é mais forte que o homem, em sexo e constituição, e assim a água é mais forte que o fogo. Os que conhecem o Tao do Amor são como os bons cozinheiros que sabem misturar os cinco sabores e fazer com eles um delicioso prato. Os que conhecem o Tao do Amor e harmonizam o Yin (fêmea) e Yang (macho) são capazes de misturar as cinco alegrias e obter com eles um prazer celestial; os que não conhecem o Tao do Amor morrerão antes do tempo sem mesmo ter gozado (apreciado) o prazer de amar. Não seria por isso que sua Majestade deveria estar procurando?"
Incrível como este título é de longe o mais acessado no blog!Acessos de todas as partes do mundo. Por isso resolvi falar um pouquinho mais a respeito.
O Tao existiu na China antiga, antes da instituição do patriarcado... quando o feminino era considerado força propulsora de vida e longevidade, e as mulheres eram consultoras dos imperadores.
Pois então, vamos lá.O Tao sugere que todo homem deva desenvolver suas habilidades amorosas de maneira a poder satisfazer e apreciar sua parceira de amor. A "satisfação", no sentido taoísta, não é apenas obtenção de um prazer imediato; seu sentido é mais profundo, bem mais metafísico, envolve o cultivar de uma tranquilidade mútua. Quando o Tao do Amor se refere à "técnica", não se refere apenas à habilidade de estocar e de ejacular de maneira controlada; refere-se também ao desenvolvimento de todos os sentidos para que, dessa maneira, você consiga a verdadeira harmonia de Yin e Yang. Assim, fazer amor não é um simples ato mecânico; é uma experiência total. Um pianista, exímio mestre da técnica do dedilhado, ainda assim não passa de um técnico. Tornar-se-á um artista quando conseguir colocar seus sentidos e imaginação plenos dentro da música que toca. O amor extasiante está bem próximo a isso.

Vou citar hoje, a importância da comunicação entre os casais, ressaltada pelo Tao:
Aprendendo a comunicar"Além de aprendermos a nos tocar mutuamente, precisamos aprender a nos comunicar um com o outro. O que importa não é bem o que você diz; é como você diz. Em certos aspectos ainda agimos como crianças. Reagimos mais aos sons que às palavras, especialmente no amor.
Freud demonstrou que o comportamento sexual está profundamente enraizado na infância, numa fase em que somos condicionados pelo toque macio e pela voz suave de nossas mães. A voz humana é um instrumento misterioso e maravilhoso! A sua também deveria sê-lo. Durante o amor, o silêncio pode enervar o parceiro, pois pode ser interpretado como falta de interesse ou insatisfação. Não estamos sugerindo, com isso, que você deva engajar-se em diálogos filosóficos; estamos sugerindo apenas que você dê sinais de sua aprovação e satisfação. Eis alguns pontos a serem observados:

1- O silêncio total pode ser interpretado como insatisfação.2- Evite as palavras e os sons ásperos e negativos. Para ser bem-sucedida, uma sessão de amor exige um clima harmonioso e condescendente.3- Jamas critique. No amor, a crítica pode causar efeitos devastadores. Por mais viril que seja seu parceiro, perderá a autoconfiança se você o atacar precisamente no seu momento mais vulnerável, isto é, quando está fazendo amor. (Creio que vale para ambos os sexos!)
4- O elogio em voz doce e suave pode realizar verdadeiros milagres."


The Tao of Love and Sex - Jolan Chang


Fonte:http://conscienciacorporalmeireribeiro.blogspot.com.br/