BALI E SEUS TEMPLOS SAGRADOS




Bali: A casa escolhida pelos Deuses

Cidades coloniais, templos, praias paradisíacas e paisagens exóticas

O quê visitar em Bali As linhas que siguem, resumem, por ordem alfabética, alguns dos pontos turísticos mais visitados da geografia balinesa.

Bedugul: Pequeño povoado ao norte de Bali que destaca pelos seus coloridos mercados de flores e frutas ( como o Candikuning), e desde este mercado se pode desfrutar de umas maravilhosas vistas panorâmicas dos lagos Buyan e Tamblingan. Esta localidade também é famosa por outro ponto de interesse: o Beratan, na sua margem se eleva o templo budista e hinduísta de Ulun Danu, dedicado à deusa da água.

Besakih: Esta região, pertence a zona oriental de Bali e está perto do vulcão Agung, também está o Pura Besakih, o ponto turístico mais importante da ilha. O complexo, cuja construção data possivelmente do século XIV, está formado por um total de 21 edifícios em perfeito estado de conservação. Entretanto, a erupção do Agung em 1963 quase esteve a ponto de afetar as suas estruturas.

Candi Dasa: Localizada a leste de Bali e as margens de um lago, esta região costeira destaca por ter o templo consagrado à Hariti, deusa da fertilidade. E perto do templo está 3 ilhotes- Gil Tepekong, Gili Biaha e Gili Mimpang - bastante apreciados pelos amantes da pesca e mergulho. Indo ao oeste, se pode admirar o templo de Pura Goa Lawah ( também conhecido como Caverna do Morcego).

Denpasar: É a capital da ilha e é o seu principal centro comercial e empresarial. Porém não se trata de uma das localidades mais apreciadas pelos turistas, Denpasar concentra alguns pontos de interesse, tais como o Museu de Bali - inaugurado em 1932 e dedicado à arquitetura tradicional da ilha - e, além do mais, o seu templo. o Pura Jagatnatha. Nesse templo se venera a divindade Hindú Sang Hang Widi Wasa, no qual se converte no único santuário balinés dedicado a uma só divindade. Seu altar central, presidido por Shiva, foi realizado em coral branco.

Gitgit:Este pequeno povoado ao norte de Bali, localizado a 10 km de Singajara, destaca pela suas cachoeiras espetaculares de 35m de altura e abertas ao público em 1975. Bem perto, se encontra o monumento Bhuwana Pangkung Bangka, que homenagea os indonésios que perderam a vida nos combates contra os colonizadores holandeses.

Klungung:Distrito localizado a leste de Bali que alberga a Corte de Justiça ou Kerta Gosa. Erguido no século XVII, este edifício é conhecido como a "Capela Sistina de Bali", devido a rica policromia que decora os seus tetos. Não muito longe de aí, se recomenda visitar o palácio flutuante de Bale Kambang.

Lovina:Situada a noroeste de Bali, esta zona costeira destaca por ter nas suas redondezas um famoso balneário: o Air Banjar Hot Springs. Os seus preços está ao alcance de qualquer pessoa, convertendo em uma das principais publicidade de Lovina. Entretanto, também oferece ao visitante um segundo pólo de atração turística. o Brahma Vihara Arama, um dos poucos santuários budistas existentes na ilha de Bali. Construído em 1970, o edifício se inspira no estilo construtivo de Borobudur ( em Java), considerado como um dos templos mais importantes do sudeste asiático.

Mengwi:Aos seus arrededores está o santuário hinduísta de Pura Taman Ayun ( que significa " templo jardim na água), um dos seis templos da realeza da ilha e, desse modo, um dos mais relevantes. Ubicada numa ilha fluvial, o complexo chama atenção por suas estilizadas pagodas.

Nusa Dua: Se trata de uma espetacular praia tropical situada ao sul da ilha, de areia fina branca e palmeiras. Ao longo da praia estão numerosos spas e complexos hoteleiros.

Sangsit: Desde este povoado, situado a leste da ilha, se pode admirar o impresionante vulcão de Batur. As suas espetuculares dimensões (13,8 x 10km) o convertem em um dos mais admirados do mundo. Ao seu arrededor está o templo hinduísta com o mesmo nome, dedicado a Visnu.

Selat: A leste da ilha, se localizam uns arrozais que umas décadas atrás estavam a vila de Selat. Porém, a lava expulsada pelo vulcão Agung em 1963 sepultou a vila.

Singaraja: Singaraja, antiga capital de Bali durante a dominação holandesa, está situada ao norte da ilha. Desta etapa se conservam diversas residências de estilo colonial, assim como os seus bulevares enormes.

Tenganan:Se trata de uma pequena vila situada a leste de Bali ( é uma das mais antigas vilas da ilha), na qual predominam as tradicionais formas de vida e as atividades econômicas artesanais, próprias da cultura pré- hindú.

Tanah Lot: Esta região acolhe um espetacular templo que se eleva sobre um ilhote na metade do mar. Desde o templo se pode desfrutar umas maravilhosas vistas do pôr do sol. Aos seus arrededores, se recomenda visitar o Alas kedaton, também conhecido como o Bosque Sagrado dos Macacos.

Ubud: Considerada como a capital cultural de Bali, esta localidade oriental possui numerosas galerias de arte. Além do mais, em Ubud se organiza anualmente um concurso literário

Fonte:http://www.logitravel.com.br/guias-de-viagens/


Bali é uma ilha que conta com mais de duas dezenas de templos budistas e hindus que poderá visitar. Lembre-se que o Bali é uma ilha onde poderá encontrar templos com belas vistas, com belos jardins, com uma decoração incrível e acima de tudo, lembre-se que são casas de culto, deverá manter o respeito pelas tradições.
Ulu Danau Bratan, Kehen, Besakih, Tegeh Koripan, Luhar Batakau, Bukit Dharma Durga, são alguns dos templos que se encontram na Ilha de Bali.

Bali: cinco templos imperdíveis


O Pura Ulun Danu Bratan de manhãzinha: especial ao nascer do sol

A religião oficial de Bali é o hinduísmo, mas com fortes influências de budismo e animismo, o que explica a presença maciça de estátuas de Buda, a constante referência a Brahma, Visnu e Shiva (a tríade budista que representa a criação, a manutenção e a destruição) e a crença em espíritos e seres sobrenaturais, talvez o traço mais marcante da fascinante cultura balinesa. Visitar templos na ilha é programa obrigatório, e cinco deles são realmente especiais:

Pura Tanah Lot

Um dos mais sagrados templos de Bali, é também o mais turístico – e cheio. Construído no alto de uma rocha à beira-mar, fica completamente cercado pelas ondas na maré alta. Na baixa, é possível andar pelos arredores (mas não entrar – apenas os balineses podem subir até o topo). O caminho até lá, a partir de Seminyak, é cercado de campos de arroz; e, depois da entrada, de centenas de lojinhas de suvenir barato. O clima turistóide se completa com absurdos como uma anaconda gigante para “posar” para fotos e um morcego do tamanho de um cachorro que interage com quem passa na frente de uma loja. Tudo bem. O templo é realmente lindo e merece a visita.
Melhor hora para estar lá: no pôr do sol   


Pura Ulun Danu BratanFaz frio ao amanhecer na região central de Bali, cercada de montanhas e vulcões. Às seis horas da manhã, o sol ainda não alcançou as águas do Lago Bratan, na cidade de Bedugul, e elas soltam uma fumacinha que deixa tudo ainda mais mágico. À bordo de uma canoa a remo, é o momento perfeito de se aproximar silenciosamente deste templo dedicado à deusa balinesa das águas, fundado no século 17, e esperar pelo sol. Assim como o Tanah Lot, é um dos cartões-postais mais famosos de Bali – mas é infinitamente mais tranquilo e vazio.
Melhor hora para estar lá: às seis da manhã (só não se esqueça de contratar o barco a remo no dia anterior)  


Gunung Kawi

Uma longa escadaria desce o vale entre lindos campos de arroz até as margens de um rio, onde estão alguns dos monumentos mais antigos de Bali – uma série de esculturas cavadas na rocha no século 11, que acredita-se ser uma reverência à realeza da ilha na época. O templo propriamente dito fica logo ao lado. Gunung Kawi fica nos arredores da cidadezinha de Tampaksiring, cerca de 40 minutos ao norte de Ubud (não confundir com o Pura Gunung Kawi, um templo – também lindo, antigo e importante, mas menos grandioso, que fica nas proximidades).
Melhor hora para estar lá: no fim do dia   


Air Panas Banjar

Nos arredores da cidadezinha de Banjar, no norte da ilha (a 15 minutos de Lovina), o Air Panas Banjar é um templo instalado numa região de termas sagradas. É possível tomar banho em três piscinas diferentes, com a água de origem vulcânica sempre verde e perto dos 40ºC. O lugar é lindo, todo cercado de mata.
Melhor hora para estar lá: de manhã   


Pura Luhur Ulu Watu

A localização é espetacular: no alto das falésias do extremo sul de Bali, debruçado sobre as lendárias ondas de Ulu Watu. É considerado um dos três templos à beira-mar mais sagrados de Bali, e a sua mata é habitada por centenas de macacos exibicionistas (e cleptomaníacos). Todos os dias, no pôr do sol, rola a apresentação de um espetáculo de dança kecak com fogo, onde são protagonizados trechos do Ramayana, o épico hinduísta indiano, com um coral hipnotizante de 70 homens.
Melhor hora para estar lá: às 18h, para assistir a dança enquanto o sol se põe. 


Fonte:http://viajeaqui.abril.com.br/blog/viajar-bem-barato/


TEMPLOS E MONUMENTOS BUDISTAS

 

BALI - SEUS DEUSES, TEMPLOS E MONUMENTOS

Nascida de erupções vulcânicas, já foi chamada de "A Manhã do Mundo" e "A Morada dos Deuses". Bali está situada entre Java e Lombok, com o formato de uma tartaruga. Possui pouco mais de 5 mil quilômetros quadrados (menor que o Distrito Federal). É a única das 13 600 ilhas da conturbada Indonésia que respira a serenidade do hinduísmo.

Com mais de 3 milhões de locais e residentes e cerca de 1 milhão de turistas por mês.















O balinês é caracterizado pela humildade e simplicidade. Um povo muito místico, onde a religião exerce um papel tão forte no cotidiano, chegando ao ponto de o aeroporto internacional da ilha ficar fechado por 24 horas num feriado onde ninguém pode sair de casa ou transitar nas ruas neste dia. (dia do Niepy).
A religião em Bali é uma fusão do hinduísmo com budismo e é, por isso, um pouco diferente do hinduísmo de outros países como a Índia por exemplo.

Os balineses, principalmente as mulheres, fazem rituais diários (3 X ao dia, ao amanhecer, meio dia e final de tarde) com oferendas feitas de arroz, uma rodela de banana, incenso, uma moeda e flores organizados dentro de uma minúscula bandejinha feita com folhas com o objetivo de agradecer aos deuses pela vida, alimento e proteção e para que a vida siga em harmonia com o planeta.
No passado, os rituais em Bali incluíam até sacrifícios humanos e a sociedade era formada por
um complexo sistema de castas.






Acredito que Bali tenha a maior concentração de artista por metro quadrado do planeta. Sejam artesões de madeira, pedra ou prata, pintores ou dançarinos. Não importa, eles são dezenas de milhares por todos os lados. Quando não estão inspirados, muitos trabalham nas plantações de arroz que estão espalhadas por todo solo que fora fertilizado pelos vulcões existentes na ilha.











Para o turista, além das compras a preços realmente tentadores, existem mil e uma opções de passeios e diversão. Vale uma dica para você que pretende ir a Bali. Existem lojas com preços tabelados onde só consegue-se no máximo 10% de desconto nas compras, mas é um hábito local superfaturar os preços para que sejam negociados. Cinqüenta por cento de desconto é mais ou menos a faixa de desconto que se consegue com uma boa conversa e mostrando um pouco de desinteresse.
















Fonte:http://budismoemesperantina.blogspot.com.br/


VÍDEOS DE TEMPLOS DE BALI