LUTA MARCIAL - FILOSOFIA DO MOVIMENTO

Estudos Marciais: Tratado de Taiji Quan atribuido a Zhang Sanfeng


" A partir do menor movimento, todo o corpo deve estar leve e ágil, com todas as partes ligadas. Convém estimular o sopro, concentrar o poder espiritual, fazer de modo que os movimentos não apresentem nenhuma ruptura, que não tenham reentrância nem saliência e não apresentem descontinuidade. A energia enraíza-se nos pés, desenvolve-se nas pernas, é comandada pela cintura e manifesta-se nos dedos. Dos pés às pernas e a cintura, é mister uma unidade perfeita, assim seremos capazes, no avanço e no recuo, de captar o momento propício e obter uma posição vantajosa. caso o contrário, o corpo será deslocado. defeito proveniente das pernas e da cintura.
Aplica-se o princípio seja qual for a direção. Tudo isso é um caso de intenção e não uma coisa exterior. O alto não vai sem o baixo, nem a direita sem a esquerda, nem o dianteiro sem o traseiro, se a intenção é ir para cima, coloquemos o pensamento voltado para baixo. exatamente como quando queremos arrancar uma planta; se lhe acrescentarmos a idéia de torção, é certo que a própria raiz se romperá e será rapidamente destruída. Convém distinguir claramente o "vazio" do "cheio". Cada parte do corpo corresponde ao "vazio" ou à "plenitude". O corpo deve estar ligado, articulação por articulação, sem nenhuma descontinuidade."